Coronavírus: Megaferiado não sobe taxa de isolamento e SP registra 6.045 mortes

Na próxima quarta-feira, 27 de maio, o governador João Doria (PSDB) deve decidir as próximas ações para conter a transmissão do vírus

Marcos Santos/Jornal da USP

Jornal GGN – O Estado de São Paulo registrou neste sábado, 23 de maio, 6.045 óbitos em decorrência do novo coronavírus. Desses números de mortes, 272 são das últimas 24 horas. O número de infectados no estado chegou a 80.558. Os dados são da Secretaria de Saúde. 

Mas, apesar de ser o Estado brasileiro mais atingido pela doença, a taxa de isolamento social – medida adotada pelos órgãos de saúde para conter a transmissão do vírus – ainda é de 48%. 

Com isso, o coordenador do Centro de Contingência da Covid-19, Divas Covas alertou que a pandemia “provavelmente” irá se estender até outubro, de acordo com informações da Folha de S. Paulo. 

“Se nós tivéssemos um índice de isolamento superior a 70%, essa epidemia ela estaria sob controle. No ritmo atual, não estamos chegando a 55% como mostram as projeções médias, vamos dizer assim, essa epidemia vai se prolongar”, explicou Divas Covas.

A situação preocupa o governo do Estado, que estabeleceu megaferiado, entre 20 e 25 de maio, para tentar aumentar a taxa de isolamento e evitar possível “lockdown”. 

Na próxima quarta-feira, 27 de maio, o governador João Doria (PSDB) deve decidir as próximas ações para conter a transmissão do vírus, já o decreto de quarentena só vai até dia 31. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Moro x Bolsonaro: Leia a transcrição do vídeo da reunião ministerial divulgada pelo STF

7 comentários

  1. Minha sugestão é q o DSV faça bloqueios com inspeção veicular nas gdes avenidas. Aquele q estiver irregular ou não possuir razão plausível para estar fora de casa tenha seu veículo apreendido. Nao há nescessidade de multa nem nada. A liberação do veiculo seja feita apos a pandemia.

    1
    2
    • Ele quer o impossível. Não dá para se fazer o isolamento nas taxas pretendidas. Não é a classe média que usa carros que está furando o isolamento, mas as camadas mais pobres.

      Agora os políticos estão rindo a toa com essa situação.

      Tiraram o peso das suas costas e jogaram nas costas da população a responsabilidade do sucesso ou fracasso do combate à pandemia.

      Por que não construíram mais hospitais de campanha?
      Por que não implantaram o uso das máscaras mais cedo?
      Por que diminuiram o numero de onibus em circulação?
      Por que não proibiram há dois meses o uso do transporte público por passageiros sem proteção individual?

      Vão usar esses índices de isolamento ao seu bel prazer. Oras falam em 55%, Oras em 70%. Era para acabar no começo de mais, foi estendido para junho e agora falam em outubro. Culpa da população que tem de trabalhar? Obvio.

      Pior que tem gente que cai nessa ladainha de político.

      • Quem acredita nas estatísticas desses governos é muito trouxa…….. é a turma da xuxa: todos dançam, pegam, esticam e puxa……

  2. Tem que partir para o isolamento/lockdow na capital e algumas cidades da GSP e grandes cidades do interior e manter a quarentena nas demais cidades.

  3. É realmente difícil. A gente vê a situação no quotidiano. Outro dia, fui a um banco, rapidamente, e entra um senhor com uns 60 anos (até mais), sem máscara e com tantos caixas eletrônicos, ele fica no mais próximo de mim. É revoltante, é irritante, tive que me segurar para não xingá-lo ou algo pior. .
    Ressalvando as exceções complicadas, difíceis e trágicas, há os que abusam, ignorantes, homens, mulheres de todas as idades, raças e classes sociais, ostentando sua imbecilidade.
    Qual o limite em ser pedagógico? Por causa de governos péssimos, escolhidos pelas pessoas que, depois, reclamam dos mesmos governos que elegeram, não se cobra a responsabilidade do cidadão. Não há liberdade na estupidez.
    É um desabafo, essa gente atenta contra a minha vida e contra quem está próximo. Não é possível ter compaixão por gente que arrasta os outros para sua mentalidade desprezível.
    Quando você encontra gente dessa espécie, é difícil não pensar no poema do Enzensberger: reina a harmonia entre os lobos; os cordeiros, conformados, querem ser devorados.

  4. Não é correto ficar batendo na teclar do isolamento, cobrando uma coisa irreal da população, enquanto o governo deixa de fazer sua parte, que é providenciar os testes. Cadê os testes em massa ? Com isso, ajudaria em muito a flexibilizar o isolamento.

  5. GENTE .. não é fácil combater uma Pandemia com guerra política entre a federação e os estados. Enquanto Dória implementa um megaferiado para tentar diminuir o contágio o CORNO vai comer cachorro quente, vai pra padaria..faz selfies etc Confunde o povo! DO PORTEIRO do meu prédio, o Marlos, “olha seo alex vivo brigando com meu amigos por que eles não querem se isolar, vão beber, vão pro churrasquinho, pro forró..sabe o que eles me dizem? que o covid é doença de frouxo, de gente medrosa.. que foi a imprensa que criou. que se fosse grave os militares não deixavam o Bolsonaro ficar circulando sem máscara”… É isso! Vai morrer muita gente.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome