Coronavírus: Ministério diz que Brasil precisa ter sete vezes mais testes do que o atual

Para ampliar capacidade, foi anunciada a compra de 22,9 milhões de testes; necessidade pode ser de até 50 mil testes diários

O secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Jornal GGN – O Brasil precisa aumentar sua capacidade de testagem diária para o novo coronavírus dos atuais 6,7 mil testes para até 50 mil, como forma de “enfrentar o pico da epidemia”, nas palavras do secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira. E para que esse número seja obtido, a capacidade precisa ser ampliada em pouco mais de sete vezes.

“Para que a gente possa enfrentar o pico da epidemia, temos que ter a capacidade de produção de testes da ordem de 30 a 50 mil testes por dia. Esta é a escala que nós temos que chegar. (…) Nós vamos chegar nas próximas semanas o máximo possível (perto) desses valores, que são valores de referência. Lembrando que nós já temos instalado uma capacidade de 6,7 mil testes por dia”, disse Oliveira, segundo informações do portal G1.

Uma das medidas anunciadas para aumentar essa capacidade envolve a compra de 22,9 milhões de testes da Covid-19. A pasta também busca parcerias para processamento das amostras. O secretário ressaltou que o enfrentamento da pandemia é um esforço “hercúleo” e que todo o processo para ampliar a oferta de testes está “em produção”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  89% dos médicos veem segunda onda da Covid chegando no Brasil

1 comentário

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome