A irmã busca a verdade sobre o assassinato de Dennys em Paraisópolis

Dennys, um menino, trabalhava a semana toda para ajudar a família e, com a permissão da irmã foi ao baile se divertir.

Jornal GGN – A irmã de Dennys Guilherme dos Santos Franco, jovem de 16 anos assassinado pela Polícia Militar quando em um baile em Paraisópolis, conta sua história desde a morte do irmão. Seu relato, emocionado, dá a saber uma infinidade de descasos e desmandos. Fernanda diz que ninguém entrou em contato com a família, foi a mulher com quem sua mãe trabalha que conseguiu localizar Dennys.

Dennys, um menino, trabalhava a semana toda para ajudar a família e, com a permissão da irmã foi ao baile se divertir. Um menino que queria vencer e se tornar o orgulho da mãe. E Fernanda mostra a carteira de trabalho, que acabara de dar baixa.

Fernanda conta que seu irmão não tinha nenhum machucado condizente com a notícia que soltaram que havia sido morto pisoteado. Seu machucado era na cabeça. Conta que viu vídeo onde a PM faz massagem cardíaca em dois meninos, um deles era seu irmão, e não entende se isso é normal, fazer massagem em quem já foi a óbito.

Relata, ainda, o descaso no IML – Instituto Médico Legal, que não permitiu que visse o irmão, fazendo com que esperasse 5 horas. O descaso das autoridades, da Polícia, da mídia.

Diz que nas redes sociais recebeu muita maldade, mas que precisa dessas redes para ir em busca da verdade, a verdade de que seu irmão foi assassinado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora