Isolacionismo de Trump acelera a perda de hegemonia global pelos EUA

À medida que a crise se alastra, a China vai espalhando seu soft power pelo mundo, fortalecendo organismos multilaterais, levando ajuda, em equipamentos, para vários países do mundo. Trump, ao contrário, aplicativo o isolamento dos EUA.

Com informações do Financial Times

Se a crise do coronavirus é um ponto de inflexão na influência geopolítica dos Estados Unidos, a contribuição de Donald Trump não pode ser desprezada.

Assim como no caso de Jair Bolsonaro, no Brasil, nunca uma crise desafiadora como a atual encontrou pela frente governantes tão despreparados como ambos.

À medida que a crise se alastra, a China vai espalhando seu soft power pelo mundo, fortalecendo organismos multilaterais, levando ajuda, em equipamentos, para vários países do mundo.

Trump, ao contrário, aplicativo o isolamento dos EUA.

Líderes europeus e africanos estão apelando ao FMI para criar ativos de reservas adicionais para ajudar economias emergentes de baixa renda a enfrentar o coronavirus. O caminho seria expandir o Direito Especial de Saque, para acudir nações com problemas em suas reservas cambiais. A medida é condição essencial para dar efetividade às medidas que o G20 deverá endossar nesta quarta-feira.

O DES foi criado em 1969 pelo FMI para complementar as reservas oficiais dos países membros. Seu valor se baseia em uma cesta de cinco moedas, o dólar americano, o euro, o renminbi, o irei e a libra esterlina.

O apelo foi feito pela chanceler alemã Angela Merkel, o presidente francês Emmanuel Macron, o primeiro ministro a Etiopia Abiy Ahmed, o presidente da África do Sul Cyrill Ramaphosa. O aumento da liquidez serviria para a compra de produtos básicos e suprimentos médicos essenciais.

Maior acionista do FMI, os EUA se recusaram a endossar a proposta. Uma porta-voz do Tesouro dos EUA, declarou ao Financial Times que o país apoia “a aceleração dos procedimentos do FMI, maior acesso às operações de empréstimos de emergencia, apoio às doações do FMI a países de baixa renda”, mas não explicou a razão da recusa.

Leia também:  'Pepitas de ouro': Trump explica a Woodward por que os juízes são a chave para seu histórico

Segundo Masood Ahmed, presidente do Centro de Desenvolvimento Global, um Think tani de Washington, “bloquear um aumento de DSE simplesmente forçará esses países a buscar escolhas políticas menos eficazes, com consequências adversas para si e para a economia mundial”.

 

 

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

2 comentários

  1. O pobrema é que toda essa engrenagem já sente a ferrugem lhe comer.

    Num artigo aqui publicado, sugerido pelo Wilton Moreira, diz-se que “um capitalismo mais humano, mais justo e mais equitativo torna-se cada vez mais impossível”. Ora, quando capitalistas e seus agentes afirmam que “a vida não tem valor infinito” e que, portanto, deve-se acabar a quarentena, em prejuízo da saúde e, em benefício do mercado, voltar ao trabalho, e quando outro babaca afirma que serão apenas 5 ou 7 mil velhinhos que perderão a vida, vê-se que, de fato, o capitalismo se desumanisa cada vez mais.

  2. A cooperação internacional é tão fundamental quanto o isolamento social, a lavagem das mãos/punhos e o uso de equipamentos de proteção.

    O isolacionismo nacional não beneficiará nenhuma nação.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome