newsletter

A CNBB e as eleições

(PS - Foi manifestação individual de um bispo e não da CNBB, ao contrário do que afirma O Globo).

João,

Segue abaixo a carta da CNBB, de 21/07, pedindo aos católicos que não votem no PT, partido, que segundo a CNBB, apóia a legalização do aborto. Eu não disse isso, nem concordo que seu use isso para desqualificar a candidatura de Dilma, quem disse foi a carta da CNBB assinada pelo bispo Dom Luiz Gonzaga Bergonzini.

O GLOBO - Eleições 2010Publicada em 21/07/2010 às 20h31mCom passagens bíblicas Em carta, CNBB pede que fiéis não votem em Dilma

http://oglobo.globo.com/pais/eleicoes2010/mat/2010/07/21/em-carta-cnbb-pede-que-fieis-nao-votem-em-dilma-917208359.asp

"Na atual conjuntura política o Partido dos Trabalhadores (PT) através de seu IIIº e IVº Congressos Nacionais (2007 e 2010 respectivamente), ratificando o 3º Plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH3) através da punição dos deputados Luiz Bassuma e Henrique Afonso, por serem defensores da vida, se posicionou pública e abertamente a favor da legalização do aborto, contra os valores da família e contra a liberdade de consciência.

"Na condição de Bispo Diocesano, como responsável pela defesa da fé, da moral e dos princípios fundamentais da lei natural que - por serem naturais procedem do próprio Deus e por isso atingem a todos os homens -, denunciamos e condenamos como contrárias às leis de Deus todas as formas de atentado contra a vida, dom de Deus,como o suicídio, o homicídio assim como o aborto pelo qual, criminosa e covardemente, tira-se a vida de um ser humano, completamente incapaz de se defender. A liberação do aborto que vem sendo discutida e aprovada por alguns políticos não pode ser aceita por quem se diz cristão ou católico. Já afirmamos muitas vezes e agora repetimos: não temos partido mas não podemos deixar de condenar a legalização do aborto."

Aqui matéria do site Canção Nova - site de orientação religiosa e católica

Domingo, 22 de agosto de 2010, 11h39

CNBB fala sobre eleições e aborto

http://noticias.cancaonova.com/noticia.php?id=277489

Às vezes, sobretudo quando há segundo turno, a escolha se dá entre apenas dois candidatos. O que fazer se os dois são favoráveis ao aborto? Uma solução é anular o próprio voto. Quais as conseqüências disso? O voto nulo não beneficiaria justamente aquele que não se quer eleger? É uma escolha grave, que precisa ser bem estudada, e decidida com base numa visão mais ampla do programa proposto pelo candidato ou por seu Partido, considerando que a vida humana não se resume a seu estágio embrionário. "

Média: 1.6 (7 votos)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
+88 comentários

Caros , No Site citado , o documento tem conteudo totalmente diverso do citado na matéria , é incrivel como apenas 1% das pessoas se da ao trabalho de checar as referencias dadas , no site da cnbbsul1.org.br existe realmente este documento , gostaria que as pessoas lessem o documento que lá esta antes de criticar a CNBB , já mandei tambem uma carta de protesto a CNBB, sobre a atitude pifia da mesma em condenar este documento e exclarecer que este documento não e dela

 

Bom, seja a CNBB, seja um Bispo Diocesano, sejam representações cristãs que denunciem, esse não é o foco da problemática.

Sabemos que dois deputados receberam sansões por terem falado contra os projetos do próprio partido, projetos contra a vida (a saber), isso sim parece ser algo mais grave. Os deputados que estou me referindo são Luiz Bassura (PT-BA) e Henrique Afonso (PT-AC).

Não estamos dizendo em quem as pessoas devem votar, mas somos lideranças pautadas pela ética e compromisso com a verdade, se um partido defende em seus congressos que é a favor, por exemplo, da descriminalização do aborto, como cristão eu devo sim colocar um ponto de interrogação neste partido. Não somos pessoas aos sabores do vento, somos comprometidos com a vida e o bem estar das pessoas e nossos valores: vida, família e religiosidade são inalienáveis.

Não podemos negar as mudanças em nosso país e nem queremos o retrocesso inerte que o país sobreu com as privatizações e pedágios, mas não iremos aceitar os rumos de um partido que escolhe a contra-mão com projetos voltados a iniquidade. Que o Senhor da Vida não nos julgue por não fazermos nada em prol da vida.

 

Parabéns pelo ato de coragem da CNBB. Se a candidata MENTE para o povo, alguém precisa esclarecer. Mesmo que a questão fosse discutível (assassinato de bebês), não tem cabimento a tapeação daqueles que não querem ser responsáveis pelo crime.

O PT enganou milhões de católicos por duas décadas e depois os apunhalou. Leiam o apelo e entenderão. Caso achem pouco, me escrevam e terão informações que surpreenderão os alienados.

http://aborte.dilma.rousseff.net.br

 

 

Temos uma questão de ordem. É hora de de falarmos a verdade! De ensinarmos o significado do que é ser Igreja, assim, incrédulos e iníquos entenderão o significado de posicionamento de um cristão, seja ele protestante seja ele católico.

Seguimos e servimos ao Deus que tudo criou, e que nos deu sua lei e infringi-la nos torna seu opositor e inimigo, isto nos coloca na condição de rebeldes e aos rebeldes está posta a condenação de Deus.

Assim, nossa posição é simples, defendemos bons costumes e nos posicionamos segiundo a justiça de Deus, embora não sejamos perfeitos em nossa humanidade, temos por princípio seguir as instruções da sã doutrina, ainda que a julguem "laica", mas temos uma identidade definida, somos povo de Deus, e isto nos é por essência e fundamento. Desta forma, a qual ideologia está aliado tudo o que caracteriza a promiscuidade e aceitação do que é imoral, injusto e insano, do que é egoísta, egocêntrico e oportuno? Quem são os que querem usurpar direitos de igualdade e de acesso a vida? As opções de comportamento, ou de direito sobre a vida de terceiros são escolhas sérias e que amarram a si consequências e julgamentos. Banaliza-las é no mínimo inaceitável. Não é uma discussão sobre certo e errado, mas sobre princípios de Deus e armadilhas malígnas e de distorção e corrupção de caráter.

Louvado seja o Senhor da Glória!

 

Eu sou contra o aborto e voto na DILMA.

Eu não sou a favor de liberação de drogas e nao voto em SERRA.

Sem fazer nenhuma alusão ao Serra quanto as drogas, más alguns da cupula como o ex. Prsidente FHC defende a sua liberação.

Que carta a CNBB escreveria sobre o PSDB?

Leia mais sobre o assunto no endereço - http://blog.calinux.com.br/?p=924

 A NOVELA FRANCOIS MURIC E A POLÍTICA BRASILEIRA.

 

Carlos Lima

NiINGUÉM VIVE SEM PECADOS. ATÉ OS PADRES PECAM!!!...

 

NiINGUÉM VIVE SEM PECADOS. ATÉ OS PADRES PECAM!!!...

 

esse bispo é o índio da sua religião.

 

qualquer religião é uma má intermediária.

 

Parem...

A CNBB, os bispos, qualquer padre, qualquer fiel, enfim qualquer brasileiro, tem o direito de externar sua opinião e pedir voto, e fazer campanha a favor ou contra qualquer candidatura. Se faz parte do ensinamento católico, nada mais justo do que os católicos lutarem por eleger alguém que defenda seus conceitos, no caso da eleição presidencial isso não existe, as posições tanto de Dilma quanto de Serra são iguais.

Agora falando muito sério, as eleições existem para isso mesmo, para que cada grupo faça suas pressões e tente eleger seus candidatos, isso é a essência da democracia. Tem gente que deve parar de achar que os outros devem pensar igual.

Eu, provavelmente, votarei em Dilma, Osmar Dias, Requião, Gleisi, e deputados federal e estadual do PT ou da coligação, mas continuo defendendo que cada um possa externar sua opinião, até a grande imprensa deve ter liberdade para fazer isso, somente deveria atuar honestamente e não travestir opinião como se notícia fosse.

 

Parem...

A CNBB, os bispos, qualquer padre, qualquer fiel, enfim qualquer brasileiro, tem o direito de externar sua opinião e pedir voto, e fazer campanha a favor ou contra qualquer candidatura. Se faz parte do ensinamento católico, nada mais justo do que os católicos lutarem por eleger alguém que defenda seus conceitos, no caso da eleição presidencial isso não existe, as posições tanto de Dilma quanto de Serra são iguais.

Agora falando muito sério, as eleições existem para isso mesmo, para que cada grupo faça suas pressões e tente eleger seus candidatos, isso é a essência da democracia. Tem gente que deve parar de achar que os outros devem pensar igual.

Eu, provavelmente, votarei em Dilma, Osmar Dias, Requião, Gleisi, e deputados federal e estadual do PT ou da coligação, mas continuo defendendo que cada um possa externar sua opinião, até a grande imprensa deve ter liberdade para fazer isso, somente deveria atuar honestamente e não travestir opinião como se notícia fosse.

 

Nassif e Pessoal!

     Uma opinião: a DILMA perde muito mais votos com as opiniões exaltadas e pouco respeitosas para com a Igreja Católica, colocando uma instituição com pluralidade de posicionamento político, como sendo uma instituição de posicionamento político único e ditatorial, do que com o pedido do Bispo de Guarulhos para que não votem na DILMA.

     Uma experiência de um amigo meu da faculdade e Professor de Geografia. Vejam a pergunta de meninos de 11 anos e classe média alta ou alta em sala de aula: - Professor nós queremos saber sobre o MST e a Reforma Agrária.

O meu amigo então perguntou: - onde vocês ouviram falar sobre Reforma Agrária e MST?

- O Padre falou na Missa.

     Ser contrária ao aborto é uma posição da Igreja Católica, respeitemos sua posição. Não significa que não existam Padres, Bispos, Arcebispos, Cardeais progressistas e de esquerda, penso eu. A transformação de uma opinião sobre o aborto (e por consequência um Bispo pedir para não votar na DILMA), indo na direção oposta do desejado por parte das pessoas, e sem a percepção dessa questão como sendo uma questão de saúde pública é que é o X da questão.

    A DILMA tem clareza em afirmar que o Aborto é uma questão de saúde pública. Ela não realizaria  o aborto já disse em entrevista, mais de uma vez; porém, ela sabe que, se algumas mulheres estão decididas a realizá-lo, cabe ao Estado, e esta é a questão central do assunto, assegurar que as mulheres sem condições de pagar pelo aborto possam abortar com a segurança de que não terão comprometimento a sua saúde. As mulheres ricas quando estão decididas a abortar, bem sabemos, vão em clínicas particulares e com toda segurança realizam o aborto (mesmo que não seja uma prática legalizada).

     Por que a mulher pobre deveria ser tratada como uma cidadã de 2 classe?

     O aborto é um entendimento particular. A Igreja Católica proíbe seus fiéis de realizá-lo, todavia, não podemos associar que um Bispo que defenda ferrenhamente contra a prática do aborto, seja conservador. Muitas vezes ele é muito mais progressista e socialmente engajado do que muitos defensores do aborto.

     Não é porque a Rede Canção Nova tenha sempre em sua programação a defesa do aborto que ela seja uma rede de televisão sem valor. Só quem nunca a assistiu diz isto. A TV Canção Nova é a melhor TV, com concessão do Estado, em funcionamento. Eu não tenho religião, porém, muitas vezes assisto com minha mãe a programação da emissora, que respeita o telespectador, busca dar informações com qualidade, com assuntos variados e úteis para a população e sem apelação para nenhum tipo de baixaria ou manipulação do telespctador.

     Tenhamos, pessoal, a consciência de que a sociedade é plural. As esquerdas não são apenas feitas por ateus ou anti-católicos, é um emaranhado de tendências e posições sobre os mais variados temas. Podemos ter um grande líder da ESQUERDA, que seja ferrenho adversário político do SERRA e que seja contrário ao aborto e ao casamento entre homossexuais. E podemos ter um grande líder da DIREITA, que seja aliado de carteirinha do SERRA e inimigo da DILMA que seja favorável ao aborto e ao casamento entre homossexuais.

     Vamos tentar um caminho de maior compreensão com nossas diferenças, este é o caminho de um Brasil melhor e de relações interpessoais mais pacíficas e amigáveis.

 

Mas que mal pergunte: o que tem a ver a posição da Igreja contra o aborto com casos de pedofilia ?

Os petistas raivosos pelo fato da não-recomendação de sua candidata por uma autoridade religiosa (óbvia e absolutamente coerente, pois religião nenhuma defende o aborto), tão comovidos com os casos de pedofilia que a mídia nos brinda, por acaso perdem esta comoção quando se assassinam crianças no ventre ?

Abusar de criança, não pode - matar pode. Essa é a moral de vocês ? Pra defender o PT, vale tudo, até aborto ? Agora que o PT não precisa mais da Igreja, como precisou - e muito ! - lá no início, ela pode ser descartada assim, como um covil de pedófilos e nada mais ?

Esses são vocês, os petistas. A sinistra mistura de Macunaíma com Gérson.

 

 

Caros,

NAÒ foi uma manifestação isolada. É pior do que imaginamos.

Segue abaixo o texto completo.

Abraços.

 

Em nota, Regional Sul 1 pede divulgação do texto "Apelo a todos os Brasileiros e Brasileiras"

 

NOTA DA COMISSÃO EPISCOPAL REPRESENTATIVA DO CONSELHO EPISCOPAL REGIONAL SUL 1 – CNBB

A Presidência e a Comissão Representativa dos Bispos do Regional Sul 1 da CNBB, em sua Reunião ordinária, tendo já dado orientações e critérios claros para “VOTAR BEM”, acolhem e recomendam a ampla difusão do “APELO A TODOS OS BRASILEIROS E BRASILEIRAS” elaborado pela Comissão em Defesa da Vida do Regional Sul 1 que pode ser encontrado no seguinte endereço eletrônico “www.cnbbsul1.org.br”.

São Paulo, 26 de Agosto de 2010.

Dom Nelson Westrupp, scj
Presidente do CONSER-SUL 1

Dom Benedito Beni dos Santos
Vice-presidente do CONSER-SUL 1

Dom Airton José dos Santos
Secretário Geral do CONSER SUL 1

APELO A TODOS OS BRASILEIROS E BRASILEIRAS

Nós, participantes do 2º Encontro das Comissões Diocesanas em Defesa da Vida (CDDVs), organizado pela Comissão em Defesa da Vida do Regional Sul 1 da CNBB e realizado em S. André no dia 03 de julho de 2010,

- considerando que, em abril de 2005, no IIº Relatório do Brasil sobre o Tratado de Direitos Civis e Políticos, apresentado ao Comitê de Direitos Humanos da ONU (nº 45) o atual governo comprometeu-se a legalizar o aborto,

- considerando que, em agosto de 2005, o atual governo entregou ao Comitê da ONU para a Eliminação de todas as Formas de Descriminalização contra a Mulher (CEDAW) documento no qual reconhece o aborto como Direito Humano da Mulher,

- considerando que, em setembro de 2005, através da Secretaria Especial de Polítíca das Mulheres, o atual governo apresentou ao Congresso um substitutivo do PL 1135/91, como resultado do trabalho da Comissão Tripartite, no qual é proposta a descriminalização do aborto até o nono mês de gravidez e por qualquer motivo, pois com a eliminação de todos os artigos do Código Penal, que o criminalizam, o aborto, em todos os casos, deixaria de ser crime,

- considerando que, em setembro de 2006, no plano de governo do 2º mandato do atual Presidente, ele reafirma, embora com linguagem velada, o compromisso de legalizar o aborto,

- considerando que, em setembro de 2007, no seu IIIº Congreso, o PT assumiu a descriminalização do aborto e o atendimento de todos os casos no serviço público como programa de partido, sendo o primeiro partido no Brasil a assumir este programa,
- considerando que, em setembro de 2009, o PT puniu os dois deputados Luiz Bassuma e Henrique Afonso por serem contrários à legalização do aborto,

- considerando como, com todas estas decisões a favor do aborto, o PT e o atual governo tornaram-se ativos colaboradores do Imperialismo Demográfico que está sendo imposto em nível mundial por Fundações Internacionais, as quais, sob o falacioso pretexto da defesa dos direitos reprodutivos e sexuais da mulher, e usando o falso rótulo de “aborto - problema de saúde pública”, estão implantando o controle demográfico mundial como moderna estratégia do capitalismo internacional,

- considerando que, em fevereiro de 2010, o IVº Congresso Nacional do PT manifestou apoio incondicional ao 3º Plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH3), decreto nª 7.037/09 de 21 de dezembro de 2009, assinado pelo atual Presidente e pela ministra da Casa Civil, no qual se reafirmou a descriminalização do aborto, dando assim continuidade e levando às últimas consequências esta política antinatalista de controle populacional, desumana, antisocial e contrária ao verdadeiro progresso do nosso País,

- considerando que este mesmo Congresso aclamou a própria ministra da Casa Civil como candidata oficial do Partido dos Trabalhadores para a Presidência da República,

- considerando enfim que, em junho de 2010, para impedir a investigação das origens do financiamento por parte de organizações internacionais para a legalização e a promoção do aborto no Brasil, o PT e as lideranças partidárias da base aliada boicotaram a criação da CPI do aborto que investigaria o assunto,

RECOMENDAMOS encarecidamente a todos os cidadãos e cidadãs brasileiros e brasileiras, em consonância com o art. 5º da Constituição Federal, que defende a inviolabilidade da vida humana e, conforme o Pacto de S. José da Costa Rica, desde a concepção, independentemente de sua convicções ideológicas ou religiosas, que, nas próximas eleições, deem seu voto somente a candidatos ou candidatas e partidos contrários à descriminalizacão do aborto.

Convidamos, outrossim, a todos para lerem o documento “Votar Bem” aprovado pela 73ª Assembléia dos Bispos do Regional Sul 1 da CNBB, reunidos em Aparecida no dia 29 de junho de 2010 e verificarem as provas do que acima foi exposto no texto “A Contextualização da Defesa da Vida no Brasil” (http://www.cnbbsul1.org.br/arquivos/defesavidabrasil.pdf), elaborado pelas Comissões em Defesa da Vida das Dioceses de Guarulhos e Taubaté, ligadas à Comissão em Defesa da Vida do Regional Sul 1 da CNBB, ambos disponíveis no site desse mesmo Regional.

COMISSÃO EM DEFESA DA VIDA DO REGIONAL SUL 1 DA CNBB

 

Publicado em 27/08/2010 - 09:56

 

Os cristãos Plínio e Marina sobre o aborto e os cristãos Serra e Marina sobre a Aids. Dilma? Não sei, não apareceu no debate, tava ouvindo o pato fu, pelo menos tem bom gosto pra música.

 

Lamento muito o baixo nível das críticas que estão sendo veiculadas. O fato de haver distorções caracterizadas pelo abuso sexual de crianças não inviabiliza a Igreja e nem torna uma coisa apreciável o aborto. Não sou católico praticante, mas acredito no respeito ao que todas as igrejas têm de melhor. Ou alguém aí pode se colocar contra D. Helder, D. Paulo Evaristo, D. Pedro Casáldaliga e muito outros?

 

Nassif, a Igreja Católica Apostólica Romana tem que explicar para a população a prática da PEDOFILIA e deixar de ser hipócrita. Não estamos sob o regime imperial, quando havia a igreja oficial. Fora com essa gente, defensora do atraso.

 

Sou católico e estou envergonhado com esta carta...Dá vontade de solicitar uma excomunhão...

 

Pobre a nação cujo Senhor é Deus e tem como porta voz a CNBB de agora.

 

Wanderley Machado

"Feliz a Nação cujo Deus é o Senhor". Existe uma tônica entre religiosos protestantes que afirmam ser a Igreja católica a Grande Babilônia moderna. Sou um cristão protestante, e fundamento minha posição nas Escrituras Sagradas. Sabe o que me assusta neste tempo de turbulências espirituais graves? o quanto se fala e o quanto não se faz em contra partida. Sabe o que me assusta neste tempo de corrupção de princípio e de valores? a secularização e a conceitualização da Igeja. Sabe o que me assusta neste tempo de mentiras? A desvinculação do papel da Igreja, que está muito mais ocupada com a alegria de proporcianar shows ao invés de cultos e de adoração verdadeiros. Tenho por responsabilidade entender que a Palavra de Deus está se cumprindo e que vamos pagar o preço por nossa falta de temor. Mas devo salientar que o Brasil não está muito pior por causa da ação da CNBB junto aos seus representantes dentro do Congresso Nacional, já que um grande percentual de pastores fazem vista grossa aos crimes contra as leis de Deus, são católicos que se posicionam, inclusive nos protegendo das barbaries pretendidas por grupos de inimigos da Igreja e de Deus.

 

Essa turminha do Escrivá ainsa está viva?

 

Pobre do povo cujo Senhor é Deus e a CNBB

 

Wanderley Machado

Nada mais natural. A CNBB sempre representou o atraso, nao? Pois entao, continua assim.

 

@DanielQuireza

Deprimente esta notícia...

 

È aí onde reside a maldade, se não fosse a CNBB enviar carta dizendo ser um pensamento isolado a coisa poderia pegar fogo. Com uma mída inteira a procura de uma sacanagem para derrubar a Dilma um assunto como este é tentador. É por aí onde  se pode levar ao segundo turno;

 

 

Salve Duarte,

quem assina o documento é a "COMISSÃO EM DEFESA DA VIDA DO REGIONAL SUL 1 DA CNBB", portanto, nada tão isolado assim.

No site da CNBB REGIONAL SUL 1 há um pedido quanto a nota:

"A Presidência e a Comissão Representativa dos Bispos do Regional Sul 1 da CNBB, em sua Reunião ordinária, tendo já dado orientações e critérios claros para “VOTAR BEM”, acolhem e recomendam a ampla difusão do “APELO A TODOS OS BRASILEIROS E BRASILEIRAS” elaborado pela Comissão em Defesa da Vida do Regional Sul 1 que pode ser encontrado no seguinte endereço eletrônico “www.cnbbsul1.org.br”"

O texto, antes da coleção de delírios, começa com o pronome NÓS.

“Nós, participantes do 2º Encontro das Comissões Diocesanas em Defesa da Vida (CDDVs), organizado pela Comissão em Defesa da Vida do Regional Sul 1 da CNBB e realizado em S. André no dia 03 de julho de 2010”

Bem, fiz questão de enviar a minha mensagem de repúdio. O endereço é CNBB - Regional Sul 1 - cnbbs1@cnbbsul1.org.br

Daquelas, quem fala o que quer (nesse caso, escreve), ouve o que não quer.

Abraços.

 

 

 

Não entendi o título do post: qual a ligação que tem a CNBB com a manifestação singular desse bispo de Guarulhos. É verdade que a matéria de O Globo trata a carta do tal bisbo como se da CNBB fosse, mas o título do post, apesar da sublinha, confunde até os leitores do blog.

Aliás, o Globo conseguiu até ultrapassar a Folha que - para espalhar essa opinião de pouquíssima importância - entrevistou o tal bispo, mas deixando claro que era a posição pessoal do dito cujo, inclusive contra a decisão da CNBB que pronunciou-se pela neutralidade na eleição presidencial. Já o Globo, sem dúvida de propósito, dá a tal a declaração desse bispo desconhecido o peso da CNBB. Mas, não precisava o post ajudar na confusão.

 

Paz e bem!

 

Esta não é a posição da CNBB
e sim de um bispo.
Tanto que a Dilma
foi recebida pela CNBB
quintafeira, 19 ago.,
mas não precisam acreditar em mim,
leiam no site da CNBB:
http://www.cnbb.org.br/site/imprensa/noticias/4455-cnbb-defende-manutencao-do-atual-codigo-florestal
Há um "capítulo" intitulado:
Visita da candidata Dilma.

Vejam também o vídeo com a entrevista coletiva:

http://www.youtube.com/watch?v=h0wX8XyEuMI

 

Um dia a sociedade de forma muito consciente terá que discutir o  aborto. Quanto ao tal Bispo , ele devia se preocupar com a moral da igreja dele que desde há muito esta corroida com a praga da PEDOFILIA,  essa mancha nojenta e criminosa no seio da igreja católica jamais será limpa, porque certamente ainda há muita sujeira pra vir a tona....

 

A CNBB jamais faria uma carta assim. E para ser em nome da CNBB deveria ser assinada pelo presidente ou pelo secretário geral da entidade. Isso aí tá com cara de engodo de O GLOBO. Recebo o news letter da CNBB todos os dias e não recebi nada nesse sentido.

 

É Mais uma mentira do grupo Globo que tem concessão pública para implantar mentiras e tentativas de golpes em Governos Progressistas.

 

Viva RatoZinger!

A Igreja não é um fator relevante nessa eleição. Nem mesmo os seus próprios fiéis lhe obedecem!! hehe. Vide pesquisas.

 

Valeu aí, abraços!

 

Tinha que ter nascido do Canção Nova, os novos ultramontanos.

 

E a pedofilia...

Para a igreja, Como fica a relação entre a pedofilia e as eleições...

 

Retiro o que eu disse acima, mas mantenho o comentário em relação ao sujeito que redigiu o disparate. A carta não é da CNBB.

 

Me parece que é uma carta do Bispo de Guarulhos e não da entidade CNBB! Seria interessante não misturar a entidade CNBB com a opinião de um Bispo! Esta carta é antiga e este Bispo pelo que lembro foi ameaçado de punição

 

Acho que a CNBB, em nome dos catolicos, ou qualquer outra entidade reprentante de outra religião tem todo o direito de se manifestar.Isso não deve impedir, no entanto, que o governo, que representa toda a sociedade, composta de religiosos ou não, paute o assunto.É obrigação do governo consultar a sociedade.Só a manifestação direta da sociedade, em referendo, poderá decidir a questão.

 

Em primeiro lugar, a questão do aborto depende mais do legislativo que do executivo.

Segundo, quais candidatos à presidência já afirmaram ser a favor do aborto e quais contra ?

Terceiro, a proibição, como é hoje, não deixa margem para o indivíduo decidir, pois a lei já decidiu por ele. Então para que a lei moral? A Igreja precisa da tutela da lei dos homens?

Quarto, o bispo deveria prestar atenção ao que ele mesmo escreveu na primeira linha da carta: "A César o que é de César, a Deus o que é de Deus". Está se metendo na política, e pode se dar mal na Igreja. Igreja esta que vai votar em massa na Dilma, sim, com inspiração do Senhor da Vida. Votar nulo, aliás, é coisa do capêta, vade retro.

Desculpe, seu Bispo, não é só a grande mídia que está em cheque. Vêm aí "fiéis progressistas" ;-)

 

 

Considero haver duas maneiras de olhar esse comentário:

Uma: A Igreja Católica tem o direito de manifestar-se, como a Fiesp o tem e como uma Corporação privada também. Entretanto, para essa igualdade, as Igrejas precisam receber tratamento similar ao dado às Corporações: publicar balanços e pagar impostos, por exemplo. Assim, o Estado Laico pode ouvir a Igreja como ouve outros setores.

Duas: A Igreja Católica mantem-se onde está, restrita aos templos e ao coração das pessoas. E não se manifesta. Se se manifestar sobre a vida, está obrigada a falar das milhares de mulheres que, por questões econômicas e culturais, abortam por falta de escolha e expõe, além da vida do feto, as suas próprias.

 

Por isso me afastei da igreja já faz muito tempo.

 

Pagu

Engraçado é queo Plinio se declarou favorável ao aborto no debate das redes catolicas.

A CNBB revela sua verdadeira face - faz parte da UDn, apoiou a perseguição à Vargas, à Juscelino, ao 

golpe de 64, apoiou a tortura, a perseguição e o exilio das pessoas. Matou e apoiou a morte.

Membros como Paulo Arns, Helder Camera e outros perseguidos pela ditadura eram minoria.

A CNBB é do diabo, é do neoliberalismo. A CNBB é a inquisição do seculo XXI.

 

CNBB apoiou a ditadura ?????

Arns e Helder Câmara eram minoria na CNBB ????

Para defender o PT aqui, decididamente, VALE TUDO, até besteiras monumentais como essas...francamente, só com muita lavagem cerebral para alguém estar tão distante assim da realidade.

Que Deus dê saúde a Bento XVI, senão vão querer que Lula seja o próximo papa...

 

Sem esquecer os Lorscheider.

 

Sou CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO, e vejo essa declaração do respeitado bispo, como pessoal.

Dilma  Ja disse por várias vezes ser pessoalmente contra o aborto. Pelo lado do governo se vê na obrigação de talvez plebicitar ou por discução no congresso, a tomada dessa polémica discução.

Mas será que alguns bispos já pararam para pensar que um governo que segrega, que não dá oportunidade, que escolhe a quem será dada a oportunidade, normalmente era para que morava no centro-sul do Brasil, um governo que ou humilhava seu próprio povo , ou o fazia ser humilhado por outros povos, será que os Bispos achar isso muito Cristão? Eu não acho isso nada Cristão, então porque eles não condenam o governo fhc/serra, por isso?

 

A CNBB toda se reuniu e aprovou o manifesto?

No Globo, só um bispo assina. E tudo o que encontrei além disso foi uma regional, a Sul 1, recomendando a divulgação da carta.

http://www.cnbbsul1.org.br/

No portal da CNBB não encontrei nada: http://www.cnbb.org.br/site/, ao menos na home.

Ou procurei mal ou não foi "A CNBB"quem fez a recomendação, e sim uma regional dela.

É o que basta para ser "A CNBB"? Para o Globo, pelo jeito...

 

 

EU TENHO MEDO!

Pe. Alfredo J. Gonçalves

Assessor das pastorais sociais da CNBB 

25-Ago-2010

Publicado no Correio da Cidanania Edição 543

Quem não se lembra do "Eu tenho medo!" de Regina Duarte quando, nas eleições de 2002, o então candidato Luiz Inácio Lula da Silva crescia nas pesquisas e ameaçava alcançar o posto máximo da presidência da República? A mesma situação de ameaça parece se repetir atualmente quando se procura mostrar que a candidatura de José Serra representa a burguesia e a volta do neoliberalismo. Em casos mais extremos, chega-se a falar de um possível retorno da barbárie. Filme reciclado que apela para o lado emocional dos eleitores, não para uma visão clara dos fatos.

Nos dois casos, tanto em 2002 quanto no atual processo eleitoral de 2010, o pânico apocalíptico joga fumaça nos olhos dos incautos, ofusca a realidade dos acontecimentos e impede uma análise mais objetiva da situação política. Nem Lula, quando eleito presidente, representou qualquer tipo de ameaça aos representantes do mercado financeiro internacional ou aos privilégios das classes dominantes nem o candidato Serra, se eleito, significará todo esse perigo anunciado.

Mais do que rupturas traumáticas, o que vemos no cenário político brasileiro é a continuidade mais ou menos tranqüila de um modelo político e econômico que se perpetua há décadas. Substancialmente, não se verificaram grandes transformações na passagem da gestão de Fernando Henrique Cardoso para Lula. Também deste para o próximo governo, seja ele quem for, não há sinais de mudanças que impliquem uma virada no rumo da política macroeconômica.

Nesta perspectiva, enquanto nas décadas de 1980-90 era teoricamente possível falar de uma disputa profunda de modelo político e econômico, de projeto nacional/popular versus projeto liberal/neoliberal, hoje essa alternativa não existe. O que se verifica é uma disputa entre duas dimensões do mesmo projeto neoliberal. Longe de significar o retorno do neoliberalismo, Serra apenas dará continuidade ao programa de Lula, que por sua vez o herdou de FHC.

O que podemos discutir nessa eventual troca de poder é a maior ou menor fatia do bolo oferecida aos setores mais carentes da população. Tanto é verdade que as comparações entre os últimos governos se restringem em geral a elementos periféricos (quem fez mais ou menos obras), não chegando ao debate sobre um novo horizonte no palco da economia política.

Não simpatizo com o PSDB nem com José Serra, creio inclusive que este pode, sim, significar um abalo nas políticas compensatórias do governo Lula: bolsa-família, microcrédito, sistemas de cotas, projeção do Brasil como país emergente, repasse de verbas para os movimentos sociais, entre outras. Mas o cerne neoliberal da política econômica, diante de qualquer resultado das eleições, tende a permanecer intocável. A opção é por mais ou menos migalhas aos moradores do andar de baixo, não por políticas públicas de profundidade. Em ambos os casos e independentemente de quem assuma o governo, o risco é de se consolidarem como definitivas políticas que, em verdade, nasceram com um caráter emergencial. Numa palavra, as políticas compensatórias não podem substituir políticas públicas de longo alcance.

Um exemplo pode ilustrar: se colocarmos num prato da balança os gastos com o programa bolsa-família ou bolsa-escola, com a ajuda aos movimentos sociais e à agricultura familiar, e no outro prato os lucros dos maiores bancos brasileiros, a diferença em favor dos últimos é exorbitante. Isto sem falar da opção pelo agronegócio e a empresa agroindustrial, da elevada carga tributária como transferência de renda para as classes dominantes, do latifúndio, das telecomunicações, da rede de transportes e assim por diante.

De fato, ao assumir a presidência da República, paradoxal e ironicamente, o presidente Lula dá as costas ao projeto popular e às organizações que o elegeram, e passa a administrar o modelo que combatia. Três razões o levaram a isso: primeiramente, as expectativas em torno de sua vitória estavam muito acima da capacidade de organização e mobilização das forças sociais; depois, a famigerada carta endereçada ao povo brasileiro, mas dirigida ao mercado financeiro, tranqüilizou os especuladores e investidores nacionais e internacionais quanto ao cumprimento dos compromissos por parte do novo governo; enfim, diante de tais circunstâncias e sendo um político extremamente sagaz, Lula opta por costurar uma aliança pela governabilidade, a qual, como sabemos, incluiu setores dos mais variados matizes políticos.

Não houve uma mudança de rumo substancialmente profunda e abrangente. Tampouco agora se prevê tal coisa. Aqui não está em julgamento a boa ou má vontade do presidente Lula ou dos candidatos Serra e Dilma. São circunstâncias históricas que mostram mudanças na periferia do modelo, mas deixam intacto o miolo do sistema capitalista e neoliberal. Ou seja, continuidade sem grandes rupturas!

Em síntese, estamos convidados a votar por mais ou menos migalhas para os habitantes da senzala, não pela possibilidade de um modelo alternativo. Por isso, não vejo razão para tanto pânico, nem para enxergar as próximas eleições num contexto míope de turbulências apocalípticas.

 

O que Dilma esperava de apoio de igrejas cristãs , se ela assumiu ser atéia , e o PT sempre assumiu posições contrárias as das igrejas , portanto ela teria que ser explicíta em sua campanha , pois o governo é laico mas o povo em sua maioria tem uma religião cristã.

 

 Somente um candidato neófito, sem escrúpulus, um verdadeiro assassino, que não tem Deus em sua vida, seria a favor do aborto. Dilma não é desse gênero,  ela é acima de tudo cristã e disse apoiar a legislação vigente sobre o aborto. Portanto, não queiram creditar a mesma a pecha de ser favorável ao assassinato de um ser totalmente indefeso. Gostaria que o PT e seus dirigentes enfatizassem em todos os seus pronunciamentos à nação brasileira este posisionamento anti-aborto.

 

 

 

   Nassif e Pessoal!

   eu já comentei sobre este assunto no Tijolaço e aqui no Blog. Vou repostar os comentários.

   Veja como O GLOBO num primeiro momento colocou o assunto:

   Em carta, CNBB pede que fiéis não votem em Dilma

http://oglobo.globo.com/pais/eleicoes2010/mat/2010/07/21/em-carta-cnbb-p...

    Um tempo depois utilizaram a manchete verdadeira.

    Veja a nova manchete:

   Bispo de Guarulhos orienta padres a pregar nas missas voto contra Dilma.

http://g1.globo.com/especiais/eleicoes-2010/noticia/2010/07/bispo-de-gua...

Olha o meu comentário no Tijolaço pro Almerindo que ao ler a primeira matéria de O GLOBO criticou a CNBB como um todo:

"Almerindo!

Foi um Bispo da CNBB e não a CNBB quem disse e o GLOBO colocou na boca de todos. Esta carta já foi retirada do site da CNBB! Tomemos cuidado com a grande mídia! Ela está ai para desinformar e jamais informar! A verdade não é bem assim… Repito: não foi a CNBB quem disse mas um Bispo da CNBB. Nós temos inúmeros Bispos no Brasil!

Leia o comunicado todo e no parágrafo final deste comunicado da CNBB o que diz DOM Geraldo Lyrio Rocha, Presidente da Conferência, sobre o Bispo de Guarulhos que colocou o comunicado no site da CNBB:

CNBB defende manutenção do atual Código Florestal
20/08/2010

Durante coletiva de imprensa na tarde desta quinta-feira, 19, o presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Geraldo Lyrio Rocha, e o secretário geral, dom Dimas Lara Barbosa, apresentaram duas notas divulgadas pelo Conselho Episcopal de Pastoral da CNBB, cuja reunião ordinária terminou hoje. Uma das notas defende a manutenção do atual Código Florestal.

“O atual Código Florestal Brasileiro responde melhor do que as emendas que estão sendo propostas pelo Congresso Nacional”, disse dom Geraldo. O presidente da CNBB destacou que o novo Código deve ter uma discussão mais ampla, para que possa responder às necessidades do país.

Outro assunto comentado pelos bispos foi o Plebiscito Popular pelo Limite da Propriedade da Terra. Dom Geraldo esclareceu que a iniciativa é do Fórum Nacional pela Reforma Agrária e Justiça no Campo (FNRA) e não da CNBB. Segundo o presidente, o plebiscito conta com o apoio das pastorais sociais.

Visita da candidata Dilma

Dom Geraldo comentou, também, a visita que a candidata Dilma Rousseff fez à CNBB na manhã de hoje. Questionado se a candidata veio pedir o apoio da Conferência, dom Geraldo disse que não e que a visita teve um caráter cordial.

“Foi apenas um diálogo sincero e franco e é de praxe a Conferência receber candidatos nesse período”, disse dom Geraldo. “A CNBB não apoia nenhum partido e nenhum candidato. O trabalho da CNBB junto à sociedade neste período eleitoral é de orientar, educar e conscientizar sobre a importância da democracia e do eleitor conhecer e votar nos candidatos que lhe convém”.

O presidente da CNBB pediu à candidata que priorize no seu governo, caso seja eleita, a universalização do acesso à água potável, especialmente para os brasileiros que vivem no semiárido nordestino.

“O acesso a água de qualidade é um grande problema do nosso país, de modo especial, às pessoas que vivem no semiárido. Conheço essa sofrida realidade e me sensibilizo. Disse à candidata que gostaria muito de ver essas questões levadas em consideração”.

Dom Geraldo conversou com a candidata também sobre a violência contra os povos indígenas e a tortura de encarcerados.

Perguntado sobre a posição do bispo de Guarulhos, dom Luiz Gonzaga Bergonzini, que em artigo aconselhou as pessoas de sua diocese a não votarem na candidata Dilma, dom Geraldo esclareceu que esta posição é do bispo de Guarulhos.

“A CNBB respeita a posição do bispo de Guarulhos que é digno de toda consideração. Ele fez o que na sua consciência de pastor julgou que deveria fazer e está dentro de sua plena competência. Cada bispo, em sua diocese, tem absoluta liberdade para dar as orientações que ele julga que deve dar aos seus diocesanos. Como ele mesmo disse, a posição que ele expressava era sua, como orientação na sua diocese, e que não estava falando em nome da CNBB”, explicou dom Geraldo.

Fonte: CNBB.org.br

http://www.cnbb.org.br/site/imprensa/noticias/4455-cnbb-defende-manutenc...

Fica claro, ele não estava falando em nome da CNBB, é a sua posição e o Jornalismo “de quinta categoria” do Globo colocou como sendo posição da CNBB. Uma opinião particular tornada universal. Deveria haver punição severa ao GLOBO e ao repórter que aceitou mentir!"

(Tijolaço, 21 de agosto de 2010).

Depois comentei assim:

"Nassif e Pessoal!

      Excelente o texto do Jorge Furtado.

     A palavra fonte para qualquer notícia, realmente é o ponto inicial de tudo. Ontem postaram comentário no Tijolaço de que a CNBB mandava os católicos não votarem na Dilma; a fonte era o Jornal o Globo. Eu com o cuidado de ir na fonte, calejado pelos alertas de sempre,  entrei no site da CNBB e entendi o ocorrido, em uma nota está a verdade dos fatos.

     Um Bispo de Guarulhos, na grande São Paulo, portanto membro da CNBB pedia que seus fiéis não votassem na Dilma porque ela "supostamente" seria à favor do aborto. O Jornalista de O Globo estampa a manchete: "CNBB pede para os católicos não votarem na Dilma."

     De um artigo feito por um dos Bispos da CNBB e postado no site dela,  Bispo que tem todo o direito de se expressar e não necessariamente tendo a mesma posição da CNBB e da maioria dos Bispos, o Globo generalizou, como sendo um pedido de todos os Bispos do Brasil.

     O Pedido do Bispo de Guarulhos não está mais no site da CNBB e os seus Presidentes e Secretário-Geral emitiram nota de esclarecimento, de que a opinião é particular e democraticamente respeitada, jamais uma opinião de todos os Bispos da Igreja Católica no Brasil.

     Este tipo de jornalismo, realmente, não cabe mais. Mereceria o Repórter e o Veículo de Comunicação uma punição severa. Se a notícia fosse pautada na verdade dos fatos, certamente, não seria preciso coletiva de imprensa, nota explicativa dos fatos. E quantas vezes não assistimos este cenário, onde alguém precisa esclarecer fatos que só precisam ser esclarecidos por causa do mau Jornalismo, não é verdade? (...)

(Blog do Nassif, 22/08/2010)

    No Google tem diversos links avisando que a Carta do Bispo de Guarulhos para não votar em DILMA já foi retirada do site da CNBB.

 

    Pessoal! Precisamos ser mais espertos com a grande mídia. E não misturar uma certa contrariedade  com posições políticas de religiosos católicos com a informação verdadeira. Criticar a Igreja Católica é direito de todos, porém, atenção para com a notícia e o que ela deseja. Neste caso era aproveitar uma opinião pessoal de um Bispo para prejudicar a candidatura da DILMA!

    Tem uma palavrinha mágica: FONTE! Vamos a ela todas as vezes que vemos notícias. Este caso era simples: entrar no site da CNBB.

 

Gente, tô passada...

 

 

 CNBB desautoriza bispo de ultradireita

 

 

Publicado em 20.08.2010 - Por Antonio Augusto (Rio de Janeiro) Não é verdade, ao contrário do que o jornalismo de esgoto de "O Globo" divulgou em título, que a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) pede que não se vote em Dilma. A manifestação nesse sentido, individual, é do bispo de Guarulhos, Dom Luiz Gonzaga Bergonzini, conhecido pelo seu extremismo de direita.  A CNBB de imediato desautorizou o uso indevido do seu nome.  É conhecida e notória a posição da entidade de não recomendar apoios ou vetos a candidatos ou partidos, pois, como é óbvio, e não poderia deixar de ser, a entidade se caracteriza pelo apartidarismo. O bispo de Guarulhos havia divulgado seu artigo no "site" da CNBB, mas tão logo a entidade dele se apercebeu, o deletou, por ser contrário às recomendações da entidade em relação às eleições.A "notícia" de "O Globo" mostra o desequilíbrio e o desvario da direita diante do avanço nas pesquisas da candidatura Dilma, rumo à vitória no primeiro turno.