Revista GGN

Assine

Folha e a hipocrisia de Serra sobre aborto

Publico não para incriminar Mônica Serra pelo aborto, mas para expor a hipocrisia da campanha e da própria Mônica, que acusou Dilma Rousseff de propor o "assassinato de criancinhas".

Folha de S.Paulo -

Monica Serra contou ter feito aborto, diz ex-aluna - 16/10/2010

Monica Serra contou ter feito aborto, diz ex-aluna

Reportagem tentou ouvir mulher de candidato tucano por dois dias, sem sucesso

MÔNICA BERGAMO
COLUNISTA DA FOLHA

O discurso do candidato à Presidência José Serra (PSDB) de que é contra o aborto por "valores cristãos", que impedem a interrupção da gravidez em quaisquer circunstâncias, é questionado por ex-alunas de sua mulher, Monica Serra.

Num evento no Rio, há um mês, a psicóloga teria dito a um evangélico, segundo a Agência Estado, que a candidata Dilma Rousseff (PT), que já defendeu a descriminalização do aborto, é a favor de "matar criancinhas".

Segundo relato feito à Folha por ex-alunas de Monica no curso de dança da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), a então professora lhes contou em uma aula, em 1992, que fez um aborto quando estava no exílio com o marido.

Depois do golpe militar no Brasil, Serra se mudou para o Chile, onde conheceu a mulher. Em 1973, com o golpe que levou Augusto Pinochet ao poder, o casal se mudou para os Estados Unidos.

OUTRO LADO

A Folha tentou falar com Monica Serra durante dois dias para comentar o relato das ex-alunas, sem sucesso.

Um dia depois do debate da TV Bandeirantes, no domingo, 10, a bailarina Sheila Canevacci Ribeiro, 37, postou uma mensagem em seu Facebook para "deixar a minha indignação pelo posicionamento escorregadio de José Serra" em relação ao tema.

Ela escreveu que Serra não respeitava "tantas mulheres, começando pela sua própria mulher. Sim, Monica Serra já fez um aborto". A mensagem foi replicada em outras páginas do site e em blogs.

"Com todo respeito que devo a essa minha professora, gostaria de revelar publicamente que muitas de nossas aulas foram regadas a discussões sobre o seu aborto traumático", escreveu Sheila no Facebook. "Devemos prender Monica Serra caso seu marido fosse [sic] eleito presidente?"

À Folha a bailarina diz que "confirma cem por cento" tudo o que escreveu. Sheila afirma que não é filiada a partido político. Diz ter votado em Plínio de Arruda Sampaio (PSOL) no primeiro turno. No segundo, estará no Líbano, onde participará de performance de arte.

Se estivesse no Brasil, optaria por Dilma Rousseff (PT). Sheila é filha da socióloga Majô Ribeiro, que foi aluna de mestrado na USP de Eva Blay, suplente de Fernando Henrique Cardoso no Senado em 1993. Majô foi pesquisadora do Núcleo de Estudos da Mulher e Relações Sociais de Gênero da USP, fundado pela primeira-dama Ruth Cardoso (1930-2008).

Militante feminista, Majô foi candidata derrotada a vereadora e a vice-prefeita em Osasco pelo PSDB.

A socióloga disse à Folha estar "preocupada" com a filha, mas afirma que a criou para "ser uma mulher livre" e que ela "agiu como cidadã".

Sheila é casada com o antropólogo italiano Massimo Canevacci, que foi professor de antropologia cultural na Universidade La Sapienza, em Roma, e hoje dirige pesquisas no Brasil.

A Folha localizou uma colega de classe de Sheila pelo Facebook. Professora de dança em Brasília, ela concordou em falar sob a condição de anonimato.

Contou que, nas aulas, as alunas se sentavam em círculos, criando uma situação de intimidade. Enquanto fazia gestos de dança, Monica explicava como marcas e traumas da vida alteram movimentos do corpo e se refletem na vida cotidiana.

Segundo a ex-estudante, as pessoas compartilhavam suas histórias, algo comum em uma aula de psicologia.

Nesse contexto, afirmou, Monica compartilhou sua história com o grupo de alunas. Disse ter feito o aborto por causa da ditadura.

Ainda de acordo com a ex-aluna, Monica disse que o futuro dela e do marido, José Serra, era muito incerto.

Quando engravidou, teria relatado Monica à então aluna, o casal se viu numa situação muito vulnerável.

"Ela não confessou. Ela contou", diz Sheila Canevacci. "Não sou uma pessoa denunciando coisas. Mas [ela é] uma pessoa pública, que fala em público que é contra o aborto, é errado. Ela tem uma responsabilidade ética."

Colaboraram LIGIA MESQUITA e MARCUS PRETO , de São Paulo

Do G1 -

Serra afirma que principal em debate sobre aborto é 'dizer a verdade' - notícias em Eleições 2010


Serra afirma que principal em debate sobre aborto é 'dizer a verdade'
'O que está em questão [...] não é apenas ser contra ou a favor', declarou.
Tucano se diz contra aborto por questão 'religiosa e pessoal, de fé íntima'

Maria Angélica Oliveira Do G1, em São Paulo
imprimir
SerraO candidato do PSDB durante coletiva de imprensa
em São Paulo. (Foto: José Patrício/AE)

O candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, disse nesta quinta-feira (7) que a discussão sobre o aborto na campanha eleitoral não se trata apenas de “ser contra ou a favor”, mas de “dizer a verdade”.
saiba mais

* Dilma se diz contra aborto, mas afirma que, se eleita, terá de 'encarar' tema
* Temer critica discussão sobre aborto e destaca que Estado é laico
* Arcebispo de SP critica polarização de debate eleitoral em torno do aborto

O tucano deu as declarações durante entrevista coletiva em São Paulo. Na entrevista, ele não citou o nome da petista Dilma Rousseff, com quem disputa o segundo turno das eleições.

“O que está em questão agora nessa campanha não é apenas ser contra ou a favor. É a mentira. Quem é a favor , de repente diz que é contra por motivos eleitorais. Isso está errado. Acho que cada um tem suas crenças e a gente deve respeitar a crença das pessoas. Agora, a questão é dizer a verdade. Eu sempre disse isso há muitos anos, todos conhecem minha posição a esse respeito”, afirmou.

O tucano disse ser contra o aborto por uma questão “religiosa e pessoal, de fé íntima”. "Por motivos de natureza pessoal, minhas crenças, meus valores, eu sou contra o aborto."

Ressaltou que sempre teve essa opinião e que não tem “duas posições, uma pessoal e outra eleitoral”. “Não fico mudando de opinião segundo acho que é o vento do eleitorado”, disse.

Serra também pregou a discussão de “valores” na campanha eleitoral. Ele citou como valores que considera “essenciais” a verdade, honestidade, liberdade, solidariedade e justiça e disse que irá “insistir” nesses temas no segundo turno.

Clique aqui para acompanhar no Twitter



Clique aqui para acompanhar no Twitter

Média: 5 (26 votos)

Comentar

O conteúdo deste campo é privado e não será exibido ao público.
CAPTCHA
Esta questão é para testar se você é um visitante humano e impedir submissões automatizadas por spam.
+415 comentários

Sou o IV Avatar ou D,,,.

Estou postando isso aqui numa data bem distante para ninguém ler mesmo, a não ser o LN

É que às vezes a gente posta um assunto ou no Fora de Pauta ou no blog no Brasilianas ou no Clipping ou como comentários nas postagens

Mas de repente a gente percebe que, aquela matéria que a gente posto, é subida pelo LN, mas por outro comentarista

Isto ocorreu dias comigo, dias atrás, numa postagem sobre homofobia, até o link era o mesmo que eu havia usado, parece que o comentarista, um comentarista  pegou minha postagem e a publicou noutro parte do blog,,sei lá, talvez não,,,

Não fiquei com ciume não, o importante é que o assunto vire postagem e seja debatido por todos, eu mesmo comentei muito na postagem

Ontem postei o artigo do Marcos Coimbra sobre a reforma eleitoral, hoje a postagem subiu mas por conta de outra comentarista, claro, pode ser que o comentarista o tenha feito primeiro, isso não olhei, nem vou atrás disso, não estou reclamando por mim mas para evitar que outras pessoas possam se incomodar com estas ocorrências, só isso.

Ao comentar isso só estou chamando a atenção do Nassif, eu não me importo que isso acontença, mas outras pessoas, menos maduras, podem se sensibilizar com isso, às vezes nem comentarão com o Nassif, pois tomei esta liberdade para falar disso, e não estou reclamando de ninguém, não por mim mas por outros comentaristas, isto é uma comunidade, quanto aos critérios usados para subir uma postagem: se a mesma postagem foi postada por mais de uma pessoa,,qual o critério para subir? o autor? quem postou primeiro?

O critério deveria ser quem postou primeiro, embora alguns comentaristas, antes de postar, costumam fazer uma introdução ao assunto, neste caso, deve ficar mesmo a critério do Nassif,

claro que se uma mesma postagem foi postada por dois comentaristas diferentes, se uma das duas tem uma introdução bacana ao assunto, claro que esta deve ser escolhida, sem a menor sombra de dúvida...no entanto, se não há introdução nenhuma, quem postou primeiro, leva

Um assunto para o tutorial do portal...

Boas festas de Baco ou Dionísio

http://www.josecarloslima.blogspot.com

 

Sou diácono da Igreja Católica e trabalho no interior do Estado de Goiás. Sou também funcionário público na educação. Espero que o próximo governo (executivo e legislativo) encare com seriedade, abertura e coragem, uma ampla reforma política no Brasil. Como temos também memória sempre curta, torço para que o tema da Laicidade do estado brasileiro tão bem definido na constituição seja reforcado. Temos que ser um país desenvolvido e rico. Mas ao nosso modo, com nosso rosto... Não podemos, como os países do hemisfério norte, pautar nosso desenvolvimento na exploração dos países pobres, da mão-de-obra dos imigrantes, e nem no consumo desenfreado que destroi a vida e o eco-sistema. Nada de partidos políticos religiosos como nos países do oriente próximo que vivem em permanente conflito, intolerâncias amargas e obcurantismos... Nada de falsos moralismos, puritanismo hipócrita e antievangélico como o exemplo de nossos irmãos do norte de nosso continente. Quero, como muitos de vocês, que a diversidade etnica, religiosa e cultural prevaleça. Que matas, rios, praias e subsolo sejam preservados. Que o nosso desenvolvimento se faça na igualdade,na solidariedade, na inclusão e no respeito profundo às pessoas e suas opções. Que haja liberdade de imprensa. Que a injustiças cometidas contra os negros e os índios sejam prontamente corrigidas. Que tenhamos um estado social forte e sejamos organizados em todos os setores da vida.... Torço para que os últimos dias da campanha eleitoral sejam de qualidade e tenham horizontes de projetos mais amplos. Por tudo isso voto na DILMA

 

 

A pergunta é:

POR QUE O CASO-ABORTO VOLTOU?

Como é um tema que deu muito desgaste à campanha de Dilma, com o envolvimento de padres e pastores de outras igrejas, bom pro Serra não deixar morrer o assunto, ainda mais agora que a turma tá enlouquecida com as pesquisas.

Serra diz que o problema de Dilma é uma hora dizer uma coisa, outra hora dizer outra. Dilma é mentirosa. Mas, tem caso mais gritante de mentira do que o referente a Paulo Preto? Até as revistas parciais, do jornalismo sujo, questionaram de Serra uma resposta. E não há quem consiga retirar da mídia a omissão do candidato naquele debate, nem a cara de pau dele em elogiar Paulo Preto apenas por força de uma ameaça.

Dilma mata a história do aborto com a volta ao debate desse Paulo Preto.

Outra coisa que a propaganda de Serra está, agora, explorando é a agressividade da campanha, principalmente sobre o ocorrido em Campo Grande/RJ.

Dilma tem a seu favor as agressões feitas nas tribunas do Congresso, ora no Senado, ora na Câmara, quando senador e deputado, Arthur virgílio e ACM Neto, que disseram, sem o menor respeito ao Presidente da República, que daria uma surra nele. Quer agressão maior?

Quer agressão maior que o que se tem feito contra Dilma? Basta dizer o que Indio da Costa falou, que elea é ligada as FARC, que tem compromisso com o tráfico de drogas.

Dilma tem que ter muita garra para saber se defender desses ataques.

 

Concordo com a opinião da maioria. Serra e sua esposa deram uma aula de hipocrisia. Aliás, não apenas estes dois, mas toda a turma tucana jereissati e Cia  que foram resar lá no Nordeste.Achei um absurdo pressionar padre para distribuir panfletos falando mentira. Sugiro a esses hipócritas que distribuam panfletos falando dessas notícias deles (casal tucano). Caso eles queiram, estou disponível para ir a Aparecida e distribuir panfleto o dia todo (rs) e como petista não cobro nada. Sempre trabalho de graça pro meu partido.Abaixo a hipocrisia e a parcialidade dos meios de comunicação brasileiros. Nõs mineiros estamos ficando espertos. Não queremos Serra e a turma que mamou na ditadura no poder nunca mais.

 

Está explicado, a acusadora irá para o Líbano, vai sair de cena e com certeza estava precisando

que alguem lhe financiasse a viagem.   Ou alguem acha que ela iria se expor à ponto de se ver convocada pela justiça e ter de comprovar o que ouviu, se não tivesse a certeza da impunidade?

 Sou contra o aborto como a maioria dos brasileiros e se esta senhora Monica o fez e o sr. José está ocultando, um dia terão de prestar contas à Deus e à suas conciencias.

Mas vejam abaixo como se fabricou uma calúnia em 1989.

Na política, quando não há mais argumentos, o melhor é apelar.

O tema do aborto aparece quando o nível da política começa a ficar bem mais abaixo do que recomenda o tom civilizado.

Nós conhecemos essa história.

A questão do aborto também foi usada  a eleição de 1989. Nos faz lembrar o jogo sujo da velha mídia (Globo, Veja, Estadão, Folha) na campanha de Fernando Collor de Mello contra Lula.

A velha mídia estava deslumbrada com Collor, o caçador de marajás. O herói da democracia da grande mídia e da classe média. Deu no que deu.

Collor, com o apoio da velha mídia, mas principalmente Veja e Globo, jogou sujo e foi no limite, acusando Lula de sugerir o aborto da filha Lurian. A acusação partiu de um depoimento falso da ex-mulher de Lula. A história se repete com Serra, agora em várias frentes.

Foi profundamente triste ver Lula abatido, ao lado de sua filha, no horário eleitoral, tentando desmentir a baixaria da campanha. A cena de Lula ao lado da filha,  os dois assustados,  foi uma das cenas mais marcantes de todas as eleições presidenciais que acompanhei na vida.

Agora, a velha mídia volta a carga em busca de seus interesses econômicos e na manutenção do país com maior desigualdade social do mundo.  José Serra aceita o jogo sujo, assim como Collor.

Depois da eleição, a velha mídia volta a ser civilizada, se o seu candidato ganhar.

Tudo se acalma. E os ricos ficam mais ricos. E o aborto só voltará como tema de campanha quando a extrema-direita se sentir ameaçada pela democracia.

 

Quanta baixaria.

Serra se casou em 1967 e em 1969 teve a filha, e em 1973 teve um menino, poucos meses antes do Pinochet dar o golpe militar. Até lá não houve medo nenhum do futuro, ou do regime militar. Ele estava exilado no Chile e o presidente era o Allende.

Quando se deu o golpe ele tentou fugir do país junto com sua família, com um bebê de colo. Ficou refugiado na embaixada da Itália por 8 meses até seguir pros EUA com um salvo-conduto.

Então ladys and gentleman, onde se encaixa o aborto pelo medo do futuro/ditadura? Nunca antes de se exilar nos EUA.

E nos EUA?

Nos EUA, quando Serra estava com a sua vida de vento em pôpa, fazendo mestrado e doutorado em economia? Nos EUA a esposa e o Serra estavam passando por momentos difíceis?

Baixaria TOTAL.

 

 

Do Correio do Brasil em 14/10/2010

 

Ex-alunas de Monica Serra confirmam relato sobre aborto

14/10/2010 15:06,  Por Redação, do Rio de Janeiro e São Paulo

Monica Serra optou por não se pronunciar sobre relato de ex-alunas

Monica Serra optou por não se pronunciar sobre relato de ex-alunas

Alunas da então professora de Psicologia do Desenvolvimento aplicada à Dança, no Instituto de Artes da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Monica Serra, confirmaram nesta quinta-feira estar presentes à aula em que a mulher do presidenciável tucano, José Serra, relatou ter sido levada a interromper a gravidez, no quarto mês da concepção. A coreógrafa Sheila Canevacci Ribeiro revelou o fato após o debate realizado domingo, na Rede Bandeirantes de TV, em sua página na rede social Facebook.

Colega de Sheila Ribeiro, a professora de Dança de um instituto federal de Brasília, que preferiu não ter o seu nome citado “por medo do que essa gente pode fazer”, afirmou, lembra que no primeiro semestre de 1992, no segundo período que cursava na Unicamp, o depoimento de Monica Serra a impressionou. Ela estava sentada no chão em uma sala de dança, onde não há móveis e apenas um grande espelho e a barra de exercícios, ao lado das colegas Kátia Figueiredo, que mora atualmente na Suécia, Ana Carla Bianchi, Ana Carolina Melchert e Érika Sitrângulo Brandeburgo, entre outras estudantes, residentes aqui no país.

– Eu confirmo aqui o depoimento da Sheila Ribeiro. Foi aquilo mesmo. A professora Monica Serra nos relatou que havia feito um aborto em um período difícil da vida do casal, durante a ditadura militar. Foi um fato tocante, que marcou a todas nós. Lembro-me que o assunto surgiu quando ela falava sobre a dissociação do corpo e a imagem corporal, que até hoje dirige meu comportamento – disse.

Pressão

Sheila Ribeiro, após o protesto consignado em sua página, disse nesta quinta-feira que, apesar da pressão dos meios de comunicação e de eleitores de todo o país que passaram a visitá-la no Facebook, não se arrepende de ter relatado a sua indignação ao perceber a mudança de atitude da professora que, em 1992, revelava às alunas um episódio marcante na vida de qualquer mulher, como o aborto realizado diante o exílio iminente, ao lado do marido, e a possível primeira-dama que, em uma campanha política, acusa a adversária do casal de “matar criancinhas”.

– Pior do que isso foi o silêncio do Serra, que deveria ter saído em defesa da mulher, fosse qual fosse a situação em que se encontrava ali, diante das câmeras – emendou a ex-aluna de Monica Serra.

Coreógrafa e doutoranda em Comunicação e Semiótica, na PUC de São Paulo, Sheila Ribeiro mora em uma “praia linda” e, apesar de estar no centro de uma discussão que mobiliza o país, faz questão de seguir a sua rotina de estudos e de trabalho.

– Procuro me manter leve. Respiro – diz, emocionada.

Sheila tem recebido, ao lado de agressões de partidários dos dois candidatos, o apoio dos amigos e “mesmo de estranhos que entenderam a minha indignação”, afirma. Das colegas que estavam ao seu lado, na oportunidade em que a mulher do presidenciável tucano optou por revelar um momento difícil da vida, também recebe a solidariedade e o apoio.

– Estou aliviada por ter visto a Sheila questionar toda essa hipocrisia que permeia a sociedade brasileira. Ela foi muito corajosa e só merece nosso aplauso – conclui a colega que, hoje, mora em Brasília e se destaca pelo trabalho também na área da coreografia e da dança.

Sem resposta

Com as novas entrevistas realizadas pelo Correio do Brasil, nesta quinta-feira, a reportagem voltou a procurar o presidenciável tucano na tentativa de ouví-lo acerca dos depoimentos das ex-alunas da mulher dele, Monica Serra. O CdB o procurou, novamente, no Twitter, às 12h41:

[email protected]_  Senhor candidato. Três outras ex-alunas confirmaram o relato sobre o aborto feito por sua esposa. O sr. poderia repercutir isso?”

Da mesma forma, foram encaminhados e-mails à assessoria de imprensa que, por intermédio de uma das assessoras, acusou o contato do CdB e ponderou que, se até o fechamento desta matéria, às 15h04, não houvesse qualquer resposta do candidato, como de fato não ocorreu, o fato deveria ser interpretado como sua recusa em tocar no assunto, em linha com a decisão tomada durante o debate.

Fonte: http://correiodobrasil.com.br/ex-alunas-de-monica-serra-confirmam-relato-sobre-aborto/186052/

 

Do Correio do Brasil em 14/10/2010

http://correiodobrasil.com.br/ex-alunas-de-monica-serra-confirmam-relato-sobre-aborto/186052/

Ex-alunas de Monica Serra confirmam relato sobre aborto

14/10/2010 15:06,  Por Redação, do Rio de Janeiro e São Paulo

Monica Serra optou por não se pronunciar sobre relato de ex-alunas

Monica Serra optou por não se pronunciar sobre relato de ex-alunas

Alunas da então professora de Psicologia do Desenvolvimento aplicada à Dança, no Instituto de Artes da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Monica Serra, confirmaram nesta quinta-feira estar presentes à aula em que a mulher do presidenciável tucano, José Serra, relatou ter sido levada a interromper a gravidez, no quarto mês da concepção. A coreógrafa Sheila Canevacci Ribeiro revelou o fato após o debate realizado domingo, na Rede Bandeirantes de TV, em sua página na rede social Facebook.

Colega de Sheila Ribeiro, a professora de Dança de um instituto federal de Brasília, que preferiu não ter o seu nome citado “por medo do que essa gente pode fazer”, afirmou, lembra que no primeiro semestre de 1992, no segundo período que cursava na Unicamp, o depoimento de Monica Serra a impressionou. Ela estava sentada no chão em uma sala de dança, onde não há móveis e apenas um grande espelho e a barra de exercícios, ao lado das colegas Kátia Figueiredo, que mora atualmente na Suécia, Ana Carla Bianchi, Ana Carolina Melchert e Érika Sitrângulo Brandeburgo, entre outras estudantes, residentes aqui no país.

– Eu confirmo aqui o depoimento da Sheila Ribeiro. Foi aquilo mesmo. A professora Monica Serra nos relatou que havia feito um aborto em um período difícil da vida do casal, durante a ditadura militar. Foi um fato tocante, que marcou a todas nós. Lembro-me que o assunto surgiu quando ela falava sobre a dissociação do corpo e a imagem corporal, que até hoje dirige meu comportamento – disse.

Pressão

Sheila Ribeiro, após o protesto consignado em sua página, disse nesta quinta-feira que, apesar da pressão dos meios de comunicação e de eleitores de todo o país que passaram a visitá-la no Facebook, não se arrepende de ter relatado a sua indignação ao perceber a mudança de atitude da professora que, em 1992, revelava às alunas um episódio marcante na vida de qualquer mulher, como o aborto realizado diante o exílio iminente, ao lado do marido, e a possível primeira-dama que, em uma campanha política, acusa a adversária do casal de “matar criancinhas”.

– Pior do que isso foi o silêncio do Serra, que deveria ter saído em defesa da mulher, fosse qual fosse a situação em que se encontrava ali, diante das câmeras – emendou a ex-aluna de Monica Serra.

Coreógrafa e doutoranda em Comunicação e Semiótica, na PUC de São Paulo, Sheila Ribeiro mora em uma “praia linda” e, apesar de estar no centro de uma discussão que mobiliza o país, faz questão de seguir a sua rotina de estudos e de trabalho.

– Procuro me manter leve. Respiro – diz, emocionada.

Sheila tem recebido, ao lado de agressões de partidários dos dois candidatos, o apoio dos amigos e “mesmo de estranhos que entenderam a minha indignação”, afirma. Das colegas que estavam ao seu lado, na oportunidade em que a mulher do presidenciável tucano optou por revelar um momento difícil da vida, também recebe a solidariedade e o apoio.

– Estou aliviada por ter visto a Sheila questionar toda essa hipocrisia que permeia a sociedade brasileira. Ela foi muito corajosa e só merece nosso aplauso – conclui a colega que, hoje, mora em Brasília e se destaca pelo trabalho também na área da coreografia e da dança.

Sem resposta

Com as novas entrevistas realizadas pelo Correio do Brasil, nesta quinta-feira, a reportagem voltou a procurar o presidenciável tucano na tentativa de ouví-lo acerca dos depoimentos das ex-alunas da mulher dele, Monica Serra. O CdB o procurou, novamente, no Twitter, às 12h41:

[email protected]_  Senhor candidato. Três outras ex-alunas confirmaram o relato sobre o aborto feito por sua esposa. O sr. poderia repercutir isso?”

Da mesma forma, foram encaminhados e-mails à assessoria de imprensa que, por intermédio de uma das assessoras, acusou o contato do CdB e ponderou que, se até o fechamento desta matéria, às 15h04, não houvesse qualquer resposta do candidato, como de fato não ocorreu, o fato deveria ser interpretado como sua recusa em tocar no assunto, em linha com a decisão tomada durante o debate.

 

Discordo daqueles que acham que não se deve explorar esse tema.
Em busca do poder a qualquer custo, o Serra não tem escrúpulos: contra a Dilma, pratica o crime de injúria, calúnia e difamação.
Por uma justificativa frívola, foi capaz de mandar a mulher abortar: era sua carreira política que estava em jogo.
Enquanto milhares de brasileiros davam a vida para defender a democracia, o Serra imolou seu próprio filho por uma justificativa mesquinha; de fato, importou apenas sua ambição política.
Que Deus tenha como perdoá-lo.

 

Questão complicada para ser utilizada pela campanha de Dilma. Para os que me conhecem aqui e sabem quais são as minhas posições, tenho algo a dizer:

Existem variáveis que devem ser levadas em consideração, em minha opinião:

1 - Se Dilma e sua campanha levarem esta questão para o debate e horário eleitoral, isto deve ser feito da forma mais inteligente possível. No horário eleitoral é mais fácil criar uma "matéria" sobre o assunto sem correr o risco de cair na baixaria, pela própria natureza do horário eleitoral, que permite 10 minutos sem interrupção para que o tema seja exposto. Quanto ao debate, sugiro que Dilma diga algo como "ainda não ouví desculpas suas ou de sua esposa pelo fato de ela ter cometido uma calúnia contra mim ao me acusar de querer matar criancinhas. Não sou a favor de matar criancinhas, sou a favor da vida e exijo desculpas!". Ou seja, não tocar na questão do aborto de Mônica Serra, exposto por suas alunas, peno menos num primeiro momento. Ao fazer isto, Dilma forçará Serra a acusar Dilma de estar mentindo, e mencionará a "campanha" realizada pelo PT contra a sua família. Provavelmente citará o caso do aborto de Mônica (poderá também não citar). Caso Serra não mencione o aborto de sua mulher, Dilma deve apenas insistir no pedido de desculpas e afirmar que Mõnica Serra a acusou sim, de ser assassina de criancinhas e que vários veículos de comunicação trataram já trataram do assunto. Caso Serra se utilize da questão do aborto de Mônica para fazer uma arapuca, Dilma poderá então se defender afirmando que quem trouxe este debate de aborto à tona foram eles e a imprensa a eles associada. Deve afirmar que é contra o aborto e que pensa que é papel da sociedade discutir a questão, e que trazer esta questão para o centro do debate eleitoral com calúnias, como as que ele e Mônica cometeram, é completamente anti ético! Dilma deve afirmar que não foi ela, o seu partido e muito menos a sua campanha quem desmascarou a hipocrisia de Serra, de sua esposa e de sua campanha! Foi uma cidadã que se sentiu indgnada com a hipocrisia de Serra e de sua esposa e decidiu colocar a verdade às claras. E não foi só uma cidadã quem deninciou a farsa: outras alunas de Mônica também denunciaram. Se Serra e Mônica se sentiram vítimas de uma mentira, eles que processem a Folha e as denunciantes! Se possível, Dilma deve denunciar as outras baixarias que circulam contra ela e contra o seu vice na Internet!

2 - Serra pode, ele mesmo, querer levar a questão do aborto de sua esposa para o debate. Neste caso, Dilma deve seguir a mesma linha de resposta que eu expus acima.

3 - Nem Serra nem Dilma podem vir a levar esta questão para o debate. Neste caso, cabe a nós, guerreiros da rede, espalhar esta hipocrisia de Serra e Mônica Serra, mas sem chegar ao nível deles. Nunca! Expor divulgando as entrevistas de Sheila (a aluna de Mônica) desmascarando Mônica Serra. Expor a hipocrisia, mas sem hipocrisias.

Este novo capítulo sobre o aborto na campanha pode vir a ser uma armadilha. Mas será uma armadilha apenas ser Dilma cair nela. Tratar do assunto de maneira clara e objetiva, expondo as contradições e hipocrisias da campanha de Serra não será a queda numa armadilha. Muitas vezes o animal consegue roubar a comida da arapuca e, ou a arapuca não funciona ou o animal é mais rápido do que a arapuca para pegar a comida.

Dilma, no entanto, deve trazer para o debate a matéria da Istoé deste fim de semana a respeito de Paulo Preto. Isto sim é pólvora acesa em direção à banana de dinamite. Dilma deve dominar as nuances do caso para colocar Serra contra a parede. Serra não responderá, e sim acusará Dilma de estar envolvida neste escândalo fajuto promovido pela Época, criado apenas para servir de álibi para não discutir Paulo Preto. Mas esta arapuca é mais fácil de resolver!

Dilma deve fazer as comparações, citar os números de FHC e os números de Serra. Dilma deve denunciar as privatizações que seriam feitas caso Serra venha a ser presidente. Mencionar que ele foi um dos mentores das privatizações. Citar Lula. Afirmar que ela é a candidata de Lula e ele o candidato de FHC. Mencionar as enchentes e o descaso do governo paulista de Serra, que deixou uma cidade inteira debaixo d'água por mais de um mês!!! Mencionar o buraco do metrô que matou pessoas. Mencionar os alagamentos no metrô de São Paulo. Os caríssimos pedágios. A guerra entre as polícias civil e militar do estado na gestão de Serra. O aumento da criminalidade. Os baixissimos salários pagos aos professores e policiais do estado de SP. Enfim, caso o tema do aborto aconteça no debate, Dilma deve ser objetiva e dura, mas sucinta. Dilma deve responder às perguntas afirmativas (pegadinhas) de Serra, desmascarando-as, assim com suas premissas. No entanto, Dilma não deve perder muito tempo com a  questão do aborto. Deve expôr a hipocrisia da campanha de Serra quanto ao aborto, mas deve expôr as outras hipocrisias do discurso eleitoral tucano nos temas que realmente importam e partir para a jugular quando o tema for Paulo Preto!

Assim penso.

PS 1 - Se alguém graúdo da Rede Record estiver lendo esta mensagem, sugiro que façam uma entrevista com a aluna de Mônica Serra a respeito do aborto da mesma. Acredito até que isto já foi providenciado...

PS 2 - Dima deve estar preparada para surpresas. O seu comportamento aguerrido no último debate os pegou de surpresa. Ficou claro que eles não esperavam que Dilma trouxesse Paulo Preto para o centro do debate. Eles podem tentar fazer o mesmo e trazer para o debate algum assunto que ainda nem tenha sido exposto pela mídia, para que sirva de pauta às manchetes e matérias da velha mídia durante a semana, mesmo que tal ou tais assuntos sejam  falaciosos, o que provavelmente será o caso. Por isto, doravante, Dilma deve SEMPRE pautar o debate, mas deve tomar cuidado com as surpresas.

 

Tenho respondido a todas as mensagens-bomba da campanha Serra, digam o que digam, venham de quem venham. Por mais que responder me embrulhe as vísceras.
Respondo, porque vejo assim: que, depois de tentarem curtocircuitar nosso principal cabo eleitoral (esse o papel da mídia-grande), querem imobilizar um adversário mais forte satanizando-lhe a força maior, da sua capacidade de militância.
Nessas mensagens, quando mentem a nosso respeito, o que objetivam é impedir que  as pessoas nos ouçam! Querem impedir não o nosso direito de falar -- que implicaria em assumirem publicamente  a sua natureza antidemocrática,--  querem impedir o nosso direito de sermos ouvidos. Para isso, com esse bombardeio de mensagens, criam uma carapaça simples -- "os petralhas", "os aborteiros", os ... --- em que nossas palavras ricochetearão. As da Candidata inclusive, se a campanha eletrônica não age rápido.
Pra furar essa carapaça, não vejo outro jeito: nosso discurso tem que subir de tom, sem subir em agressividade.
(Só como nota: a agressividade é a natureza enrustida do adversário, e isso tem que ser posto em evidência, a começar das nossas condutas.)

Outro motivo para responder, sempre, é o fato óbvio de que muita gente decente está sendo usada, fazendo papel de correia de transmissão do que nem bem entende e nem sabe direito quem fabricou.  Porque "--ah, o fulano me pediu", "ah, o domfulano me mandou", "ah, a tia sicrana disse..." Minha experiência tem mostrado que uma boa resposta atinge essas pessoas, chegando mesmo a desligá-las do piloto automático que os comportamentos de manada sempre desempenham. As manadas mais que tudo se demontam quando diante de boas perguntas. Porque as manadas funcionam movidas por ordens, por imperativos categóricos, por fechares de olhos , por seguir algum mestre disciplinadamente.
Manadas odeiam boas perguntas!
 

Em nome da eficiência, tenho algumas respostas semi-prontas. A regra é que elas têm que ser sempre personalizáveis. Pois é absolutamente essencial tratar a pessoa como tal, ou se estará repetindo o equívoco das manadas, não é?
 
Nessas minhas respostas muito frequentemente falo do nazismo, falo dessa conduta que impede o outro lado de se defender, falo dessa conduta que inverte a verdade acusando o outro do que se quer esconder nas próprias condutas, falo do tom acusatório, da tentativa de satanização. Mostro fraquezas escondidas por trás da agressividade do adversário (exemplo mais forte, os 61 milhões de sigilos da filha, o "estamos investigando" da mídia...).  Falo, enfim, do  medo, esse mesmo medo que acabou satanizando outros "petralhas" da história ... até os queimar em fornos. Ou assá-los em fogueiras.
 
Sei que tenho causado espanto em muitas pessoas quando lhes digo diretamente: "você está agindo como agiram os nazistas antes da 2a guerra na Alemanha". Mesmo que não admitam.

Alguns chegaram a me dizer que isto era muito forte. Pois seja. Como disse antes, o momento é de força nas palavras, dar máxima urgência e firmeza nos nossos chamamentos à lucidez, a um voltar a olhar a realidade com os próprios olhos. Ou será que se tem dúvida de que os últimos anos foram diferentes de tudo que este pais já viveu em 502 anos? 

Não se conseguirá a volta da lucidez sem força nos argumentos! Teremos que afiá-los ao limite,  mas não para desmontar o medo de novo, como foi feito em 2002. Agora, o que temos que desmontar, definitivamente, é a  matriz que o quer refabricar, e o risco do ponto de chegada: pelo comportamento de ultra-direita,  a um brasil fundamentalista que reinstaura as fogueiras de medo e preconceito.

João da Baiana

 

Não podemos esquecer, que essas malditas calúnias contra a Dilma, prejudicaram todos nós, pois nos tirou a vitória no primeiro turno. Quanto a Monica Serra ter feito ou não aborto no passado, não interessa, pois o pessoal do PSDB, continuam insistindo para ter acesso aos arquivos da prisão da Dilma, no tempo da ditadura. A maioria do povo entende é que: Quem calado fica, consente as calunias.

Existem maneiras elegantes, para se abordar este assunto na TV. Uma delas é a própria Dilma dar uma de solidaria com o Serra, se mostrando compadecida pela Monica ter precisado fazer o tal aborto.  Basta falar no Debate que viu a noticia divulgada nos jornais pro Serra, e que sentiu pena da Monica. E que agora ela (Dilma) entende porque ele foi a favor do aborto, quando assinou aquele documento.

Leva a lei com a assinatura dele porque, se ele falar que ela tá mentindo ela mostra o documento.

Quem não tem internet, ou seja o povão, acreditam demais no que  vêem e ouvem na TV. Eles se informam mesmo é pela TV. Porisso, vale apena, tocar no assunto pelo lado carismático.

 

Estou com receio do que acontecerá com o jornalista que publicou esta matéria. Será demitido? Não é assim que os jornais do PIG tratam seus rebeldes?

 

Demorou. Agora vai posar de vítima o Serra. Cuidado!

"

16.10.2010 | 19h47m

Monica Serra nega ter feito aborto

Da assessoria de José Serra

Diante de matéria publicada hoje, a campanha de Jose Serra esclarece: Monica Serra nunca fez um aborto.

Essa acusação falsa, que já circulava antes na internet, repete o padrão Miriam Cordeiro de que o então candidato Luiz Inácio Lula da Silva foi vítima na eleição de 1989. E dá continuidade ao jogo sujo que tem caracterizado a presente campanha desde que um núcleo do PT, montado para fazer dossiês contra o candidato tucano à Presidência, foi descoberto em Brasília. Primeiro eles atacaram a filha de José Serra. Depois atacaram o seu genro. Agora eles agridem a sua mulher, Monica, que tem a irrestrita solidariedade, amor e respeito de seu marido, de seus filhos, netos e de milhões de brasileiros."

http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2010/10/16/monica-serra-nega-t...

 

Enquanto isso, vem o Reinaldo Azevedo dizer que a "campanha suja chega ao fundo do poço - Mônica Bergamo resolveu ser o Collor da Mirian Cordeiro da hora" - como se fosse o PT quem estivesse fazendo campanha suja... Vejamos o cinismo do rapaz: "O debate que interessa — e que foi primordialmente feito pelos cristãos — nunca satanizou as mulheres que fizeram aborto. A questão é de natureza legal. A candidata Dilma Rousseff, do PT, defende a descriminação da prática e integrou um governo que atuou fortemente nessa direção. Ninguém saiu por aí tentando saber se A ou B fizeram aborto."

Os comentaristas, por sua vez, achando um absurdo, denunciando a "falta de responsabilidade social" da FSP (claro, como a notícia é sobre algo negativo a Serra, a FSP só pode estar sendo irresponsável, é o que eles dizem), outros afirmando que a Mônica Bérgamo é uma pseudo-jornalista, que está buscando auto-promoção ou, ainda, que teria se vendido. Ou dizendo coisas como "Acho um absurdo a Folha publicar fofocas como se fossem notícia. Isso é coisa de tablóides sensacionalistas ordinários, do tipo National Enquirer."

Impressionante como aquele blogueiro e seus (pseudo?) comentaristas se merecem...

 

ATENÇÃO ! Isso tá com cara de farsa. Não se admirem se daqui a alguns dias essa denunciante (e as outras 3 que confirmaram) aparecerem dizendo que foram pagas pelo PT para inventarem essa história, e aí sim vira capa da Veja. É assim que o PSDB está agindo ! MUITO CUIDADO NESSA HORA.

 

Estou vendo a campanha na TV agora noite. Serra é muito corajoso. Sem propostas e muitas promessas de onde não diz de onde sai o dinheiro rompeu com o MST sem ainda ser presidente!

PT! Eele bate na mesma tecla: Governo de amigos! Quando vcs colocarão a grande devassa de CPFs pela filhota do candidato?

 

Região Serrana Fluminense:Vergonha!Vergonha!Vergonha!

Previsível... assessoria de Serra nega o aborto e diz que a denúncia é trololó petista...

http://oglobo.globo.com/pais/noblat/

Monica Serra nega ter feito aborto

 

Da assessoria de José Serra

Diante de matéria publicada hoje, a campanha de Jose Serra esclarece: Monica Serra nunca fez um aborto.

Essa acusação falsa, que já circulava antes na internet, repete o padrão Miriam Cordeiro de que o então candidato Luiz Inácio Lula da Silva foi vítima na eleição de 1989. E dá continuidade ao jogo sujo que tem caracterizado a presente campanha desde que um núcleo do PT, montado para fazer dossiês contra o candidato tucano à Presidência, foi descoberto em Brasília. Primeiro eles atacaram a filha de José Serra. Depois atacaram o seu genro. Agora eles agridem a sua mulher, Monica, que tem a irrestrita solidariedade, amor e respeito de seu marido, de seus filhos, netos e de milhões de brasileiros.

 

Se a estratégica é  a  de quem tece mais escâdalos... PT faça  alinha do tempo do governo FHC! JÀ!

 

Região Serrana Fluminense:Vergonha!Vergonha!Vergonha!

Novamente estão tentando mudar a pauta.

PRÉ-SAL, privatizações, comparação entre os dois projetos de governo e os seus resultados sob FHC e LULA.

No campo da ética, Paulo Preto e as perguntas não respondidas.

Como era e como está aogra a vida de cada eleitor.

A pauta falso-moralista só interessa ao candidato da oposição, que tanto investiu junto aos setores mais reacionários da sociedade.

Vamos tomar a frente no debate do que realmente interessa ao povo brasileiro.

 

Cafajestes tumultuam missa. Vejam no link abaixo.

http://eleicoes.uol.com.br/2010/ultimas-noticias/2010/10/16/missa-com-a-...

 

É a Míriam Cordeiro versão 2010.

 

Ta na  hora de no minimo voces colocarem a resposta da Monica Serra que nega tudo .....como saberemos aonde esta a verdade?

 

Periga a MÔNICA BERGAMO ser a próxima jornalista demitida nessas eleições. Maria Rita foi demitida por um "delito de opinião" pelo EdeSP, será que a Mônica pode ser enquadrada num delito de reportagem pela folha? É muita hipocrisia desse Serra e toda a corja, incluindo a folha o globo o estadão, a veja etc

 

Caro Nassif,

 

recebi por e-mail o link para a Wikia Politics com o nome Governo Brasil Wiki. Na página é traçada comparações entre governos FHC e Lula. Vão desde matrículas em cursos superiores, passa por saneamento básico, inflação, IDH, até desenvolvimento econômico. Os dados, segundo o autor, são baseados no IBGE, IPEA e Banco Central (a cada informação os links destas instituições é colocado como referência). Todos os índices são favoráveis ao período FHC. Tentei avaliar alguns, notei uma certa forçada de barra. Como não sou familiarizado com este tipo de estatística, peço sua ajuda e dos companheiros de blog para entender o porquê dessa diferença gritante das outras comparações. Trata-se de manipulação? Ou são meias verdades?

 

Obrigado 

 

Em primeiro lugar, a mídia não vai explorar o assunto. Poucos serão informados sobre o caso.

Em segundo lugar, o objetivo da onda aborto já foi atingido e está cessando seus efeitos.

Uma nova onda deverá surgir, e esta sim, poderá influir no segunto turno.

 

Notícia fresquinha.

Serra e comitiva : confusão na igreja em Canindé – Ceará

Do jornal cearense O Povo online

http://blog.opovo.com.br/politica/serra-e-criticado-por-padre-durante-missa-em-caninde-e-tasso-toma-as-dores/

"Serra é criticado por padre durante missa em Canindé e Tasso toma as dores

Por: Érico Firmo

Muita confusão durante a missa que José Serra (PSDB) acompanhou há pouco em Canindé, no Sertão Central do Ceará.

O repórter Ítalo Coriolano informa que, durante a missa, o padre mostrou panfleto com ataques da campanha de Serra a Dilma Rousseff (PT) e criticou a postura. Instaurou-se, então,  uma enorme confusão.

Tasso Jereissati (PSDB) foi tomar satisfações com o padre, a quem chamou de petista.

Mas informações em instantes.

Mais sobre a confusão com padre, Tasso e Serra em Canindé

Por: Érico Firmo

Mais do relato de Ítalo Coriolano sobre a confusão entre o padre, Tasso Jereissati (PSDB) e José Serra (PSDB) em Canindé.

Logo no começo da missa, o padre Francisco, que celebrava a cerimônia, começou a se queixar. Disse que quem estava lá para causar tumulto se retirasse, porque o povo lá estava para ouvir São Francisco, e não políticos.

Serra e Tasso estavam na plateia, em local de destaque.

Já no fim da missa, o padre mostrou panfleto de Serra com críticas a Dilma em temas relativos a religiosidade. E disse que ninguém podia falar em nome da Igreja e que aquela não era a posição da Igreja.

Tasso, que estava na frente, não se conteve e partiu para cima do padre, chamando-o de petista. Foi contido por assessora e por sua esposa.

A confusão se instaurou. Do lado de fora, manifestantes tucanos e petistas se enfrentaram."

 

Nassif, do blog do Noblat:

"

Monica Serra nega ter feito aborto

Da assessoria de José Serra

Diante de matéria publicada hoje, a campanha de Jose Serra esclarece: Monica Serra nunca fez um aborto.

Essa acusação falsa, que já circulava antes na internet, repete o padrão Miriam Cordeiro de que o então candidato Luiz Inácio Lula da Silva foi vítima na eleição de 1989. E dá continuidade ao jogo sujo que tem caracterizado a presente campanha desde que um núcleo do PT, montado para fazer dossiês contra o candidato tucano à Presidência, foi descoberto em Brasília. Primeiro eles atacaram a filha de José Serra. Depois atacaram o seu genro. Agora eles agridem a sua mulher, Monica, que tem a irrestrita solidariedade, amor e respeito de seu marido, de seus filhos, netos e de milhões de brasileiros.

 

E o que vc diz desta nota Nassif?

 

Diante de matéria publicada hoje, a campanha de Jose Serra esclarece: Monica Serra nunca fez um aborto.

Essa acusação falsa, que já circulava antes na internet, repete o padrão Miriam Cordeiro de que o então candidato Luiz Inácio Lula da Silva foi vítima na eleição de 1989. E dá continuidade ao jogo sujo que tem caracterizado a presente campanha desde que um núcleo do PT, montado para fazer dossiês contra o candidato tucano à Presidência, foi descoberto em Brasília. Primeiro eles atacaram a filha de José Serra. Depois atacaram o seu genro. Agora eles agridem a sua mulher, Monica, que tem a irrestrita solidariedade, amor e respeito de seu marido, de seus filhos, netos e de milhões de brasileiros.

http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2010/10/16/monica-serra-nega-ter-feito-aborto-333176.asp

 

..."Quem com ferro fere, com ferro será ferido"... Por outro lado, quando o milagre é muito grande até o santo desconfia. Quer dizer: acho que neste caso, até o Apóstolo São Paulo, deve estar muito desconfiado de sua "milagrosa"  Folha. Do ponto de vista exclusivamente canalhistico-cretinino-eleitoreiro, eu me amarrei nessa notícia; É ótima, excelente. Em sua homenagem eu diria até um sonoro-esculachante-e-zuativo "bemmmmm feeeeeeito, seu zé-mané Serra...  quem mandou ser cretino, boca-mole, caozeiro!" ... O problema é esse inusitado aval do Otavinho. Por outro lado, o Apóstolo São Paulo... "Nasceu em Tarso, era judeu e cidadão romano. Perseguidor das primeiras comunidades cristãs, foi conivente com o assassinato do protomártir Estêvão. Quando perseguia cristãos, a caminho de Damasco, apareceu-lhe Jesus Ressuscitado, transformando-o. Desde então, sua vida foi viajar pelo mundo, pregando o evangelho de Jesus Cristo e o mistério de sua paixão, morte e ressurreição. Essa conversão é uma das mais importantes da história da Igreja"... Será que o Otavinho andou vendo  o Jesus Ressuscitado?!... É uma verdadeira pulga atrás da orelha... Tá esquisito... Tá com forte cheiro de caô, presente de grego, cilada... Sei não... sei não...

 

Agora o PT não pode mais dizer que a folha é Serrista. Afinal, acaba de publicar uma matéria de conteudo duvidoso contra o candidato Serra. E os petistas que tanto reclamam de jogo sujo na eleiçao podem ficar quietinhos pois fazem igual. Alias, nao foi mesmo Marta Suplicy que tentava "acusar" Kassab de ser gay e nao ter familia?

Ninguem aqui comenta que Helio Bicudo, fundador do PT vota em Serra?

 

Renata Brites, vá reclamar com Majô Ribeiro, amiga de Eva Blay e Ruth Cardoso, pelo desabafo da filha, com OFF pela Mônica Bérgamo e com Mônica Serra pela pisada no tomate (se meter nessa cruzada do submundo para ajudar a eleger o marido, a qualquer preço).

 

Quanto ao Hélio, nada mais umbilical que um Bicudo votar num tucano, não acha? 

 

Em qual circulo do inferno Dante colocaria Serra? No dia em que é revelado que sua mulher fez um aborto com 4 meses de gravidez ele foi na missa no Ceará! Será que ele se confessou antes? Aborto é pecado mortal segundo a religião católica. Será que ele contou aos pastores evangélicos e bispos católicos este pecado, antes de sua cruzada anti-aborto?

Inominável! 

 

 

Gente, a coisa virou para nosso lado de novo. Como diz o ditado: mentira tem perna curta. O Serrra e sua mulher estão se engasgando no seu próprio vômito. 

 

O fato em si era para ser nada.

Mas sendo o Paulo Preto quem é.

E sendo Serra o Serra, a coisa tende a ficar afrodescendente.

 

Deu há pouco no terra:

Serra contratou filha de Paulo Preto, diz jornal
16 de outubro de 2010 • 18h47

A edição deste domingo (17) do jornal Folha de S. Paulo revela que o candidato do PSDB à presidência da República, José Serra, nomeou a filha do ex-diretor da Dersa, Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, no primeiro mês como governador de São Paulo, em 2007. Segundo a reportagem, Tatiana Arana Souza Cremonini, filha de Paulo Preto, foi contratada como assistente técnica de gabinete, com salário de R$ 4.595, com gratificações.

Ainda de acordo com a publicação, a Secretaria de Comunicação do governo do Estado de São Paulo "informou que Tatiana foi contratada por sua formação profissional e pela fluência em inglês e espanhol" e que José Serra, por meio de sua assessoria, afirmou que "os processos de nomeação de servidores de confiança 'são instruídos pelas secretarias responsáveis pela indicação, chegando às mão do governador após processo de avaliação criterioso, como ocorreu nesse caso". Serra também não respondeu à pergunta do jornal se conhecia o parentesco de Tatiana com o ex-diretor da Dersa na ocasião da nomeação.

O advogado José Luís Oliveira Lima, que defende Paulo Preto, disse à Folha de S. Paulo que seu cliente comentaria a contratação da filha pelo governo do Estado, mas não retornou o contato do jornal até o fechamento da reportagem.

Paulo Preto foi citado pela candidata à presidência da República Dilma Rousseff (PT) no debate realizado pela Rede Bandeirantes, no último domingo (10). A petista mencionou uma reportagem da revista IstoÉ, de agosto, em que o engenheiro da Dersa foi acusado por Eduardo Jorge (vice-presidente do PSDB) de ter arrecado e desviado R$ 4 milhões da campanha de José Serra (PSDB) - o dirigente nega categoricamente que tenha feito a declaração.

Na última quinta (14), Eduardo Jorge e o presidente do PSDB, o senador Sérgio Guerra (PE), garantiram, em entrevistas publicadas respectivamente pelos jornais Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo, que Paulo Preto nunca esteve autorizado a arrecadar fundos para o partido e que não há qualquer arrecadação paralela na campanha do candidato José Serra.

O nome de Paulo Preto também está envolvido em denúncias contra sua outra filha, Priscila Arana. O diretório estadual do PT questionou, junto ao Ministério Público, a atuação de Priscila Arana como advogada de empreiteiras contratadas pela Dersa, que executaram obras no Rodoanel. O jornal Folha de S. Paulo também lembra que Priscila e sua mãe, Ruth, "emprestaram R$ 300 mil ao senador eleito Aloysio Nunes Ferreira, para a compra de um apartamento", mas o "tucano disse que quitou o empréstimo neste ano".

 

 

 

Eu também acho que a campanha da Dilma tem que ter muito cuidado com este assunto. Serra é calhorda e ele vai ser fingir de vitima, dizer que é ataque do PT e capaz desta estoria se voltar contra a Dilma. Serra ainda vai usar isso a seu favor, quando for perguntado sobre isso vai dizer que é um factoide inventado pelo PT. Eu ainda estou com um pé atras!

 

Pau que dá em chico dá em francisco ou...é a volta do cipó de aroeira no lombo de quem mandou dar..!

 

O que pode ser ainda pior no aborto da Monica.... Circula versões que o Serra já estaria  "exiliado" nos EUA, por conta de Pinochet assumir o governo do Chile. O Serra que fugiu  do Brasil em direção ao Chile, não tinha mais respaldo pra se ficar no Pais, e foi abrigado pelo Tio Sam.... Indaga-se ...poderia ser que o filho fosse de outro e não do Serra? Ou seja .... o homem que quer ser presidente do Brasil, que emprestava apartamento pra FHC trair a Dona Ruth Cardoso com a jornalista da Globo, poderia também ter sido traído?

 

Galera, olha a confusão que o Serra conseguiu no Ceará, um padre deu um sermão no Serra:

Mais sobre a confusão com padre, Tasso e Serra em Canindé

Mais do relato de Ítalo Coriolano sobre a confusão entre o padre, Tasso Jereissati (PSDB) e José Serra (PSDB) em Canindé.

Logo no começo da missa, o padre Francisco, que celebrava a cerimônia, começou a se queixar. Disse que quem estava lá para causar tumulto se retirasse, porque o povo lá estava para ouvir São Francisco, e não políticos.

Serra e Tasso estavam na plateia, em local de destaque.

Já no fim da missa, o padre mostrou panfleto de Serra com críticas a Dilma em temas relativos a religiosidade. E disse que ninguém podia falar em nome da Igreja e que aquela não era a posição da Igreja.

Tasso, que estava na frente, não se conteve e partiu para cima do padre, chamando-o de petista. Foi contido por assessora e por sua esposa.

A confusão se instaurou. Do lado de fora, manifestantes tucanos e petistas se enfrentaram.

 

Nassif,

Mais uma do beato Serra!

http://odia.terra.com.br/portal/brasil/html/2010/10/missa_com_a_presenca_de_serra_acaba_em_tumulto_no_ceara_117654.html

Missa com a presença de Serra acaba em tumulto no Ceará

 

Canindé (CE) – Terminou em tumulto uma missa na Basílica de São Francisco das Chagas, realizada hoje (16) com a presença do candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra. No final de celebração, o padre disse que eram mentirosos os panfletos que circulavam na igreja afirmando que a candidata petista, Dilma Rousseff, era a favor do aborto e tinha envolvimento com grupos terroristas como as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

O padre disse que as mensagens estavam sendo atribuídas à igreja e esclareceu que esse tipo de publicação em nome da Basílica não era autorizado. O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), que acompanhou a missa ao lado de Serra, se exaltou e afirmou que era um “padre petista” como aquele que estava “causando problemas à igreja”.

Partidários do tucano também se exaltaram e o padre, cujo nome não foi confirmado pelos membros da paróquia, precisou sair escoltado por seguranças. Nenhum membro da administração da paróquia confirmou o nome de padre.

O panfleto que circulou na igreja não tinha assinatura e falava em três “grandes motivos para não votar em Dilma”. O texto acusa a candidata de ter se envolvido com as Farc, de ser favorável ao aborto e de envolvimento em casos de corrupção na Casa Civil. Militantes do PT estavam na porta da basílica na saída da missa portando bandeiras com o nome de Dilma. Houve um princípio de briga entre eles e os militantes tucanos.

Com o tumulto causado pela chegada de Serra e seus apoiadores durante a missa, o padre pediu que os políticos não atrapalhassem o objetivo principal da cerimônia que era a adoração a São Francisco. No momento da comunhão, além de equipes da imprensa, muitos fiéis se aglomeraram em volta do candidato para tirarem fotos.

 

 

 

Caro Nassif,

veja no link abaixo o que os democratas do PSDB fazem com quem não compactua com a exploração da religião!

http://blog.opovo.com.br/politica/serra-e-criticado-por-padre-durante-mi...

 

Acho que bateu o descontrole. Vejam o que aconteceu lá em Canide-CE

http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default.jsp?uf=1&local=1&section=Pol%C3%ADtica&newsID=a3077577.xml

 

"Publico não para incriminar Mônica Serra pelo aborto,..."

Nassif, propositalmente ou não, pelo jeito a empreitada da incriminação foi terceirizada para vários comentaristas. O que só amplia a hipocrisia reinante a respeito do tema.

 

A Dilma não pode cair nessa. Deixe que a mídia e a internet repercutam a mentira e a calhordice da sra. Mônica e do sr. Serra. A Dilma é diferenciada, ela é uma figura humana infinitamente maior que Serra e sua esposa.

 

Será que não da para perceber que esta pauta de aborto (ainda que aparentemente prejudicial a ele nesse caso) serve mais a Serra do que a Dilma? Na escuridão e nas trevas os caras são mestres.

 

Nassif, não sei aonde o PT quer chegar com essa história. Está me cheirando ao mesmo erro crasso cometido pela campanha de Marta Suplicy ao questionar a vida sexual de Kassab na campanha para prefeito. O povão - esse mesmo da baixa classe média e suscetível a essa questão do aborto - vai levar essa denúncia como baixaria e apelação da Dilma e consolidar ainda mais o voto em Serra. Meu Deus, que formidável tiro no pé! Só pode ser desespero, não há outra explicação. Eu mandei e-mails pro comitê avisando que isso vai dar ser gol contra, mas ninguém me ouve!!!!!!

 

"Depois do golpe militar no Brasil, Serra se mudou para o Chile, onde conheceu a mulher. Em 1973, com o golpe que levou Augusto Pinochet ao poder, o casal se mudou para os Estados Unidos."

Achei interessante a Mônica Bergamo  ter usado o termo"se mudou", ao invés de "se  exíliou". A cada dia que passa, aumenta minha dúvida sobre o verdadeiro papel exercido por Serra no período da Ditadura. 

 

Caráter não se compra na esquina.

O José Serra mostra que nasceu desprovido de tão importante atributo!

 

 

<!-- /* Font Definitions */ @font-face {font-family:Cambria; panose-1:2 4 5 3 5 4 6 3 2 4; mso-font-charset:0; mso-generic-font-family:auto; mso-font-pitch:variable; mso-font-signature:3 0 0 0 1 0;} /* Style Definitions */ p.MsoNormal, li.MsoNormal, div.MsoNormal {mso-style-parent:""; margin-top:0cm; margin-right:0cm; margin-bottom:10.0pt; margin-left:0cm; mso-pagination:widow-orphan; font-size:12.0pt; font-family:"Times New Roman"; mso-ascii-font-family:Cambria; mso-ascii-theme-font:minor-latin; mso-fareast-font-family:Cambria; mso-fareast-theme-font:minor-latin; mso-hansi-font-family:Cambria; mso-hansi-theme-font:minor-latin; mso-bidi-font-family:"Times New Roman"; mso-bidi-theme-font:minor-bidi;} @page Section1 {size:595.0pt 842.0pt; margin:72.0pt 90.0pt 72.0pt 90.0pt; mso-header-margin:35.4pt; mso-footer-margin:35.4pt; mso-paper-source:0;} div.Section1 {page:Section1;} -->
/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:"Table Normal";
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-parent:"";
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin-top:0cm;
mso-para-margin-right:0cm;
mso-para-margin-bottom:10.0pt;
mso-para-margin-left:0cm;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:12.0pt;
font-family:"Times New Roman";
mso-ascii-font-family:Cambria;
mso-ascii-theme-font:minor-latin;
mso-fareast-font-family:"Times New Roman";
mso-fareast-theme-font:minor-fareast;
mso-hansi-font-family:Cambria;
mso-hansi-theme-font:minor-latin;}

Pode até ser invenção. Mas essa história já estava rolando há algum tempo e vários "blogs sujos" - inclusive este - estavam abertamente mandando segurar a onda porque parecia factóide de verdade e que sua divulgação poderia dar mais munição pro Serra/FHC. Ponto para eles, pois seria isso mesmo que rolaria. A coisa amadureceu por si só e agora que está publicado num órgão de imprensa "limpo" e "imparcial", a coisa ficou feia. Pois o Serra não pode simplesmente dizer que ele é um órgão de esquerda e que está trabalhando pra Dilma. Por falar nela, realmente não precisa e nem deve nem chegar perto de citar este caso. Mas ela vai ser perguntada, com certeza, e terá que ser elegante e sair pela tangente. Mesmo pq trata-se apenas de um depoimento de uma ex-aluna, não dá pra provar e, vamos e venhamos, é foro particular. Mas não tenham dúvida de que se fosse a Dilma, estaria no programa do Serra já esta noite, em pleno horário nobre.

cronicasterraqueas.blogspot.com

 

E agora o rei e a rainha estão nus....quauquququququququququuuaaaaaa