Diplomação de Lula ocorre nesta segunda e encerra as eleições; entenda

Cerimônia no TSE foi antecipada a pedido dos petistas e marca o reconhecimento do resultado das urnas

Ricardo Stuckert

Nesta segunda-feira (12), às 14h, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Geraldo Alckmin (PSB) serão diplomados pelo Tribunal Superior Eleitoral. A cerimônia marca o fim formal das eleições de outubro e reconhece o resultado das urnas.

No evento, a chapa vencedora vai receber um atestado de que está apta a assumir a Presidência da República. Dessa forma, Lula e Alckmin poderão legalmente assumir o mandato a partir de 1º de janeiro.

Isso ocorre após a apuração de todos os votos e depois que as contas de campanha do partido foram aprovadas, sem que nenhuma irregularidade tenha sido encontrada, como foi o caso.

LEIA: Mais de 10 chefes de Estado confirmaram presença na posse de Lula

Portanto, não se trata de nenhuma mudança ou novidade. É apenas uma formalização do processo eleitoral. O momento se assemelha a quando um aluno que recebe o diploma de graduação após anos de estudo, por exemplo.

Antecipação

Inicialmente, a diplomação estava prevista para o dia 19 de dezembro, a data final do prazo para sua realização. No entanto, a pedido da equipe de Lula, a cerimônia foi antecipada para este dia 12.

A mudança ocorreu em meio aos protestos bolsonaristas que pedem golpe. Um dos lemas dos protestos é: “o ladrão não vai subir a rampa”, em referência ao petista e a rampa que dá acesso ao Palácio do Planalto, onde o evento de posse presidencial costuma ocorrer.

Histórico nos EUA

O processo de diplomação é importante porque marca a última etapa burocrática antes da posse do futuro presidente Lula.

Nos Estados Unidos, a invasão ao Capitólio ocorreu no dia 6 de janeiro de 2021. O episódio aconteceu justamente na cerimômia de diplomação do então eleito Joe Biden. Apoiadores de Trump alegaram que houve fraude nas eleições americanas e tentavam barrar a ascenção legal do democrata ao poder.

LEIA:

Johnny Negreiros

Estudante de Jornalismo na ESPM. Estagiário desde abril de 2022.

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador