Farmacêutica pede que remdesivir seja declarado remédio contra coronavírus

A avaliação dos benefícios e riscos do remdesivir está em curso e os resultados devem ser conhecidos nas próximas semanas, diz jornal

Jornal GGN – A farmacêutica norte-americana Gilead enviou um pedido ao órgão regulador europeu de saúde para que o Remdesivir seja declarado oficialmente um remédio contra o novo coronavírus.

Segundo informações do The Guardian desta segunda (8), “a avaliação dos benefícios e riscos do remdesivir está sendo realizada com um cronograma reduzido e uma opinião pode ser emitida em semanas”, disse a Agência Europeia de Medicamentos em comunicado.

A droga já foi liberada pelos Estados Unidos no tratamento para covid-19. Mais promissor do que a hidroxicloroquina – cujos benefícios contra coronavírus ainda estão sob estudo – o remdesivir não tem produção no Brasil.

De acordo com as pesquisas iniciais, o remdesivir conseguiu reduzir o tempo de internação em 4 dias, também reduziu a taxa de mortalidade de 11,6% para 8%, e não reportou efeitos colaterais prejudiciais.

Leia mais:

Mais promissor que cloroquina, remdesivir não tem produção no Brasil

O GGN PREPARA UM DOSSIÊ SOBRE O PASSADO DE SERGIO MORO. SAIBA COMO AJUDAR AQUI.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora