#VazaJato: Quando a estratégia esbarra no óbvio, por J.P.

Agora imaginem: se o governo atual cai fácil numa estratégia de um jornalista inteligente, digo UM, imagina de outra nação?

#VazaJato: Quando a estratégia esbarra no óbvio, por J.P.

Porque o Intercept ainda não publicou mais vazamentos? Porque está esperando e vendo a infantil e amadora reação dos incautos e de seus poucos defensores no governo.

Reação está mostrando toda a sua “defesa” (óbvio em forma de ataque), ou seja, está deixando os amadores mostrarem todas as suas “cartas” ao jogo. E estão mostrando todas!

Ocorre que Glenn tem o tempo e o jogo todo nas mãos. Quem dita. Bastou mostrar, acredito eu, uma carta média e o oponente abriu seu jogo todo assustado.

O material recebido é mais vasto do que o da NSA/Snowden. Agora ele e sua equipe, que inteligentemente está espalhada pelo mundo, irá procurar dentro de tal vasto material tudo o que “contra ataca” o que os amadores declararam antes.

Crucificaram tanto os advogados criminalistas e, como amadores, achavam que tudo se resolve (verbo presente) com assessoria de imprensa…  sempre é dito aos advogados “nunca advogue em causa própria questões que fogem para o emocional”, é mais ainda, o outro lado do balcão é outra paisagem.

Bom, só posso dizer que em estratégia, perderam feio e serão encaçapados. E pior, por um advogado americano; de país este ao qual idolatram! O amadorismo é tão grande que posso dizer que nem estratégia tiveram, mas um amontoado visto que nem pensaram num plano “B”, quanto mais um “C” ou um “D”.

Todo estrategista sabe que tudo é dinâmico e que para cada passo há novas premissas que surgem devido à consequência daquele. E novas decisões e hipóteses não podem ser pensadas com o fígado. E todo bandido inteligente sempre pensa antes em sua defesa caso seja pego. Advogado criminalista não coloca toda a sua defesa na contestação. Espera para as alegações. Esse é o jogo. Essas são as regras gostando ou não. Essa é a REALPOLITIK. O sentimento de onipotência cega a realidade. O amador não tem esse conhecimento e se deixa levar. Por isso era praxe na Antiga Roma, que todos os generais ao fazerem seu triunfo pelas vias principais da cidade um escravo sussurrava em seu ouvido a todo momento: “você é um mortal, você é um mortal”.  Agora imaginem: se o governo atual cai fácil numa estratégia de um jornalista inteligente, digo UM, imagina de outra nação?

Leia também:  O problema do Brasil é a falta de oportunidades, por Paulo Gala

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

5 comentários

  1. O Glenn só mostrou 2 por cento? Não seria blefe? E o dono do Intercept, o tal magnata do Vale do Silicio? Será o Glenn tão livre qto parece? É bom esperar um pouco pra não lhe darmos um prêmio antecipado.

    1
    1
  2. Aos pingos…
    muito bom para identificar e desnudar agentes recrutados pela CIA para “desclassificar” informações

    já deve estar passando a mão e os olhos na bunda de alguns, poucos,mas, de saber reto e traidor

  3. Esperar até quando? Antes ou depois da ida do ministro ao senado? Esse negócio de cinema, esperar o cara se aprumar para dar outra lambada é cinema. O que não é nosso caso.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome