Sobre Alvim, Olavo de Carvalho, Israel e o que de fato ocorreu ontem nesse país presidido por um sujeito expulso do Exército, por Lucia Helena Issa

Jair Bolsonaro não demitiu Roberto Alvim porque ama a democracia ou os direitos humanos

Foto Reuters

Sobre Alvim, Olavo de Carvalho, Israel e o que de fato ocorreu ontem nesse país presidido por um sujeito expulso do Exército

por Lucia Helena Issa

O que de fato  aconteceu ontem nesse triste país presidido por um-nazifascista-expulso-do-exército-que-homenageia-torturadores-é um discípulo de Olavo de Carvalho-o psicopata-que-ensina-que-nazismo-é-de-esquerda-que-as-Cruzadas-foram-feitas-por-bondade-e-que-a-ditadura-brasileira-matou-pouco-e-foi-muito-humana?

1) Jair Bolsonaro não demitiu Roberto Alvim porque ama a democracia ou os direitos humanos, ou porque se envergonha de manter um nazista entre seus homens de confiança.

Ele o demitiu porque foi forçado a isso pela Confederação Israelita do Brasil e por Israel, um  país de apenas 70 anos de existência que se tornou um dos maiores violadores de direitos humanos do mundo, um país assustadoramente sionista que já matou milhares de mulheres e crianças palestinas e que é hoje uma das principais “referências morais” de Jair Bolsonaro.

2) Tudo em Roberto Alvim é falso ou plagiado, não apenas o discurso horrendo em que copiou um parágrafo inteiro de Joseph Goebbles (e não apenas uma frase, como ele afirma), mas até mesmo seu nome. O nome verdadeiro de Alvim é ROBERTO REGO.

3) O Nazismo jamais foi de esquerda, como afirmou Bolsonaro na saída do Museu do Holocausto em Israel, causando imensa indignação no diretor do Museu e em israelenses que lutam pela paz. Escrevi inúmeros artigos sobre isso e uma das maiores provas disso é que as maiores vítimas do Holocausto foram os judeus, os comunistas, as mulheres e os Homossexuais.

Leia também:  Parlamentares apresentam Nota de Repúdio na Câmara contra o presidente Jair Bolsonaro

4)  O Nazismo, para quem nunca leu livros de história europeia básica, como Olavo de Carvalho, só foi derrotado pela União Soviética, e não pelos norte-americanos. Só foi derrotado quando Hitler invadiu a União Soviética em pleno inverno. Milhões de mulheres e homens russos perderam suas vidas lutando contra o Nazismo. Estive no ano passado em Moscou e centenas de imagens, documentos e monumentos comprovam essas mortes históricas. Exatamente por isso, a Alemanha e uma parte da Europa passaram para o domínio soviético depois da II Guerra Mundial. Não foram os americanos que derrotaram Hitler, como afirmam os boçais seguidores de Olavo de Carvalho, mas os soviéticos. Isso é um FATO, não uma opinião.

5)  Alvim estaria PRESO na manhã de hoje se vivesse na Alemanha por apologia ao nazismo.

6) O projeto de poder de Bolsonaro, excludente, racista, pleno de ódio e nefasto, é muito mais perigoso para o Brasil do que um sujeito como o pseudo Roberto Alvim (na verdade, Roberto Rego) .

7) O novo  projeto  “cultural” de Bolsonaro (que tem Olavo de Carvalho como seu mentor absoluto) de premiar com milhões de reais ‘artistas’  que reescrevam a história do Brasil glorificando torturadores e ditadores, demonizando os muçulmanos, e as religiões afro-brasileiras, demonizando a Teologia da Libertação, justificando a perseguição religiosa, justificando a exclusão e o racismo, permanece de pé e é muito mais perigoso para o Brasil do que o despreparado e pseudo cristão Roberto Alvim, ou melhor, Roberto Rego.

Lucia Helena Issa é jornalista, escritora e embaixadora da paz por uma organização internacional. Foi colaboradora da Folha de S.Paulo em Roma. Autora do livro “Quando amanhece na Sicília”. Pós-graduada em Linguagem, Simbologia e Semiótica pela Universidade de Roma. Atualmente, vive entre o Rio de Janeiro e o Oriente Médio e está terminando um livro sobre mulheres palestinas que lutam pela paz.

42 comentários

  1. A ignorância se tornou um argumento irrefutável pois, a fim de não largar o osso, o Nazi-fascista sem pedigree Alvim afirmou em sua defesa:

    “Eu não conhecia a origem disso”.

    12
    1
    • MP nas mãos da Familica e mais: PF, STF, STJ…..não tem pra onde pedir justiça.
      Tal qual a familia Saud que esquarteja jornalista, a familicia Bolsonaro quer um pais pra chamar de seu ?

      7
      1
    • “Ora. e pra existe mp?”
      R.: para sugar o sangue dos brasileiros que trabalham e se aliar a interesses externos para destruir o Brasil.

      11
      1
  2. Junto com tudo isto que foi lembrado e talvez até pior, é o Guedes que não tem compromisso algum com o país e só pensa nos cifrões de hoje. Quando terminar sua passagem pelo governo, deixa o país (do “Deus acima de tudo” para o “deus-dará”). A nação com seu povo desassistido para lidar com um mundo em transformações abruptas.

    19
    4
  3. Disse tudo…
    os próprios nazistas reconheceram que foram derrotados pelos soviéticos

    quanto ao projeto Bolsonaro, hás de ser lido meu Brasil como o país que permitiu a volta do nazismo

    11
    4
  4. Bozonaro quer um pais pra chamar de seu, tal qual a Familia Saud, dona da Arabia Saudita e tudo bem para os irmãos do Norte

    13
    3
  5. Seria interessante observar onde esse Roberto Rego irá trabalhar.
    Tenho comigo que essa foi uma grande armação sionista não para derrubar essa figura mas para impedir a derrubada dos sionistas e suas relações da Secom e,de quebra,ainda fazer o ocupante da cadeira da presidência da República parecer que não é um nazista e sua manada voltar a acreditar que o nazismo é de esquerda.
    De qualquer forma, fica cada vez mais evidente que nosso país não tem presidente e sim um boneco de ventríloquo manejado pelo sionismo travestido de mercado financeiro e que,para manter isso,nunca se negarão a queimar os seus desde que mantenham o boneco funcionando.

    16
    7
  6. Faltou escrever que também mataram padres e cristãos. Ou a vida desses é menos interessante?

    E só pra constar sobre o “fascismo” do Bolsonaro. Que em 2019 diminuiu 24% o n. de mortes de LGBTQI+, comparação ao governo do PT.

    15
    29
    • Só podia ser bolsominion. Pelo contrário, as mortes de mulheres, LGBTQs, negros, indígenas, líderes de movimentos sociais, sem terras e outras minorias aumentou por causa do estímulo dado pelo miliciano corrupto na presidência. Quanto aos seus cristãos, 99% dos cristãos evangélicos apoiaram Hitler e o nazismo. A única exceção foram alguns grupos católicos (Rosa Branca) e os TJ, estes por causa unicamente da recusa ao serviço militar. Vá estudar, bozonarista.

      6
      1
  7. E só pra constar sobre o “fascismo” do Bolsonaro. Que em 2019 diminuiu 24% o n. de mortes de LGBTQI+, comparação ao governo do PT.

    4
    17
  8. Não sou bolsonarista, mas dizer que ele é nazifacista é totalmente incorreto.
    O nazismo, ou nacional socialismo foi uma ideologia defendida por Hitler e seus seguidores que defendiam que os alemães, os arianos eram superiores aos outros povos e que eles deveriam eliminar os judeus, ciganos, pessoas com deficiência mental, que eram considerados indignos à vida e deveriam colonizar os territóro chamado local vital.
    Porisso a invasão da Polônia.
    Defendiam, que deveria haver colaboração entre as classes de arianos para combater a pobreza.
    O faciismo, inicialmente não era antissemita, defendia a existência de proletários e empresários e que todos deveriam unir para o desenvolvimento do país.
    Bolsonaro não defende nenhuma das duas ideologias, ele é liberal na economia, tem como mentor Paulo Guedes.
    Que é bom lembrar é amigo de Joaquin Levy, que fez parte de um governo dito de esquerda.
    A existência de Israel é legítima, os judeus precisam de um lugar para morar, assim como os brasileiros, os cubanos, os russos…
    Em relação a situação/conflito com a palestina podemos discutir excessos de ambos os lados e punir os responsáveis, além de mediar uma solução pacífica, porquê os dois grupos não podem viver em um estado laico, com um governo de qualisão? ou porquê não se pode criar um estado da Palestina?
    Sobre a demisão, até bolsonaristas históricos, como Olavo de Carvalho o criticaram, Bolsonaro não teve escolha, atendeu aos apelos populares.
    Quanto a seu projeto artístico, acho desnecessário este prêmio, é preciso diminuir os benefícios da lei Roanete, precisamos investir em saúde, educação, e infra estrutura, é verdade que ele quer exaltar os portuguêses, mas não é verdade que ele quer demonizar outras religiões.
    Devemos falar e respeitar as religiões afro brasileiras, como o candomblé e a hubanda, devemos falar sobre elas nas escolas, mas não podemos incentivar nossos jovens a converter à elas, ele deve o fazer apenas se isto partir dele e ele sentir esta necessidade para sua vida pessoal.

    3
    11
    • Anônimo, você está equivocado, o fascismo sempre foi antisemita, o próprio Hitler elegeu os judeus como “bode expiatório” para a derrota na Primeira Guerra.
      Paulo Guedes é bom lembrar, é um dos “Chicagos Boys, um grupo de economistas que foram estudar nos EUA, boa parte deles são chilenos, que retornaram ao país e implementaram, na Ditadura Pinochet, a famigerada Reforma da Previdência, que Guedes implantou aqui. Depois de 40 anos, 80% da população chilena, sobrevive à duras penas. Quero que Guedes e o Presidente que você adora vivam 120 anos, com saúde, para verem o fruto de vossas obras.
      A existência de Israel não é legítima e atendeu a interesses de banqueiros judeus, principalmente ingleses. Até em Israel, o referido Estado é contestado, inclusive pelo Partido Likud.
      Outra inverdade que você citou: Bolsonaro demitiu o Secretário de Cultura atendendo aos apelos populares. Não, ele demitiu para não ficar mal com a comunidade judaica, em outro contexto, autoritário que é, teria mantido o secretário.

  9. Faz afirmações mentirosas sobre Israel e Sionismo. Deve procurar saber mais sobre história do pais e direitos humanos. “Assustadoramente sionista” significa o que? Israel existe em razão do sionismo. Essa jornalista não deveria se meter em temas que desconhece.

    2
    15
  10. Falar que só a URSS derrotou a Alemanha é muita ignorância e injustiça com os outros países.

    Os soviéticos passaram boa parte da guerra lutando na defensiva, em um front só, contra um inimigo com no mínimo 3x menos homens, com menos recursos e que estava lutando em outras frentes.

    Os EUA derrotaram os japoneses no pacífico e ajudaram e muito todos os outros países com suprimentos, tecnologias e armas. Sem os EUA a URSS iria perder fácil numa guerra de dois fronts.

    Na batalha de Moscou, na qual os soviéticos ganharam por muito pouco, os soviéticos utilizaram muitos tanques britânicos. Durante a guerra, os soviéticos usaram milhares de jeeps americanos, sem falar em outros itens essências, isso por si só foi um fator decisivo para suprir as tropas nas péssimas estradas russas.

    Não é com achismo que o bolsonarismo vai ser derrotado, é exatamente isso que nos colocou aqui.

    2
    6
  11. Acima, como sempre, tentam comparar governo do PT com o desta aberração atual. Chegam a afirmar, sem referencia alguma, que neste periodo sombrio de 2019 foram mortos menos 24%
    Mas esta comparando que periodos? Menos de 1 ano de desgoverno do fascistoide (concordo que nem fascista consegue ser) com 12 (doze) anos de PT?
    Fosse real o dado (não garanto pois não tem referência), mantendo-se (espero que não) este governo infame, em meados de 2020 igualaria o número de mortes ocorridas em 12 anos (desconsidero os ultimos 2 anos em que dilma foi impedida de governar).
    Quanto a nao ter sido expulso, aconteceu com este infame o mesmo que a outro infame, o cap. Wilson (que tentou explodir o Riocentro): um grupo descompromissado com os objetivos do verdadeiro exército brasileiro, acochambrou e livrou a lata do meliante. Possivelmente este grupo ainda sustenta este caos que fornece a navegabilidade das ações nazistas que boiam como estrume neste mar de absurdos.
    Retornando ao artigo, destaco o trecho “novo  projeto  “cultural” de Bolsonaro (que tem Olavo de Carvalho como seu mentor absoluto) de premiar com milhões de reais ‘artistas’  que reescrevam a história do Brasil glorificando torturadores e ditadores, demonizando os muçulmanos, e as religiões afro-brasileiras, demonizando a Teologia da Libertação, justificando a perseguição religiosa, justificando a exclusão e o racismo…”
    Que este projeto continue, pois será importante que também no meio cultural sejam identificados os que negam a verdade e apoiam o nazifascismo, o que, necessário reconhecer, não é ignonimia exclusiva de Regina Duarte ou Suzana Vieira.

    10
    • Complementando em maiúsculas dois parágrafos:
      a) … foram mortos menos 24% ENTRE MEMBROS DA COMUNIDADE LGBT+…
      b) …Quanto a nao ter sido expulso DO EXÉRCITO BRASILEIRO…

  12. aqui estão os pior comentários dos idiotas úteis e funcional do país que acredita nesse jornaleco meia boca que só prega informação mentirosa pra vê o país si acaba esses idiotas úteis acredita ! vão si trata seus demente e para de fala merda e investiga certo as coisas no Brasil e não fica acreditando nesses jornalistas de merda e meia boca que é o que mais tem nesse Brasil porque pra eles a mamata acabou né por isso que tão bravinho assim ? já que vcs elogia a Rússia e acha que lá é bom vai pra lá pra vê com quantos pau si faz uma canoa aí vcs vão o que é fasçismo de verdade ? seus mentiroso de merda !

    18
  13. Ygor, você pode ler o relatório feito pelo exército sobre as atividades do capitão (está no google) e verificar que ele foi a julgamento por “não conformidade” no jargão militar e todos esperavam a sua expulsão com desonra. Surpreendeu a todos, inclusive aos militares que a expulsão não ocorreu (muito provavelmente por intervenção de alguns oficiais superiores) e ele tenha sido obrigado a passar para a reserva remunerada. Isso se chama desonra, pois interrompeu a sua carreira cujo objetivo era a de chegar ao mais alto posto como seus contemporâneos chegaram, ser general.

  14. Prezada Srta Lúcia Helena embaixadora….

    Segue a contribuição de Israel, assustadoramente sionista e violadores dos direitos humanos. Para o mundo, seja direita ou esquerda;

    Desde seu lançamento, em 1901, o Prêmio Nobel foi conferido a 700 personalidades, sendo que 152 delas são judeus. Observe a lista abaixo:

    Literatura
    1910 – Paul Heyse
    1927 – Henri Bergson
    1958 – Boris Pasternak
    1966 – Shmuel Yosef Agnon
    1966 – Nelly Sachs
    1976 – Saul Bellow
    1978 – Isaac Bashevis Singer
    1981 – Elias Canetti
    1987 – Joseph Brodsky
    1991 – Nadine Gordimer World
    2002 – Imre Kertesz
    2004 – Elfriede Jelinek

    Paz
    1911 – Alfred Fried
    1911 – Tobias Michael Carel Asser
    1968 – Rene Cassin
    1973 – Henry Kissinger
    1978 – Menachem Begin
    1986 – Elie Wiesel
    1994 – Shimon Peres
    1994 – Yitzhak Rabin
    1995 – Joseph Rotblat

    Economia
    1970 – Paul Anthony Samuelson
    1971 – Simon Kuznets
    1972 – Kenneth Joseph Arrow
    1975 – Leonid Kantorovich
    1976 – Milton Friedman
    1978 – Herbert A. Simon
    1980 – Lawrence Robert Klein
    1985 – Franco Modigliani
    1987 – Robert M. Solow
    1990 – Harry Markowitz
    1990 – Merton Miller
    1992 – Gary Becker
    1993 – Robert Fogel
    1994 – John C. Harsanyi
    2002 – Daniel Kahneman.

    Medicina:
    1908 – Elie Metchnikoff,
    1908 – Paul Erlich,
    1914 – Robert Barany,
    1922 – Otto Meyerhof,
    1930 – Karl Landsteiner,
    1931 – Otto Warburg,
    1936 – Otto Loewi,
    1944 – Joseph Erlanger e Herbert Spencer Gasser,
    1945 – Ernst Boris Chain,
    1946 – Hermann Joseph Muller,
    1950 – Tadeus Reichstein,
    1952 – Selman Abraham Waksman,
    1953 – Hans Krebs e Fritz Albert Lipmann,
    1958 – Joshua Lederberg,
    1959 – Arthur Kornberg,
    1964 – Konrad Bloch,
    1965 – Francois Jacob e Andre Lwoff,
    1967 – George Wald,
    1968 – Marshall W. Nirenberg,
    1969 – Salvador Luria,
    1970 – Julius Axelrod,
    1970 – Sir Bernard Katz,
    1972 – Gerald Maurice Edelman,
    1975 – David Baltimore e Howard Martin Temin,
    1976 – Baruch S. Blumberg,
    1977 – Rosalyn Sussman Yalow e Andrew V. Schally,
    1978 – Daniel Nathans,
    1980 – Baruj Benacerraf,
    1984 – Cesar Milstein,
    1985 – Michael Stuart Brown e Joseph L. Goldstein,
    1986 – Stanley Cohen e Rita Levi-Montalcini,
    1988 – Gertrude Elion,
    1989 – Harold Varmus,
    1991 – Erwin Neher e Bert Sakmann,
    1993 – Richard J. Roberts e Phillip Sharp,
    1994 – Alfred Gilman e Martin Rodbell,
    1995 – Edward B. Lewis,
    1997 – Stanley B. Prusiner,
    2000 – Eric R. Kandel e
    2002 – H. Robert Horvitz.

    Física:
    1907 – Albert Abraham Michelson,
    1908 – Gabriel Lippmann,
    1921 – Albert Einstein
    1922 – Niels Bohr,
    1925 – James Franck,
    1925 – Gustav Hertz,
    1943 – Gustav Stern,
    1944 – Isidor Issac Rabi,
    1952 – Felix Bloch,
    1954 – Max Born,
    1958 – Igor Tamm,
    1959 – Emilio Segre,
    1960 – Donald A. Glaser,
    1961 – Robert Hofstadter,
    1962 – Lev Davidovich Landau
    1965 – Richard Phillips Feynman e Julian Schwinger,
    1969 – Murray Gell-Mann,
    1971 – Dennis Gabor,
    1973 – Brian David Josephson,
    1975 – Benjamin Mottleson,
    1976 – Burton Richter,
    1978 – Arno Allan Penzias e Peter L Kapitza,
    1979 – Stephen Weinberg e Sheldon Glashow,
    1988 – Leon Lederman, Melvin Schwartz e Jack Steinberger,
    1990 – Jerome Friedman,
    1992 – Georges Charpak,
    1995 – Martin Perl,
    1995 – Frederik Reines,
    1996 – Douglas D. Osheroff e David M. Lee,
    1997 – Claude Cohen-Tannoudji,
    1999 – Martinus J. Godefriedus Veltman,
    2002 – Raymond Davis,
    2003 – Vitaly Ginzburg,
    2004 – David J. Gross e David Politzer.

    Química:
    1905 – Adolph Von Baeyer,
    1906 – Henri Moissan,
    1910 – Otto Wallach,
    1915 – Richard Willstaetter,
    1918 – Fritz Haber,
    1943 – George Charles de Hevesy,
    1961 – Melvin Calvin,
    1962 – Max Ferdinand Perutz,
    1972 – William Howard Stein,
    1977 – Ilya Prigogine
    1979 – Herbert Charles Brown,
    1980 – Paul Berg e Walter Gilbert,
    1981 – Roald Hoffmann,
    1982 – Aaron Klug,
    1985 – Albert A. Hauptman e Jerome Karle,
    1986 – Dudley R. Herschbach,
    1988 – Robert Huber,
    1989 – Sidney Altman,
    1992 – Rudolph Marcus,
    1998 – Walter Kohn,
    2000 – Alan J. Heeger,
    2004 – Avram Hershko e Aaron Ciechanover.

    Como a Srta pode perceber, a lista está desatualizada. Mas, seu comentário é absolutamente descontextualizado.
    Se informe mais sobre oriente médio. Veja o que os palestinos que não são manipulados pelo regime antisiononista pensam sobre Israel. Verá eles dizendo, lá tem emprego, faculdades, hospitais etc….
    Infelizmente muitos palestinos são massa de manobras dos terroristas que implantam a política do medo e do terror sob a seu próprio povo. Compare as incursões do exército de Israel e compara os efeitos de um homem bomba. Aí a Srta embaixadora da paz, vai dizer é uma minoria que é terrorista. De, fato bastou 19 terroristas para por uma nação poderosa de joelhos. Lembra do Word Trade Center? Pois é! Então cuida do que propaga, a minoria nazista na Alemanha foi responsável pelo maior massacre da história. Acho que a Senhora não foi feliz em seus comentários.
    Abcs!

    1
    14
    • Quanta bobagem sionista: o fato de judeus ganharem prêmios nobel não muda o fato de Israel ser um estado violador dos direitos humanos dos palestinos desde sua fraudulenta fundação. Israel já foi condenado várias vezes pela ONU e só não sofreu sanções por causa do seu guarda costas global, os Estados Unidos.
      O fato de alguns judeus defenderem os direitos humanos não anula a violência racista e genocida do estado de Israel, atualmente governado por um corrupto e fascista.
      Israel é um estado criminoso que foi fundado criminosamente por pressão da Grã-Bretanha. A invasão das terras palestinas é a razão de Ben Gurion fundar Israel em 1948, depois de atentados terroristas, massacres de palestinos e árabes. Eu já tive muita simpatia por Israel; hoje, se dependesse de mim, este estado fascista, corrupto e genocida seria varrido da face da terra. Abraços, sionista, o dinheiro de vcs nunca comprarão todo mundo.

  15. Cleyd, você insinua que os EUA, praticamente, venceram a guerra sozinhos. Se gabar que os norte- americanos venceram os japoneses no Pacífico, não é muita coisa, pelo contrário, é até vergonhosa a forma como foram surpreendidos pelos “zeros”, que poderiam ter aniquilado a frota dos EUA naquele oceano se tivessem dado só mais um ataque. A União Soviética foi o país com a maior perda humana da 2 Guerra, teve seu território invadido pelos alemães, que ao contrário do que você afirma, tinha mais recursos que os soviéticos. E só para lembrar, os EUA NÃO foram invadidos na Primeira Guerra, assim como na Segunda, só esse fato já dá a dimensão da importância soviética no 2° conflito. Por fim, havia uma disputa geopolítica e ideológica pela derrota de Berlim, e embora o cinema americano adore mostrar tanques do país invadindo a capital alemã, foram os soviéticos, os primeiros a chegarem, ISSO É FATO.
    No dia 08/05/1945 foi assinada a rendição incondicional alemã, no entanto, como Stálin não estava presente, o documento teve que ser refeito, no dia seguinte, já com a presença de Stálin. Que moral!

  16. Cleyd, serei bastante didático:
    1- a importância da URSS na 2 Guerra foi vital. Ao contrário do que afirma, soviéticos lutaram contra um exército muito mais treinado, experiente e com mais recursos.
    2- Tanto é verdade que se não fosse o inverno rigoroso e a “terra arrasada”, poderiam ter sido derrotados pelos alemães.
    3- Se gabar que os EUA derrotaram os japoneses no Pacífico, não diz muito, pelo contrário, foi vergonhosa a forma como os japoneses surpreenderam o Tio Sam em P. Harbour.
    4- os soviéticos tiveram seu território invadido durante o conflito, algo que não ocorreu com os EUA, na 2 Guerra, assim como na Primeira.
    5. As maiores perdas humanas da 2 Guerra foram soviéticas, disparado.
    6- A maior batalha dos EUA foi no Dia “D” , onde contou com a ajuda de vários países, enquanto a URSS empurrava, praticamente sozinha, os nazistas para a Alemanha.
    7- o Tio Sam, junto com Chuchil, colecionaram derrotas na Bélgica e na Holanda, na “batalha dos paraquedistas”, numa ação desastrosa em que muitos morre em pleno ar.
    8- Quem rendeu os alemães foram os soviéticos, isso É FATO, largamente documentado, ainda que Holywood adore mostrar em seus filmes, a “entrada triunfal de blindados americanos em Berlim”
    9- a importância soviética foi tão grande, que Stálin aí saber que a rendição alemã fora assinada sem a sua presença, em 08/05/45, exigiu a lavratura de um novo documento, para que pudesse assiná- ló, no dia seguinte. A turminha dos heróis capitalistas, enfiaram o rabinho entre as pernas e engoliram a seco, o líder soviético. Que moral!
    Hoje a consultoria foi de graça, abraços!

  17. A Historia é fundamental para se honrar memórias, que merecem louvor, e revelar canalhas e hipocritas, que merecem a cruz e o padecimento eterno.
    Claro que não a ‘estória’ como facistas pretendem reescrever, mas a verdadeira História, assim, com H, e maiusculo.
    O discurso nazifacista tenta ocultar o papel da URSS na 2a guerra, afinal são comunistas, e o servilismo destes terraplanistas aos eua e tambem as religiões obscuras que atualmente se propagam pelo mundo, os leva a acreditar que a 2a guerra foi ganha por americanos. Entao, se torna Importante lembrar dados sobre sovieticos mortos na segunda guerra:
    Considera-se que entre 8.7 e 10 milhões de soldados e mais 18 milhões de civis soviéticos pereceram na 2a guerra. Como entre soldados e civis estima-se entre 66 e 88 milhoes o total de mortos, isto significaria que as perdas totais da extinta União Soviética representou entre 25 e 36% das perdas humanas.
    Não há como minimizar o papel da URSS nesta infâmia que foi a 2a guerra.

  18. Tchê, tentei ler o artigo…. Aliviem, se acalmem pessoal. Este ódio ao BONORO está cegando a capacidade de diálogo de algumas pessoas. Uma pena. Quando se perde a razão se acusa o oponente de NAZISTA….quanta infantilidade….Tentem ouvir o povo de novo. Alvim foi demitido, ponto final. O que é importante não está sendo discutido: a zona do judiciário (Tottófoli), o chiqueiro da Câmara (Nhonhô) e a reforma do cipoal Tributário.

    10
  19. Srs. Ptiard e Valmir, vcs fazem uso de chá de cogumelo? Maconha, cocaína, álcool, heroína ou qualquer outra substância que altere o estado de percepção?

  20. Todo tipo de extremismo, direita ou esquerda são para pessoas fracas, os fortes são aqueles que põem a cara a tapa e enfrentado o monstro da ignorância.

  21. Há um erro crasso nesse ótimo texto: Bolsonaro não foi expulso do Exército, mas reformado. E este foi o grande erro da Democracia. Como muitos brasileiros, também fui militar e vi companheiros serem expulsos e submetidos à desonra por infrações muito mais leves do que os crimes contra o Estado brasileiro cometidos esse incompetente desqualificado. A covardia do governo de então (Sarney???) está rendendo danos ao país até hoje. E parece que a esquerda não aprendeu. Quando o general de pijama Heleno fracassou vergonhosamente na missão a ele confiada frente o Comando Militar da Amazônia, a presidente Dilma Rousseff deveria ter exigido de seu ministro do Exército o enquadramento do incompetente no RDE; não o fez e agora ele está aí a se passar por “herói da Pátria”. Quando militar que fracassa no cumprimento de missão vira referência, desqualifica a Força.

  22. No artigo Lúcia Issa, esta repleto de desinformações . Começando com a ilação que Bolsonaro foi forçado a demitir seu Ministro da Cultura pela Confederação Israelita do Brasil e por Israel. Ou seja, reclamações de milhares de pessoas da direita e da esquerda,do Presidente do STF,do Presidente da Câmara Federal dos Deputados e do Senado, da Embaixada da Alemanha, de jornais de muitos países mas Bolsonaro só ouviu aqueles dois reclamantes, que representam menos 0,2% dos Brasileiros? Desculpe-me Sra. Issa, você está considerando seus leitores como idiotas?

    Issa segue afirmando que Israel “se tornou um dos maiores violadores de direitos humanos do mundo”. A Coreia do Norte, as Filipinas, a Síria, o Irã matam dezenas e centenas de milhares há anos, Burundi, Eritréia e Cuba negam direitos básicos mas Israel é o “maior violador”? Ficar tão longe da verdade é pura propaganda e não é jornalismo, tira a seriedade do vosso veículo.

    Issa continua: “Israel é um país assustadoramente sionista”. Claro que Israel é Sionista pois foi criado com o sonho de um Lar Nacional para os Judeus, que é o que significa Sionismo. Mas não para aí. Sionismo é o único – repito – o único movimento nacionalista que nasceu sem recorrer às armas. Nascido em 1881, os Sionistas só criam um grupo “quase armado” em 1910, após anos de ataques baseados na crença Islâmica de “Walad El Mita”, ou seja, o direito de matar o infiel. Este grupo pouco armado tinha cerca de 150 voluntários, tendo atingido o ápice em 1913, com apenas 300 elementos.

    Finalmente, Issa acusa Israel de matar milhares de mulheres e crianças palestinas sem lembrar que a esmagadora maioria destas crianças eram usadas pelos Palestinos como escudos Humanos, colocados à frente de guerrilheiros armados na esperança de usar mortes de inocentes como arma de propaganda. Issa mostra que isto funciona pois ela não lembra seus leitores que estas crianças foram levadas à morte por aqueles que diziam protegê-los.

    É uma pena que uma pessoa tão comprometida receba espaço nobre para propagar mentiras, manipulações, meia verdades usando um título indevido: embaixadora da paz.

    Como pode uma “embaixadora da paz” propagar ódio e dinamitar aproximação entre inimigos ao invés de tentar criar pontes de entendimento?

    Eh decepcionante tais matérias com essa!

    1
    8
  23. Estima-se que as baixas soviéticas foram entre 19 e 25 milhões de pessoas entres civis e militares (depende da fonte consultada). A grosso modo,do total; a cada 3 pessoas mortas na IIWW uma foi soviética.
    Pensar que estima-se que 90% dos militares alemães pereceram no front oriental dá uma dimensão da importância da URSS no conflito. Em 1945 quando a propaganda anticomunista não havia ainda se tornado o padrão no Ocidente, 54% dos franceses consideravam que a URSS havia sido o aliado que mais contribui para a derrota do nazismo, contra 20% dos EUA e 12% do Reino Unido. Em 2015 estes números eram respectivamente 23% . 54% e 18%.
    Propaganda é uma arma poderosa!
    Dono de um parque industrial intocado e dirigido quase na sua totalidade ao esforço de guerra, os EUA forneceram material aos seus aliados (Brasil incluso) pelo sistema de lend-lease (https://pt.wikipedia.org/wiki/Lend-Lease). Stalin reconheceu a importância do mecanismo publicamente.

    O evento do ex-secretário Roberto Alvim foi canhestro (sendo de uma bondade extrema)

  24. A diminuição dos índices de criminalidade nada tem a ver com o desgoverno Bolsonaro. Para começar, a segurança pública é basicamente um assunto dos estados e não da federação. Alguns estado vem investindo há anos de maneira competente em segurança pública, e é a isso que se deve a diminuição dos índices. O desgoverno federal está se enfeitando com as penas alheias.

  25. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome