Fundos e mídia

Sumiu o post em que eu falava da questão dos fundos “offshore” e a mídia. Devo ter apertado o botão de excluir em lugar do de editar.

O que eu dizia é que existe uma ameaça latente no ar. O próximo jogo da mídia exigirá capital pesado, fora do alcance dos grupos nacionais. Por outro lado, os grupos passaram por períodos de crise financeira brava, mas ainda preservam seu poder de fogo político.

O risco que se tem é a aliança entre mídia e esses grupos financeiros, que têm interesses variados em outros setores da economia. A partir do momento em que se criou a tal “jurisprudência” jornalística, as denúncias passaram a ser seletivas e a cobertura não obedece mais a padrões jornalísticos, abre-se um campo potencialmente perigoso para a democracia.

Principalmente depois que alguns grupos passaram a receber capitais de fundos sediados em paraísos fiscais, dos quais não se sabe nem a origem nem os controladores.

Enquadrar esse tipo de atividade será uma das grandes batalhas da cidadania nos próximos anos.

Observação

Anônimo, de codinome Curvin, quer se manifestar? É só se identificar.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora