O vídeo fatídico é exibido: uso de palavrões por Bolsonaro e ameaças de demissão

Uma das fontes relatou que Bolsonaro disse: ‘Já tentei trocar o chefe da segurança no Rio de Janeiro. Se não posso trocar, troco o chefe dele, troco o ministro’.

Jornal GGN – Por fim, o tão propalado vídeo da reunião foi exibido. Depois que o STF autorizou a exibição do vídeo da reunião ministerial do dia 22 de abril, relatada por Sergio Moro, ex-ministro da Justiça e ex-juiz, muito se esperava da exibição. O vídeo é parte do inquérito que apura se o presidente Jair Bolsonaro tentou interferir na Polícia Federal em benefício próprio ou dos seus.

Segundo o jornal O Globo, quatro fontes que assistiram ao vídeo na manhã desta terça-feira, que foi exibido a advogados e investigadores em Brasília, confirmaram ao veículo os motivos declarados pelo presidente para exigir a troca de superintendente da Polícia Federal do Rio de Janeiro.

Segundo as fontes, Bolsonaro diz na reunião que não quer os ‘familiares’ prejudicados. Além disso, usou palavrões ao tratar do tema e disse que, caso não conseguisse trocar o superintendente do Rio, então trocaria o diretor-geral da PF ou o ministro da Justiça. Respectivamente Maurício Valeixo e Sergio Moro.

Uma das fontes relatou que Bolsonaro disse: ‘Já tentei trocar o chefe da segurança no Rio de Janeiro. Se não posso trocar, troco o chefe dele, troco o ministro’.

‘Não vou esperar f… alguém da minha família. Troco todo mundo da segurança. Troco o chefe, troco o ministro’, foi outro relato obtido pela TV Globo.

Segundo esses observadores, as declarações do presidente mostram um interesse pessoal, familiar, que norteia a intenção da troca.

E tudo realmente aconteceu após a reunião: o diretor-geral da PF, Maurício Valeixo foi exonerado por Bolsonaro; Moro pediu demissão após a exoneração de Valeixo; Bolsonaro nomeou um amigo para o cargo, Alexandre Ramagem; não conseguindo emplacar Ramagem, alçou o subordinado dele na Abin, Rolando Alexandre de Souza, ao cargo, e este, como primeiro ato, mudou o superintendente da PF no Rio.

8 comentários

    • Vc já viveu em território controlado por milícias? Se sim, sabe o que acontece. Se não, dou uma pista: assim que o corona permitir, faça suas malas e mude de território.

  1. Lamentáveis dúvidas: 1) E será que depois disso o PGR vai engavetar a acusação e o STF vai aceitar com cara de paisagem? 2) Se a primeira dúvida tiver como respostas SIM e SIM, será que adianta continuar engolindo a mentira de que existe Justiça nesse país? 3) E se ficar claro que não existe mesmo e não apenas por culpa do criminoso Moro e sua gangue da lavajato ou por culpa da covardia do TSE quanto a cassarem a chapa da dupla boçal e mourão, então devemos todos praticar tiro para enfrentar a próxima guerra? 4) Mas se judicialmente a coisa andar e for necessário aprovação da maioria dos deputados federais para o impeachment, será que a cafajestice já bem caracterizada naquele antro vai se repetir e teremos que suportar a besta até a próxima eleição? 5) Mas se judicialmente a coisa andar e politicamente andar também, será que teremos que suportar outra múmia que representa os cafajestes fardados que gatunaram o recebimento de R$ 600,00 destinados aos mais vulneráveis…e essa múmia ficará até a próxima eleição? 6) E será que a besta poderá ainda ser reeleita pelos milhões que acreditarão que foi o governo da besta que os ajudou financeiramente na pandemia…e tal reeleição nos fará lamentar:QUANTOS IDIOTAS VOTAM NESSE PAÍS!!!!

  2. O Brasil está nas mãos da milícia liderada por um tirano grosseiro e alucinado que fala como se fosse um bebum de boteco na zona rural de Eldorado SP. Nosso país foi sodomizado pela Rede Globo em 2016. Em 2020 virou um Estado falido africano. Bolsonaro é um Idi Amin Dada branco.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome