Bolsonaro e Maia consolidam as pazes e acertam relação direta, sem intermediários

Em encontro no final de semana, os dois decidiram que quando precisarem conversar, não usarão mais assessores. O objetivo é cortar ruídos e acelerar reforma da Previdência

Rodrigo Maia e Jair Bolsonaro. Foto: Marcos Corrêa/PR

Jornal GGN – O presidente República, Jair Bolsonaro (PSL), e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), decidiram que quando precisarem conversar um com o outro não usarão mais intermediários. A linha agora será direta entre os aparelhos celulares dos dois.

Segundo informações do blog de Andreia Sadi, no G1, a decisão foi acertada neste final de semana para evitar ruídos. “A conversa do final de semana, segundo relatos obtidos pelo blog, foi classificada como ‘a melhor conversa entre eles’, e, o mais importante: ‘uma conversa na política'”, pontua Sadi.

Depois de quase cem dias em que o governo parecia não conseguir destravar a relação com o Legislativo, alcançando a clímax de desgastes no mês de março, os chefes dos dois poderes parecem finalmente estar mais alinhados. A passagem da reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça, na Câmara, e a rápida organização da Comissão Especial na Casa, com o apoio expressivo de Maia, consolidam essa mensagem.

Na semana passada o jornal Folha de S.Paulo confirmou com cinco líderes governistas que o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM-RS) ofereceu R$ 40 milhões em emendas parlamentares até 2022, para os deputados federais que votaram a favor da reforma da Previdência. Ou seja, parlamentares da oposição não terão acesso ao recurso.

Ainda segunda a coluna de Sadi, a conversa de Bolsonaro e Maia neste final de semana foi no sentido de garantir a reforma da Previdência.

“Bolsonaro e Maia ficaram de pensar juntos a melhor forma de relacionamento com a Câmara – se for o que está dado, a reforma será aprovada, mas será preciso o governo compreender a importância dos partidos para garantir celeridade e, também, um texto mais robusto na Casa”, escreveu a colunista.

Leia também:  Desemprego aumenta no primeiro trimestre do ano e alcança 13,4 milhões

Na conversa ficou definido também que o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni é quem cuidará das demandas dos deputados, afastando Maia do trabalho de ajudar os parlamentares a pleitearem cargos ou recursos das emendas parlamentares.

Sobre a entrevista de Maia ao site Buzzfeed onde o presidente da Câmara fez críticas aos filhos de Bolsonaro, não houve constrangimentos também. O presidente da República não tocou no assunto e, por isso, foi chamado de “craque” pelos aliados de Maia. Para ler a coluna de Andreia Sadi na íntegra, clique aqui.

2 comentários

  1. Nesse caso,não custa perguntar,que porra esse cretino desse Moro está fazendo lá?Bozo é uma anta,mas alguém deve ter-lhe soprado aos ouvidos que os conspiradores em verdade são dois:Moro & Mourão ou Mourão & Moro.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome