Exportações e importações de automóveis sobem em 12 meses

Tatiane Correia
Repórter do GGN desde 2019. Graduada em Comunicação Social - Habilitação em Jornalismo pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS), MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Com passagens pela revista Executivos Financeiros e Agência Dinheiro Vivo.
[email protected]

Exportações são as maiores desde julho de 2019; dados da Anfavea mostram que as vendas passam a se concentrar em quatro grandes mercados

Foot: Arquivo/Agência Brasil

O movimento de exportação e importação no mercado brasileiro de automóveis apresentou um montante faturado acima do contabilizado ante julho de 2022.

Dados divulgados pela Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) mostram que o segmento comercializou o equivalente a US$ 7,756 bilhões (contabilizados com exportação e importação) com o segmento de automóveis no período de 12 meses até julho.

Esse resultado que não só ultrapassa o apurado no mesmo período de 2022 (US$ 6,957 bilhões) como fica acima do contabilizado em julho de 2019, antes da pandemia de covid-19 (US$ 7,346 bilhões), como mostram dados da Anfavea compilados pelo Jornal GGN.

Embora a associação afirme que as exportações do setor estejam sendo afetadas pelas complicações internas de mercados como Colômbia e Chile, os números mostram que os compradores de automóveis made in Brazil estão mais diversificados. Senão, vejamos:

  1. A América do Sul segue como principal mercado de automóveis brasileiros, com um faturamento de US$ 3,408 bilhões (entre exportações e importações) em 12 meses até julho, acima dos montantes apurados em 2022 (US$ 3,340 bilhões) e 2021 (US$ 2,725 bilhões), mas ficando abaixo do visto em julho de 2019, quando o montante chegou a US$ 3,698 bilhões;
  2. Os negócios feitos com os países do Mercosul (US$ 1,970 bilhão) mostram recuperação ante os últimos dois anos, embora ainda estejam longe dos patamares vistos pré-pandemia (US$ 2,744 bilhões);
  3. A comunidade Andina das Nações (CAN) voltou a ultrapassar a marca de US$ 1 bilhão em negócios (US$ 1,070 bilhão) e, embora esteja abaixo do visto no ano passado (US$ 1,106 bilhão), segue bem acima do visto tanto em 2021 (US$ 675,660 milhões) como no período pré-pandemia (US$ 608,559 milhões em julho de 2019);
  4. Um destaque favorável ficou com a América do Norte: impulsionada pelo aumento da demanda do México, o montante comercializado (importação e exportação) chegou a US$ 1,064 bilhão em 12 meses até julho, muito acima dos US$ 571,394 milhões contabilizados no ano passado e do visto pré-pandemia (US$ 238,862 milhões).

Exportações por Blocos

Fonte: Anfavea. Elaboração GGN

Em termos de negócios (exportação e importação) entre junho de 2023 e junho de 2022, a América do Norte foi responsável pela maior parte do valor obtido pela indústria automotiva nacional, com US$ 448,553 bilhões.

Os outros mercados que puxaram os negócios foram o Mercosul (US$ 357,254 bilhões) e a América do Sul (US$ 311,024 bilhões).

Fonte: Anfavea. Elaboração GGN
0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador