Na “reunião das hemorroidas”, a questão do armamento é “a mais grave de todas”

"É a lógica de armar milícia para resistir à ação legal de autoridades constituídas. Isso constitui crime contra a Segurança Nacional", diz professor de Direito Constitucional da UERJ

Jornal GGN – No vídeo da reunião ministerial de Jair Bolsonaro – que a internet batizou de “reunião das hemorroidas” -, o presidente da República deixou claro que quer ver “todo mundo armado”, porque “o povo armado não é escravizado”. Ele sugeriu que se o povo estivesse armado, poderia resistir às medidas de isolamento social impostas por governadores e prefeitos por causa do coronavírus. Para o professor de direito constitucional da UERJ, Daniel Sarmento, Bolsonaro se incriminou.

“Essa questão do armamento é a mais grave de todas. Mesmo que isso não tivesse sido o objeto inicial do inquérito, é uma coisa que se chama encontro fortuito de provas. Quer dizer, você obteve validamente a prova. Isso é de uma gravidade enorme, é a lógica de armar milícia para resistir à ação legal de autoridades constituídas”, disse Daniel em entrevista à TV GGN, na noite de domingo (24).

O GGN PREPARA UM DOSSIÊ SOBRE SÉRGIO MORO. SABIA MAIS AQUI.

“O Supremo já disse que estados e municípios podem impor medidas de isolamento social, e ele [Bolsonaro] está confessando o objeto de armar a população para resistir a essas medidas. Isso constitui crime contra a Segurança Nacional.”

Sarmento lembrou que o plano de Bolsonaro não ficou na “cogitação, porque na mesma época foram editados atos que aumentaram muito e sem nenhuma fundamentação o número de munições que o cidadão comum poderia adquirir e que praticamente eliminaram a rastreabilidade de munições e armas. Isso é muito sério”, comentou.

Assista a entrevista completa abaixo:

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

2 comentários

  1. O art. 40 do CPP dispõe que:

    Quando, em autos ou papéis de que conhecerem, os juízes ou tribunais verificarem a existência de crime de ação pública, remeterão ao Ministério Público as cópias e os documentos necessários ao oferecimento da denúncia

    Então, Celso de Mello? Você vai fazer vista grossa?

  2. Crime maior é o STF dizer que Governadores e Prefeitos não precisam se submeter às Diretrizes do Governo Federal, quanto à Direitos, Garantias Civis e Liberdade de Cidadãos Brasileiros !! O STF criou um novo país e nova Constituição em cada Município Brasileiro. Mas não satisfeito com a cagada produzida, ainda sentou em cima. Logo depois afirmou que Prefeitos não precisam se submeter às Diretrizes do Presidente da República mas se submeterem às normas dos Governadores dos estados. Aí é jogar merda no ventilador !!! Não é a Pátria da Surrealidade?!! É o STF de Celso de Mello que expõe a Presidência da República do Brasil, assim como já havia permitido com Dilma Roussef. O cheio de banheiro de rodoviária se espalhou por todos cantos do país. Não adianta mais disfarçar a NecroPolítica. O fedor a revela. Pobre país rico. Mas de muito fácil explicação.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome