Peça 1 – a precariedade do momento

Há um tipo de análise política estática, baseada na correlação de forças do momento, superdimensionando a estatura das instituições e incapaz de estimar a dinâmica de crescimento do bolsonarismo.

Segundo essa visão, Bolsonaro late, mas não morde. É um anão perto do poder ciclópico das instituições brasileiras. Portanto, o único desafio é jogar no campo eleitoral e impedir sua reeleição em 2022.

É até curiosa essa aposta nas instituições.

STF – rachado e desmoralizado, obtendo maiorias precárias e pontuais em favor da obediência à Constituição. E atento ao primeiro sinal de clarim.

Congresso – consegue montar maiorias em reformas liberais e segurar alguns exageros de Bolsonaro.

Judiciário – infiltrado por bolsonaristas em todos os níveis. Hoje em dia é o porteiro da delegacia, sem obedecer a nenhum critério técnico.

Ministério Público – ao nomear um ultradireitista para representar o MPF na Comissão de Direitos Humanos, o Procurador Geral Augusto Aras matou qualquer esperança de redução de danos na condução da corporação.

Polícia Federal – sob controle dos delegados da Lava Jato de Curitiba, com histórico de manipulação de inquéritos e de retaliação contra críticos internos e externos.

Mídia – ainda tem grande influência no Judiciário e no meio empresarial. Hoje em dia, está empenhada em exaltar o crescimento do Pibinho, em esconder as manipulações de Paulo Guedes com o câmbio, em varrer para baixo do tapete o caso Marielle e as suspeitas contra a Lava Jato.

Bolsonarismo – consolidado na área empresarial, com ampla penetração nas classes C, B e A, com canais de transmissão nacionais – neopentecostais, milícias, Polícias Militares, clubes de tiros, caminhoneiros. O Partido 38 será o grande agente coordenador de uma violência hoje em dia difusa.

Peça 2 – o fator militar

E a grande incógnita, as Forças Armadas.

Na sua gestão, o general Villas Boas montou o vínculo que faltava entre a força e os carbonários da reserva – liderados pelos generais Hamilton Mourão e Augusto Heleno. Hoje em dia, o Alto Comando do Exército tem um comportamento profissional. Mas não há a menor segurança de que seja permanente.

O que aconteceria se espocassem as grandes manifestações populares, emulando o que ocorre nos países vizinhos? O que ocorrerá com a demonização de Lula, a insistência da mídia em situá-lo como radical de esquerda?

Há uma resistência histórica das Forças Armadas contra qualquer forma de organização popular. É um sentimento que remonta os anos 30, quando tem início a profissionalização do Exército e a criação das academias militares. Esse sentimento tornou-se arraigado com a Intentona Comunista. Depois, com a criação do PTB e do sindicalismo. E permanece vivo contra o PT.

Uma mera mudança de atitude do Alto Comando imediatamente desmontaria o equilíbrio precário das instituições. As Forças Armadas, especialmente o Exército, tendem a emular o sentimento da classe média e das corporações públicas. E o Alto Comando é sensível aos sentimentos da tropa. No limite, poderá endossar medidas autoritárias, inclusive para manter o controle hierárquico da tropa, em uma quadra da história em que todas as formas de hierarquia estão sendo questionadas.

Qual o limite em caso de manifestações populares, com os manifestantes sendo insuflados pelos P2? Ou de expectativa de volta do PT ao poder?

Tem-se um barril de gasolina a descoberto, que poderá fazer o Colosso de Rhodes, das nossas instituições, desmontar como um castelo de cartas. Como falar em solidez das instituições sem conhecer o comportamento do fator central?

Peça 3 – as alianças políticas

Justamente pelo que foi exposto acima, reduzir todas as disputas nacionais ao Congresso, como se ele fosse início e fecho de todas as transformações sociopolíticas do país é de um simplismo extremo.

Toda estratégia política tem que incluir, nas variáveis de analise, a perspectiva de caminhada persistente de Bolsonaro rumo a um regime fascista e os avanços que tem obtido.

No campo político, significa o seguinte:

  1. Acelerar as tratativas de formação de alianças, tanto na esquerda quanto no centro-democrático visando eleições e a resistência institucional.
  2. Iniciar a sério as conversas para um pacto entre esquerda e centro democrático. Enquanto a mídia não sentir firmeza nesse movimento, continuará com esse jogo de amuos sem consequência contra Bolsonaro.
Leia também:  Do Banestado à Lava Jato: a polêmica cooperação entre Brasil e EUA

Peça 4 – pacto e redução de danos

Peça central será a definição de um programa de governo tendo como ponto central a melhoria das condições de vida da população, a redução das desigualdades e a recuperação do crescimento econômico. É um discurso da esquerda e que já vem sendo ensaiado pelo centro-direita racional. Os temas programáticos mais polêmicos deverão ser deixados para um segundo momento.

O pacto será um processo de redução de danos, visando impedir a deterioração ainda maior das políticas públicas, o avanço do arbítrio, o desmonte de instituições estratégicas.

A direita liberal tem que aceitar que desmonte social é caminho certo para o populismo de direita anti-globalização, anti-direitos humanos e anti-meio ambiente. E parar com esse devaneio de que será possível um pacto sem o maior dos partidos de oposição, o PT.

O PT tem que adiar os sonhos de pretender retomar o projeto social no lugar em que parou com o impeachment. E parar com esse sonho de que, por ser o maior partido de esquerda,  deve preservar sua hegemonia em todos os níveis.

A crise atual, com os ogros saindo da jaula e invadindo todos os poros da vida nacional, com milícias e neopentecostais assumindo a interlocução com periferias, com tribos de jovens sem espaço para atuação política mais aprofundada, exigirá uma profunda reflexão da sociedade brasileira – especialmente dos partidos políticos.

A inação da população, apoiando ou não reagindo ante a perda de direitos duramente conquistados, é a demonstração mais eloquente de que a vida política dissociou-se totalmente das expectativas do cidadão médio e o de periferia.

A recuperação dos partidos políticos, como agentes principais da organização política, dependerá fundamentalmente de sua democratização, da renovação, da abertura das portas para a jovem militância, para o acolhimento das minorias – como protagonistas principais das suas políticas públicas e não como meros apêndices.

Peça 5 – os interlocutores do pacto

Do impeachment para cá houve um enorme retrocesso econômico, político e social. Muitos setores envolvidos no impeachment, como autores e como vítimas, estão em processo de autocrítica interno e exigindo autocrítica pública dos adversários.  Melhor deixar essa hipocrisia de lado. Todo mundo sabe o que todo mundo fez no verão passado.

A melhor autocrítica é assumir a defesa intransigente da democracia e abraçar o pacto político com desprendimento.

Um dos problemas sérios é a falta de interlocutores representativos do centro democrático. Caberá ao arco da esquerda acelerar esse processo, identificando no centro-direita interlocutores confiáveis para as primeiras tratativas.

Essas reavaliações, avivadas pela tragédia Bolsonaro, ajudam a identificar alguns pontos em comum, em condições de serem endossados por um pacto mais abrangente:

  1. A defesa da democracia e dos direitos individuais.
  2. O combate à extrema miséria.
  3. A recuperação da racionalidade econômica.
  4. O enquadramento das corporações públicas.
  5. O combate a toda forma de extremismo.
  6. A recuperação dos sistemas de ciência, tecnologia, cultura.

O objetivo final do pacto será restaurar a democracia, as regras do jogo. E, em um segundo momento, recuperar a disputa das últimas décadas, entre centro-esquerda e centro-direita.

Peça 6 – o desafio de passar o pano

O primeiro teste do pacto serão as próximas eleições municipais. É crucial que as forças antibolsonaristas conquistem grandes capitais, reforçando o extraordinário consórcio de governadores do Nordeste.

Um grande teste é a proposta de uma dobradinha Fernando Haddad-Marta Suplicy para a prefeitura de São Paulo, Martha entrando pelo PDT.

Olha a encrenca:

  1. Martha foi uma prefeita progressista muito bem sucedida, com ampla penetração na periferia – território abandonado politicamente por Haddad, embora preservado administrativamente.
  2. Será fundamental para garantir a vitória de Haddad, seja atraindo o voto de periferia, seja reduzindo o enorme antipetismo das classes A e B.
  3. Há total compatibilidade entre suas ideias e os projetos sociais de Haddad e do PT.

Por outro lado:

  1. Foi defensora intransigente do impeachment e do governo Temer.
  2. Presenteou Janaina Paschoal com um buquê de flores em plena sessão do Senado.
  3. Votou até contra a PEC que proibia mulher grávida de trabalhar em ambiente insalubre.
  4. Tem ampla resistência de todos os que se empenharam em impedir o impeachment.

Da capacidade ou incapacidade do PT resolver esse dilema dependerá em muito o futuro da grande aliança. Sabendo-se que, do outro lado do muro, tem os Bolsonaros, Dórias e Witzel.

Os golpistas nao abrem mao da agenda antissocial baseada em privatizações e extinção de direitos, Nassif. FOI POR ISSO QUE SE ASSOCIARAM AO GOLPE, Nassif. Os "liberais" jamais deram uma palavra pelos DHs, Nassif. Que "hegemonia" do PT, PT, PT, é essa, Nassif? O Partido jamais teve sequer 1/6 do Parlamento, e sempre apanhou da mídia inteira! Que "negociação" é essa cuja precondiçao é o "forfait" da outra parte? É um TREMENDO erro de avaliaçao, Nassif, achar que esse pessoal, que você e tantos outros insistem em chamar de "centro", não estejam enxergando a movimentação fascista. Não é. Simplesmente "é o que tem" contra o PT, PT, PT. O PACTO já foi feito lá atrás. E foi-se embora a Nova Republica... O que voce está suplicando, de modo até aflito, é a QUEBRA do pacto da direita. Estranhanente, procurando uma maneira de responsabilizar o Partido dos Trabalhadores por isso...

-> O que aconteceria se espocassem as grandes manifestações populares, emulando o que ocorre nos países vizinhos? -> Qual o limite em caso de manifestações populares, com os manifestantes sendo insuflados pelos P2? o emprego das FFAA como tropa de repressão interna tem um limite bastante perigoso para a classe dominante: o movimento de massas. uma coisa é uma patrulha do Exército brasileiro disparar mais de 80 tiros contra uma família de inocentes dentro de um carro, outra bem diferente é o massacre de centenas de pessoas numa grande manifestação de massa. foi assim durante El Caracazo em 1989, marco zero do Momento Chávez na Venezuela. até mesmo quando Piñera declara guerra ao povo chileno, o general encarregado do estado de emergência em Santiago contrapôs: "Sou um homem feliz, não estou em guerra com ninguém". o principal instrumento de repressão interna sempre foi a polícia militarizada e as milícias para-militares formadas principalmente por policiais - embora comandadas por oficiais das FFAA. não é por outro motivo que a ditadura instalada na Bolívia acaba de criar o seu GAT (Grupo Anti Terrorismo), formados por policiais e com todas as características de um esquadrão da morte. quem há poucos meses atrás apostaria num movimento de massas no Chile e na Colômbia? no Chile em 30 dias o movimento autônomo de massas conquistou aquilo que a frente ampla da Concertación não logrou em 30 anos: instaurar um processo constituinte. e Paro colombiano já obriga Iván Duque a negociar com as massas em movimento. o que faz o povo ocupar massivamente as ruas? qual o fator desencadeante? seja como for, sempre a ponta de lança do movimento é a juventude. a mesma juventude que é executada pela polícia assassina de um Estado terrorista, como no bárbaro crime de Paraisópolis. chega um momento em que esta juventude explode: "Foda-se!" -> A direita liberal tem que aceitar que desmonte social é caminho certo para o populismo de direita anti-globalização, anti-direitos humanos e anti-meio ambiente. -> E, em um segundo momento, recuperar a disputa das últimas décadas, entre centro-esquerda e centro-direita. -> Um grande teste é a proposta de uma dobradinha Fernando Haddad-Marta Suplicy para a prefeitura de São Paulo, Martha entrando pelo PDT. atrás de cada PM assassino existe um governador genocida. atrás de cada governador genocida existe um Estado terrorista. e atrás de cada Estado terrorista existe uma classe dominante genocida. a História tem uma dimensão trágica que nos apavora a todos (sem qualquer modéstia estou me incluindo): nossas circunstâncias estão completamente fora de nossa alçada. no Chile, as pessoas se dão conta disto: "Se ficamos em casa nos matam, se saímos às ruas nos matam também. Então é melhor que saiamos." agimos como se estivéssemos numa encruzilhada, mas já não há nenhuma escolha a ser feita. a opção se deu muito tempo atrás. nada vai nos levar de volta. aquele mundo está extinto. por mais que supliquemos, a vida não permitirá nenhum retorno. mas para aqueles que compreendem estarem vivendo os últimos dias de um mundo, a morte adquire um sentido diferente. esta compreensão é uma força que nenhuma resignação pode conter. e neste desespero, que é transcendente, se acha uma antiga sabedoria. de que a pedra filosofal sempre poderá ser encontrada, apesar de escondida enterrada na lama. isto até pode parecer algo trivial, em face da aniquilação. até que a aniquilação acontece. então, todos os grandes planos e os grandes projetos enfim são expostos tal como são. vídeo: The counselor https://www.youtube.com/watch?v=X89AXNO6TBw .

O passado nos espera "Guerra é paz", " Liberdade é escravidão", "Ignorância é força", esses são lemas do governo no livro "1984", escrito por George Orwell em 1949. A história se passa em um universo distópico em que um partido único controla todos os cidadãos através do monitoramento sistemático e da repressão. O governo é dividido em ministérios criados para manter o regime, o Ministério da Verdade é responsável pelas falsificações de documentos e registros históricos, o Ministério da Paz pela guerra e o Ministério do Amor é o que faz a repressão à população. Olhando o Brasil de 2019 parece que estamos sendo governados por um ajuntamento de figuras dignas de uma criação Orwelliana. Temos um ministro das relações exteriores que se auto denomina antiglobalista, conclama Donald Trump como a salvação do mundo ocidental e reconhece o governo de um presidente auto-proclamado. O ministro do Meio Ambiente foi condenado por improbidade administrativa sob a acusação de falsificar mapas para favorecer mineração em áreas de proteção ambiental. O ministro da Educação destila, diariamente, sua falta de educação no Twitter, com frases cobertas de erros de português e ataques às universidades federais. Em resposta a um dos maiores desatres ambientais ocorridos no litoral brasileiro, o secretário da pesca afirmou que não havia risco de contaminação dos cardumes pois peixe é um bicho inteligente e foge da mancha de óleo. O Ministro da Justiça, que ganhou o emprego ao prender o principal adversário do seu chefe na corrida presidencial, ora faz as vezes de vigário, perdoando crimes de aliados que tenham se arrependido verdadeiramente, ora a de advogado da família do patrão impedindo as investigações de rachadinhas e assassinato. Na Fundação Palmares, um negro que é contra movimento negro defende que a escravidão chegou a ser benéfica aos descendentes, visão que não deve ser compartilhada pela maioria negra e pobre que ainda vive os reflexos da escravidão e do racismo estrutural brasileiro. Da Funarte partem ataques aos artistas, do Ministério de Direitos humanos sinais de que direitos humanos são só para homens direitos, seja lá o que isso signifique. Tudo ocorrendo sob o comando de um presidente que foi deputado por 7 mandatos sem ser político; que é um cristão defensor da tortura e da pena de morte; que se elegeu fazendo uso extensivo de fakenews e vive repetindo que "a verdade vos libertará"; que lança o nome de seu filho para se tornar embaixador sem fazer nepotismo; que ataca a imprensa, as mulheres, os gays, a justiça, o legislativo, os aliados, a oposição, os movimentos sociais, o próprio partido, o presidente da França, a mulher do presidente da França, o Leonardo de DiCaprio... Depois de ter prometido unir o país. No livro 1984, o Ministério da Verdade desenvolveu o duplipensar, que corresponde a um conceito segundo o qual é possível ao indivíduo conviver, ao mesmo tempo, com duas crenças diametralmente opostas e aceitar ambas. Só assim podemos entender esse governo desgovernado que atenta contra as garantias que o levaram ao poder, guiado pela ideologia de um ex-astrólogo, ex-islâmico e atual filósofo auto-diplomado e eterno charlatão enrustido. Nos habituamos ao duplipensar, nos acostumamos a um governo que junta astronauta e terraplanistas, que quer uma polícia assassina, que abriga milicianos cristãos, que levou uma horda de ignorantes ao poder e a um presidente que bate continência para a bandeira de outro país enquanto repete "Brasil acima de tudo". Nada mais nos choca, perdemos a capacidade de nos indignar e permanecemos na inércia enquanto somos levados rumo à Idade Média, com uma breve parada em 1984.

Victor

55 comentários

  1. O Nassif parte do pressuposto que este pessoal que deu o golpe e destruiu o país está a fim de algum acordo para evitar o colapso do país.
    Reparem que NENHUM dos seus xadrezes sequer ameaçou acontecer.
    NÃO QUEREM ACORDO. QUEREM CAPITULAÇÃO.
    A única saída que vejo, infelizmente, é uma revolução popular, violenta.
    Muitos mortos pelo fascismo e mortos também do lado dos golpistas(dezenas de milhares dos dois lados). Sangue na calçada, como diz o Mino Carta.
    E na esperança que haja condenação e isolamento internacional ao ponto de prejudicar MUITO SERIAMENTE a economia do país.
    É triste, mas é a única solução que poderá mudar o país no futuro.

    36
    6
    • Caro Josimar, só vejo saída pela pressão externa, começando pela não reeleição do Trump, se houver!
      Revolta popular aqui, só em sonho! Abs

      14
      1
      • Também acho que revolta só em sonhos.
        e é exatamente por isto que estamos ferrados e sem qualquer expectativa de um futuro melhor.

        14
        2
    • Jossimar, ponha os pés no chão. Não se auto-engane. Desça da estratosfera e dessa busca inútil por um
      palácio de inverno a ser tomado pelos bolcheviques Tupiniquins…Olhe, isso já aconteceu na Espanha em 1936. Tal como lá, aqui seria outro banho de sangue e ainda mais fácil. Os sinais estão aí para quem quiser ver. Na Espanha, a esquerda foi trucidada, embora estivesse no poder. E aqui? Veja que Nassif nem falou da geopolítica. Nessa área a situação é até pior. Jamais a Águia deixaria uma revolução popular acontecer por aqui, nem mesmo na América Latina. Entenda que eles estão apenas esperando uma loucura. O momento é de muita calma e tentar fortalecer as Instituições. É como briga de menino na rua..quem perder a cabeça ou chorar antes do tempo, perde.

      4
      1
  2. Não existe,neste momento, a menor chance de qualquer pacto com centro ou centro direita.
    Quem está dizendo isso é o próprio autor do post ao afirmar,corretamente, diga-se de passagem, que faltam interlocutores confiáveis neste espectro político. Alcançaria um pouco mais:Inexistem.
    Também, o autor enumera o aparelhamento das instituições, todas,notadamente de centro e direita, pelos ocupantes da milícia governamental além da observada inserção nas classes C,B eagle e ousaria dizer,até na D.
    Oras,quem acha que ,neste momento, alguém deste espectro político vai tentar empurrar as bestas de volta à jaula?
    Essa gente,e não estamos falando do 1%,não está nenhum um pouco preocupada com o PT ou qualquer outro partido. Essa gente,manipulada ou não, entende que chegou a sua hora e veem no sujeito que está na presidência a síntese de sua ignorância.
    Assim,pacto da esquerda com centro-direita é figura descartada,mesmo porque,estes,espertos que são, já fizeram um pacto e foi com quem está no governo,curiosamente,para derrubar, via golpe de Estado, justamente aqueles que alguns sonham que,novamente, podem vir a pactuar com seus algozes.
    Algo como imaginar que antes do final da segunda guerra os judeus saíssem dos campos de concentração e deixassem somente Hitler de lado e corressem para os braços de alguém como Himmler,Goebbels,ou Goring.

    22
  3. Huum sei,pacto político para restaurar a democracia,ora é preciso pacto com a informação correta e devida à população e mostrar à galera os efeitos terríveis do neoliberalismo q já se vêem à mostra no país ,é preciso informação de qualidade para orientar , os progressistas/esquerdistas têm q fazer pacto com o povão para se capitalizar e botar pressão nas INSTITUIÇÕES COVARDES E VENDIDAS,os EUA só avançam conforme deixam e sentem q pode avançar,nem digo q a burguesia paulista é q está na mira do império agora ,eles não acreditam e vão ainda exaltar a Lavajato e moro(kkkk)q tal vcs jornalistas fazerem pesquisas tipo sobre as armas se os policiais de bem são a favor?Q tal rodarem as cidades e mostrarem comércios fechados?Entrevistar jovens na fila p emprego ou moradores de rua?É preciso evitar surgirem mais mbls e mamaesfalei,esses políticos,neoliberais de Facebook q só desgraças atraem a nossa terra,vcs entendidos parece q só vêem as partes técnicas,do sistema, pq não evitaram/previram/anularam o golpe? Agora só mudam o foco para coisas q não são as principais !!Não entendem ou talvez eu é q não entendo nada!
    Ass.:José Marcelo-analista especializado em qq assunto formado pela Faculdade da Vida !

  4. “O PT tem que (…) parar com esse sonho de que deve preservar sua hegemonia em todos os níveis”.
    Assertiva quase que absolutamente verdadeira. O único reparo que faço é substituir “sonho” por “arrogância”.
    Até hoje o PT não assume que é o principal responsável pela vitória de Bolsonaro. Lula usou de todos os meios (legais e imorais) para destruir a candidatura Ciro e preservar Bolsonaro. Há um desafio parado no ar há meses: citar uma única frase de Haddad contra Bolsonaro no primeiro turno.
    O fato em SP é que Marta tem mais voto do que Haddad. Portanto, Haddad pode ser o vice de Marta. Quero ver o PT aceitar essa condição.

    11
    34
    • Quem elegeu Bolsonaro foi a mídia escrita e televisiva
      .as fales News, a lava jato, setores do judiciário, Fiesp, o grande capital, o agronegócio e os neopentecostais e seus pastores.
      O PT foi se não o único foi um dos poucos q alertavam constantemente para quem era e é Bolsonaro.
      Mas o mantra era ” tira o PT que tudo vai melhorar.

      32
      5
    • Pare de falar asneiras. Essa conversinha mole mentirosa é propalada pelo Ciro Gomes que alega que teria vencido a eleição se o PT apoiasse ele. MENTIRA, Ciro era mais desconhecido e mais rejeitado que o Haddad. Sua rejeição só era menor que a rejeição ao PT por ser desconhecido. Eu não tenho rejeição nenhuma mas também não tenho votos.
      O PT é o maior partido do País, o mais conhecido e o mais apoiado. Por isso é o mais combatido pela direita neoliberal e a direita fascista. Ciro é um neoliberal que queria os votos do PT e ele não iria ter esses votos.
      Os responsáveis pela eleição do Bolsonaro são aqueles que votaram nele e aqueles que se omitiram e Ciro foi um grande cabo eleitoral do Bolsonaro no segundo turno.

      13
  5. Olha, lendo tudo isso só posso crer no seguinte…..

    Lancem tabata amaral para a presidencia, com certeza será aceita pelos ogros da elite., as bestas feras do sistema repressivo e pela midia genocida-mafiosa, …..

    O resto do povaréu pode baixar as calças e se curvar……

    12
    2
  6. Os golpistas nao abrem mao da agenda antissocial baseada em privatizações e extinção de direitos, Nassif. FOI POR ISSO QUE SE ASSOCIARAM AO GOLPE, Nassif.

    Os “liberais” jamais deram uma palavra pelos DHs, Nassif.

    Que “hegemonia” do PT, PT, PT, é essa, Nassif? O Partido jamais teve sequer 1/6 do Parlamento, e sempre apanhou da mídia inteira! Que “negociação” é essa cuja precondiçao é o “forfait” da outra parte?

    É um TREMENDO erro de avaliaçao, Nassif, achar que esse pessoal, que você e tantos outros insistem em chamar de “centro”, não estejam enxergando a movimentação fascista. Não é. Simplesmente “é o que tem” contra o PT, PT, PT. O PACTO já foi feito lá atrás. E foi-se embora a Nova Republica…

    O que voce está suplicando, de modo até aflito, é a QUEBRA do pacto da direita. Estranhanente, procurando uma maneira de responsabilizar o Partido dos Trabalhadores por isso…

    24
    • Fico pensando que talvez a solução fosse fechar o PT, quem sabe assim o Brasil se tornasse um paraíso………
      É compreensível que alguém que tenha vida estável, filhos em boas escolas, propriedades para preservar, dinheiro no banco aplicado, tenha três refeições por fia e resida numa boa casa em.lugar seguro deseje a solução pela via menos traumática…..pela tal consertação, o problema é que os escravos querem liberdade e os escravagistas não a querem dar….. não há concertação……o país vai continuar mergulhando no abismo, ou alguém achou banal a visita de um embaixador estadunidense a juízes que julgam Lula? O golpe é descarado, sem pudor, totalmente sem vergonha, só sossegarão quando não houver uma fio de grama verde, quando o povo estiver escravizado e o solo for um imenso buraco infértil……a solução não passa por eleições, com suas urnas invioláveis”….outros países da América latina já provaram isso…

      19
      • pudesse, e soubesse, eu escrever com tanta clareza…
        tentei em um comentário de ontem, mas apenas saiu que de nada adianta ter várias portas para nos proteger se os porteiros continuam os mesmos de sempre

        repare que o que está se instalando no Brasil não está arrombando portas, está apenas convencendo os porteiros a deixá-los entrar

        e já entraram

    • Um excelente xadrez do xadrez do Nassif.
      Muito bom.
      Tenho 56 anos e a ÚNICA vez que vi o Brasil tendo governo com programa de desenvolvimento para o país em quase todas as áreas foi nos governos petistas.

      13
  7. Não consigo vislumbrar nenhum dos cenários propostos: frente ampla de esquerda, interlocução com o centro democrático, empresários querendo diálogo, etc. Ou isso conflagra de vez, o que está muito próximo de acontecer, ou caminharemos a passos largos para destruição. Estamos quase lá.

    • Penso que a ÚNICA opção que restou para a salvação do Brasil é a sua destruição quase completa.
      E com muito sangue na calçada, principalmente se for de gente como estes fascistas do judiciário e empresários chupa sangue como o tal do lehmann, marinhos e o véio da havan.

  8. Acho que neste momento o PT deveria não participar das eleições do executivo e focar nas vagas do legislativo.
    Formando esta base legislativa na proxima eleição partiria para o executivo também.

    2
    8
  9. Mas já combinaram com os russos?
    Não vejo a menor chance de Ciro e os outros pretendentes a candidatos a presidência um pouco mais a esquerda de entrar num acordo como esse.
    Eles já declararam Lula e o PT como os grandes inimigos de suas pretensões eleitorais.

  10. Nassif,
    Com o andar da carroagem é quase impossivel não considerar alguns nomes, no campo politico/partidario, em uma analise sobre a conjuntura, por exemplo no campo das esquerdas Flavio Dino, no campo da centro direita Rodrigo Maia… Nomes com carater nacional que estão tomando musculatura (estrutural) … mesmo sem ter a mesma musculatura a nivel das massas… o que o bolsonarismo infelizmente está consolidando a cada día.

    Também para este pacto nacional … os atores democraticos (liberais, ou socialdemocratas… de esquerda ), necessitam profundamente discutir suas forças dentro das instituiçoes judiciarias e militares e nao sei como midiaticas … O PT delegou isso para outros … e deu no que deu!

    A destruição do estado social, do pouco que tinha sido construído, caminha a passos largos! Uma outra hegemonia pos constituição de 88 está sendo construída e para o bem de todos necessita ser brecada, urgentemente!

  11. Vou orar para o avião.
    Aquele presidencial, lotadão, com moro, bozo, witzel, weintraub, damares, ernesto, autoridades das mais proeminentes da república e convidados, como o olavo- aquele, deixar no céu essas almas mamonas e assassinas, providenciando que elas fiquem por lá mesmo.
    Aqui na terra tudo serão flores, com grandes cerimônias, próprias de chefes de estado para comemorar o passamento.
    Daí a gente recomeça.

  12. Hipnotizados pela palavra PACTO!
    Não vai haver! Não tem diálogo. Não tem interlocutores.
    Martha é o exemplo do estado de decomposição que permeia a situação tupiniquim!
    Vão desenterrar o cadáver político da Martaxa? É masoquismo, e pedir para e querer levar pancada.
    O PT é hoje tão anacrônico quanto o PTB pós-Vargas e o PMDB pós-Ulysses.

    4
    3
  13. O xadrez de Nassif diante do que estamos vendo é sonhar acordado. Quem vai compor com o PT com imagem desgastada, onde nem Lula é mais respeitado, e completa o quadro com a sua impossibilidade de ser candidato. Com Ciro Gomes querendo ser protagonista da esquerda e ao mesmo tempo detonando a própria esquerda. Infelizmente é o saldo da Corrupção, que Nassif por conveniência política nunca aborda. E não tenhamos dúvidas que esse tema é o que vai prevalecer nas próximas eleições. Não adianta tevirgesar é o que está na mente do povo e mudar esse cenário levará anos. Esse pensamento está tão arraigado, que Bolsonaro pinta e borda e não há nenhuma reação popular. Há dúvida ?

    2
    5
    • Falou tudo. E digo mais: antes de qualquer frente progressista pensar em eleição, temos que desarticular por mais umas 3 eleições o que restou do PT. Só assim vão entender que enquanto encabeçarem qualquer oposição o fascismo fica mais forte

  14. Prezados Nassif e camaradas
    Ao ler o post (sempre bom), é ao compará -lo com outros xadrezes; pensei no seguinte: Bozo só foi o barbante que amarrou o saco da extrema direita, porque este “fenômeno” ( ignorância, ódio, ressentimento, recalque) que se expressa no senso comum, sempre esteve presente; mas estava estava em estado latente.
    Se Bozo levar um bico (precisa levar, e vai levar), esse miasma vai continuar existindo, esperando por outra oportunista.
    Como foi preciso desnazificar a Alemanha depois da guerra, o mesmo será preciso fazer aqui no Brasil, principalmente no judiciário

  15. “Não tenha medo dos Bozolóides, Nassif.

    Não se preocupe porque os Fascistas estão botando mostrando suas garras. Isso é ótimo porque agora a máscara deles caiu e se espatifou. Eles não podem mais fingir que são democráticos. O avanço desse governo miliciano vai ser benéfico e pode desembocar numa Revolução popular, no Comunismo, expropriação da propriedade privada dos meios de produção dos grandes burgueses e num regime de democracia operária.

    O integralismo/bolsonarismo (assim como discurso de mentir pro povo dizendo “no tempo dos militares que era bom, não tinha corrupção”) é um último recurso da elite desse país, desesperada, querendo se agarrar em alguma coisa pra tentar se salvar.

    Mas não terão êxito, o Povo não é burro, o Povo é socialista. Esses galinhas verdes tardios no máximo vão conseguir ludibriar alguns poucos milhares de imbecis de classe média. Serão esmagados pelo povo insurreto, e NÃO HÁ NADA QUE A ELITE POSSA FAZER, a não ser pedir ajuda aos EUA para que
    Trump mande os marines, mas ele não vai mandar porque acabou de desatolar-se da Síria.

    OTIMISMO TOTAL PARA OS REVOLUCIONÁRIOS, DESESPERO PARA A BURGUESIA!

  16. -> O que aconteceria se espocassem as grandes manifestações populares, emulando o que ocorre nos países vizinhos?
    -> Qual o limite em caso de manifestações populares, com os manifestantes sendo insuflados pelos P2?

    o emprego das FFAA como tropa de repressão interna tem um limite bastante perigoso para a classe dominante: o movimento de massas.

    uma coisa é uma patrulha do Exército brasileiro disparar mais de 80 tiros contra uma família de inocentes dentro de um carro, outra bem diferente é o massacre de centenas de pessoas numa grande manifestação de massa.

    foi assim durante El Caracazo em 1989, marco zero do Momento Chávez na Venezuela.

    até mesmo quando Piñera declara guerra ao povo chileno, o general encarregado do estado de emergência em Santiago contrapôs: “Sou um homem feliz, não estou em guerra com ninguém”.

    o principal instrumento de repressão interna sempre foi a polícia militarizada e as milícias para-militares formadas principalmente por policiais – embora comandadas por oficiais das FFAA.

    não é por outro motivo que a ditadura instalada na Bolívia acaba de criar o seu GAT (Grupo Anti Terrorismo), formados por policiais e com todas as características de um esquadrão da morte.

    quem há poucos meses atrás apostaria num movimento de massas no Chile e na Colômbia?

    no Chile em 30 dias o movimento autônomo de massas conquistou aquilo que a frente ampla da Concertación não logrou em 30 anos: instaurar um processo constituinte.

    e Paro colombiano já obriga Iván Duque a negociar com as massas em movimento.

    o que faz o povo ocupar massivamente as ruas? qual o fator desencadeante?

    seja como for, sempre a ponta de lança do movimento é a juventude.

    a mesma juventude que é executada pela polícia assassina de um Estado terrorista, como no bárbaro crime de Paraisópolis.

    chega um momento em que esta juventude explode: “Foda-se!”

    -> A direita liberal tem que aceitar que desmonte social é caminho certo para o populismo de direita anti-globalização, anti-direitos humanos e anti-meio ambiente.
    -> E, em um segundo momento, recuperar a disputa das últimas décadas, entre centro-esquerda e centro-direita.
    -> Um grande teste é a proposta de uma dobradinha Fernando Haddad-Marta Suplicy para a prefeitura de São Paulo, Martha entrando pelo PDT.

    atrás de cada PM assassino existe um governador genocida. atrás de cada governador genocida existe um Estado terrorista. e atrás de cada Estado terrorista existe uma classe dominante genocida.

    a História tem uma dimensão trágica que nos apavora a todos (sem qualquer modéstia estou me incluindo): nossas circunstâncias estão completamente fora de nossa alçada.

    no Chile, as pessoas se dão conta disto: “Se ficamos em casa nos matam, se saímos às ruas nos matam também. Então é melhor que saiamos.”

    agimos como se estivéssemos numa encruzilhada, mas já não há nenhuma escolha a ser feita. a opção se deu muito tempo atrás.

    nada vai nos levar de volta. aquele mundo está extinto. por mais que supliquemos, a vida não permitirá nenhum retorno.

    mas para aqueles que compreendem estarem vivendo os últimos dias de um mundo, a morte adquire um sentido diferente.

    esta compreensão é uma força que nenhuma resignação pode conter.

    e neste desespero, que é transcendente, se acha uma antiga sabedoria. de que a pedra filosofal sempre poderá ser encontrada, apesar de escondida enterrada na lama.

    isto até pode parecer algo trivial, em face da aniquilação. até que a aniquilação acontece.

    então, todos os grandes planos e os grandes projetos enfim são expostos tal como são.

    vídeo: The counselor
    https://www.youtube.com/watch?v=X89AXNO6TBw
    .

    • Total apoio!
      Chega dessa lenga-lenga de pacto, pacto, pacto …
      O cavaquinho dele tem uma corda só.
      “Seu” Nassif pinta um quadro péssimo (embora, como de estilo, atenuado) e propõe uma saída. Qual?
      [musiquinha de suspense]
      Panos-quentes.
      O homem é o rei do anti-clímax.
      Mata o paciente com excesso de anti-térmicos.
      Tem que deixar a temperatura subir!

      • -> Chega dessa lenga-lenga de pacto, pacto, pacto …

        só que: o artigo em si é excelente

        – aborda os principais aspectos da conjuntura imediata;
        – identifica os pontos prioritários para um acordo;
        – reconhece que “Um dos problemas sérios é a falta de interlocutores representativos do centro democrático”;
        – aponta a necessidade dos partidos políticos se democratizarem: “abertura das portas para a jovem militância, para o acolhimento das minorias –como protagonistas principais das suas políticas públicas e não como meros apêndices”.

        o problema do pacto não é um problema em si. e sim o modo como se coloca.

        a situação atual do Brasil é a mesma, e a rigor sempre foi, daquela dos EUA durante sua Guerra Civil. caso o sul escravocrata e produtor de algodão houvesse saído vencedor, os EUA hoje não seria muito diferente do Brasil atual.

        pactos com a classe dominante só se viabilizam através de uma posição de força.

        e só se chega a esta posição de força com sangue, suor e lágrimas.

        então cabe questionar: quantos de nós estão de fato disposto a verter sangue, suor e lágrimas?
        .

        • Meu caro, eu entendo o que você e o Nassif estão dizendo.
          O resumão feito por ele é razoável. Mas são coisas que ele e muitos outros da mini-mídia já falam. É um mini-consenso sobre o inócuo.
          Além disso não chega nos principais personagens. As forças em jogo são ao nível de placas tectônicas e o homem está propondo que as pessoas parem de bater o pé no chão. E ele sabe muito bem disso.
          Quantos de nós… é por isso que tem que deixar a temperatura subir, meu amigo. O número de dispostos a lutar é função da temperatura, em qualquer lugar e em qualquer tempo. Essa intoxicação de anti-térmicos não vai resolver nada. Daqui a pouco sai o xadrez do pacto entre S. Miguel e o capeta. Não dá!
          Quer saber? Hoje eu tô inspirado e vou deixar um recado bíblico pro Seu Nassif e semelhantes:
          “Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente!
          Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca.”
          Apocalipse 3:15,16

          • -> é por isso que tem que deixar a temperatura subir, meu amigo. O número de dispostos a lutar é função da temperatura, em qualquer lugar e em qualquer tempo. Essa intoxicação de anti-térmicos não vai resolver nada.

            concordo 100%.
            .

    • arkx Brasil,Pau Brasil,Terra de Santa Cruz ou de Vera Cruz,permita-me com todo carinho e respeito tenho pelo companheiro,mas você se coloca com um “interpretador de texto”,não como comentarista.Interpretar texto meu bom amigo,dava o tom nos vestibulares de priscas eras,e o acima assinado participou de um deles,com pleno êxito,em 1972.Além de demodê,você tem potencial pra muito mais.Numa nice?

      • -> você tem potencial pra muito mais.Numa nice?

        todos nós temos potencial para muito mais. o Brasil e seu povo tem potencial para muito mais. esta é a nossa tragédia histórica. como superá-la?

        seja qual for o caminho de superação, não nos enganemos: será com sangue, suor e lágrimas.
        .

        • todos nós temos potencial para muito mais.O Brasil e seu povo………
          Tai meu bom amigo,eu declinei você nessa condição,mas na concepção colocada por mim,entendo que uma trupe de FDP como o Clã Bolsonaro,Barroso,Fachin,Fux,Carminha,Heleno, Wuintrabab?,Salles,Aras e outros e outras sacanetas,tem potencial para muito menos.

  17. Um dos mais completo e intrigante,por que não belo,Xadrez de Nassif.Resumo em breves palavras,o quão difícil,quase impossível materializar-se o que propõe o contundente e brilhante texto de Nassif.Os egos,a fazer inveja ao Oceano Pacífico,as picuinhas,o disse me disse,a fofocada,as feridas quase incuráveis entre seus principais protagonistas,deixam poucas esperanças de execução do “fora fascismo”.Em contraponto,ou se parte para a execução imediata de caráter de urgência urgentíssima a proposta de Nassif ou,em curto espaço de tempo,estaremos sepultando os nossos mortos,quiçá nossos sonhos.

    2
    2
    • Você do dedinho pra baixo,não faz a menor ideia do amor que une Ciro X Lula,vice versa.Ou então tá de sacanagem comigo.Aliás,esse dedinho seu pra baixo,faz-me lembrar um cantor perneta que deitava e rolava na Ditadura Militar.Sobrou pro idiota do Simonal,ele com uma perna só,conseguiu se safar.

  18. Frei Betto e a Frente Ampla

    Espaço Selvagem é uma livraria que não vende livros, porque todos os livros expostos são do acervo pessoal do proprietário, Nicodemos, santareno de boa cepa, e estão lá para quem quiser ler. Espaço de encontros, palestras, lançamentos, debates. E fica em Taubaté, cidade que deu 81% dos votos para o Bolsonaro.

    Em 24.10.2019, teve uma palestra com Frei Betto, com o tema tema “Impasses e perspectivas da esquerda brasileira”. Espaço pequeno, cabem 25 pessoas, se muito, bastante apertado, e mais umas 50 lá fora, tamanho o interesse despertado. Seguida de autógrafos/livros.

    Após a palestra, perguntas. Uma delas, era sobre a viabilidade de formação de uma frente ampla. Frei Betto, não deixou o cara terminar a pergunta: “Nenhuma chance, impossível”. Nem foi preciso indagar os motivos.

  19. Caro Nassif,

    Segundo o ponto de vista de uma pessoa muito influente do meio político e empresarial, é o seguinte:
    Os males que o país enfrenta hoje é porque o PT não promoveu as reformas estruturais que o país precisava e também porque permitiu um descalabro nas contas públicas. Ele está errado?
    O problema é que esta narrativa conseguiu convencer as classes A, B e uma parte da classe C.
    O PT e os partidos de centro-esquerda precisam reconhecer a importância das reformas estruturais que serão implementadas no ano de 2020: A Reforma Fiscal, Administrativa e Tributária.
    Se eles abraçarem essas reformas e começarem a atuar para evitar “exageros” do Executivo e ajudá-los no sentido de propor valiosas propostas, eles estarão atraindo setores da centra-direita para grandes alianças nas eleições municipais e, assim, minar as forças bolsonaristas.
    Caso contrário, o campo progressista ficará enfraquecido e o Bolsonarismo fortalecido.
    Simples assim.

  20. Um pacto com os responsáveis pelo massacre de Paraisópolis?
    Parece uma pergunta improcedente, pois que teria o pacto contra o fascismo com o massacre de Paraisópolis?
    Tudo, e é exatamente aí o engano de Nassif.
    Um pacto com a direita é algo impossível em termos não de estratégia eleitoral, mas sim em termos de vender a alma por alguns cargos de prefeito que estão cada dia mais sem dinheiro e consequentemente sem poder. Chamar para um pacto forças que aparentemente não são fascistas, mas que dão todo apoio as políticas de exclusão social, como o exemplo da Martha Suplicy (que na verdade Suplicy hoje é um nome fantasia), é chamar para dentro da luta contra exclusão social alguém que se mostrou suficientemente sabuja para votar contra o que toda vida diz que defendeu.
    O que adiantaria esta poucas prefeituras que se obteria vendendo-se a alma, pois estas poderão e certamente serão sufocadas por políticas dos governos central ou dos governos estaduais não modificando em nada as políticas neoliberais que estes partidos de centro-direita (???? ou direita mesmo).
    Toda esta política de conciliação trará danos imensos a política dos partidos realmente de esquerda, pois os desmoralizarão com suas bases.

  21. A ironia trágica do fascismo que passamos a ter é que não foi preciso a atuação de muitos fascistas de verdade para ele ser aceito e se instalar…
    bastou o assassinato da Marielle

    e mesmo assim, muitos ainda acreditam que não teremos movimentos fascistas assassinos espalhando-se por todo Brasil e com total apoio de grande parte da sociedade e dos governadores, dos prefeitos, juízes, ministros e dos milicos, o que me leva a crer que não existe a menor possibilidade da gente se livrar dele no curto prazo

  22. A história demonstra que só há um meio de combater o fascismo: enfrentando-o.

    Estudem os processos históricos que levaram ao nazismo, ao fascismo e às ditaduras mais cruéis e verão que todas essas experiências só acabaram quando seus protagonistas foram mortos.

    Sinto ter que dizer a verdade.

      • Em Portugal houve REVOLUÇÃO. Já na Espanha , Moncloa.
        Por isso volta e meia os órfãos de Franco dão as caras na Espanha.

    • sinto dizer também que concordo plenamente como o que vc disse…
      acrescento que muitos ainda acreditam que vai desaparecer com a derrocada econômica que se avizinha, mas, que nada, aí é que vai se fortalecer de vez caso venha a amparar os fascistas necessitados, e só eles, os brancos, os lindos, os másculos

      só neste então é que os homens de negócio estarão abrindo vagas de empregos para os seus iguais, escravizando os diferentes, mão de obra barata e trocada entre eles

      aí a Globo deve gritar “fantástico”, ou que a abertura de vagas de emprego nunca dependeu da estabilidade econômica ou da ação do governo………………………se já não está a gritar

  23. E condição sine qua non para início de qualquer conversação a defesa da restituição dos direitos usurpados dos trabalhadores e do povo pobre em geral pelos golpistas do centro e da centro-direita. Se isso não for possível não tem conversa.

  24. Nassif anda delirando. Se Marta não teve voto qdo se candidatou à reeleição e muito menos em 2016 – mesmo aderindo ao anti-petismo tão caro aos paulistanos, que, na sua maioria, são um bando de reaça, independente de classe, cor, etnia ou religião -, por que agregaria alguma coisa à candidatura do PT? O que ela vai fazer é jogar os votos do PT no colo de Boulos e não agregar nem um votinho à direita. No fim, não tem jeito: São Paulo dará a vitória à direita. É da natureza do escorpião. R.I.P. São Paulo.

  25. Um dos problemas para qualquer pacto , seja com quem for , tem nome e cpf: Gleisi Hoffman.
    Com ela de Presidente do PT , chance zero de prosperar algo inteligente. Vamos continuar no trololo classe media de quem é de Curitiba.
    A Lava Jato devia ter ensinado que o PR e Curitiba sempre produzem pessoas de personalidades complicadas. E geralmente burras, mas sempre muito oportunistas, com algumas exceções.

  26. Não acredito nesse acordo proposto pelo Nassif. É uma ilusão dele. Somente a mobilização popular pode barrar a marcha fascista rumo a uma ditadura amplamente configurada. A direita neoliberal que o Nassif acredita ser “civilizada” é a mesma que estimulou as práticas fascistas que derrubaram Dilma e por fim alçaram o Boçalnazi ao poder.
    Não dá para fazer acordos com golpistas. Eles não estão interessados em pacto nenhum. O que precisa ser feito é mobilizar a população contra o fascismo, qualquer outra saída é ilusória.

  27. O passado nos espera

    “Guerra é paz”, ” Liberdade é escravidão”, “Ignorância é força”, esses são lemas do governo no livro “1984”, escrito por George Orwell em 1949. A história se passa em um universo distópico em que um partido único controla todos os cidadãos através do monitoramento sistemático e da repressão.

    O governo é dividido em ministérios criados para manter o regime, o Ministério da Verdade é responsável pelas falsificações de documentos e registros históricos, o Ministério da Paz pela guerra e o Ministério do Amor é o que faz a repressão à população.

    Olhando o Brasil de 2019 parece que estamos sendo governados por um ajuntamento de figuras dignas de uma criação Orwelliana.

    Temos um ministro das relações exteriores que se auto denomina antiglobalista, conclama Donald Trump como a salvação do mundo ocidental e reconhece o governo de um presidente auto-proclamado.

    O ministro do Meio Ambiente foi condenado por improbidade administrativa sob a acusação de falsificar mapas para favorecer mineração em áreas de proteção ambiental.

    O ministro da Educação destila, diariamente, sua falta de educação no Twitter, com frases cobertas de erros de português e ataques às universidades federais.

    Em resposta a um dos maiores desatres ambientais ocorridos no litoral brasileiro, o secretário da pesca afirmou que não havia risco de contaminação dos cardumes pois peixe é um bicho inteligente e foge da mancha de óleo.

    O Ministro da Justiça, que ganhou o emprego ao prender o principal adversário do seu chefe na corrida presidencial, ora faz as vezes de vigário, perdoando crimes de aliados que tenham se arrependido verdadeiramente, ora a de advogado da família do patrão impedindo as investigações de rachadinhas e assassinato.

    Na Fundação Palmares, um negro que é contra
    movimento negro defende que a escravidão chegou a ser benéfica aos descendentes, visão que não deve ser compartilhada pela maioria negra e pobre que ainda vive os reflexos da escravidão e do racismo estrutural brasileiro.

    Da Funarte partem ataques aos artistas, do Ministério de Direitos humanos sinais de que direitos humanos são só para homens direitos, seja lá o que isso signifique.

    Tudo ocorrendo sob o comando de um presidente que foi deputado por 7 mandatos sem ser político; que é um cristão defensor da tortura e da pena de morte; que se elegeu fazendo uso extensivo de fakenews e vive repetindo que “a verdade vos libertará”; que lança o nome de seu filho para se tornar embaixador sem fazer nepotismo; que ataca a imprensa, as mulheres, os gays, a justiça, o legislativo, os aliados, a oposição, os movimentos sociais, o próprio partido, o presidente da França, a mulher do presidente da França, o Leonardo de DiCaprio… Depois de ter prometido unir o país.

    No livro 1984, o Ministério da Verdade desenvolveu o duplipensar, que corresponde a um conceito segundo o qual é possível ao indivíduo conviver, ao mesmo tempo, com duas crenças diametralmente opostas e aceitar ambas. Só assim podemos entender esse governo desgovernado que atenta contra as garantias que o levaram ao poder, guiado pela ideologia de um ex-astrólogo, ex-islâmico e atual filósofo auto-diplomado e eterno charlatão enrustido.

    Nos habituamos ao duplipensar, nos acostumamos a um governo que junta astronauta e terraplanistas, que quer uma polícia assassina, que abriga milicianos cristãos, que levou uma horda de ignorantes ao poder e a um presidente que bate continência para a bandeira de outro país enquanto repete “Brasil acima de tudo”. Nada mais nos choca, perdemos a capacidade de nos indignar e permanecemos na inércia enquanto somos levados rumo à Idade Média, com uma breve parada em 1984.

  28. Pacto pelo país coisa nenhuma. Quem colocou o país nessa situação não foi a esquerda. Desde quando todos aqueles lá estiveram preocupados com o povo, o país, o crescimento inclusivo e distributivo de renda? Agora é a hora da esquerda usar todos os meios de comunicação disponíveis e até criar outros, principalmente via internet, para deixar bem claro para todos os brasileiros a diferença entre uns e outros. Se a esquerda novamente vier com essa papo de Madre Teresa de Calcutá vai tomar outro tapa na cara. Será que os acontecimentos dos últimos anos não ensinaram nada?
    Quando a esquerda vai começar a usar todo potencial da internet, principalmente das redes sociais, para agregar mais pessoas, agrupar todas elas e informar de maneira objetiva e direta, tirando essa imprensa corporativa de vez do caminho. Informar de forma honesta, dentro da lei, mas informando, destacando quem é quem e o resultado de tudo que fizeram para o bolso e a vida de todos. Dar nomes aos bois e aos partidos e parceiros. É isso que a esquerda já devia estar fazendo desde 2016. Ou será que a esquerda ainda não sabe que hoje em dia existem mais de 200 milhões de celulares ativos no país.
    Agora é GUERRA! Não é a guerra da violência, do conflito, da mentira, dos ataques virtuais ou pessoais. É a GUERRA da apresentação e reforço das idéias, das propostas, de mostrar os resultados reais e, principalmente, de mostrar quem é quem e o que aqueles estão fazendo. Todos eles.
    #nãovaiterpacto

  29. “O PT tem que adiar os sonhos de pretender retomar o projeto social no lugar em que parou com o impeachment.”

    Esse projeto já era bem porco !!! No fim, se propõe o caminho da esquerda Europeia, que de tanto se confundir com a direita, acbou dando lugar a extrema-direita.

    Aderir a isso é apenas derrotas a esxtrema-direita temporariamente para ela voltar mais forte !!!

  30. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome