Braço-direito de Regina Duarte será secretária escolhida por Roberto Alvim, do vídeo nazista

Promoção da reverenda Jane foi um balde de água fria na comunidade artística, que esperava mudanças com a nomeação de Regina para a Cultura

Jornal GGN – Regina Duarte ainda não tomou posse na Secretaria Especial de Cultura, mas já jogou um balde de água fria em cima da comunidade artística, que cultivava a esperança de que a atriz pudesse promover grandes mudanças no governo Bolsonaro.

Ao contrário disso, Regina pretende alçar a secretária-adjunta de Cultura, seu braço-direito, a ex-secretária de diversidade cultural, Janícia Ribeiro Silva, mais conhecida como reverenda Jane.

Janícia entrou no governo Bolsonaro em novembro de 2019, pelas mãos do ex-secretário da Cultura, Roberto Alvim. Ele foi demitido neste mês, depois de divulgar um programa federal voltado para as artes clássicas por meio de um vídeo com estética nazista.

A reverenda é da mesma leva de Sérgio Nascimento de Camargo, que teve sua nomeação para a presidência da Fundação Palmares suspensa pela Justiça.

Jane ficou conhecida por ser uma das líderes da Comunidade Internacional Brasil & Israel (CIBI), organização que busca estreitar a relação entre os dois países, usando inclusive de lobby junto a parlamentares.

Ela também preside a Associação Cristã de Homens e Mulheres de Negócio e foi pastora da Igreja do Evangelho Quadrangular de Belo Horizonte, em Minas Gerais, por 20 anos, informou o Estadão.

A escolhida de Regina fez campanha campanha para a eleição de Jair Bolsonaro nas redes sociais. Ela conheceu a atriz durante a entrega de uma homenagem da comunidade israelita.

1 comentário

  1. Dizer que a nomeação de Jane foi um balde de água fria na comunidade artística me parece bem estranho. Afinal, quem não conhece Regina Duarte e sua atuação sempre apoiando a direita, suas manifestações contra Lula, Dilma, seu apoio ao golpe e a Bolsonaro, deve estar muito desinformado.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome