Coronavírus: Vacina de Oxford será testada em brasileiros

A vacina contra coronavírus desenvolvida pela Universidade de Oxford será testada em 2 mil brasileiros

Jornal GGN – A vacina contra coronavírus desenvolvida pela Universidade de Oxford será testada em 2 mil brasileiros, em parceria com a farmacêutica AstraZeneca. A Unifesp articula os trabalhos, que devem ocorrer em São Paulo e Rio de Janeiro.

“Um dos motivos pelos quais o Brasil foi selecionado como local da pesquisa é o fato de a pandemia ainda estar em crescimento acelerado no país, com mais de 500 mil casos e mais de 31 mil mortes”, afirmou o jornal O Globo.

Nesta semana, o GGN noticiou que a vacina de Oxford entrou na fase 3 de ensaios clínicas, quando será injetada em 10 mil pessoas de vários países [leia abaixo]. Metade delas receberá a droga em estudo e a outra parcela, outra vacina.

>>> O GGN PREPARA UM DOSSIÊ SOBRE O PASSADO DE SERGIO MORO. SAIBA COMO AJUDAR AQUI. <<<

Segundo reportagem de O Globo, a Unifesp deve começar a recrutar os voluntários nos próximos dias. A prioridade são dos profissionais de saúde, que atuam na linha de frente no combate ao coronavírus, e outros trabalhadores de serviços essenciais.

A vacina de Oxford é considerada a mais promissora entre todos os imunizantes que estão em desenvolvimento. Não há informações sobre quando a fase 3 de testes será encerrada. Isto porque, após as vacinas serem aplicadas, os voluntários devem se expor ao vírus naturalmente.

Leia também:

Vacina mais promissora contra coronavírus é testada em 10 mil pessoas

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

1 comentário

  1. Gostaria de saber se o único papel do Brasil nessa pesquisa é servir de cobaia para os experimentos ou se os cientistas brasileiros também estão envolvidas nas partes nobres dos projetos.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome