O Segredo de Lula, por Juan Arias

Foto: Ricardo Stuckert
 
 
Por Juan Arias
 
O Segredo de Lula
 
 
Tradução: GGN
 
Lula acabou de dizer que “será fácil para ele ganhar as eleições” e já está preparando uma nova turnê política, agora para o Estado do Rio. Lula esconde algum segredo para fazer essa declaração? Por que as eleições presidenciais de 2018 estão tão condicionadas a ele ser ou não candidato? Existe um consenso de que a presença de Lula na cena política brasileira perseguirá este país enquanto estiver vivo, livre ou na prisão. Apesar de todas as acusações e condenações por corrupção que caem sobre ele, ninguém se atreve a considerá-lo morto politicamente, porque um em cada três eleitores ainda é dele, seja ou não culpado.
 
O segredo da imortalidade política de Lula pode ser um psicólogo tão bom como ele é um político. Sua sensibilidade a conhecer os ângulos mais escuros e os fracos dos outros não é resultado de estudos acadêmicos. É um presente dele desde que ele se destacou como líder sindical em sua juventude. O jornalista José Neumanne Pinto, que é o autor do trabalho O que eu sei de Lula e que o seguiu todos os dias desde que ele começou a se destacar na união, o narra como alguém com grande faro para saber o que que gostariam de ouvir as platéias as quais se digire. Ele começou a falar sobre um tópico e, se percebeu que não engajava, ele mudava de assunto, até encontrar algo que excitasse o público, mesmo que fosse contraditório com o que ele havia começado a dizer.
 
Não sei se Lula é o melhor estrategista do Brasil. Talvez não seja no sentido acadêmico do termo, mas é em termos de seu “senso político”. Como os cães de caça que acompanham a presa, Lula sabe onde aperta o sapato dos outros e o que cada público quer ouvir, como fez quando ele era um jovem sindicalista. Não importa o que possa parecer contraditório, o importante é agradar a todos ao mesmo tempo.
 
Lembro-me de que, quando ainda não sabia o lado psicológico natural de Lula, fiquei surpreso um dia quando, como presidente, pela manhã, falou em São Paulo para um grupo de empresários que se queixaram da lentidão do Parlamento ao aprovar as leis. Lula disse a eles: “Não me tentem porque tenho um demônio dentro disso, quando eu levanto ele diz: “Lula, feche o Congresso!”. Foi o que os empresários queriam ouvir. Ele concordou que, na parte da tarde, teve que intervir no Congresso, que comemorou, não lembranbdo que era aniversário de sua fundação. Lula, que só sofreu um ano como deputado porque não gostava da atmosfera, fez naquela tarde uma grande defesa do Parlamento como algo indispensável para a democracia.
 
Ele provocou os banqueiros: “Você nunca ganhou tanto em outro governo”. Era verdade. O banco sempre gostou de Lula. No Brasil profundo, no nordeste pobre, em frente a seus seguidores, costumava dizer sapos e cobras sobre os ricos que “os impediram de sair da pobreza”. Lula sempre poderia ser ele e o contrário. E, além disso, ele sempre foi capaz de se juntar ao consenso e nunca foi extremista, como bem sublinhou meu parceiro Xosé Hermida, em um de seus artigos. Era talvez o seu maior sucesso político.
 
Para sair do dilema paralisante da ideologia, Lula cunhou uma definição de si mesmo que lhe deu sucesso: “Eu não sou nem de esquerda nem de direita: eu sou apenas sindicalista”. Isso o colocou acima das intrigas entre os dois lados para se propor como o candidato dos trabalhadores, que nos cobre a todos.
 
Essa obsessão por não parecer extremista eu notei a primeira vez em Brasília que o conheci junto com outros cinco correspondentes estrangeiros para fazer uma entrevista. Ele estava prestes a chegar ao Brasil para conhecer José María Aznar, então presidente do governo espanhol, do Partido Popular de direita. Quando a entrevista terminou, Lula me levou de lado e me perguntou: “Você acha que Aznar pensa que eu sou da extrema esquerda? Quando ele se encontrou com o presidente espanhol, a primeira coisa que ele disse foi: “Nem você, Aznar, é tão de direta como dizem na Espanha, nem eu como esquerdista como eles pensam aqui”. Sua preocupação era sempre poder sentar-se em todas as mesas de poder sem importar a cor da toalha de mesa.
 
Há dias, Lula, na esperança de voltar à presidência, disse: “Nem Bolsonaro é da extrema direita nem sou da extrema esquerda”. Sua obsessão por não parecer extremista está sempre presente. Lula sabe que os pobres não estão interessados ​​em sua ideologia, mas sim em que ele seja seu aliado; enquanto é suficiente para os ricos saberem que ele não é um Maduro. Ele nunca assustou os ricos. Ele sempre se sentiu confortável com eles.
 
Ninguém é mais capaz do que Lula de jogar com cartas ao mesmo tempo, e fazendo com que todos acreditem que estão ganhando. Ele sabe o que uns e outros gostam e seu método é tentar agradar a todos. É outro dos seus segredos. Também é dito por Neumanne em seu livro: “Lula aplicou com grande sucesso seu enorme talento para fazer amigos e ser influente, adotando o comportamento raro de ouvir a todos. Ele parece dar razão a cada um e nunca deixa o interlocutor com sensação de discórdia, mas não desiste de sua posição politicamente conservadora, ou melhor, sua posição pragmática”.
 
Dois casos emblemáticos de como Lula tentou agradar os pobres e os ricos: costumava dizer que os hospitais públicos brasileiros eram tão bons e modernos que as pessoas ainda queriam ficar doente para poder se hospitalizar. Não era verdade, mas os pobres gostavam de ouvi-lo. 
Ele também disse que com ele os pobres no Brasil “poderiam viajar de avião e sair de férias para Bariloche, Argentina”, e que o problema era que os ricos não queriam compartilhar aeroportos com os pobres em sandálias. Nem era verdade, mas os pobres estavam lisonjeados e os ricos não se ofenderam, porque sabiam que Lula, desde que deixara a presidência, nunca sentou em um vôo comercial ao lado de um pobre homem. Viajou nos aviões privados dos milionários.
 
Algumas pessoas não entendem que Lula, depois de todo o drama do impeachment de Dilma Rousseff, com o país enfurecido antes do conservador Temer, marcado como golpista e traidor, disse: “Eu não tenho mais idade para gritar Fora Temer!”. Entende-se, conhecendo a psicologia de Lula, que quer aproveitar tudo para adicionar em vez de subtrair.
 
Assim, explica-se que, apesar da crise no país, Lula já está armando acordos eleitorais com o pior da direita do PMDB, com os caciques mais corruptos desse partido. Lula sabe que, se ele for candidato e vencedor, ele precisará de apoio para poder governar. 80% do PMDB corrupto e do PP já governaram com ele e com Dilma. Muitos foram seus ministros e Michel Temer, vice-presidente da Dilma.
 
Goste ou não, Lula é um pragmatista que conhece como poucos as misérias e debilidades de uma classe política que era sua companheira no poder. Quando o então presidente do Uruguai, José Mujica, queria saber de Lula a origem do mesalão, o escândalo que levou lideranças do PT à prisão por ter comprado o Congresso, Lula respondeu com subliminarmente: “É que no Brasil há apenas uma maneira de poder governar “. Ele considerou uma fatalidade a que havia se submetido.
 
Lula sabe disso e o Congresso sabe disso. E hoje, mais do que nunca, os deputados e senadores estão presos nas redes de corrupção, com medo de cair nas mãos dos juízes; os corruptos se juntam em um abraço enquanto se afogam. Lula e os outros, à direita e à esquerda, sabem que, como nas mafias, os amigos são para sempre. Não existe outra maneira. Ele não se afasta ileso da máfia.
 
Hoje o governo de Temer, o Congresso – náufragos em um mar de problemas com a justiça – e Lula procuram um pacto de sangue que salve a todos.
 
Lula tem uma vantagem sobre outros políticos acusados ​​de corrupção. Não precisa procurar provas materiais para se defender contra as acusações dos juízes. Em sua estratégia, mais do que apresentar documentos atuais que citam sua inocência, o ex-presidente proclamou-se um “político perseguido”. O que o interessa é parecer discriminado por defender os pobres. Ele gritou na ONU. Nenhum de seus colegas acusados ​​de corrupção ousou tanto.
 
Fora ou dentro da prisão, presidente ou não, é muito possível que Lula continue vivendo atado à sua estratégia. Isto sem considerar o medo que começam a ter os políticos de uma possível delação premiada [um mecanismo legal pelo qual um réu denuncia pessoas que cometeram crimes de corrupção com ele em troca de uma redução de sua sentença] de Lula, o que poderia fazer tremer a República. Esta delação não existirá, não o interessa, pois mesmo na prisão Lula continuaria a aparecer como uma vítima. Ele continuaria a fazer política, dizem aqueles que o conhecem melhor.
 
Lula é assim, goste ou não. Ele nunca desistirá nem jogará a toalha. O final, apenas o destino irá dizer.

18 comentários

  1. A INCÓGNITA GERA DEZENAS DE

    A INCÓGNITA GERA DEZENAS DE INCERTEZAS E PARALISAM AS AÇÕES,NÃO SABEMOS SE LULA SERÁ CANDIDATO EMBORA TUDO INDIQUE QUE NÃO PELA FALTA DE NECESSIDADE DE SEGUIREM AS LEIS E TOTAL AUSÊNCIA POR CONIVÊNCIA DO PODER QUE TERIA A OBRIGAÇÃO DE GARANTIR AS NORMAS CONSTITUCIONAIS E O DIREITO E GARANTIAS INDIVIDUAIS. NEM SABEMOS SE TEREMOS ELEIÇÕES E ESTAMOS SOB O TERROR DA AUSÊNCIA DE REGRAS MÍNIMAS QUE NOS GARANTAM O EXERCÍCIO DA CIDADANIA,SOMOS ASSOLADOS PELO FASCISMO E DOMINADOS PELO BANDITISMO CONDUZINDO A NAÇÃO,ISSO JÁ É MOTIVO MAIS QUE SUFICIENTE PARA QUE PROCLAMEMOS NOSSA REVOLTA E PARTAMOS DE VEZ A REAÇÃO VISTO QUE A PREOCUPAÇÃO DAS LIDERANÇAS É SOMENTE COM ELEIÇÕES E FODA-SE O RESTO.A CORDA ESTÁ NO PESCOÇO DO POVO A FACA EM SEU UMBIGO E NINGUÉM COMPREENDE QUE A HORA É HOJE E NÃO O INCERTO AMANHÃ DAS ELEIÇÕES POIS QUANDO ACORDARMOS ESTAREMOS(OS QUE LUTAM) PRESOS OU ASSASSINADOS.JÁ NÃO TEMOS MAIS UM PAÍS,ESTAMOS SIM COLONIZADOS COM A CUMPLICIDADE DE TODOS OS PODERES DA REPÚBLICA POIS OS PODERES SOMENTE ALMEJAM O PODER ARROGANTE DE MANDO E OS PASTORES DE DÓCEIS CORDEIROS QUE NOS APASCENTAM COTIDIANAMENTE SE RIEM E SÓ SABEMOS EMITIR UM BÉÉÉ A CAMINHO DO ALTAR DOS SACRIFÍCIOS PARA DELEITE DA GENTE RICA. A CARNE MAIS BARATA DO MERCADO É TODA A CARNE VERMELHA,RUBRA DE VERGONHA QUE NÃO SE REBELA.

      • Voce depois que me aparteou
        Voce depois que me aparteou com alguns decibeis a menos no cerebro,esta se achando.Qualquer desavisado que vem apartear o mais laureado comentarista do Blog,,os argonautas daqui logo o transformeam no bezerro de ouro.Vais ter que ralar muito amigao.Para inicio de conversa,voce ja sabe quem e ESCOVAO?

  2. Mais uma página memorável do

    Mais uma página memorável do lambe-botas do grupo Prisa e dos tucanos. Ah, o sr. Arias, o sr. Arias. TAlvez a melhor obra dele tenha sido o obituário de Paulo Renato de Souza, quando disse candidatamente que o ex-ministro tinha morrido em um hotel quando ‘desfrutava de uns dias com sua família”. KKK, a família do morto nem sabia onde ele estava, mas o sr. Arias, ao que parece, sabia. É uma graça.

  3. Esta ai nesse belo texto de
    Esta ai nesse belo texto de Juan Arias,com pitadas de Jose Neumanne Pinto,por que sou um admirador incondicional de Lula.Ninguem,em tempo algum,captou a alma do politico Lula com o que eu acabo de ler.Se escrevesse novamente nao pareceria igual.

      • O grande mal dos argonautas
        O grande mal dos argonautas daqui,e voce nao foge a regra,e que despreza o habito da leitura.Pior,quando num esforco sobre humano,conseguem ler um texto nao entendem porra nenhuma,colocando a maxima do Papai em evidencia:Inteligencia nao se herda e cultura nao e Montepio.O Lula politico que conheco a fundo,o maior do Brasil e exatamente o que foca no texto,para o bem ou para o mal.Estamos no Brasil do Mister Colby mestre e so voce nao sabia?Por que voce acha que Lula esta buscando aproximacao com proceres golpistas que apearam
        a Presidenta Dilma do poder?Seria por seus lindos olhos que eu nao sei nem quero saber que cores sao?Quantos as estrelas que voce se refere como um trofeu de ouro 18,elas merecem todo o meu respeito,tanto quanto voce.

  4. Esta ai nesse belo texto de
    Esta ai nesse belo texto de Juan Arias,com pitadas de Jose Neumanne Pinto,por que sou um admirador incondicional de Lula.Ninguem,em tempo algum,captou a alma do politico Lula com o que eu acabo de ler.Se escrevesse novamente nao pareceria igual.

  5. Esta ai nesse belo texto de
    Esta ai nesse belo texto de Juan Arias,com pitadas de Jose Neumanne Pinto,por que sou um admirador incondicional de Lula.Ninguem,em tempo algum,captou a alma do politico Lula com o que eu acabo de ler.Se escrevesse novamente nao pareceria igual.Sem a falsa modestia,de Lula eu conheco tudo.

  6. Esta ai nesse belo texto de
    Esta ai nesse belo texto de Juan Arias,com pitadas de Jose Neumanne Pinto,por que sou um admirador incondicional de Lula.Ninguem,em tempo algum,captou a alma do politico Lula com o que eu acabo de ler.Se escrevesse novamente nao pareceria igual.Sem a falsa modestia,de Lula eu conheco tudo.

  7. A infame perseguição a Lula e Família

    Uma análise sobre Lula que usa José Nêumane para fundamentar, não merece qualquer credibilidade.

    Trata-se apenas de uma OPINIÃO de Juan Arias, muito mal fundamentada. E que serve para alimentar a perseguição a Lula e sua família.

  8. Citar neummane pinto como escritor
     

    e ainda crítico de Lula, para os meus olhinhos inocentes,  beira a obscenidade.

    O neummane não comenta, tartamudeia a seu bel prazer, sob uma ótica virulenta e limitada.

    Que me desculpem seus fãs.

    Ele, mesmo falando bem de alguém, fala mal.

    Quando o vejo comentar na tv me vem a insistente pergunta:

    Ele é parente de quem?

    Quem dá dinheiro pra esse cara falar ?

    Para mim, ele é, física e intelectualmente  ” redículo ” , isto é, ridículo em rede.

     

  9. Arias, Neumane e o Globo se merecem…
    Nassif, convenhamos que Juan Arias se esquecer de que Lula resgatou entre 30 e 60 milhões de pessoas da miséria – número que, para os 46 milhões de habitantes da Espanha, demonstraria seu intento político sem margem para dúvidas – e recorrer ao comentarista político do Estadão para traçar seu perfil equivale ao El País recorrer a um discípulo de Torquemada para avaliar os 350 anos da Inquisição Espanhola ou perseguição e tortura de judeus e mouros. Conseguir tal redução de desigualdades sociais sem derramar nenhuma gota de sangue (sem, por exemplo, o um milhão de mortos durante os três anos da guerra civil espanhola) é o verdadeiro segredo de Lula, faltando a Juan Arias apenas um detalhe para completar perfil sem incorrer em falsidade alguma: o regime de presidencialismo de coalização brasileiro exige que o governante seja de centro e procure agradar a todos, sob pena de não governar, jamais conseguir reduzir as desigualdades ou, mesmo assim, ganhar a eleição e sofrer um impeachment apoiado por quantos lucram com a manutenção das desigualdades ou, agora, com o fim das conquistas trabalhistas seculares. Como ex-padre e ex-correspondente no Vaticano, Arias é o próprio Santo Ofício inquisitorial ao nivelar Lula a Temer e demais corruptos e mafiosos nacionais e internacionais de que seria “colega”; chegando ao desplante de insinuar que Lula “aparenta” ser vítima, sem precisar de fazer uma delação premiada que faria tremer a República. Para quem escrevia que Lula escolheria Serra, e não Dilma, para suceder-lhe, e que esta lutava não contra a ditadura militar mas, sim, para implantar a ditadura do proletariado, Arias, José Neumane e o Globo (ou a “imprensa paladina contra a corrupção”, como definiu) se merecem.

  10. ruindades

    A tradução está ruim, mas o texto de Arias é muito pior (desonestidade intelectual mandou lembranças). Isso pra não falar da magnífica fonte que ele utiliza e a partir da qual diz ter tirado suas conclusões.

    Nos comentários, há quem questione a publicação de semelhante lixo. Mas há coisas que são tão ruins, mas tão ruins, que vale a pena lê-las. Mesmo que seja com um esgar. Porque precisamos saber até onde eles conseguem chegar ir.

    Não, Lula não é perfeito. Ninguém é. Mas quando leio uma coisa dessas, só posso dizer: VIVA LULA!

  11. O texto sobre política mais

    O texto sobre política mais despolitizado que já li. Neumane Pinto, o Gabiru do Estadão, é um desses jornalistas que, definitivamente, não prima pela objetividade jornalísitica. O contexto em que ele e Árias descrevem Lula, é o de mafiosos que querem apenas sobreviver a qualquer custo. Ignoram forças sociais e econômicas bem como disputas interregionais e de classe. Neumanne Pinto é um daqueles “jornalistas pagos para odiar”. Criatura nascida dos Diários Associados do Assis Chateaubriand.  Reza a lenda que chegando o natal , Assis Chateuabriand teria convocado o David Nasser para fazer uma reportagem sobre Jesus, ao que o repórter teria dito: ” uma reportagem contra ou a favor, patrão?”. Esse é o jornalismo de Neumanne Pinto.

  12. Não deveria voltar a assunto

    Não deveria voltar a assunto tão controverso,mas verdadeiro,visto que,vocês não possuem o hábito da leitura o que torna os meus escritos quase um monologo.Se Lullla não fosse um politico brasileiro,conhecedor profundo da alma dela,eu até que concordaria com alguns gatos pingados.Sou adepto incondicional da “Realpolitik”(acho que Zé Dirceu também),por que no Brasil não existe outra(pelo menos até agora) forma de se fazer politica,que não essa.Um simples exemplo que possa caber na cabeça de vocês:Se Lullla não buscar uma reaproximação com alguns dos proceres golpistas,ele vai dar com os burros n’agua.Tapem o nariz para o que vou falar:Ou metem a mão na merda,ou bilú bilú teteteia.Perdão.Quem disse essa verdade foi Paulo Betty,eu não sou dado a pornofonias.Simples assim. 

  13. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome