Dia dos pais e os pais do genocídio, por Francisco Celso Calmon

Poderias ter atuado como mandatário do Brasil e protetor do povo e preferiste agir como curandeiro.

Dia dos pais e os pais do genocídio

por Francisco Celso Calmon

Tiveste opção de ajudar ao teu povo e não o fizeste.

Tiveste oportunidade de calar-te e não proferir asneiras e não o fizeste.

Poderias ter comandado um mutirão institucional da União para combater a pandemia e preferiste injuriar e brigar com governadores e prefeitos.

Poderias ter atuado como mandatário do Brasil e protetor do povo e preferiste agir como curandeiro.

Poderias ter optado pela vida e optaste pela morte rápida, com um Ministério da saúde sem especialistas e com muitos militares aumentando o soldo.

Poderias ter colocado toda a artilharia da saúde pública brasileira para combater a covid19 e preferistes te aliar ao novo coronavirus, portando em teu corpo a arma AC19 e atingindo a muitos com abraços e aglomerações, sem máscara e álcool gel.

Poderias ter injetado na economia dinheiro novo impresso pela Casa da Moeda ou oriundo de um imposto de calamidade de 1% sobre o patrimônio dos 1% mais ricos da população brasileira e preferiste seguir o arauto do capitalismo de desastre e engordar os bancos e dar migalhas aos necessitados brasileiros.

Quantos pais mataste com a tua política sanitária e econômica?

Quantas famílias vão chorar as mortes recentes de seus pais por causa de tua imprudência, negligência, imperícia e descaso com o ser humano?

Bolsonaro e Guedes, não comemorem os dias dos pais, o vinho tinto que beberem hoje terá a cor do sangue dos brasileiros mortos e infectados por consequência da política genocida que implementaram no país.

A conta da tragédia de 100.546 óbitos e 3.013.902 infectados (dados das 08 horas), mais de mil mortes por dia e a previsão para o final do ano de 220 mil óbitos e 5 milhões de infectados será dos pais da política genocida,  Bolsonaro e Guedes.

Leia também:  Ronald Golias nos 70 anos da TV brasileira, por Urariano Mota

Francisco Celso Calmon é Advogado, Administrador; membro do canal Resistência Carbonária; Coordenador do Fórum Memória, Verdade e Justiça do ES; ex-coordenador nacional da RBMVJ.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

1 comentário

  1. Perfeito!!! Nada a acrescentar ou tirar, em palavras tão verdadeiras e de uma exatidão infelizmente total… acorda Brasil!!! Até quando suportaremos???

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome