Policiais formam tropa pró-Bolsonaro nas redes sociais, diz revista

Discursos contra instituições democráticas são compartilhados em todo o país; bolsonaristas representariam um terço efetivo das Forças Armadas

Foto: Governo do Estado de São Paulo

Jornal GGN – Os jornalistas Renato Sérgio de Lima e Samira Bueno publicaram na revista Piauí um levantamento preocupante: os policiais brasileiros aceitam abertamente que as instituições da República sejam fechadas e que o presidente Jair Bolsonaro realize uma intervenção para romper a ordem democrática do Brasil.

Declarações pedindo o fechamento do STF e do Congresso têm sido compartilhadas sem constrangimento por pelo menos 12% de policiais militares, 7% de policiais civis e 2% de policiais federais com contas em redes sociais e que interagem abertamente em grupos e páginas no Facebook.

Se extrapolada a amostra do estudo realizado, esses números representam aproximadamente 15,3 mil policiais analisados dentre 141.717 profissionais pesquisados. Mas esse número pode ser maior, uma vez que o estudo não apurou manifestações em perfis privados. Se esse perfil for um retrato dos demais, fala-se de pelo menos 120 mil policiais convertidos para discursos golpistas, dentre os 885.730 integrantes efetivos das polícias.

“Ou seja, a tropa de choque de Bolsonaro nas polícias seria, hoje, equivalente a ⅓ do efetivo ativo das Forças Armadas. E, com um agravante, trata-se de uma tropa experiente e treinada, com acesso a material bélico e com poucos canais formais de controle externo”, alertam os jornalistas. “Se optarem pelo enfrentamento, dificilmente as demais forças de segurança e defesa do país, se aceitassem se contrapor a elas, conseguiriam subjugá-las sem grandes baixas e risco de convulsão social e guerra civil”.

Além de questões operacionais e tecnológicas, os jornalistas afirmam que uma crise pode surgir de onde menos se espera, uma vez que a tropa bolsonarista está espalhada pelo Brasil e não se concentra em uma única corporação. “A população está submetida à incerteza e, mais do que defender que um golpe é iminente, é nosso objetivo explicitar os riscos envolvidos e mobilizar os olhares para eles”.

Leia também:  Por que o arroz está tão caro? Assista na TV GGN

A íntegra da reportagem pode ser lida abaixo:

A tropa de choque de Bolsonaro

 

Leia Também
Bolsonaro propôs destituir todo o Supremo e militares no governo apoiaram, diz revista

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

6 comentários

  1. Vai ser difícil arrancar esse osso da boca dos militares… ainda mais porque são protegidos pelo capital dolarizado (já viu branco rico – rico, não classe média arrogante – na cadeia?) e porque têm argumentos muito persuasivos: armas de fogo.

    3
    1
  2. Não sei porque de tanta surpresa. Bolsonaro fica quase trinta anos no congresso agindo como um sindicalista para as polícias militares, a esquerda só grita que quer o fim das polícias militares, eles vão apoiar o que: A democracia?

  3. “Se optarem pelo enfrentamento, dificilmente as demais forças de segurança e defesa do país, se aceitassem se contrapor a elas, conseguiriam subjugá-las sem grandes baixas e risco de convulsão social e guerra civil”.
    Talvez não.
    De repente estes grupelhos apenas de utilizam da estratégia de certos sapos ou camaleões de inflarem para parecer maior e mais forte do que realmente são.
    Por outro lado, se transformam o apoio a um (des)governo como este em plataformas de afronta às instituições que representam a democracia apenas porque a boquinha está boa, na primeira oportunidade migrarão facilmente para quem pagar mais.
    Não são apoiadores, são cúmplices.

  4. A única pergunta política que devemos fazer é: Por que obedecemos a governo? Progressistas ao discutirem governo e política são tão ignorantes quanto minions, só que no polo dialético oposto, gado do mesmo jeito. Ignorantes sobre dois princípios existentes na criação que fundamentam tanto o Estado de Direito quanto religiões 1) Não faça ao outro o que não deseja feito a si. Principio da não-violência. 2) Princípio da Auto-defesa. Se alguem iniciar uma agressão, a pessoa tem o Direito de reagir com força o suficiente para impedir a continuidade da violência. O principio da auto-defesa é PESSOAL E INTRANSFERÍVEL. O progressista médio se diz contra armar a população, visto que não se pode armar uma população ignorante, mas concede que o governo tenha monopólio das armas e ignora (é ignorante) de que essa é uma característica de todas as tiranias – um grupo que monopoliza as armas sobre os outros. O policial é vítima de corporativismo, corrupção, stress psicológico, condições péssimas de trabalho, baixos salários, equipamentos insuficientes – ainda assim se dispõe a ser o cachorrinho, o capitão do mato, seguidor de ordem que realiza as ações violentas de seus líderes escravocratas. Prestam, como TODOS os políticos, uma função social de fachada mas de fato servem ao status quo, quem no século XXI ainda acha que governo e politica servem a sociedade está enfiado com a cara num buraco com o rabo pra cima esperando pra ser chutado, um IGNORANTE, causa do problema. Eliminar a policia militar e substituir por outra, é igual ir ao médico com cancer de próstata e acreditar que a solução é trocar por outro cancer. Transferir a responsabilidade sobre a auto-defesa para outra pessoa é o que faz uma criança para seus pais, é abdicação da responsabilidade pessoal, mas TODOS ACEITAM SEM QUESTIONAR ESSE ESTADO PSICOLOGICO INFANTIL – A RESPONSABILIDADE POR SE DEFENDER É SUA!!!!. Se entendessemos isso e tivessemos que ser responsáveis por nós mesmos, será que aceitaríamos a desigualdade e injustiça que causa esse mundo de caos? Será qeu continuariamos a focar no sintoma, o ladrao de galinha, e focariamos mais na raiz do problema (falsas crenças em governo, autoridade e sistema monetario por exemplo!!!) O diversionismo é que o problema é o ladrão da esquina, o pobre que precisa roubar galinha, enquanto nos sentamos dentro de nossos apartamentos de classe média isolados dessa realidade defendendo os na midia social, como ratos covardes progressitas, a manutenção do conceito autoritário de estado de direito, baseado em relativismo moral, abraçamos algo que é impossível funcionar por ignorância e medo!!!. GOVERNO É ESCRAVIDÂO, É EUFEMISMO PARA ROUBO E VIOLÊNCIA. Não é desmilitarizar a policia, È ACABAR COM GOVERNO E COM POLICIA! SOMENTE O VOLUNTARIADO NÃO VIOLA DIREITOS INDIVIDUAIS. QUEM DEFENDE ESTADO DE DIREITO È HIPÓCRITA E PARTE DO PROBLEMA!!!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome