O desastre elegeu Bolsonaro?, por Ricardo Cappelli

Quando “contratou” a Constituição de 88, a população esperava por dias melhores. Por que a democracia não trouxe prosperidade? O que deu errado?

Foto José Cruz - Agência Brasil

O desastre elegeu Bolsonaro?

por Ricardo Cappelli

O maior período democrático de nossa história é também o de mais baixo crescimento. Quando “contratou” a Constituição de 88, a população esperava por dias melhores. Por que a democracia não trouxe prosperidade? O que deu errado?
Segundo o economista Márcio Pochmann, entre 1980 e 2020 o capitalismo brasileiro viveu um período de decadência, com crescimento médio pouco acima de 2%. São 40 anos de estagnação, com duas décadas perdidas.
Nos anos 30, com uma visão desenvolvimentista, iniciamos um processo de industrialização, urbanização e profissionalização do aparato estatal.
O Brasil foi o segundo país que mais cresceu no mundo entre 1930 e 1980, com uma taxa média de 6% ao ano. Uma modernização conservadora que não enfrentou os graves problemas de concentração de riqueza e renda. Mas tínhamos um crescimento “chinês”.
Em 1930, o PIB brasileiro representava 0.8% do PIB mundial.  Em 1980, passamos a responder por 3.2%. Em 2020, regredimos para apenas 2%.
A crise dos anos 80 transferiu renda dos mais pobres para o andar de cima e desestruturou a economia. Passou a ser mais vantajoso especular no mercado financeiro do que produzir. Nossos industriais viraram rentistas e importadores.
O problema da inflação foi resolvido somente em 1994 com o Plano Real. O endividamento foi resolvido já nos anos 2000. Mas nossos problemas estruturais históricos ficaram sem solução.
Temos uma estrutura tributária vergonhosamente injusta. Só Brasil e a pequena Estônia não tributam a distribuição de lucros e dividendos. O que justifica a alíquota máxima do imposto de renda de 27,5% para os mais ricos? Por que a tributação incide sobre o consumo e não sobre a renda e o patrimônio?
Vivemos um processo galopante de desindustrialização. A participação de nossa indústria no PIB é hoje de menos de 10%. Incrivelmente, voltamos ao mesmo patamar de 1910.
Tivemos alguns momentos de bonança, mas com uma triste constatação. A esmagadora maioria dos empregos gerados foi de baixa qualificação, com remuneração de até dois salários mínimos.
Cerca de 4/5 dos empregos brasileiros estão hoje no setor terciário.
As conseqüências são dramáticas. Em 1985, perto de 3% dos brasileiros recebiam alguma transferência de renda do governo federal. Em 2014, esse percentual saltou para 26%. Mais de 1/4 da população passou a depender de pensões, aposentadorias ou de outros programas federais.
Se no final da década de 80 o país possuía 90 mil pessoas em suas penitenciárias, 30 anos depois temos perto de 900 mil brasileiros encarcerados. A prisão foi a “saída” apresentada para um crescente exército de excluídos pelo sistema.
O avião nunca cai por um único motivo. Conspiração internacional movida por interesses geopolíticos? Máquina de fake news? Corrupção? Desastre econômico? Ausência de um projeto nacional de desenvolvimento? O mais provável é que a “caixa-preta” revele a conjunção destes fatores.
Bolsonaro surfou neste insucesso apresentando-se como a negação da Nova República. Convenhamos, não foi uma tarefa difícil.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Onde está a esquerda árabe-brasileira? Iniciando o debate, por Bruno Beaklini (Bruno Lima Rocha Beaklini)

5 comentários

  1. O Brasil, considerando-se todos os brasileiros, nunca, nunca, nunca viveu tão feliz, tão bem, tão esperançoso, como no período de 2000 a 2014. Aí veio um golpe que elegeu Bolsonaro. Nem os golpistas imaginavam essa monstruosidade. Bolsonaro não SE elegeu, ele FOI eleito, pode parecer a mesma coisa mas não é, nunca teve condições próprias para ser presidente, chegou lá após os golpistas, com STF, com tudo, terem destruído caminhos democráticos alternativos. Alguém se lembra que mesmo com tudo o que aconteceu, com a terra arrasada, Globo, fake news, esquerda desunida, fuga para Paris, etc., etc., Haddad esteve perto de evitar a catástrofe ?

    9
    2
  2. “…O avião nunca cai por um único motivo. Conspiração internacional movida por interesses geopolíticos? Máquina de fake news? Corrupção? Desastre econômico? Ausência de um projeto nacional de desenvolvimento? O mais provável é que a “caixa-preta” revele a conjunção destes fatores…”…O Brasil foi o segundo país que mais cresceu no mundo entre 1930 e 1980, com uma taxa média de 6% ao ano…”…Quando “contratou” a Constituição de 88, a população esperava por dias melhores. Por que a democracia não trouxe prosperidade?…” TUDO ISTO É UMA FALÁCIA !!! Uma justificativa para que Elites do Estado Ditatorial Caudilhista Absolutista Assassino Esquerdopata Fascistas e protejam das consequências dos projetos ditatoriais errados, corruptos e criminosos que impuseram a uma Nação, desde o momento que destruiu Governos Livres, Republicanos e Democráticos que tínhamos até 1930. Quando tivemos Democracia? Na farsante Redemocracia dos anos de 1980? Na fraude de Constituição Cidadã? Redemocracia e Constituição Cidadão era este LIXO? Este Estado Absolutista destes 40 anos que é Democracia? E querem insistir nesta aberração? A partir de década de 1930, o Mundo está se livrando de Governos Ditatoriais, Colonialistas e Fascistas, buscando a Democracia. O Brasil já possuiu tudo isto e faz o caminho inverso. Se enterra em Ditadura Fascista. O Mundo a partir da década de 1930 até a década de 1950, está arrasado, saindo das 2 maiores Guerras da Humanidade. Miserável, destroçado, faminto, desesperado, desempregado, doente, agonizante, moribundo, perdido. O Brasil pleno, vanguardista, soberano se enterra no atraso do qual o Mundo está se livrando. Bastou 1 década para que a Alemanha instalasse a Maior Fábrica de Automóveis fora de seu território, no país que está se tornando e inaugurando o “Terceiro Mundo”. O Planeta precisando de tudo, principalmente Dinheiro,, Recursos, Industrialização e Democracia, vê a Nação com maior capacidade da História para isto, se apartar de todo este Processo. Tem ainda hoje Aqueles que dizem ser Nosso Melhor Momento?!! Não é a Pátria da Surrealidade? O Nepotismo dos Familiares do fascista juntamente com Elites Esquerdopatas dos Satélites criados dentro deste Regime de Exceção durante os anos 30 e 40, prolongarão e preservarão tamanha farsa. O Brasil a partir deste momento até os dias de hoje, rumo a certeza do desastre, abismo e latrina será dirigido pelos Familiares do Fascista Getúlio Vargas e seus Asseclas Tancredo Neves, Leonel, Brizola, Juscelino Kubscheck, Gaspar Dutra, Aécio Neves, Ivete Vargas, Alzira Vargas, João Goulart, USP, UNE, OAB, Universidades Federais, Ditaduras de Federações como CREA, CFM,.. Quem está comandando o manche da tal Redemocracia nos anos de 1980? Um tal Tancredo Neves? Que não pensará duas vezes para obter o Poder em Eleição Indireta e cumplicidade com Líder do Estado Absolutista, um tal José Sarney? Mas deve ser tudo coincidência. Pobre país rico. Como será que chegamos até aqui? O que poderia dar errado? Mas de muito fácil explicação.

    1
    6
  3. O raciocínio do articulista não explica de forma alguma a eleição do Bolsonaro. O que elegeu o tenente foi o complô imprensa de esgoto, partido do judiciário, lavajato, Moro, rateadas do STF, PGR, MPF, exército de zumbis fascistas, evangélicos, rede Globo, e toda esta turma lederada pelas elites.

    2
    1
  4. Na década de 80, sofremos o problema da hiperinflação. Era causada pela Dívida Externa e não por excesso de gastos públicos, como sempre alegado. Equacionada a dívida, resolvemos a inflação. Porém, baseado na falsa ideia do motivo da inflação, entramos fundo nas reformas neoliberais, incluíndo o tripé econômico. Daí o baixo crescimento, exceto com Lula após 2008, já que essa crise permitiu ações desenvolvimentistas. Dilma deslocou-as para o lado de incentivos fiscais, o que provou ser um erro caro. Voltamos ao neoliberalismo e ao baixo crescimento.

  5. O autor do texto deveria assumir o pseudônimo de Ricardo Ferreira Gomes. Seria algo muito mais digno para quem preencheu pelo menos 50% do conteúdo do texto tirando do livro do Ciro Ferreira Gomes.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome