Uruguai investiga mensagens de grupo de extrema-direita

Mensagens enviadas tiveram origem no Brasil, e foram encaminhadas às vésperas da eleição exigindo o voto em Luis Lacalle Pou

Jornal GGN – O envio de mensagens com ameaças do Brasil para uruguaios, às vésperas do segundo turno da eleição presidencial no Uruguai, está em fase de investigação pelas autoridades.

Segundo informações do jornal Folha de São Paulo, as mensagens foram escritas em espanhol e enviadas de, pelo menos, seis DDDs brasileiros com nove números identificados até o momento. Estima-se que milhares de disparos tenham sido feitos.

As mensagens encaminhadas ordenavam o voto em Luis Lacalle Pou (Partido Nacional), o candidato apoiado “pelo nosso comandante general do Exército Guido Manini Ríos”, segundo o texto. Manini Ríos foi expulso do comando pelo então presidente Tabaré Vázquez (Frente Ampla) em 2018 após fazer declarações políticas, o que é vedado pela lei uruguaia.

O texto encaminhado foi assinado pelo Comando Barneix, o que colocou as autoridades do país vizinho em alerta. O grupo é o mesmo que ameaçou 13 pessoas de morte em 2017, e faz referência a Pedro Barneix, general que se suicidou em 2015 antes de ser preso por sua condenação pela morte do militante socialista Aldo Perrini, em 1974.

O caso está a cargo do promotor Pablo Rivas, da 6ª Promotoria de Flagrantes de Montevidéu.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora