Rogério Carvalho anuncia ação no STF contra Braga Netto por nota das Forças Armadas

Senador petista diz que ministro da Defesa cometeu crime de responsabilidade

O senador Rogério Carvalho (PT-SE) falou ao Brasil de Fato antes da sessão da CPI da Pandemia nesta sexta-feira (9) – Pedro França/Agência Senado

do Brasil de Fato

por Paulo Motoryn, de Brasília (DF)

O senador Rogério Carvalho (PT-SE), um dos suplentes da CPI da Covid, anunciou nesta sexta-feira (9), em uma entrevista ao vivo aos canais do Brasil de Fato no YouTube e no Facebook, que ingressou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o ministro Braga Netto (Defesa) pela nota publicada pelas Forças Armadas com intimidações ao senador Omar Aziz (PSD-AM).

“Encaminhei pedindo explicações ao presidente e devo ingressar com ação de crime de responsabilidade no STF”, afirmou o senador petista.

“Não é aceitável um país que não seja democrático. Não sei o que passa pela cabeça deles. Considero que o Braga Netto cometeu crime de responsabilidade. Ele tem que responder por isso, por atacar a democracia e a instituições democrática”, declarou.

Brasil de Fato solicitou à equipe do senador a íntegra da ação a ser protocolada no Supremo e questionou o Ministério da Defesa sobre o tema. A pasta, no entanto, ainda não retornou aos contatos feitos pela reportagem.

Na noite de quarta-feira (8), Braga Netto assinou, em conjunto com os comandantes do Exército, da Marinha e da Aeronáutica, uma nota com duras críticas ao presidente da CPI. O texto diz que Aziz “atinge as Forças Armadas de forma vil e leviana” e faz referência à fala do congressista sobre um suposto “lado podre” das Forças Armadas.

Durante a conversa, na manhã desta sexta, Carvalho ainda debateu o futuro da comissão e o quanto o avanço das investigações impacta nas condições de governabilidade do presidente Jair Bolsonaro. O senador afirmou que não acredita no avanço de um possível impeachment do chefe do Executivo.

“[O impeachment] depende muito do quanto a sociedade vai estar mobilizada. E da capacidade que Bolsonaro terá de manter sua base na Camara dos Deputados para se defender da votação de um impeachment. Eu creio que ele vai se tornar um cadáver insepulto e permanecerá no governo. A base dele na Câmara deve sustentá-lo”, avaliou.

Carvalho, no entanto, valorizou o avanço das investigações da CPI e disse que o relatório final deve indiciar ou sugerir o indiciamento de Bolsonaro: “A CPI vai ter elementos suficientes para indicar ou pelo menos sugerir o indiciamento do presidente. Tanto por crimes contra a saúde publica, crimes contra a vida, extermínio, quanto, agora, por crimes de improbidade e corrupção”.

Assista à íntegra:

Quem é Rogério Carvalho

Carvalho é um dos senadores conhecidos por fazer discursos inflamados contra as ações e omissões do governo federal contra a pandemia do novo coronavírus na CPI. O sergipano é médico formado na Universidade Federal do Sergipe, com mestrado e doutorado na Unicamp.

O petista foi eleito pela primeira vez para um cargo eletivo nas eleições de 2006. Foi eleito deputado estadual em Sergipe com 26.208 votos. Em seguida, assumiu a Secretaria de Saúde do Estado a convite do então governador Marcelo Déda, ocupando o cargo até se eleger deputado federal, em 2010. Na ocasião, obteve 116.417 votos, o equivalente a 11,31% dos votos válidos, tornando-se o deputado mais votado da história de Sergipe até aquele momento.

Edição: Vivian Virissimo

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador