STF determina suspensão do corte do Bolsa Família no NE

Plenário referendou medida cautelar do ministro Marco Aurélio de forma unânime; medida será válida enquanto durar pandemia

Foto: Reprodução

Jornal GGN – O Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) referendou a medida cautelar deferida pelo ministro Marco Aurélio para determinar que o governo federal suspenda os cortes no programa Bolsa Família enquanto permanecer o estado de calamidade pública decorrente da pandemia do coronavírus.

O referendo está relacionado à Ação Cível Originária (ACO) 3359, proposta por sete estados do Nordeste (Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte), que pedem que o STF determine à União que apresente dados e justificativas para a concentração de cortes no Programa Bolsa Família na Região Nordeste e dispense aos inscritos nos sete estados tratamento isonômico em relação a beneficiários dos demais entes da Federação.

Com a pandemia e as medidas decorrentes do distanciamento social, os estados apresentaram petição requerendo a suspensão dos cortes, em razão do impacto das providências adotadas sobre as famílias em situação de vulnerabilidade social.

Em 20 de março, ao conceder a medida cautelar agora confirmada pelo Plenário, o ministro Marco Aurélio acolheu os dois pedidos, ressaltando que o Bolsa Família é um programa de transferência direta de renda, destinado a famílias de todo o país, para fazer frente à pobreza e à vulnerabilidade social.

Além disso, o ministro ressaltou que a lei que instituiu o benefício (Lei 10.836/2004) não prevê restrição em relação à região ou ao estado do beneficiário e que a União não pode dar tratamento discriminatório a brasileiros em idêntica situação unicamente em razão de seu local de residência.

Leia também:  Brecha pode flexibilizar Orçamento do Bolsa Família propalado pelo governo

“Não se valora a extrema pobreza conforme a unidade da Federação, devendo haver isonomia no tratamento, tendo em conta o objetivo constitucional de erradicação da pobreza e redução das desigualdades sociais”, afirmou o relator em seu voto.

 

Leia Também
Reunião do golpe, revelada pela Piauí, pode resultar em pedido de impeachment de Bolsonaro
Bolsonaro diz que ‘não dá’ para manter auxílio emergencial por muito tempo
Cilene Victor: Imprensa precisa criar narrativa contra a “fadiga da compaixão” na pandemia
Paulo Guedes: “quem tem poder econômico não paga imposto”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

1 comentário

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome