Doria compra 3 mil respiradores da China, por R$ 180 mil cada, e vira alvo do MP

Governador adquiriu aparelhos para guerra contra coronavírus do mesmo fornecedor chinês que abasteceu Nova York

Jornal GGN – O Ministério Público decidiu investigar a compra emergencial que o governo de São Paulo realizou junto a um fornecedor chinês, para garantir a chegada de 3 mil aparelhos respiradores para abastecer o sistema público de saúde durante a pandemia de coronavírus.

Segundo informações da Folha, o MP questiona o valor médio dos aparelhos – R$ 180 mil cada – e o tempo de entrega – o governo publicou o decreto entre os dias 23 e 24 de abril, e espera receber a entrega nos próximos dias. O custo total foi de 100 milhões de dólares, ou 550 milhões reais no câmbio atual.

A Secretaria de Saúde afirmou que não há ilegalidades, pois a compra seguiu exigências previstas nos decretos estadual e federal de calamidade pública. Os respiradores foram cotados junto a 8 empresas que apresentaram as “melhores condições do mercado, como prazo e garantia de entrega e volume necessário.”

A empresa Hichens Harrison & Co (de origem britânica, com sócios brasileiros e escritório no Rio de Janeiro), intermediou a compra em favor do governo de São Paulo. Ela também atuou na venda de respiradores para o governo de Nova York.

“Somos representantes e distribuidores exclusivos da Shenzen Comen Medical e da Beijing Eternity, fábricas de equipamentos hospitalares chineses, dentre outras empresas do gigante asiático”, explicou a Hichens Harrison.

No começo de abril, o Ministério da Saúde comprou 6.500 respiradores por R$ 322,5 milhões, uma média de R$ 49,6 mil por aparelho. A entrega de 2.000 deles será feita ainda neste mês e o restante não tem data certa, mas deve ocorrer em até 90 dias.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora