O governo Bolsonaro se aproxima da hora da verdade, por Luis Nassif

Hoje em dia, a crise fiscal – que se aprofunda – é função direta da queda da atividade econômica. E Guedes não tem a menor noção sobre políticas anticíclicas.

Não há que se surpreender com Paulo Guedes, assim como não havia razões para esperar algo diferente de Jair Bolsonaro.

Desde o começo se sabia que Guedes era um gestor atrapalhado. É muito mais fácil comandar uma equipe de analistas, do que uma equipe multidisciplinar como o super-ministério que ele assumiu.  No caso do banco de investimento, o objeto é um só, assim como o nível de conhecimento e de analise. Mesmo assim, Guedes foi um desastre, criando conflitos desnecessários com seus sócios e suas equipes, não demonstrando capacidade de convivência e de liderança. Sempre foi um grande desorganizado – e nem se tome como ofensa, porque é a característica dos intelectuais.

Se não dava certo em ambientes de conhecimento homogêneo, no governo foi pior, ainda mais com essa loucura do super-ministério colocado sob seu comando. O problema central é a recessão continuada da economia, seus impactos sobre emprego, criminalidade e contas públicas.

Hoje saiu a PNAD Trimestral (Pesquisa Naciional de Amostra de Domicílios), mostrando o tamanho da crise. Em geral, se mede o desemprego apenas no universo das pessoas que estão trabalhando ou procuraram emprego no curto prazo. O PNADT vai além. Ele investiga também aqueles que desistiram de buscar emprego e estão fora do mercado de trabalho.

O quadro é dantesco.

Em Alagoas se somar trabalhadores desocupados, mais os que estão fora do mercado, há 66% pessoas a mais do que os trabalhadores ocupados. No total Brasil, essa relação é de 82%.

Leia também:  Arma de brinquedo, surto psicótico e sigilo sobre os tiros marcam execução no RJ

No penúltima PNADT, mediu-se o tempo que dura esse desemprego. Os que buscam emprego há mais de 2 anos chegam a quase 20%

Hoje em dia, a crise fiscal – que se aprofunda – é função direta da queda da atividade econômica. E Guedes não tem a menor noção sobre políticas anticíclicas. Menos ainda sobre o ferramental que tem à sua mão, bancos públicos, gastos públicos, destravamento de concessões.

Ele está totalmente travado. Não conseguiu desenvolver uma política setorial sequer. Foi incapaz de definir estratégias de redução da inadimplência, melhorar a situação do crédito, acelerar os processos de concessão. Todo seu trabalho consiste em cumprir ao pé da letra as restrições fiscais, cujo buraco aumenta em função direta da queda de receita – fruto da recessão.

Cria-se o moto contínuo do desastre. Efetua cortes brutais no orçamento, a demanda cai mais ainda, derrubando mais ainda as projeções de crescimento do PIB. A reação são mais cortes, mais desaquecimento, mais queda da receita. E joga todas as expectativas na tal reforma da Previdência que, mesmo saindo, não resolverá a questão crônica da falta de demanda.

O país se aproxima rapidamente de uma situação de impasse, com desfechos radicais no front político.

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

21 comentários

  1. ☝ Como todo monetarista, Guedes é aquele mecânico que, dispondo de uma oficina bem montada, vai consertar o motor de um automóvel usando um serrote.

  2. Paulo Guedes é um oportunista> está atuando apenas onde lhe interessa ganhar dinheiro. Capitalização da previdência e privatização da das universidades e sistema S. Um exemplo: planos de saúde: Não mexe neles.

  3. Nassif, Nassif, medidas anticiclicas sao consideradas “de esquerda” por esses “valentes”… Keynes hoje em dia é “socialista”…

  4. O país tem que sair dessa cilada das reformas em que se meteu…..

    Desde o governo do ociólogo só se fala nessas malditas reformas, e a que realmente daria justiça social, nunca sai, ou nem é cogitada, a reforma fiscal.

    Essas malditas reformas se resumem a retirar direitos ou manter privilégios de uma bando de fdp’s, que por incrível coincidência, são os mais entusiastas das famigeradas reformas…

    Hoje mesmo, tive a infeliz oportunidade de ver o coiso recebendo a droga de prêmio, o cidadão, cara de pau, que estava apresentando, exaltou o coiso dizendo que “estava vendendo ativos e fazendo reformas importantes”, por que é isso o que interessa a lojistas nacionais e internacionais, que o país seja o peru a ser servido à mesa dos abutres……

    Fora reformas!!!! Isso já deu no saco …….

  5. Nassifão não tem como dar certo um governo de banqueiros eles são a pior raça q existe em um país, dando uma resumida,este governo(bancos)está só fazendo negócios e se apropriando de fontes boas de lucros dificultando aos outros q não sejam da sua patota o acesso ao dinheiro/riquezas/lucros SERÁ Q SÓ É EU Q VEJO ISSO???Vcs não querem q banqueiros/financistas/rentistas facilitem o acesso ao dinheiro não né!?PRA QUÊ BANCOS ENTÃO!?

  6. Exatamente! Não tem ideia do que está fazendo lá e não tem a menor noção sobre políticas econômicas. Guedes é apenas um intelectual de pouco fôlego e muita retórica de platitudes. Como já definiu Nassif, é apenas um Bolsonaro com doutorado e nada mais.

  7. discordo do dito de que guedes é um intelectual,
    pois o cara que é travado e fundamentalista não
    pode ser considerado um cara que pensa…
    pensar exige a ideia de mais neuronios
    e visões de mundo…

  8. NASSIF AFIA O BANDOLIM E DÁ O TOM.
    Como o mais brilhante jornalista de sua geração,da estirpe de um Mino Carta e Janio de Freitas,o editor do blog foi o primeiro a farejar o tão propalado “cheiro de queimado”,quando desossou literalmente o clã Bolsonaro.Voltou suas energias para o Rio de Janeiro,e começou,como gosta,a bailar as peças do seu Xadrez nas entranhas das milicias e no mundo do crime organizado da outrora Cidade Maravilhosa.Encontrou as digitais do clã no modus operandi das sub-mafias que dominam a vida carioca.Um lugar Tenente mora a 50 metros do Presidente da Republica,e tinha sob sua guarda,160 fuzis que abatiam aeronaves.Foi o primeiro a enxergar,bom que se diga,traços lombrosianos no 01,02,03 e quejandos.De posse dessas duas evidências letais,ligou a maquina que se acoplam aos caminhões de lixo para tritura-los,e tome-lhe Xadrez.Talvez não imaginasse que o tsunami seria tão devastador e de velocidade luz.Vem muita coisa podre pela frente,teremos que ter estomago forte e tapar o nariz.Muito vagabundo posudo vai ser engolido como fazem as sucuris do pantanal,mas não farão falta alguma.Podem ter a mais absoluta certeza,o Brasil jamais será o mesmo,seja em que direção o vento soprar.Imediatamente,me vem a mente a figura do Papai,um intelectual maior,em noite de boêmia em estado mais puro,sorvia um belo gole de cerveja,e mandava ver:”Vês?!Ninguém assistiu ao formidável
    Enterro de sua última quimera.
    Somente a ingratidão-esta pantera-
    Foi sua companheira inseparável.
    Acostuma-te à lama que te espera!
    O Homem,que,nesta terra miserável,
    Mora,entre feras,sente inevitável
    Necessidade de também ser fera.
    Toma um fósforo.Acende teu cigarro!
    O beijo,amigo,é a véspera do escarro,
    A mão que afaga é a mesma que apedreja.
    Se alguém causa ainda pena de tua chaga,
    Apedreja essa mão vil que te afaga,
    Escarra nessa boca que te beija!

  9. Nassif sei da sua competência e do seu conhecimento sobre economia. Mas dizer que é falta de preparo do Guedes p gerir a economia ñ condiz com os fatos. O cara é um pilantra. O q ele quer mesmo é encher os bolsos dos banqueiros e de alguns setores de empresas privadas.Veja o q faz c a educação e a Petrobras….!!!!Ele quer desmontar as políticas públicas dos governos Lula e Dilma Rousseff p oferecer mão de obra de graça para a classe. dominante.

  10. O quadro econômico descrito pelo articulista é igual ao da crise de 29. Na época, houve o “new deal” como uma tentativa de recuperação da atividade econômica. Até deu algum efeito no início mas na segunda metade da década de 30 a atividade econômica volta a cair e só se recupera com a segunda guerra mundial. Espero que não precisemos chegar a tanto para resolver este problema.

  11. Toda essa recessão foi planejada pelo Depto. de Justiça norte-americano. Moro e seus procuradores da Lava Jato seus operadores. Guedes é um coadjuvante nessa trama, e não vejam isso como uma defesa dele. Sobre Moro e seus asseclas da república de Curitiba é que devem recair as cobranças dessa tragédia sócio-econômica brasileira.

  12. Toda essa recessão foi planejada pelo Depto. de Justiça norte-americano. Moro e seus procuradores da Lava Jato seus operadores. Guedes é um coadjuvante nessa trama, e não vejam isso como uma defesa dele. Sobre Moro e seus asseclas da república de Curitiba é que devem recair as cobranças dessa tragédia sócio-econômica brasileira.

  13. Desconheço o curriculum do Paulo Guedes, mas acho que os conhecimentos dele de economia estão obsoletos, pelo jeito ele não entende de políticas de desenvolvimento, e está atacando justamente as áreas públicas de previdência social, universidades federais, fundos de pensão para transforma-los em nicho para os negócios privados dele.

  14. Mas quem disse que eles entraram para fazer alguma coisa positiva para o país ou para a economia? Não prometeram isso. Sejamos justos, em relação ao emprego, o Vergonhoso disse num debate que isso não era função do presidente e que não seria sua preocupação se eleito; outro dia, disse que o número de desempregados era maior que o divulgado pela imprensa (o que mostra que ele não é nem o “louco” que tentam pintar os que querem encobrir sua própria covardia em dar nomes aos bois, recorrendo aos estigmas mais espúrios; nem desinformado; é apenas e nunca escondeu de ninguém, um aventureiro que vê o mundo pelo viés destrutivo).
    Então, que a elite e a classe média fd* desse país que produziram e endossaram a escolha da população, através de seus empregados na mídia, no mercado financeiro, no judiciário e onde mais elas bancaram essa gangue, assumam: quem pariu belzebu que o balance.
    Por que essa “histeria” em não admitir que o que eles estão fazendo é apenas a continuidade do Golpe? Mas o que é Golpe? É aquela coisa que formalizaram em 2016 mas já estava em andamento desde 2013, passou por 2014 com Aécio e sua gangue do PSDB (ninguém fala mais dessa corja?), pela pressão do “mercado” que impôs Joaquim Levy e o discurso do austericídio, quando Dilma rompeu o acordo tácito com as bestas financeiras e nomeou Nelson Barbosa em lugar do Levyano, bateu o martelo do Golpe com seus comparsas Cunha e outros (todos agora sumidos do mapa e da memória); entrou Temeroso, o vampiro, que admitiu publicamente que a adesão do PMDB ao Golpe foi pela recusa de Dilma em implementar o projeto dos USA, derrotado nas urnas, país para o qual o Vampirão havia sido informante, e começou a demolição (venda de ativos nacionais, revogação da CLT, estagnação programada da economia, repressão de movimentos sociais, aparelhamento do Estado e do STF, submissão do Itamaraty aos mandos e desmandos de Washington com o sr. indicado pelo PSDB, Aloysio Nunes – já esqueceram da subserviência de Temer e asseclas aos USA? etc) à qual o Vergonhoso e sua gangue dão o “fastforward”, e aliás, como a mídia tem memória curta, Temeroso e a atual gangue que substituiu a dele (não é interessante que os dois escolhidos pelos USA para comandar o Golpe sejam chefes de gangues? te cuida, capitão, veja o fim do Temer, rs, lixo tóxico depois de inútil tem um descarte nada sustentável) disseram claramente durante a transição que seria um governo de continuidade (cara de espanto e queixo caído; o GGN podia permitir figuras e emoticons). E está sendo cumprido: venda de ativos nacionais, revogação da previdência pública que herdaram do Temer (não fosse a até hoje inexplicada intervenção federal no RJ, a disputa que se dá agora pela previdência teria sido liquidada pelo Temer (será que sua prisão é castigo pela incompetência em sua rendição ao “Mercado”/USA=Golpe, rs?), fortalecimento da repressão policial de movimentos sociais, ataque às instituições públicas de ensino (que também não é novidade, é continuidade: começou com a “reforma” do ensino médio e o ataque da PF nas universidades federais, que levou ao suicídio do reitor da UFSC, Luís Cancelier de Olivo, e ao constrangimento a figuras eminentes da academia na UFMG; como botar a polícia para justificar “com corrupção” o corte de verbas não deu certo, resolveram ir direto ao ponto e cortar sem dar satisfação – a história de combater o marxismo cultural não é argumento, é alimento para falsas disputas em rede social; para o grande público, a história que está pegando – ouvi de uma pessoa, mas não sei se é bolsominion – é a de que está combatendo o desperdício com gente rica que frequenta universidade). Ufa, que ser repetitiva cansa!
    O que também não muda é a falta de projeto da oposição e de ingenuidade das análises da mídia independente, que continua fazendo a contradança que alimenta o caos – a Damares deve estar por um fio porque sua última polêmica, que é sua função como representante do fundamentalismo barraqueiro (os contos de fada LGBTQ, que aliás está em consonância com várias interpretações psicanalíticas, rs), não pegou, seu patrão resolveu superá-la no ridículo (alguém devia criar, se ainda não o fez, uma escala para avaliar o governo pelo tamanho do ridículo e não da efetividade política), mas a superestrutura do caos, que existe, é, deliberadamente ou não, ignorada porque é mais fácil chamar os despreparados de “loucos”…
    Qual é a superestrutura? O pentapé (é penta! é penta! é pentelho!) construído a duras penas no século XX e que foi acelerado em sua democratização pelos governos de coalizão liderados pelo PT: educação pública, distribuição de renda, ativismo social, diplomacia internacional e defesa do meio ambiente (no governo Dilma, o desmatamento foi o menor da série histórica, salvo engano, e a presidenta se destacou nas conversas do Acordo de Paris, ainda que não fosse o tema visível em comparação com os outros mencionados). Pegue todas as principais ações do desgoverno e verá que o ataque geralmente é coordenado contra um ou mais aspectos de uma vez (comum a todos o ataque feroz e injustificável mesmo do ponto de vista “econômico”, como redução de verba numa forma direta e rápida de estrangulamento, já que 3 anos de Golpe fizeram o trabalho de amaciar ideologicamente o terreno para o que está em ação desde 01/01/2019).

    E por que não se faz essa análise? A quem interessa apagar a memória recente e dar a entender que tudo começou com essa gangue e que basta ela sair para que tudo volte ao normal – que normal? Quem ganha com a inviabilização do país a longo prazo – este o projeto do Golpe? Apenas o mercado financeiro, internamente, está ganhando com a baderna. E internacionalmente? Pensar ultimamente tem doído, mas é necessário para a libertação do jugo das falsas aparências.

    Cansei.

    Sampa/SP, 17/05/2019 – 22:48

  15. Voltei. Para falar de Greta, das mais esperançantes pessoas do mundo, com um discurso e uma prática realmente transformadores – como é uma menina, sueca (portanto, caucasiana) e de família abastada, não é ainda sujeita à repressão policial mas a campanha suja das extrema e moderada direitas mundiais já começa a tentar desacreditá-la – por que será?
    Como não admirar Greta, depois de ouvir tanta sinceridade e coragem de enfrentar a crueldade humana sem apelar ao ódio? Ela fala por muit@s sem medo de ser atacada por ser “esquisita” (em português brasileiro, ainda que exista uma acepção mais próxima do original em latim, e positiva, a acepção principal e suas variações são negativas e excludentes). E ela tem apenas 16 anos, a idade em que se é naturalmente revolucionári@, rebelde e desajustad@ (o que, num mundo como o nosso, é indício de sanidade!*) – e que alguns mantém como traço de caráter e escolha de agir no mundo, pelo tempo que for possível.

    * “Não é sinal de saúde estar adaptado a uma sociedade profundamente doente” – Krishnamurti

    ‘Para a jovem, ser diferente não é um problema, mas sim uma vantagem. Já que isso lhe permite “sobressair dos restantes” ‘
    “Vejo através das mentiras com mais facilidade”
    “É hilariante quando a única coisa que as pessoas conseguem fazer é gozar com a tua aparência a personalidade. Significa que não têm argumentos e, por isso, nada a dizer. Mas isso não vai impedir de fazer o que estou a fazer. Isto é muito mais importante”

    DA MAGG ( https://magg.pt/2019/05/17/greta-thunberg-a-jovem-de-16-anos-que-confrontou-governantes-e-agora-e-capa-da-time/ )

    MUNDO
    Greta Thunberg. A jovem de 16 anos que confrontou governantes e agora é capa da “Time”
    17/5/2019, 16:19
    Faltou às aulas em protesto contra a falta de eficiência no combate às alterações climáticas e está nomeada para o Prémio Nobel da Paz.
    por FÁBIO MARTINS

    Quando, no final de abril, Greta Thunberg se dirigiu ao parlamento britânico, o seu discurso deu azo a aplausos e gritos de apoio. A mensagem era forte mas necessária e a jovem de apenas 16 anos não se cansava de a repetir. “Conseguem ouvir-me? O meu inglês é percetível? Às vezes tenho dúvidas”, foi a frase que mais arrancou risos nervosos dos deputados. Talvez porque servia como reprimenda.
    “Sei que muitos de vós não nos quer ouvir porque dizem que somos apenas crianças. Muitos acham que estamos a perder tempo valioso de aulas, mas garanto-vos que voltaremos à escola assim que começarem a dar ouvidos à ciência e nos derem um futuro. É pedir muito?”, ouviu-se. Mas os risos e os aplausos deram lugar ao silêncio desconfortável e Greta ficou sem resposta.

    Greta Thunberg ficou conhecida quando, em agosto de 2018, decidiu faltar diariamente às aulas para se sentar à porta do parlamento sueco. O objetivo era simples: dar a conhecer o seu descontentamento face à incapacidade do governo em dar resposta aos problemas climáticos.

    Desde então, tornou-se numa das ativistas mais influentes do mundo e até já discursou na Cimeira do Clima das Nações Unidas, onde não teve problemas em dizer que os líderes mundiais “não são maduros o suficiente para encarar o peso das alterações climáticas”.
    Esta quinta-feira, 16 de maio, foi revelado que seria capa da revista “Time” onde explicou como o é que o seu ativismo começou.
    Foi com apenas com 11 anos que, ao estudar o efeito das alterações climáticas no mundo, sofreu um episódio grave de depressão. Segundo conta, passou por altos e baixos até que essa sensação de fim inevitável e aterrador se voltou a acentuar na última primavera.
    “Senti que nada valia a pena e que não fazia sentido sequer ir à escola porque não havia futuro. Mas desta vez prometi a mim mesma que iria fazer tudo o que estivesse ao meu alcance para fazer a diferença”, explica. E foi assim que decidiu passar da tristeza e da inércia à ação.
    Inspirada nos sobreviventes do tiroteio a uma escola na Florida, nos Estados Unidos, em 2018, organizou uma greve escolar e recorreu às redes sociais para implorar a políticos e governantes que tomassem medidas para reduzir a emissão de dióxido de carbono para a atmosfera.
    E o seu apelo chegou a muita gente. Segundo escreve a revista “Time”, a conta de Twitter de Greta cresceu exponencialmente e soma já mais de 621 mil seguidores espalhados um pouco por todo o mundo. Na sua pequena biografia da rede social lê-se: “Ativista de 16 anos e com Asperger”.
    E diz a jovem que a sua determinação teve origem no síndrome de Asperger, que lhe foi diagnosticado em meados de 2018. “Isto fez-me ver o mundo de maneira diferente. Vejo através das mentiras com mais facilidade”, continua.
    Mas além do ativismo, é a sua abertura para falar de temas como a depressão, ansiedade e saúde mental que a fazem ser um exemplo a seguir para muitas pessoas. Para a jovem, ser diferente não é um problema, mas sim uma vantagem. Já que isso lhe permite “sobressair dos restantes”
    E mais do que tudo aquilo que já fez, Greta sobressai ainda na maneira como vive entre duas realidades completamente diferentes em conteúdo e forma. É que enquanto num dia está a estudar para um teste ou a fazer os trabalhos de casa exigidos pelos professores, no outro é capaz de redigir um discurso ou organizar uma nova greve.

    Toda a organização é feita pela jovem, que dispensa uma equipa de gestão de imagem e de comunicação com a imprensa. Mas tudo isso tem os seus efeitos negativos — além da falta de tempo. Svante Thunberg, pai de Greta, conta à “Time” que já não atende o telemóvel a números desconhecidos porque há sempre alguém a querer falar com a filha sobre este ou aquele assunto.
    Em casa, o efeito Greta sente-se de forma positiva. Toda a família deixou de comer carne, adotou um estilo de vida mais sustentável e até instalaram painéis solares. Mas isso só aconteceu, segundo os pais, porque não conseguiram ganhar uma discussão com a filha, que consegue ser mais teimosa do que eles.
    A mudança, porém, custou muito mais a Malena Thunberg [mãe de greta], que também deixou de viajar de avião por recomendação da filha.
    Malena é cantora de ópera, o que a obrigava muitas vezes a voar para os vários países onde tinha de atuar. No entanto, Svante diz que foi fácil convencer a mulher “assim que ela se apercebeu das consequências do seu estilo de vida.”
    As consequências de toda esta exposição e escrutínio público já tiveram impacto na vida de Greta. É que com todas as declarações que vai fazendo em público, é fácil esquecer que estamos perante uma jovem de apenas 16 anos que, por todo o seu ativismo, já foi nomeada para o Prémio Nobel da Paz.

    E além das ameaças, e da habitual troça de que é alvo quem quer que decida estar presente na internet com uma mensagem política, há quem a acuse de ser uma marioneta “paga por milionários para passar uma mensagem liberal.”
    Mas Greta diz chegar para todas as frentes: “É hilariante quando a única coisa que as pessoas conseguem fazer é gozar com a tua aparência a personalidade. Significa que não têm argumentos e, por isso, nada a dizer. Mas isso não vai impedir de fazer o que estou a fazer. Isto é muito mais importante”, diz.

    Sampa/SP, 17/05/2019 – 23:20

  16. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome