A economia brasileira, segundo a GloboNews, Andre Motta Araujo

"O Sistema Globo de Televisão é hoje uma raridade mundial, uma rede que funciona como partido político, com agenda própria e convicção ideológica"

Imagem: Reprodução

Por Andre Motta Araujo

O SISTEMA GLOBO DE TELEVISÃO é hoje uma raridade mundial, uma rede que funciona como partido político, com agenda própria e convicção ideológica.

As grandes redes por assinatura, como a CNN (em inglês e em espanhol), a TV5 francesa, a TVE espanhola, a BBC britânica , a SIC portuguesa, a excelente DEUTSCHE WELLE têm como regra a PLURALIDADE de opiniões nos seus comentários próprios e nos comentários de convidados a dar sua posição.

A regra nas opiniões e debates é o CONTRAPONTO ao chamado “mainstream” do oficialismo político e econômico. Os debates na CNN são vigorosos, ácidos, contra-pontuais ao extremo sobre política dos EUA, do México, sobre concentração de renda, ambientalismo, questões de gênero.

No quesito ECONOMIA, as grandes redes convidam expositores de esquerda, de centro e de “market oriented voices”, aqueles que só conhecem e vêm o ” business” como razão de vida.

Já a GLOBONEWS. não tem nenhuma dúvida. Para o canal, a economia brasileira se resume ao mercado financeiro e ponto.

Nos programas EM PONTO, JORNAL DAS DEZ, EM PAUTA, só são convidados a falar de economia OPERADORES E CONSULTORES VINCULADOS AO MERCADO FINANCEIRO. Não são convidados pessoas que criam frango, por exemplo, fabricantes de sapatos, vendedores de camisas. Nada disso interessa, apenas os sempre disponíveis “rapazes do mercado”, de corretoras e bancos de investimento e, quando raramente chamam um professor, é da PUC-Rio ou da FGV-Rio, IBRE-Rio, IBEMEC-Rio, Casa das Garças, Institutos Millenium e von Mises. Nem pensar em UNICAMP, USP ou mesmo UFRJ, são convidados, porque não são fanáticos ideológicos neoliberais pro-cortes em educação e saúde, pró-dolarização, anti-industria, anti-emprego, pro-deflação e pro-privatizações de tudo. e de preferência para estrangeiros

Na GLOBONEWS, só vale a “equipe dos sonhos” de Paulo Guedes, gente como Salim Mattar, que quer vender a Floresta da Tijuca, ou como o presidente-garoto do BNDES, cujo primeiro emprego é presidir o maior banco de fomento do mundo.

Leia também:  Indústria, políticas públicas e desenvolvimento econômico

O rico, riquíssimo debate sobre a economia brasileira que envolveu um Roberto Simonsen, um Eugenio Gudin, um Roberto Campos, um Celso Furtado, um Romulo de Almeida, um Delfim Neto, nem passa na calçada da GLOBONEWS.

Para o canal, valem nomes que estão sempre disponíveis há vinte anos, sempre os mesmos da “extrema-direita econômica” como um Padovani, André Perfeito, Mailson, José Márcio Camargo, o pessoal da Tendências, da XP. Todos sempre com a mesmíssima linguagem: “o Brasil precisa de competitividade”, de “economia aberta”, “sem déficit fiscal”, “reformas de tudo”, “atrair o investidor”, “melhorar o ambiente de negócios”, a mesma cartilha repetida mil vezes, “a mesma receita para doenças diferentes”, célebre frase do grande economista do desenvolvimento Albert Hirschman. É também uma pobreza intelectual, de conhecimento da História econômica do mundo e do Brasi.

Existem SOLUÇÕES COMBINADAS para economias complexas. Pode-se ser ortodoxo em um ponto e heterodoxo em outro. A política econômica não é binária, é uma combinação de articulações.

Até economistas doutrinários como Milton Friedman previam saídas não ortodoxas para determinadas situações, “dar dinheiro de helicóptero” em determinados contextos pode ser mais barato do que tratar de dez milhões de doentes físicos e mentais causados pela pobreza extrema.

MAS NÃO, eles não têm qualquer receita, além de um ovo frito. Diversidade de ideias não é com a GLOBONEWS, onde seguem apenas uma cartilha. Dizem que a mestra que escreve na lousa é Miriam Leitão. Deve ser mesmo, é impossível que Sardenberg e outros do “time da economia” tenham alguma ideia na cabeça. Pensamento original pode dar ressaca. É melhor seguir o script ideológico da casa: PARA O MERCADO TUDO, para políticas públicas, NADA. A solução para eles é: ou o mercado resolve ou é melhor vender o Brasil para estatais chinesas.

Daí eu pergunto: Que tal vender já para não perder tempo?

Leia também:  Bebianno responde Eduardo Bolsonaro: "jamais abri a boca para contar o que sei"

A mega-tarefa da GLOBONEWS para servir ao “mercado” é propagar 24 horas por dia que:

“O BRASIL ESTÁ QUEBRADO, a PETROBRAS está quebrada, a ELETROBRAS está quebrada e que a CAIXA, o BNDES e o BANCO DO BRASIL nem deveriam existir. Logo, é melhor vender tudo porque o BRASIL DÁ PREJUÍZO. Vendendo tudo, VIRÃO OS INVESTIDORES e aí serão criados muitos empregos e seremos felizes para sempre.

Assinado por Branca de Neve Leitão”.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

28 comentários

  1. A Globo é só porta-voz de uma elite miseravelmente preguiçosa que está no comando hoje. Pra criar um projeto de país, é preciso estar disposto a um trabalho árduo tanto mental quanto prático, pois um sistema econômico que faça o país crescer de verdade é algo tão complexo quanto um sistema ecológico. Nossa elite hoje quer o bem bom do rentismo, então o negócio é vender tudo o que o país conseguiu criar ( em quase todos os casos a um custo social alto ) para tudo se resolver – só pra eles, claro. É um projeto de queima de estoques ( e de florestas e de gente ),uma terceirização total feita por gente de quinta. No campo das relações exteriores é onde esse projeto nefasto mais tem avançado, o Brasil se pondo como assecla nem de um governo, mas de um governante, no caso o nó cego do Trump ). Até começar a flertar com dolorização estes fdps estão ousando ( com a bênção de Gustavo Franco, nosso Cavallo caboclo, que levou um pé na bunda de FHC quando o engodo da paridade cambial explodiu ), mesmo tendo aqui ao lado a Argentina, o maior exemplo do fracasso da aventura dum país adotar na prática uma moeda de outro país – e que por essa situação chegou num ponto que eu acho que só mesmo ela se ‘vendendo’ pra China para conseguir os dólares que cubram o rombo externo impagável hoje, pois se depender de FMI/EUA o país ficará mais pobre do que está. Verdade que nunca tivemos uma elite de primeira divisão no cenário mundial. No seu melhor momento, chegou perto de entrar na primeira divisão. Mas hoje chegamos ao fundo do poço, com essa elite de quarta divisão com total chance de ir pra quinta.

    10
    1
  2. Vocês ainda tem a coragem de ouvir e tentar entender o que eles falam.
    Eu já desisti há muitos anos atrás, não dá para ficar ouvindo.
    Mas entendo que uma necessidade do jornalismo.

  3. Essa globo News é uma vergonha nacional, canalzinhonho sem vergonha,, e duro assistir os comentários de seus analistas de economia. Aquele tal de estúdio I, é de dar pena de tanta bossalidade. Parabéns ao articulista.

    14
    2
  4. A globo é um partido que só conseguiu se dar bem, de acordo com sua filosofia malina, sob a submissão e associação à ditadura. A tv foi comprada depois de um incêndio em condições até hoje suspeitas e corre o risco de ver seu patrimônio ir às cinzas, sob a sua insuspeita incompetência empresarial e deficiência de suas estratégias políticas e atraso em se posicionar. Em 2025 o conglomerado completaria 100 anos. Diante da dinâmica de mudanças no mundo e questionamentos de públicos (esquerda, direita, evangélicos e sem os jovens que cada vez mais, vão para outras mídias), certamente que não chegará até lá.

  5. “…O SISTEMA GLOBO DE TELEVISÃO é hoje…” É hoje?!! À beira de uma convulsão mundial, Brasil idem, de ditadura militar, de colapso social, AT&T desembarca no país, com toda sua tecnologia, dinheiro e interesses norteamericanos, tendo Roberto Marinho como sua ‘cara’ nacional. Já estavam de ‘malas prontas’ para irem embora, quando chegaram uns pseudo-progressistas ao Poder. Conversa para cá, conversa para lá. Pode não ser tão ruim como pensávamos. ACM mostra as vantagens de tal parceria. Contas no Exterior, Com uma Vida no Exterior. Um pé lá, outro cá, com Estado Brasileiro bancando tudo. Copa do Mundo. Olimpíadas,… A culpa é dos outros. ‘Uma coisa é uma coisa, outra coisa…’ 40 anos mandando neste Estado Brasileiro que não presta ( desde PT de 78, Anistia de 79, MDB, Montoro, Redemocracia, Constituição Cidadã e toda avalanche dos anos 80). E não prestam principalmente SUAS EMPRESAS, SEU PATRIMÕNIO, SUA SOBERANIA, SEUS EMPREGOS, SEU NACIONALISMO. Vendamos tudo isto que não presta. Mas continuemos mandando neste Estado que não presta que continuará mandando em tudo isto que não presta. Sendo pago regiamente e escandalosamente é claro. Para ‘ liquidar ‘ com tudo isto que não presta. O que parece sempre que não presta, precisa ter sempre a cara do ‘nacional’. Mas continuamos sob nossa doutrinação de 9 décadas. Comentando as notícias do jornal de ontem. Preocupados com cadáveres insepultos. Cadáveres não fazem mais nada, fora federem. RGT já foi. O ‘baú’ só servirá como urna para o dono. ‘Bandeirantes’ já lutam pelos despojos das suas caminhadas que já findaram. Outras, pelo mesmo destino. AT&T já lançou sua âncora novamente. E agora não precisa nem sair de Miami/USA. Não precisa nem pisar nesta terra, da qual não quererá nem a poeira dos sapatos. Vem aí CNN (americana) via FacebooK (americano) via Google (americano) via Apple (americano) via Windows (americano) via Microsoft (americano). Não precisarão nem mais da cara brasileira dos Marinhos. E ainda estamos preocupados e discutindo sobre Roberto Marinho e sua trupe?!! Já foi enterrado há muito tempo. Só Nós Brasileiros não percebemos que a única coisa que produz é podridão e mal cheiro. O Dono da mordaça e do cabresto já e outro faz tempo. E Nós novamente não percebemos. Mirina Leitão? Ainda mora no Brasil? E o resto da nossa Elite Progressista, anticapitalista, socialista? NY ou Paris? Diga para Nós, Jean Willys? Pobre país rico. Mas de muito fácil explicação.

  6. Mais parece um grande centro que transfere o dinheiro do investidor para as mãos do especulador…
    além disso é dos bancos, das financeiras, das concessões negociadas, repassadas, fazer o brasileiro gastar um dinheiro que não possui

    o resto é festa no playground para ricos e na laje do barraco para pobres

    mais parece a mãe que não se sente na obrigação de divulgar o que se comprometeu a fazer com as concessões

    3
    1
  7. Gostaria de saber quem é André Motta Araújo, sua atual profissão, títulos acadêmicos, experiência profissional etc. Acho estranho o GGN aceitar textos e não expor ao menos um resumo da qualificação e do perfil do autor.

    1
    21
  8. A Globo defende os interesses dos EUA e foi gestada durante a ditadura militar.
    Porém, durante os governos petistas, foi gestado outro demônio: a Record do bispo Edir Macedo.
    A Globo e a Record precisam ser extintas, tais como são hoje.

    19
    • Edir Macedo está atuando através da Igreja Universal do Reino de Deus desde a época do Sarney. Não têm e nunca teve nada a ver com PTistas, ainda mais durante os governos Lula e Dilma !!! Procure saber mais a respeito, antes de falar bobagem !!!

  9. É fundamental estar sempre oferecendo um contraponto ao “messianismo econômico” da rede globo, que é afinal de contas o grande disseminador de conceitos abraçados pela grande maioria de dirigentes das forças armadas, poder judiciário, mas que oferecem brechas a toda sorte de espertalhão e que vêm nisso a “oportunidade de uma vida!”.

  10. Ora, são os sucedaneos de Eugenio Gudin e Roberto Campos: “liberais” que jamais deram uma palavra pelos DHs, que se abraçaram a ditadores…Da mesma linhagem, aliás, dos “liberais” do Imperio, que eram a favor da escravidão….E por ai vai.

    Enfadonhos mesmo são os “votos de confiança” renovados por décadas e décadas na va esperança de ver essa famiglia globo fazer outra coisa que não fosse propaganda, comercial, politica e ideológica, nesta ordem.

  11. Além do mais todo profissional egresso do mercado financeiro que defenda os dogmas, são transformados em gurus econômicos, salvadores do mundo. Os sabedores de tudo sem nunca ter empreendidos, sequer, um fiteiro.

  12. a globo é o símbolo do
    maior problema do país na nossa história….
    muito bom esse artigo…
    antes – dez anos, digamos – considerado um articulista
    que defendia a direita, andré é hoje com certeza
    um dos melhores analistas de nossa conjuntura,
    progressista como poucos.
    parabéns a ele, principalmente pela
    coragem com que escreve e analisa…

  13. André Araújo sempre preciso. Para o Sistema GLOBO inexistem outros referenciais econômicos se não essa entidade etérea chamado “Mercado”. A ele prestam reverência do mesmo nível que um fanático político e religioso.

  14. Globo? Recomendo fortemente. Não perco a Formula Um. Assisto sempre, desde os anos 70.
    No “mute”, sem som. Da primeira à última volta. Sem pré, muito menos pós.
    O resto? O resto é manipulação, mentiras e golpe!
    plimplim.

  15. Realmente, Você expôs de maneira sucinta e clara como é a Globo News; bem diferente da BBC e outras emissoras. Esse “padrão” globo está arcaico e chato, o resultado é a queda dramática da audiência credibilidade.

  16. A análise é bastante pertinente. A verdade verdadeira é que desde a ditadura militar (ou melhor, civil-militar) não se produz uma análise conscienciosa da estrutura e funcionamento da economia brasileira. Por ironia, mesmo com o início da ditadura o Estado manteve o seu papel indutor do crescimento, porquanto Roberto Campos esteve na equipe de Celso Furtado e participou da criação do então BNDE. Seu Programa de Ação Econômica do Governo (PAEG) foi o primeiro plano econômico do governo brasileiro após o Golpe Civil-Militar de 1964, AINDA QUE não tivesse especial interesse em favorecer as classes baixas da sociedade brasileira, teve o propósito não raro equivocado de promover o desenvolvimento da indústria brasileira e de sua infraestrutura, estímulo à formação bruta de capital fixo, à relocalização de indústrias. Com todas as distorções decorrentes, buscou fortalecer a indústria naval e o uso da navegação brasileira de longo curso, de cabotagem (costeira) e fluvial. Ainda por mais irônico que seja, a ditadura ao contrário da redemocratização em 1985 estendeu a noção de Seguridade Social quando criou um sistema de capitalização inicialmente voluntária e em seguida compulsória: o FGTS. Ainda ao contrário da redemocratização em 1985 a ditadura militar manteve o teto da alíquota de incidência de IRPF em 50%, instituiu o PIS e o PASEP como uma maneira de reconhecimento da mais-valia. Esta mesma ditadura AINDA QUE por motivos ideológicos nefastos e noção distorcida de ação social deu origem ao CHISAM (programa de desfavelamento), ao projeto Rondon, ao Mobral, à Educação Cívica e Moral (com o propósito evidente de doutrinar na contramão da escola sem partido de hoje).
    O surpreendente é que a partir de 1985 Sarney reduziu a alíquota do IRPF para a metade, Collor escancarou o parque industrial brasileiro para multinacionais, FHC socorreu bancos em apuros com o PROER (até hoje com saldos devedores bilionários), e todos, TODOS, os governos que se seguiram foram consolidando um regime escandalosamente espoliador de juros impagáveis mediante manobras que convertem dívidas de 63 milhões de brasileiros em despesas dedutíveis dos resultados – diga-se – pelo seu valor atualizado à data. Este procedimento contábil, imoral, deu origem a uma indústria de cobrança destas mesmas dívidas com redução NOMINAL de 90%-95% que, aliás, ao ser recuperadas estão isentos das contribuições sociais correspondentes. Claro que sempre há de haver otários que pagam os juros extorsivos e noves fora tudo é lucro. Bancos diariamente são beneficiados pelas rolagens da dívida pública às custas dos depósitos mantidos em conta-correntes – ou seja, emprestam o dinheiro que não é deles. Enquanto a dívida pública cresce aos trilhões pela taxa básica que já chegou aos dois dígitos e recentemente ficou por volta de 5%, o país mantém no exterior contas com reservas internacionais remuneradas em torno de 1% sob a alegação de proteção contra as flutuações e humores da economia mundial, como se fosse justificável receber muito menos do que paga – a qualquer pretexto e independentemente dos eventuais excedentes necessários à proteção da balança externa.
    A economia estrebucha enquanto bancos – e farmácias – explodem em lucros. Aqueles por motivos óbvios e estas em grande parte graças ao consumo de antidepressivos e ansiolíticos. E não de ser outra a razão de um crescente comércio do sucedâneo das drogas… E daí, tráfico de armas. E daí, atuação de milicianos. E daí…

  17. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome