MP recomenda que Samarco pague um salário mínimo a desabrigados em MG

Da Agência Brasil

A mineradora Samarco, responsável pelas duas barragens de rejeitos de mineração que se romperam em Mariana (MG), tem até sexta-feira (13) para responder a recomendação do Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG) para que adote medidas imediatas de garantia dos direitos das vítimas. Entre as ações propostas, está o pagamento de um salário mínimo mensal a cada família atingida “para atender às necessidades imediatas dessas pessoas”, diz o documento, entregue ontem (8).

O promotor Guilherme de Sá Meneguin lembrou que o distrito de Bento Rodrigues foi totalmente destruído pela lama de rejeitos que invadiu o local na quinta-feira (5). Acrescentou que as cerca de 600 pessoas que viviam no local necessitam de meios para garantir a sobrevivência. O promotor explicou que o documento propõe cinco ações para a mineradora Samarco, controlada em parceria pelas empresas Vale e a anglo-australiana BHP Billiton, que estão entre as maiores do mundo no setor.

“É preciso identificar todos os atingidos e saber onde eles estão, identificar as necessidades de cada família em relação a saúde, alimentação e estabelecer um cronograma para tirar essas pessoas de hotéis e colocá-las em casas ou apartamentos e o fornecimento de remuneração para que as famílias atingidas possam pagar suas contas”, disse Meneguin.

O documento do MP também pede a apresentação de um plano de ressarcimento integral das vítimas, seja por meio de reassentamento ou de indenização. De acordo com o promotor, caso a Samarco não adote as medidas, o Ministério Público entrará com ação na Justiça para cobrar o cumprimento das exigências.

Procurada pela Agência Brasil, a mineradora Samarco não se manifestou sobre o documento até a publicação da matéria.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

7 comentários

  1. SAMARCO – MP arbitra pena pecuniária por desastre ecológico

    Pela pena pecuniária de um salário mínimo arbitrada pelo Ministério Público de MG a cada atingido pela catastrofe o judiciário prova que “continua mais barato matar e soterrar do que preservar a população”. 

  2. EL deve pagar  nao so  1

    EL deve pagar  nao so  1  salario minimo  mais   12  salarios  minimos  durante  1 ano   construir  novas  casas  para os  desabrigados  fortnecer   cexta  basica, e   indenizar  as  familias. 

  3. GOVERNO DE MINAS EMBARGA ATIVIDADES DA SAMARCO

    Agora, mas só agora, depois que a terrível e catastrófica tragédia aconteceu é que querem penalizar à empresa assassina? Depois que já aconteceu o pior, é que vem esta punição, só para calar aboca do povo. Como? Se já há muito tempo sabiam que estas represas estavam condenadas, mas foram coniventes com o criminoso desleixo. Talvez como sempre, as polpudas propinas, serviam para calar a boca, dos fiscais e seus órgãos (i)responsáveis, por fiscalizar e embargar estas aberrações, que expõem comunidades e até mesmo, cidades inteiras, a um risco de tamanha gravidade e perigo mortal. Agora, que inúmeras vidas foram ceifadas, com comunidades inteiras sendo completamente varridas do mapa, com uma agressão ambiental, sem precedentes por estas bandas, é que querem tapar o sol com a peneira. Mentiras e enganações, já estão sendo orquestradas, para ludibriar a opinião pública e proteger aos verdadeiros monstros assassinos, responsáveis diretos, por mais esta catástrofe. Na verdade estes semideuses, por serem poderosos, são intocáveis e protegidos, jamais serão sequer responsabilizados e muito menos punidos. O dinheiro compra consciências e lava as almas destes assassinos hipócritas.

  4. Essa é que é a verdade

    Ontem li uma notícia, ainda mais preocupante e até mesmo extremamente revoltante. Esta reportagem dizia que as “competentes”(???!!!) autoridades, tiveram o descaramento e a desumanidade, de ameaçar de prisão e ainda escorraçaram com uma família, que em total desespero, procuravam por uma criança desaparecida naquela catástrofe. Estas mesmas, ditas ‘’valentes autoridades’’, que embora sabendo do iminente perigo, jamais usaram dessa mesma ‘’moral e autoridade’’, para tentar sequer, impedir que essa imoral e devastadora calamidade anunciada, pudesse vir a se concretizar, como infelizmente aconteceu. Numa foto, mostrava uma garotinha linda, de uns 6 ou 7 anos, que desaparecera na enxurrada de lama e detritos tóxicos. Os seus familiares, não tinham nenhuma notícia. Nada que os consolasse, mas mesmo assim, foram pronta e energicamente ameaçados. Autoridade essa, que volto a repetir, pois a vontade é de gritar ao mundo, covarde e coniventemente, não tiveram, para impedir que esta terrível tragédia, viesse a se consumar e provocar esta hecatombe de destruição e mortes, pois a Empresa ASSASSINA é muito poderosa, intocável, está acima da lei e tudo pode. Até matar pessoas pobres e indefesas e arrasar completamente com o meio ambiente, sem sequer serem molestadas. Essa é que é a verdade. Mas a justiça DIVINA tarda, mas não falha.

  5. Mais uma tragédia, Meu DEUS! Meu DEUS, … mais uma tragédia!

    – Mais uma tragédia, Meu DEUS! Meu DEUS, … mais uma tragédia!
    – Sabiam que estas Represas estavam condenadas e nada fizeram. Como sempre, esconderam os laudos e falsearam os resultados dos testes, que apontavam para o perigo iminente do rompimento destas Barragens. É sempre assim, os poderosos são livres para agir como bem entendem, ninguém, sequer os contestam, são temidos e respeitados, como se deuses fossem. Quantas vidas se foram nesta tragédia, só DEUS sabe. Os poderosos, têm os meios de comunicação em suas mãos e estes só divulgam o que lhes convém. Jamais saberemos ao certo o número das vítimas desta catástrofe. O meio ambiente é o que menos importa, foi totalmente poluído e degradado. Carecerá de anos para se recuperar. Mas se ceifar vidas humanas, não importa, que dirá a pobre natureza. Tudo será prontamente, esclarecido, conforme for mais conveniente para poupar os verdadeiros (i)responsáveis, por mais este cataclismo. Algum diretor de segundo escalão, assumirá a culpa, para livrar os maiorais e tudo, logo, logo, cairá no esquecimento. Só quem perdeu seus entes queridos e perdeu tudo que tinham em bens materiais, é que jamais esquecerão, não tem como. E mais uma vez os ‘’DONOS DO MUNDO’’ estarão tranquilos e sossegados, sentados nos tronos dos seus suntuosos escritórios, ditando ordens e manobrando a todos, para aumentar cada dia mais, as suas milionárias rendas, como se nada tivesse acontecido. Tudo que houve, foi apenas um acidente de percurso, nada mais. Infelizmente só mais um número, para a nossa triste estatística de desleixos e irresponsabilidades. Que DEUS conforte as famílias das pobres vítimas. Esperar pela justiça, só se for a Divina, porque a humana só existe no papel e só serve para beneficiar aos poderosos, que são a lei, as fazem e estão acima delas.
    – Mais uma tragédia, Meu DEUS. Meu DEUS,… mais uma tragédia.
    – Em Santa Maria no Rio Grande do Sul,ainda clamam as mais de 240 pobres vítimas. Todos jovens, que ali deixaram todos os seus sonhos e projetos. Que estejam na Paz do Senhor DEUS. Até hoje, nenhuma autoridade foi punida, ou sequer responsabilizada e assim ficará para sempre, porque verdadeira e definitivamente, como disse o Presidente francês Charles De Gaulle “Este não é um Pais sério’’. E a nossa (in)justiça e a classe política depravada que temos, colaboram totalmente para isso, com o nosso aval.
    – Mais uma tragédia, Meu DEUS! Meu DEUS, … mais uma tragédia!
    Faltou ferragem para a construção do viaduto que caiu, afundando em seu próprio peso e para o outro que foi implodido posteriormente, em Belo Horizonte. Constatou-se que foram construídos com apenas 10% da ferragem exigida em projeto. As vítimas, até já foram esquecidas, pelo povo e pela mídia insensível e sensacionalista. Para eles já não importa o assunto, pois as mortes foram poucas e os seus chefes já decretaram o assunto como resolvido e acabado. Só que ninguém foi realmente punido. Como sempre, houve apenas um burburinho na mídia e uma farça na justiça, para enganar a opinião pública, que diga-se de passagem, já não está nem ai, para aquela tragédia. Pobres vítimas. Vítimas pobres, não fazem nenhuma diferença. Já até parece que a queda do Viaduto de Belo Horizonte, nunca aconteceu.
    – Mais uma tragédia, Meu DEUS! Meu DEUS, … mais uma tragédia!
    – Caiu também um viaduto em construção na Via Anhanguera em São Paulo, ao que parece, sem vitimas. Quase ninguém da mídia, sequer tocou no assunto. Sem vítima, sem assunto, sem culpas, sem culpados. Será por quê? Por Medo? Como? Se o povo já está insensível e esquece tudo rapidamente, basta uma pequena lavagem cerebral da mídia inescrupulosa e pronto esta tudo resolvido.
    – Mais uma tragédia, Meu DEUS! Meu DEUS, … mais uma tragédia!
    – Em 1971 desabou o prédio que seria o Pavilhão de Exposição da Gameleira em Belo
    Horizonte, no local onde é hoje o Parque de Exposição. Ali perderam a vida cerca de 45 operários, por pura incompetência técnica e irresponsabilidade administrativa e política. Ninguém foi, jamais, punido ou responsabilizado. Hoje, no local não há nada que lembre o fato, não se preocuparam nunca, em homenagear aqueles heróis, que ali tombaram. Assim é a consciência dos famigerados e inescrupulosos capitalistas e seus políticos corruptos, que simplesmente limpam os locais das tragédias, para ficarem com suas mentes livres de qualquer culpa e responsabilidade.
    – Mais uma tragédia, Meu DEUS! Meu DEUS, … mais uma tragédia!
    – Infelizmente, novamente uma nova tragédia volta a acontecer e novamente, rapidamente tudo será limpo e esquecido. Pelos poderosos, que jamais assumirão a culpa e pelo povo que logo voltará a aplaudi-los e ainda compensando-os com suas bajulações e com preciosos votos, que os farão permanecer de forma vitalícia no poder, roubando, destruindo e até matando. Culpado é quem morreu, que infelizmente sepultarão com seus corpos a culpa dos verdadeiros assassinos irresponsáveis, que lentamente vão matando o povo e o País.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome