Haddad fez “revolução nas finanças” e entregou SP com capacidade de investimento a Doria-Covas

Apesar de ter herdado contas saneadas, a gestão Doria-Covas investiu menos de 50% do montante que Haddad investiu na capital

Jornal GGN – O ex-prefeito Fernando Haddad (PT) escreveu na Folha de S. Paulo deste sábado (21) um artigo rebatendo, mais uma vez, a “fake news” lançada recorrentemente pelo candidato a reeleição Bruno Covas (PSDB), que alega em debates que recebeu, das mãos do petista, a prefeitura de São Paulo quebrada.

Segundo Haddad, em sua gestão houve uma “revolução nas finanças” em São Paulo. O estoque de dívida foi reduzido em mais de 60% e o Paço, pela primeira vez em 30 anos, bateu recorde de investimento, um esforço reconhecido pela agência de risco Fitch.

Apesar de ter herdado as contas saneadas, o sucessor João Doria e depois Bruno Covas investiram, juntos, menos da metade do que Haddad investiu enquanto prefeito.

É para justificar essa falta de investimento que Covas diz, nos debates, que recebeu a cidade quebrada. “A mentira que Covas insiste em contar, portanto, tem sua razão de ser”, escreveu Haddad. “(…) não creio que para disputar uma eleição seja preciso se rebaixar tanto, sendo desmentido a cada debate pelas agências de checagem.”

Confira os principais trechos do artigo de Haddad:

“Fiz uma verdadeira revolução nas finanças de São Paulo. Não encontro outras palavras. Reduzi o estoque de dívida da cidade em mais de 60%, de R$ 74 bilhões para R$ 27 bilhões. Além disso, a troca do indexador do contrato fez a dívida, como proporção da receita, cair inercialmente outros 60%.

Herdei um calote de precatórios da gestão tucana: R$ 10,29 bilhões. Comecei a resgatar esse passivo, pagando mais do que determinava a Constituição. Fui o único a fazê-lo.

Como resultado, minha gestão foi, nos últimos 30 anos, a recordista em investimento, mesmo tendo enfrentado a maior recessão da história recente (2015-16), e foi coroada, de forma inédita, com a obtenção do grau de investimento, concedido pela agência de risco Fitch.

A gestão Doria-Covas recebeu as finanças na melhor situação possível em décadas. E, mesmo tomando empréstimos — possíveis graças ao saneamento das contas — investiu inexplicavelmente apenas pouco mais de 50% do montante do que nossa gestão.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Fora de Pauta

1 comentário

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome