Golpe e prisão de Lula simbolizam veto aos interesses populares, por Luis Felipe Miguel

É essa interdição que permite que os retrocessos se sucedam - reforma trabalhista, congelamento dos gastos públicos, reforma da previdência. Os interesses populares simplesmente não têm voz, não são levados em conta

Por Luis Felipe Miguel

Eu me somo a muitos milhares de brasileiros nos parabéns aniversariante de hoje.

Ele vai comemorar a data na sua cela em Curitiba, onde permanece como preso político há mais de 18 meses.

É possível concordar ou discordar de suas políticas quando esteve na presidência da República. Eu mesmo julgo que elas apostaram numa desmobilização popular que está cobrando um preço muito alto hoje.

É também possível concordar ou discordar das propostas que ele apresenta para enfrentar os retrocessos – na minha opinião, demasiado esperançosas da possibilidade de recompor um pacto como o que lhe permitiu chegar ao poder, em 2002.

Mas, certas ou erradas, ele tem o direito de defender suas ideias em praça pública.

E tem o direito de se submeter ao julgamento que lhe cabe, que é o julgamento político do eleitorado.

A conspiração judicial, midiática e policial que o mantém na prisão não é uma conspiração só contra ele. É uma conspiração contra a democracia, contra a Constituição e contra o Estado de direito.

Seu objetivo é impedir o funcionamento daquilo que há de mais elementar na democracia, que é a manifestação de uma vontade popular por meio do voto.

E quem está preso não é só a pessoa física, o ex-presidente.

Quem está preso é o maior líder popular da história do país. Quem está preso é o operário que se projetou na política como líder sindical e chegou à presidência.

O objetivo do golpe de 2016 foi anular a possibilidade de que o campo popular fosse aceito como interlocutor legítimo do debate político.

É essa interdição que permite que os retrocessos se sucedam – reforma trabalhista, congelamento dos gastos públicos, reforma da previdência. Os interesses populares simplesmente não têm voz, não são levados em conta.

A prisão de Lula simboliza esse veto, justamente porque Lula, gostemos menos ou mais de suas políticas, simboliza a presença popular na política brasileira.

A defesa da liberdade de Lula não é apenas a defesa dos direitos de um homem que hoje completa 74 anos, condenado sem provas por um complô entre procuradores canalhas e juízes canalhas – o que, no entanto, já seria motivo suficiente.

É também a defesa da democracia e do direito à luta das classes populares.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

2 comentários

  1. O conluio vem sendo descortinado semanalmente, como demonstra o artigo abaixo e; nada!
    https://www.jb.com.br/pais/2019/10/1019171-procuradores-induziram-teori-zavascki-a-manter-prisoes-para-forcar-delacoes.html
    Todos que comandados por potência estrangeira e guiados por interesses partidarios e financeiros encabeçaram a trama estão aí, soltos, impunes. Até quando?
    Enquanto isso, vai se deteriorando o Brasil onde a vontade do povo foi surrupiada por estes vendilhões infames.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome