Xadrez do novo tempo da Lava Jato

Peça 1 – o papel da Procuradoria Geral da República

Justiça que tarda é justiça que falha. Nunca o ditado foi tão oportuno para explicar como a Lava Jato vem tratando os casos mais delicados, dos políticos com prerrogativa de foro.

A revelação dos papéis do Ministro Teori Zavascki por Elio Gaspari (https://goo.gl/kLfH6l) traz um dado concreto sobre algo que o Xadrez vem indicando há tempos: por estratégia ou insuficiência, ou por receio de chegar até seus aliados, a Procuradoria Geral da República (PGR) está tocando os inquéritos com extrema morosidade.


 

Desfazem-se alguns mitos.

Mito 1 – que os atrasos na Lava Jato se devem ao acúmulo de processos no STF.

Não é verdade. Mal comparando com uma empresa, confronta-se a capacidade instalada de julgamento do STF com a quantidade de inquéritos potenciais da Lava Jato. Na prática, o que ocorre é que o STF trabalha com capacidade ociosa, devido à morosidade com que chegam as denúncias provenientes da PGR.

Mito 2 – que, com a miríade de novos instrumentos colocados à sua disposição (delação premiada, cooperação internacional, integração de órgãos de controle) o Ministério Público Federal ganhou uma estrutura capaz de desvendar os crimes mais complexos.

Não é fato.

O que ganhou em poder de fogo e em deslumbramento perdeu em capacidade investigativa.

O MPF já teve figuras corajosas, que saiam a campo com risco de vida, como foi o caso do procurador Pedro Jorge, morto quando apurava o escândalo da mandioca; ou Luiz Francisco, que prendeu o deputado Hildebrando Pascoal, que matava os inimigos com motosserra; ou ainda Celso Três e Vladimir Aras no caso Banestado, ou ainda os procuradores que comandaram a Operação Monte Carlo, que investigava o bicheiro Carlinhos Cachoeira.

Hoje em dia, o estereótipo (não a totalidade) de procurador é o de um almofadinha, especializado em fuçar em bancos de dados, em ações de baixo risco, com um deslumbramento que deprecia toda a categoria, mas aparentemente incapaz de conduzir denúncias juridicamente acabadas.

Peça 2 – a fragilidade da teoria do fato

Imagine um repórter investigativo de peso que tivesse à sua disposição a possibilidade de

Leia também:  Rosa Weber pode decidir destino de Lula e outros presos em 2ª instância

·      quebra de sigilo de computadores das pessoas investigadas;

·      grampos e quebras de sigilo de telefones, e-mails;

·      quebra de sigilo de contas correntes, não apenas aqui, como em paraísos fiscais;

·      acesso total a declarações de renda;

·      poder trancafiar um suspeito pelo tempo que quisesse, e só garantisse a sua libertação quando ele se dispusesse a delatar o que o jornalista quisesse.

Nada conseguiria se não dispusesse de conhecimento básicos sobre economia, mercado, contabilidade, finanças e capacidade de análise para montar uma narrativa lógica, que lhe permitisse juntar todas as peças e formular uma acusação competente.

Há pouco tempo o MPF descobriu que o melhor caminho para uma investigação seria organizá-la pela teoria do fato (não confundir com a teoria do domínio do fato). Trata-se de um método conhecido de qualquer repórter experiente. Assim que se levanta um número mínimo de evidências, formula-se uma tese visando melhor filtrar as informações: quem é quem na organização criminosa, como se organizam as jogadas etc.

Os maus repórteres se apegam à visão inicial. Tratam, então, de encaixar à martelada  na primeira versão qualquer evidência. Foi essa incompetência que gerou os grandes crimes de imprensa dos anos 90, como o da Escola Base, Bar Bodega e tantos outros.

Os verdadeiramente repórteres, quando surgem fatos que não se encaixam na teoria, tratam de reformular a teoria.

A estrutura burocrática do MPF, no entanto, somada à ideologização da corporação, transformou a teoria do fato em manual a ser seguido cegamente. Definida a primeira versão, não se muda nada para não parecer que o investigador incorreu em algum erro inicial de análise.

No nível da PGR, aparentemente, a situação fica mais complicada.

Peça 3 – o papel de Rodrigo Janot

A verrina post-mortem de Teori desnuda algo sobre o qual pairavam sinais preocupantes: a baixa competência técnica de Janot e da área da PGR envolvida com a Lava Jato.

Esse amadorismo ficou nítido no episódio em que Janot solicitou a prisão de alguns dos mais influentes políticos brasileiros com base em um grampo que registrara uma conversa banal entre eles.

Leia também:  MPF entra com ação contra União por omissão sobre manchas de óleo

Era tão sem nexo o pedido de prisão que, aqui mesmo, supus que Janot tivesse muitas outras provas na manga, que estariam sendo guardadas para o momento oportuno. Não tinha. Como não tem nada de mais concreto contra Renan Calheiros, a julgar pelos bilhetes de Teori.

O que preocupa é a ausência de assessores de peso, para alertar Janot sobre essas impropriedades, ou assessorá-lo adequadamente nas denúncias; ou então, falta a Janot esperteza para ouvir os conselhos.

Fica a suspeita fundada de que o estilo amador de estabelecer correlações, dos procuradores mais jovens, no fundo, é uma fragilidade generalizada do MPF, incluindo as cabeças pensantes da Procuradoria. Daí se entende essa loucura de criminalizar políticas de financiamento de exportações do BNDES, políticas de incentivos regionais, financiamento de serviços.

Como atuam?

1.     Levantam um pagamento, que pode ser de propina ou de caixa 2 para campanha eleitoral.

2.     Vão até o banco de dados do Congresso atrás de algum projeto de lei votado na mesma época. Se não encontrarem, não tem problema, qualquer correlação vale, um PL de anos atrás, uma medida legítima de política econômica, endossada por todos os partidos, qualquer coisa.

3.     Um recurso bastante utilizado é vazar factoides para jornais e revistas. Com base no que plantam, tentam colher representações que têm como única evidência os factoides que plantaram na mídia. É o moto perpétuo da prova jurídica.

Significa que todos os PLs são insuspeitos? Longe disso. A premissa básica é a da ampla corrupção política. Só que, dispondo do maior aparato investigativo da história, o novo MPF não logrou desenvolver uma metodologia de investigação minimamente eficaz.

Em muitos casos, dada a insuficiência de provas, as investigações necessitam do efeito-manada, de tocar bumbo na mídia, de criminalizar o que não é crime, de ganhar no grito. E, aí, o que cai na rede é peixe, culpados e inocentes, pouco importa, cria-se a lei da selva, a celebração da selvageria.

Leia também:  Michel Temer elogia e critica: o toma lá da cá em entrevista

Em Curitiba, tudo foi facilitado pela existência de um juiz parcial. E, agora, no STF? De um lado, uma opinião pública ansiosa por sangue e, também, por um mínimo de isonomia nas denúncias; de outro, um STF assustado e tendo à frente as denúncias insuficientes formuladas pela Procuradoria Geral.

Os procuradores da Lava Jato garantem que as delações da Odebrecht são suficientemente detalhadas para que nada escape, de Chico a Francisco, Aécios, Serra e Alckmins. Mas o PGR tem sua própria agenda e seus próprios temores. E, na ponta política, já está em marcha uma ampla coalizão destinada a bloquear a Lava Jato.

Tem-se, então, a seguinte novela jurídica:

1.     Um Supremo acuado, necessitando ser severo por questão de isonomia e para satisfazer a opinião pública.

2.     Peças inconsistentes da PGR para serem analisadas.

3.     A opinião pública convencida de que se prepara uma grande pizza.

Não há caldeirão melhor para cozinhar o que resta de reputação do Supremo.

Peça 4 – o general que gosta de tuitar

Enquanto Legislativo, Executivo e Judiciário se afogam em descrédito e desconfiança, surge um novo personagem em cena: o general Eduardo Dias da Costa Villas Boas, comandante do Exército. É articulado, legalista, antenado com os fatos, e está cada vez mais encantado com a visibilidade proporcionada pelas redes sociais e pela imprensa.

De sua fala (e de conversas com oficiais da reserva) se depreende (https://goo.gl/nmtuy5):

1.     É legalista. Sustenta que as Forças Armadas jamais serão fator de instabilidade.

2.     É totalmente a favor da Lava Jato.

3.     Acha que o país está completamente sem rumo e que perdeu seu projeto de Nação. Considera que o Estado está à mercê de interesses setoriais.

Fica a impressão – apenas impressão – de que Villas Boas jamais avançaria além dos quartéis. Mas não recusaria a entrar no jogo, em uma proposta salvacionista.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

79 comentários

  1. “por estratégia ou

    “por estratégia ou insuficiência, ou por receio de chegar até seus aliados, a Procuradoria Geral da República (PGR) está tocando os inquéritos com extrema morosidade”:

    Que comentario maldoso, Nassif!  RETIRE O QUE DISSE AGORA NESSE MINUTO!  Vossa malicia me espantalha!

    Quando a LavaBunda se torna a LavaCabeloDeCu eh nisso que da mesmo.  Tudo previsivel de quilometros de distancia!

    E a LavaBunda chegou aos proprios cabelos do cu que a originaram.

    • Fico a imaginar quais as
      Fico a imaginar quais as palavras de salão que você utilizaria para qualificar os cabelos da peruca do emperucado exótico e Presidente dos Estados Unidos da América,Donald John Trump,assim que ele iniciar a festa do bota fora.

    • Entre indignado e
      Entre indignado e perplexo,pergunto aos meus desalentados botões os motivos dos cadastrados e cadastradas que aqui aportam,diuturnamente,Sol a Sol,a homenagear um comentário de tanto mau gosto,e o Blog tao cioso com os comentários dos não cadastrados,publica-lo sem a menor cerimonia.Fico a imaginar que não haverá estrelinhas disponíveis,quando quem seja resolver lavar a parte da frente do corpo.Vivemos tempos sombrios,muito sombrios,e não é só pelas bandas de lá.

  2. Instrumentos de combate a

    Instrumentos de combate a corrupção são utilizados para que quer combater a corrupção,por isso foram aperfeiçoados nos governos do presidente Lula e da presidenta Dilma.

    No entanto,mesmo no governo deles,estes instrumentos de nada serviram,ou melhor,serviram somente com ferramenta para o golpe.

    A corrupção no país é generalizada e sistêmica. Não haverá nenhuma melhora se estes mecanismos não tiverem data para começar e não anistiarem “delitos” anteriores,caso contrário os mecanismos,no lugar de combater a corrupção,serão mecanismos de chantagem para mais corrupção e para golpes como o praticado contra a democracia no Brasil.

     

  3. A situação está gravíssima !

    Ainda não há uma pesquisa abrangente (talvez nunca haverá) para comprovar o que percebo .

    Creio que esta putrefada situação política, econômica e social está causando seríssimos problemas na saúde psíquica de dezenas de milhões de brasileiros .

    Multidões estão peregrinando por igrejas pentecostais e católicas em busca de alguma saída .

    • A disseminação da picaretagem

      A disseminação da picaretagem (ou doidera) de um Davinci (o picareta da LixoÉ) ocorrerá de forma incontrolável, podem acreditar, infelizmente .  

  4. Perplexo

    “Em muitos casos, dada a insuficiência de provas, as investigações necessitam do efeito-manada, de tocar bumbo na mídia, de criminalizar o que não é crime, de ganhar no grito. E, aí, o que cai na rede é peixe, culpados e inocentes, pouco importa, cria-se a lei da selva, a celebração da selvageria.”

     

    Isso é que é justiça….. Qual é mesmo o salário desses servidores, pelo visto, tão gabaritados? Quem que está pagando isso aí mesmo? Hãn? Num tinha um tal de ajuste econômico/corte de custos a ser feito? Morosidade? Parece estar nítido quem ​não está pagando o tal pato da Fiesp.

  5. Me atenho ao seu comentario

    Me atenho ao seu comentario das peças juridicasmal feitas de Rodrigo Janot. Como assim mal feitas? Teori acaso se referia a todas elas? Se foi, como os membros do PT foram todos execrados? Como teria então o STF aceitado acusações mal feitas contra o Partido? Havia conivencia? Ou só a partir de agora, com a lama chegando no pescoço de emplumados o PGR resolve dar uma maozinha fazendo peças jurídicas de quinta categoria sabendo quem irá julgá-las e mais, como poderão ser facilmente quebradas!

    A podridão de nossa política não está apenas no Congresso Nacional. Está por toda Brasilia!!

    • O General Legalista é menos pior do que o Temer Entreguista

      O General Legalista não é melhor do que o Temer Entreguista, ele é apenas menos pior.

      Vade retro

  6. General legalista

    General legalista? Uma quadrilha tomou deassalto o poder, tendo sido colocados lá por uma corja igual a eles, enquanto o país é destruido o cara se chama de legalista e diz que as instituições estão funcionando? Não é dever das Forças armadas defenderem o Brasil, ou eles vão fingir que não estão vendo o que a maioria do povo já esta vendo? Fica a pergunt:a será que as forças armadas ( em minusculo mesmo) só servem para lutar pela sua aposentadoria integral  ou pensão para suas filhas só até os 120 anos de idade?enquanto os Canalhas Canalhas Canalhas vão implantar no país a pior aposentadforia do mundo? e destroiem todo patrimônio construido em 517 anos de país?

  7. Novo Tempo da Lava Jato.

    Nassif, será que esta má qualidade das denucias do incompetente Janot não é proposital para não atingir o MT e a sua quadrikha? Para mim a Lava Játo já atingiu sua méta que foi atingir o Lula e o PT. O fato é que ainda não descobriram, prova contra o Lula, para coloca´lo na cadeia, mas esta bandidagem é capaz de tudo.

    Eu imagino se o Aéciim aguentaria mais de 2 anos de investigação como estão fazedo com o Lula?

  8. Não entendo a necessidade de

    Não entendo a necessidade de puxar saco do Vladimir Aras. Salvo engano, era o cara que tava bolando um plano mirabolante pra mandar o Batistti embora.

  9. Os membros das forças armadas

    Os membros das forças armadas seriam totalmente coesos? A opinião e posição do general correspondem a de todos? Será que não existem pessoas ou grupos que chegariam a encarar as consquências de um “motim” fracassado se julgarem que devem tomar uma determinada atitude?

  10. A Arca de Janot
    Por mais precário que seja o trabalho de Janot, certamente obedece a uma premissa: não pode destruir todos. Senão o “mundo” acaba e Janot e o MP vão juntos.
    Portanto, determina o “bom senso” que se preserve a “espécie”.
    A arca de Noé, digo, de Janot.
    A singularidade está em que nessa arca só ao PSDB será permitido acesso.
    Um novo “mundo” surgirá para os brasileiros. Graças as escolhas sábias de Janot.

    • Balela

      A corrupção é endêmica , não tem partido ou ideologia. O Brasil afundou na areia modediça da imoralidade. Puro auto engano supor honorabilidade naqueles mantem ou procuram alcançar o poder.

    • não creio que faça um mau

      não creio que faça um mau trabalho por imcompetencia. faz pois é um jogo de cartas marcadas.  nesse caso a equipe pode ser a melhor disponivel, mas o chefe tem lá limitações, nao por imcompetencia, mas não quer fazer… a intenção diz tudo.

  11. Declaracao de Villas Boas 04/16

    Procurem no google entre 10/04/16 a 30/04/16. Ha uma declaracao bem importante dele.

    “As Forças Armadas não existem para fiscalizar governo nem para derrubar governos. Temos que contribuir para a legalidade, dar condição para que as instituições continuem trabalhando e encontrem caminhos para superar o que estamos vivendo. Vimos que os embates [políticos] têm sido acirrados, mas as instituições estão funcionando”, disse.

    Villas Bôas disse que a intervenção militar de 1964 foi um erro das Forças Armadas. “O Brasil da década de 30 a 50 foi o País do mundo que mais cresceu, com Getúlio [Vargas], Juscelino [Kubitschek]. Nos governos militares nas décadas de 70 e 80, nós cometemos um erro, nós permitimos que a linha da Guerra Fria nos atingisse e o País, que vinha num sentido de progresso, perdeu a coesão”, analisou.

    ….

     

     

    • Para ser honesto, um

      Para ser honesto, um comandante do exército que não defende o seu país contra inimigos externos e internos é no mínimo um frouxo. O país sendo literalmente desmanchado e o comandante do exército senta e fica olhando? Só mesmo no circo que o Brasil se tornou.

  12. Minha sugestão, para sair dessa situação,

    que eu baseio numa proposta do Kanitz. Ele comenta que quem foi corrompido ocupava ou ocupa algum cargo público, seja de nomeação, concurso, ou eletivo; já as empresas com os, hã “setores estruturantes” não se preocupavam em contribuir para os vices, especificamente os de cargos eletivos.

    A proposta seria uma certa “Anistia condicional”. Funcionaria assim:

    quem tivesse recebido propina ou “contribuição”  de qualquer modalidade de empresas ou de pessoas físicas se auto-denunciaria, informando doador, data e valor histórico da doação, independentemente de ser legal ou propínica. Este valor histórico seria atualizado monetariamente e sobre ele tanto o doador como o recebedor pagariam um Imposto de Renda adicional de 15% cada um. A partir daí o recebedor fica impedido para o resto da vida em se manter em qualquer cargo pago pelo poder público, seja federal, estadual, municipal, autárquico, empresa estatal, eletivo, concursado, executivo, legislativo, judiciário, etc. Fica também proibido de votar e ser votado para o resto da sua vida, bem como de participar de concursos públicos, nomeações, etc. 

    Já o doador, caso pessoa jurídica, depois de pagar a parte dele, poderia perfeitamente ser reabilitado para concorrências públicas.

    Caso, depois de ter realizado a auto-denúncia, venha a surgir comprovadamente e por meio de testemunhos, de algum outro valor não declarado nesta auto-denúncia, a anistia é  automaticamente revogada (daí ser chamada de condicional), e o acusado perde seus bens, exceto a moradia mais modesta para a sua família, se houver, e cumpre pena de prisão perpétua. De lambuja, o denunciante ganharia ainda uma comissão sobre os bens confiscados do corrupto. 

    Quem se auto-denuncia e se aposentou, a sua aposentadoria passaria ao regime geral; se tivesse mais de uma aposentadoria, perderia as demais. 

    O tempo para se beneficiar desta anistia condicional poderia ser bem curto, por exemplo, válido por apenas uma única semana, quem não entrou nessa, corre o risco de pegar uma perpetuazinha, se denunciado. 

    Também se podia acrescentar algo como, se de um determinado partido mais de uns 20% dos seus eleitos / nomeados se afastem, então este partido ficaria impedido de participar de eleições por algum tempo. 

    Com isso espera-se que essa bandidagem seja afastada dos cofres públicos e os seus sucessores evitem este caminho. E ainda sobra um pouco para o cofre público!

    Sei, só falta por o guizo no gato. Sei também que muito desta proposta não se coaduna com o Direito, mas para situações excepcionais são necessárias soluções excepcionais. 

     

    • Como se dizia na Alemanha nos anos 1980 sobre a energia nuclear

      Nein, danke!

      Tirado do seu texto: “para situações excepcionais são necessárias soluções excepcionais”.

      É sério isso? Ora, essa é justificativa dada para não se punir o Camicia Nera pelos crimes confessos que cometeu contra a lei e o direito.

      É a justificativa do vale tudo. É a justificativa que permite absolutamente qualquer medida, inclusive – e principalmente – ao arrepio da lei.

      Não, muito obrigado!

      Essa proposta coxinho-moralista é um despautério.

       

      • Isso não existe:  “É a

        Isso não existe:  “É a justificativa que permite absolutamente qualquer medida, inclusive – e principalmente – ao arrepio da lei.” Ou é a lei ou a bárbarie.

  13. Apontando

    A imprensa tradicional não tem como fazer este tipo de afirmação.Todos sabem porque.Ou seria apenas uma inocente suposição de que o PGR é conivente com o crime? Neste caso não haveria nada de reprovável?

    “…ou por receio de chegar até seus aliados, a Procuradoria Geral da República (PGR) está tocando os inquéritos com extrema morosidade.”

  14. “Em muitos casos, dada a

    “Em muitos casos, dada a insuficiência de provas, as investigações necessitam do efeito-manada, de tocar bumbo na mídia, de criminalizar o que não é crime, de ganhar no grito. E, aí, o que cai na rede é peixe, culpados e inocentes, pouco importa, cria-se a lei da selva, a celebração da selvageria.”

     

    Qual escritor criou aquela famosa frase da “lesma passando sobre o fio de uma navalha? Não me lembro. Criminalizar o que não é crime, tendo insuficiência de provas a apresentar, e lançar  inocentes no cárcere, configura o crime de sequestro seguido de tortura, previstos nas leis penais e civis. Noves foras, Moro e Janot necessitam urgentemente serem investigados. Esses meliantes dirão: “Mas nós tínhamos o poder.” Pois que enfiem o poder goela abaixo e que procurem e apontem na CF a máxima que permite a funcionários da Justiça cometer crimes inafiançáveis. 

  15. Bom Xadrez,ponto para Luís
    Bom Xadrez,ponto para Luís principalmente quando afirma que General Villas Boas não se recusaria entrar no jogo.A bem da verdade,evocando a verdade factual como gosta um ilustre jornalista de reputação e caráter ilibados,assim como o autor de mais um instigante Xadrez,dois pontos para o acima assinado.Um pouco mais atrás,devidamente registrado nos arquivos e anais do Blog,afirmei peremptoriamente que o General Eduardo Villas Boas não iria entrar no jogo,disse sim,que Sua Excelência está no jogo há um tempo razoável.Será difícil,muito difícil,dificílimo faze-los recuar em um País a deriva.

    • Nem quando a verdade me
      Nem quando a verdade me sorri,voces se ajoelham no milho para cumprir a penitencia merecida.Vivemos tempos sombrios,muito sombrios.

  16. ou então o general sabe mais do que o Janot…

    ou sabe o que lava jato diz que não quer saber porque não vem ao caso

    seguinte:

    delação não produz resultados práticos ou positivo sem a revelação da estrutura do crime organizado

    ou na falta de provas concretas só produz vítimas do delator

    o general deve saber muito bem que vítimas não são coatores. E coatores formam uma estrutura

    assim como também os delatores

  17. Sergio Palhano

    Nassif, 

    Permita-me discordar da analise de que as denuncias pífias são inabilidades dos procuradores. Aparentemente esta é exatamente a nova estrategia para preservar aliados, as denuncias são vazias porque não se pode deixar de responder ao anseio da sociedade com um ar de imparcialidade, assim apresentam-se peças inconsistentes para serem imediatamente arquivadas nas instancias superiores ou simplesmente facilitar a absolvição de quem desejarem. Como a quantidade de envolvidos é enorme algumas delações contra os seus aliados escolhidas a dedo serao vazadas e divulgadas no noticiario flash da grande midia permanecendo nao mais que 24 horas no ar para dar o ar de imparcialidade e depois serão devidamente anulados sem levantar suspeitas.

    Toda vez que surgir alguma noticia de subida de Lula nas pesquisas havera uma nova denuncia pronta para ser apresentada contra ele mesmo ou algum integrante do seu partido, sempre um dia depois da divulgação das pesquisas. Aqui a ideia de timing apresentada pels delegados da PF recentemente faz todo o sentido.

    Por outro lado quando a bola chegar ao Supremo a natureza vitalícia do cargo dos ministros se encarregará de eliminar a necessidade de maioria para condenar ou absolver alguem, bastando um pedido de vista para que qualquer voto vencido procrastine decisosões até a prescrição dos processos se necessário for, e é por isso a necessidade urgente de aliados ocuparem assentos no supremo tribunal.

    Com objetivos bem claros desde o inicio:

    1) a substituição do regime de esquerda com a impossibilidade de seu retorno inviabilizando a candidatura de Lula em 2018. 

    2) a irreversibilidade da venda dos ativos/recursos naturais  via PEC 55 pois uma vez vendidos a constituição retira a possibilidade de recompra via limitação de gastos em investimentos por 20 anos.

    Então procuradoria cumpre um rito perfeito e muito inteligente, ao meu ver vai livrar TODOS os aliados e entregar na bandeja até a sigla PT tornando-a organização criminosa.

    Mas se quisesse a PGR poderia se redimir agora  apresentando as denuncias em blocos por partidos e pedindo a cassação de todas as legendas que configurassem formação de quadrilha alem de levantar o sigilo para que o supremo nao pudesse sentar em cima dos processos.

  18. “A mentira pode ser mantida apenas pelo tempo em que o Estado possa esconder do povo as consequências políticas, econômicas e/ou militares da mentira. Portanto, torna-se vitalmente importante para o Estado usar todos os seus poderes para reprimir o dissenso, pois a verdade é a inimiga mortal da mentira; e dessa forma, por extensão, a verdade torna-se o maior inimigo do Estado.”

    Joseph Goebbels, Ministro da Propaganda Nazista

  19. o vale tudo deve-se a capacidade investigativa impedida…

    vez em quando temos um êxito que mesmo duvidoso é sempre seletivo

    inventaram que é enfraquecida, mas na relidade é impedida, limitada aos adversários políticos, petistas e amigos

     

  20. Com toda a venia

    o post e os comentários ignoram uma parte vital da estratégia de Janot, que com certeza será o seu grand finale. Ela foi adiantada e testada pelo palhaço do Dallagnol na denúncia contra o Lula e depende visceralmente da delação da Odebrecht.

    Janot vai embora em setembro. Ele protege o PSDB, como todos sabem. E já entendeu que com o PMDB não dá para brincar. Assim, antes de deixar o cargo, em algum momento entre agora e julho, eu apostaria maio ou junho, ele vai jogar uma bomba no Supremo que é a denúncia da Organização Criminosa.

    Desnecessário dizer que nessa denuncia figurará como elemento central, no topo da pirâmide, nosso querido Lula e, possivelmente, a própria Dilma.

    Janot já está, neste momento, deixando todo o resto para trás em nome disso. Será a sua obra-prima. A força-tarefa organizada às pressas para investir contra o BNDES não tem outro objetivo.

    Será o novo mensalão, só que muito magnificado. Estou certo de que o esquema será inclusive apresentado como uma continuação do mensalão.

    Pessoal se preocupa muito com o Moro, mas quem vai tentar desferir o golpe fatal na cabeça da jararaca vai ser o PGR. O plano dele é fazer o serviço sujo e partir para os braços dos donos do poder, como fez o Ayres Brito.

    Não é preciso nenhum poder profético para prever que a Globo não terá grande problema de forçar um tribunal já bastante inclinado para o seu lado a passar a maior condenação política da história sobre o maior líder popular da história.

    E, nesse caso, vai importar muito pouco a consistência das provas ou a qualidade do inquérito que ele vai oferecer.

    É o quadro que se prenuncia nesse momento. E ele vai ser feio. Muito feio.

    • Correto, mas eu estou me

      Correto, mas eu estou me perguntando se uma pessoa desprezível como Janot está subestimando a revolta popular que tentar prender Lula causaria. Eu tenho tido algumas conversas com gente simples nas ruas e o meu entender é que elas partiriam para a violência contra um abuso desse tamanho, e isso é algo para se pensar vindo de um povo reconhecidamente submisso e covarde.

       

      • Voce está enganado meu caro

        Voce está enganado meu caro bode ou Somebody.

        Justamente por ser um povo submisso e covarde é que nada fará caso Lula seja preso ou não.

         

         

    • Ou seja

      Ou seja, de incompetente e burro não tem nada. Faz parte ativa de tudo isso e o Nassif só pode chamar de má competência por não dispor de outra palavra.

    • Qualidades

      Na ausência de carater não se tem pudor de cometer qualquer absurdo. E, quanto maior o poder, mais isso se evidencia. Logo, comungo da  sua opinião, Joseph.

    • Você tem toda razão.
      Acredito

      Você tem toda razão.

      Acredito que a destruição da Odebrecht no exterior pelo MPF – através da cooperação internacional – tem o objetivo de azeitar a denúncia que vem com as delações: Lula estará no topo de uma quadrilha internacional que corrompia países inteiros no seu projeto de poder. Acredito também que assim conseguirão criminalizar de vez as viagens e as palestras de Lula.

      Aliás, já ouviram o tal chavão de que a Odebrecht uniu a América Latina?

      Um ponto contra (contra o Golpe, mas a favor do Brasil) é que isso vai escancarar o Lawfare.

    • eu não duvido que faça isso.

      eu não duvido que faça isso. eu li em outros blogs que moro, quando eduardo suplicy depos na PF em curitiba fez peguntas que pouco tinham relação com a lava jato. perguntas sobre a refundação do pt, coisas assim. moro está até vasculhando os processos do chamado mensalão. agora que o povo sente falta de Lula e ele é o cara a ser batido em 2018, é melhor destriur isso logo…

    • Primeiro ato de um novo

      Primeiro ato de um novo governo – se vier – em 2018 e se o velho estiver vivo até lá será conceder indulto ao Alm. Por serviços prestados e ponto final. Ao estilo das “ordens executivas” do Big Boss.

      Aí o bicho pega…

  21. Timing

    Moro com data marcada para morar nos EUA, mas, os jovens procuradores ainda não conseguem provas suficientes contra Lula.

    Entretanto, enquanto aguarda essas provas contra Lula, o aparelho de justiça está tartarugando com os outros processos, com dois objetivos: a) pressionar os “rabo preso” do congresso para fazer as reformas neoliberais, e b) proteger figuras do próprio judiciário (quem sabe do STF) que poderiam estar começando a aparecer nas denuncias, considerando a covardia de alguns, que demonstram estar com o rabo preso.

    Na ponta de cima, o grande poder, que pega o rabo de todos os mencionados.

  22. Grande texto!!!
    Moto perpetuo

    Grande texto!!!

    Moto perpetuo da prova juridica.

    O antipetismo como único referencial intelectual (ontem sobre o lixo Freire).

    Nassifão tá inspirado!!!!

    Aliás, sempre esteve.

  23. Desculpe, mas se o General é

    Desculpe, mas se o General é totalmente a favor da lava jato ele é uma piada completa.

    Será uma Dilma das Forças Armadas ? Ou um novo Cardosão ?

    Será que ele tem conhecimentos mínimos de direito e noções de Estado ?

    Pois quem o tem, sabe que a lava jato é que de pior vem ocorrendo no atual momento.

     

    Os comentários dos colegas Joseph (estou plenamente de acordo com ele, é totalmente verossímil )e Zé Guimarães (com algum exagero mas é bem por ai) são perfeitos, principalmente o primeiro.

    Creio que devessem ser elevados à categoria de Post.

     

  24. Considerando a história

    Considerando a história política do país temos que a ojeriza ao comunismo, hoje, encarnado pelo PT e Lula une a todos e todas, nenhuma instituição escapa à histeria anti-esquerda.

    Se você somar a isso a visão subserviente da plutocracia brasileira entreguista por natureza e vira-lata por opção vai chegar a atual equação do poder no Brasil.

    O Brasil é um país tão atrasado, hoje, o mais atrasado da américa latina que Argentina, Uruguai, Chile e até o Paraguai podem nos dar aulas de como resolver seus problemas dentro da lei, separar a normalidade institucional das disputas políticas, não permitir que as instituições de estado sejam contaminadas pela política partidária.

    No Brasil é um fato normal sair às ruas pedindo golpe de estado.

  25. O MP se apóia na lei, não na suposta sede de sangue da população

    De acordo com o Luis Nassa:

    “Em muitos casos, dada a insuficiência de provas, as investigações necessitam do efeito-manada, de tocar bumbo na mídia, de criminalizar o que não é crime, de ganhar no grito. E, aí, o que cai na rede é peixe, culpados e inocentes, pouco importa, cria-se a lei da selva, a celebração da selvageria”.

    O Luis Nassif está equivocado e seu equívoco decorre do fato de ele não ter lido a entrevista do Procurador Federal Carlos Fernando. Na referida entrevista, o mencionado Procurador disse:

    “Sabemos que não vamos ter 100% do apoio em 100% do tempo. Mas NÃO TEMOS QUE BUSCAR O APOIO DA POPULAÇÃO, e sim trabalhar, independente do que digam a nosso respeito.”

    Como visto, a Vazajato não necessita do efeito-manda, não precisa tocar bumbo na mídia, não precisa ganhar no grito, nada obstante, o mesmo Procurador tenha dito em seguida:

    “O caminho é outro, por conhecermos a experiência das Mãos Limpas, quais são as armadilhas que são colocadas no caminho de uma grande investigação. Percebemos e reagimos sempre. Toda vez que (políticos) tentaram uma modificação igual como foi a (lei) salva ladre (que concedia anistia aos presos), na Itália, fomos abertamente à imprensa e falamos: OLHA, POPULAÇÃO, ESTÁ ACONTECENDO ISSO. Porque O POLÍTICO SÓ ENTENDE A PRESSÃO DA POPULAÇÃO.”

    Mais tabajara do que esse Procurador, só o jornalista, que, tanto quanto ele, não se deu conta dessa contradição e a explorou, botando o Prucuradôzinho em saia justa.

    • Onde você vê contradição?

      Onde você vê contradição? Eles não precisam de “apoio” da população, manipulam-na livremente. É gado, boi.

      O que estarrece é a desfaçatez desse meliante. Acredito que em qualquer país “sério” se o responsável por uma investigação declara abertamente que a mesma possui finalidade política, ou que dela se utiliza para fins políticos, no mesmo dia estaria encrencado.

  26. Xadrez do novo tempo da Lava Jato

    a facilidade com que o golpe foi dado, assim como o desmonte do Estado, definitivamente não é trabalho de amadores. é obra meticulosamente preparada ao longo dos 13 anos de Lulismo.

    não foi construída qualquer capacidade de resistência ao assalto da lumpenburguesia brasileira. ao contrário, ainda agora persiste a ilusão de que é possível algum tipo de pacto com uma plutocracia escravagista e colonial.

    só é possível derrotar um golpe através do poder popular, do poder armado e do poder das instituições. e o Lulismo se empenhou decididamente para que nunca tivéssemos nenhum destes três poderes.

    o projeto de Brasil da elite é o que está sendo aplicado: total privatização do patrimônio público, fim dos direitos trabalhistas, eliminação da rede de proteção social, recondução do país a um status pré revolução de 1930.

    frente a isto, onde está a President@ afastada pelo golpe do impeachment inconstitucional? nas ruas, liderando a resistência para recuperar o mandato que a maioria lhe outorgou? não! está decidindo se vai se candidatar a Senador@ ou Deputad@ nas hipotéticas eleições de 2018.

    nonsense total.

    persistem no auto-engano os que se entusiasmam com as pesquisas de intenção de voto em Lula. este índice é muito mais indicativo da rejeição da população ao governo Temer, do que um endosso da capacidade de Lula liderar a luta pela reconstrução do Brasil.

    ainda nos próximos meses, vai ficar ainda mais óbvio que Lula não quer, nunca quis e nunca vai querer, se opor frontalmente ao projeto da lumpenburguesia.

    Lula é como Tancredo Neves. Tancredo estava no palanque das “Diretas Já”, mas contra ela trabalhando nas sombras dos acordos de gabinete. Lula jamais se empenhou na luta contra o golpe, sempre operando por mais um acordo, por mais uma conciliação.

    mais nonsense…

    como se não bastasse, agora o poder armado se reivindica como mais um personagem do teatro dos absurdos.

    sim, estamos à deriva, somos um país sem rumo, “ que não sabe o que pretende ser, o que quer ser e o que deve ser”. e o poder armado é diretamente responsável por isto!

    onde estava o poder armado quando o vice Almte. Othon foi condenado a prisão perpétua e tentou o suicídio? foi deixado para trás….

    qual o posicionamento do poder armado frente a uma Lava Jato parcial, seletiva, anti-Povo, anti-Nação, e tão ou mais corrupta do que aqueles que investiga? a cobre de elogios como se fosse uma “grande conquista ética”…

    onde estão os militares da reserva, sempre bravamente atuantes contra as tentativas de elucidar os crimes da Ditadura? ainda conspirando contra o que restou de Democracia…

    se o General quer contribuir para que o Brasil tenha um rumo, da próxima vez que o Exército for convocado para fazer papel de polícia, que comece a fazê-lo pelos ocupantes do Palácio do Planalto. já seria um bom começo.

    .

    • Devo concordar. Diálogo e

      Devo concordar. Diálogo e conciliação são possíveis quando apesar das diferenças ambos os lados querem o bem geral do país (mesmo que um acredite que o caminho certo é pela direita e o outro jure que o caminho pela esquerda é o certo), mas o que vocês têm “do outro lado” no Brasil são criminosos visando destruir o país, e com criminosos não se negocia.

      Uma pessoa como Temer deveria estar presa e pessoas como Moro e Janot deveriam estar no corredor da morte (traição contra a pátria é punido com pena de morte na maioria dos países civilizados, por boas razões).

      • Xadrez do novo tempo da Lava Jato

        em 1862, com o Homestead Act, os EUA fizeram sua reforma agrária, criando 600 mil novos proprietários. enquanto isto no Brasil, a “libertação dos escravos” os proibiu de comprar terra.

        entre 1861 e 1865, os EUA tiveram sua guerra civil, com cerca de 600 mil mortos. caso o Sul houvesse sido vitorioso, ainda seriam uma grande fazenda de algodão. enquanto isto no Brasil, a República a rigor jamais foi declarada.

        agora os EUA experimentam no plano interno a mesma desestabilização que por décadas implementaram ao redor do mundo. sem Trump ou com Trump a Guerra Civil 2.0 é inevitável. enquanto isto no Brasil, a Ex-querda propõe passar uma borracha no golpe, como antes foi feito com os crimes da Ditadura, com a privataria tucana, etc…

        só que desta vez, também no Brasil a Guerra Civil será inevitável…

        Is there anybody in there?

        Now I’ve got that feeling once again

        I can’t explain you would not understand.

        vídeo: A former (?) Mossad officer predicts that Trump will be impeached on grounds of treason

        [video:https://www.youtube.com/watch?v=sNARIrqQ9oE%5D

        .

      • Xadrez do novo tempo da Lava Jato

        -> vindo de um povo reconhecidamente submisso e covarde.

        este é um dos grande mitos forjados pela plutocracia brasileira, e sempre reforçados pela Ex-querda. na verdade, submissas e covardes são a plutocracia e a Ex-querda.

        a História do Brasil é uma sequência de massacres contra as revoltas e insurreições populares. mas os intelectuais de Esquerda forjaram uma narrativa bastante conveniente à uma plutocracia escravagista e colonial, de uma História sem sangue na qual tudo se resolve no apaziguamento no leito da miscigenação.

        quem de fato tem contato com as pessoas simples e humildes, e mesmo amplos setores da baixa classe média, sabe o quanto elas estão enfurecidas com o que está acontecendo. simplesmente não temos lideranças nacionais que catalisem este sentimento. ao contrário, o Lulismo sempre tudo fez para amortecê-lo.

        Lula não é, nunca foi e nunca será a solução para o atual impasse brasileiro. ao contrário, Lula sempre fez parte do problema.

        “Lula: eu não quero incendiar o país. Eu sou a única pessoa que poderia incendiar este país”.

        áudios vazados em 2016

        “[…] chegou a hora de o PT admitir que se envolveu em corrupção, pedir desculpas à sociedade pelos erros que cometeu, abandonar o discurso de “denúncia do golpe” […]”

        Humberto Costa, Senador do PT – entrevista na Veja

        .

    • O Lula é o melhor Presidente

      O Lula é o melhor Presidente da história do Brasil /ou um dos dois melhores, junto com Getúlio.

      Apesar disto, o Lula não quiz alterar a estrututura da elite.

      Três atitudes indica isso: 1- salvar a Globo da falência no começo do mandato

      2- o desleixo nas nomeações das áreas jurídicas, dentre elas o pgr independente (ou contrário) do governo eleito

      3- e a escolha de uma sucessora totalmente sem-noção. Honesta, porém inexperiente. E os inimigos do país já mostravam os ‘dentes’ desde 2005.

      • Xadrez do novo tempo da Lava Jato

        caso não houvesse tanta obsessão em enaltecer Lula, talvez fosse possível focar no que de fato é relevante: como sair do abismo em que estamos.

        .

  27. Quer dizer, o Brasil de hoje

    Quer dizer, o Brasil de hoje está nas maõs de golpistas no executivo e legislativo e incompetentes ignorantes no judiciário.

    Sinal de desgraça a frente.

  28. Nem JS é decrépito nem Rodrigo Janot é amador ou incompetente

    Prezados leitores,

    Há algum tempo Luís Nassif escreveu uma crônica levantando a suspeita sobre a decrepitude de José Serra. JS é cínico e mau-caráter; ele não está sênil ou decrépito. Aquela entrevista em que le finge desconhecer o significado da sigla BRICS é pura encenação; ali JS e seu interlocutor ensaiavam um discurso, caso as redes seletivas da Fraude a Jato um dia atingissem o tarja-preta.

    Rodrigo Janot é companheiro de partido de JS-tarja-preta, do líder no STT, Gilmar Dantas, do ‘santo’, do ‘mineirinho’ e do ‘príncipe da privataria’. Janot é raposa velha de MG. Seu papel na PGR é proteger e blindar os aliados e companheiros tucanos; e nisso ele não  é amador, mas profissional com grande experiência. A má qualidade das denúncias apresentadas por Janot ao STFé proposital, pois assim elas serão rejeitadas e seus aliados políticos inocentados. Nassif erra ao comparar Janot com os 14 patetas da secção paranaense do MPF, encabeçada por deltan dallagnol e carlos fernando lima.

    Como disse ontema filósofa Mácia Tiburi, em evento de protesto contra a nomeação de Alexandre de Moares para o STF, precisamos usar as mesmas armas que a direita vem usando, desde quando planejou o golpe, e continua a usar, depois da consumação: temos de partir para cima, de forma contundente, agressiva. Não podemos ser diplomáticos com aqueles que nos oprimem, nos espancam, cassam nossos direitos. Termos e chamar a Fraude a Jato pelo que de fato é: UMA ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA INSTITUCIONAL, composta por policiais federais, procuradores do MPF, juízes federais – com destaque para sérgio moro – e ministros do STF. As quadrilhas políticas do PSDB e do PMDB tem de ser chamadas pelo que são. O alto comando internacional do golpe, que fica nos EUA, deve ser denunicido diariamente.

  29. Já faz um tempo que o Clã Midiático Marinho jogou a toalha da LJ

    Já faz um tempo que o Clã Midiático Marinho jogou a toalha da LavaJato. 0 mencionado Clã Midiático fez isso por duas razões: 1. Para que a Vazabosta fique restrita ao PT, não se estendendo aos verdadeiros corruptos, aqueles da Casa Grande. 2. Para que a população arque com o peso da crise, sendo mais sacrificada do que já é.

    Num editorial intitulado ‘Gravidade da crise fiscal não é explicada pela corrupção (A coincidência da derrocada financeira do Rio de Janeiro com a prisão de Cabral e associados leva à ideia equivocada de que o combate aos corruptos resolve os problemas), o Jornal O Globo asseverou:

    “Sem se aumentar contribuições à previdência fluminense, cortar gastos em geral, conter privilégios de castas da burocracia etc. não se irá muito longe. A crise fiscal já chicoteia há meses aposentados, pensionistas e servidores públicos em geral e cada vez mais pune a população com uma deficiente prestação de serviços. E tende a piorar.

    Torna-se, então, fácil para políticos demagogos relacionarem a roubalheira com a falta de dinheiro, uma forma de tirar a importância crucial que têm medidas — tipo a elevação da contribuição previdenciária — para conter a crise.

    Sequer os números são comparáveis: estima-se em pouco mais de R$ 200 milhões o dinheiro surrupiado por Cabral e companheiros, enquanto o déficit orçamentário está na faixa dos R$ 17 bilhões. Não se pode menosprezar o efeito deletério da desonestidade nos cofres públicos. Mas, daí a achar que as agruras fiscais da Federação brasileira se explicam só pela roubalheira, é ir muito longe.

    Deixam-se de lado erros crassos de política econômica e administrativos. No raciocínio inverso, o desequilíbrio estrutural das finanças fluminense, de outros estados e da União seria resolvido à base do encarceramento de corruptos, como dão a entender os que se opõem ao ajuste. Cada coisa é uma coisa, e a imperiosa punição de ladrões do dinheiro público não substitui medidas técnicas de correção dos desequilíbrios financeiros.”

     

    Mas os Militares não querem perder os seus privilégios previdenciários. Se depender deles, não se irá muito longe.

    Traduzindo: o Jornal o Globo teve que reconhecer, contra a sua vontade, que o principal problema do Brasil não é a corrupção, ou seja, o principal problema do Brasil não é político, é econômico.

  30. Gente, por favor, assistam às

    Gente, por favor, assistam às audiências da Lava Jato.

    Observem o GRAU DE AMADORISMO dos procuradores em audiência.

    É de dar pena… 

    Na iniciativa privada esses “jenios” não conseguiriam nem 10% dos salários que ganham.

    UMA VERGONHA PARA A NAÇÃO.

  31. Jogo do poder: militares

    Impressionante como a mídia progressista possui dificuldades em compreender e interpretar os militares.

    Parecem ter esquecido o áudio do senador “Caju” com Sérgio Machado, onde foi dito que houve “conversas” com “generais, comandantes militares” – “Está tudo tranquilo, os caras dizem que vão garantir. Estão monitorando o MST, não si o quê, para não perturbar”.

    A solução Michel, ao que sugere, contava com apoio do setor militar. Bastava acompanhar os pronunciamentos do Clube Militar para ver isso. E não se iludam com a conversa de que o pessoal da reserva não representa os pensamentos do pessoal da ativa. Os clubes militares e as chefias militares operam em sintonia – são as mesmas pessoas (de formação, visões de mundo, ideologias, etc.), com alguns poucos anos de diferença.

    As recentes declarações do comandante do Exército teriam outra motivação: a questão previdenciária dos militares. Essa é a espada de Dâmocles que paira sobre as cabeças dos militares – essa é a prioridade, o resto é o resto.

    Segundo esta perspectiva, a concordância complacente na vertiginosa participação dos militares na segurança pública estaria ligada a essa mesma questão; como uma forma de buscar maior protagonismo político, assumindo melhores condições para negociar a previdência. E os discursos recentes teriam esta mesma finalidade.

    Cabe lembrar que discursos assentados em preceitos éticos/morais não são uma novidade no meio castrense. A “escola francesa” de guerra contra revolucionária, que teve grande penetração na ESG nos anos 50 e 60, já adotava a visão de que o comunismo era uma espécie de desvio ético/moral – uma questão de deturpação de caráter dos indivíduos – e que o combate ao comunismo seria uma espécie de cruzada moral para “sanear” uma sociedade “doente”. Estes elementos ideológicos foram determinantes nos processos que culminaram em 64.

    Hoje, o perigo está em que a busca por um maior protagonismo político acabe por conduzir os militares não contra o governo, mas em seu apoio; apoio em direção ao endurecimento do atual regime, com o aumento da repressão e tendo os militares como seu braço de sustentação.

     

     

     

     

     

    • Maurício, o seu post fez lembrar de uma Fábula de Esopo

      O Cão, o Galo e a Raposa

      (Esopo)

      Um cão e um galo que tinham feito amizade iam juntos por uma estrada. Quando a noite veio, o galo subiu numa árvore, enquanto o cão se aninhou no oco do tronco. adormeceram. Como de costume, o galo cantou antes do dia nascer. Uma raposa, escutando-o, correu até a árvore e pediu para ele descer; queria beijar um animal de voz tão bela. O galo respondeu-lhe:

      – Acorde antes o porteiro que está dormindo ao pé da árvore. Quando ele acordar, descerei.

      Quando a raposa foi conversar com o cão, este saltou sobre ela e a despedaçou.

      Moral da Estória:

      Quando nossos inimigos nos atacam astuciosamente, mandemos que se entendam com os mais fortes que eles.

  32. Sobre o “domínio do fato” em nosso ordenamento

    Não é a primeira vez que o Nassif nos apresenta o método do domínio do fato, que merece ser analisado à luz do processo penal brasileiro.

    Vejamos o problema identificado com o método do domínio do fato: “A estrutura burocrática do MPF, no entanto, somada à ideologização da corporação, transformou a teoria do fato em manual a ser seguido cegamente. Definida a primeira versão, não se muda nada para não parecer que o investigador incorreu em algum erro inicial de análise.”

    Chamo a atenção para as leis que autorizam a invasão na privacidade dos investigados e acusados e também à novel legislação de combate à corrupção – intercetação de comunicação, busca e apreensão de documentos e computadores e, mais recentemente, à delação premiada – ​que permitem que o mesmo promotor que requisitou a diligência seja o mesmo que adiante apresentará a denúncia, inquirirá as testemunhas e acusados e formulará as alegações finais, da mesma forma que será o mesmo juiz que deferirá as diligências, receberá a denúncia e proferirá a sentença.

    ​Obviamente, promotores e juízes jamais voltarão atrás e mudarão a primeira versão, pois foi com base na primeira versão que mandaram invadir os telefones e as casas dos acusados e os processaram criminalmente – isso quando não prenderam para forçar a delação.

    ​É um problema já identificado em 2015 – https://jota.info/colunas/o-crime-e-o-homem/o-crime-e-o-homem-em-defesa-do-juizo-de-instrucao-15042015:

    “2. O problema

    Um pouco de infantilidade? No clássico “Os trapalhões e o rei do futebol”, Pelé é goleiro e Didi Mocó é camisa dez.

    Em uma das mais sensacionais cenas do cinema infantil, Didi cobra um escanteio, sai correndo em direção à área enquanto a bola voa naquela direção e ele mesmo a cabeceia para o fundo das redes.

    A fantasia, impossível de ser tornar realidade, tem se tornado comum no processo penal brasileiro.

    Juízes mais ativos e mais aptos às investigações têm comandado investigações, direcionado os afazeres policiais, recebido os relatórios finais de investigação, têm recebido as denúncias e julgado os casos.

    Sim, eles têm batido o escanteio, corrido para a área e cabeceado as bolas para o fundo das redes.

    Ora, é sadio que o processo penal não seja um verificador e chancelador das investigações policiais?

    Com a esquizofrenia cognitiva, ou seja, com uma mesma mente investigando, chancelando a investigação e depois “corroborando” os elementos e os julgando, é possível haver imparcialidade dessa mesma mente?

    Haverá grandeza de espírito em se afirmar “errei na investigação” ou “errei em deixar preso preventivamente por dois anos” alguém que agora, vê-se inocente?

    A resposta é óbvia.

    Por isso todos os países do mundo que habilitam seus juízes a investigarem, também os proíbem de julgarem as causas que nasceram de suas investigações.

    Quem bate o escanteio, não cabeceia na área.”

    Problema cuja solução a França encontrou na separação das figuras do juiz de instrução (que autoriza diligências) e o juiz que julga ao final do processo, com as provas já nos autos.

    E foi o próprio Eduardo Cunha, conhecedor dos caminhos legais, que levantou essa lebre recentemente em seu artigo para a Folha (http://www1.folha.uol.com.br/opiniao/2017/02/1857096-o-juiz-popular.shtml)

    Hoje a tal força tarefa, o juiz Moro e a PGR estão batendo o escanteio e correndo pra cabecear, o que bastaria para a anulação dos processos se a nossa tradição jurídica fosse sólida e não um teatro de conveniências políticas.

  33. Então

    Então quer dizer que só o exército pode salvar o Brasil de ser invadido e saqueado pelos estrangeiros????? E pq não salvam o país de seus filhos e netos de uma vez??????

  34. Que permitam-me uma
    Que permitam-me uma observacao.A tropa do General Villas Boas vai pro pau com a trupe do Capitao Bolsonaro.A Globo deve desempatar a contenda pelas maos do Presidente do STF do B,Ataulfo Merval de Paiva.Ganha uma viagem so de ida para Damasco que acertar o desfecho da historia,que ironicamente se repete.

  35. Próximas pesquisas indicando

    Próximas pesquisas indicando Lulla como favorito. Manchetes: “MP faz relatório em que indica que Lulla cometeu crime de ocultação de patrimônio no caso do sítio.”

     

  36. hmmmm janot pressionava

    hmmmm janot pressionava teori.

    eori #chateado com janota…..um motivo.

     

    moraes no STF, um premio.

     

    falando nisso: a caixa preta do avião do teori já terminou de ser analisada?

    td trank? nem um ‘plec ‘ ou um ‘bip’ no som de fundo? se concluida análise, pq ainda não rolou uma matperia especial em um grande jornal detalhando…o motivo da viagem…, qndo foi agendada..quem estava no avisão….a manutebnção periodica do avião, os videos do hangar ond eele estava…..nada?

    o suspense interessaria ou é a ignorancia q interessa a alguem forte nesse meio?

    parece q haviam motivos e premios para o acontecido ter ocorrido.

    e na sabatina d hj nem os 4mi pro moraes na acronimo pode ser questionado, né?

    ..hmmmmm

  37. Creio eu,que devido as

    Creio eu,que devido as mutiplas atividades que deixam seus poucos cabelos em desalinho,Luis não atenou-se de maneira devida,sobre os movimentos do General Villas Boas,talvez por isso,tenha sido pego no contrapé e se deixado encantar pela musica Dias de Lua,na bela voz do saudoso Emilio Santiago:”Pode ser apenas impressão,uma assombração que vive a me matar…….”.Qual o que.O Sertanejo velho de guerra,utilizando-se das varias heranças que Papai me deixou,e minha memoria fotografica,logo nas primeiras entrevistas do Genaral,tipo:”O exercito seguirá rigorosamente os preceitos da Constituição Federal,naquilo que lhe compete em assegurar o irrestrito cumprimento da defesa do estado democratico de direto”,abri um olho para ele.Em seguinda veio com esta:”A chance de uma intervenção militar no Brasil é zero”.Abri os dois olhos para ele.O General já estava picado pela mosca azzul e assediado por umas tais vivandeiras que empesteiam o solo patrio,deixou-se trair:”O País está à deriva”.E está,vamos combinar.Só que General não pode emitir opiniões,quando muito solta uma Nota.Nessa bendita hora,eu que já tinha aberto os dois olhos,coloquei os meus oculos,eliminei a impressão que nunca tive,entendi que o General está enfiado no jogo até o talo,e nem de longe é o Xadrez.Os cadastrados e cadastradas que aqui aportam,diuturnamente,Sol a Sol,a cada dia,se encantam e assombram-se com o que escrevo sobre politica.Tive um grande Professor,magistral,fantastico,magnifico,que se dedicou toda sua vida a ensinar,e eu,um dos privilegiados,aprendi.

  38. O “Chinês”

       Deve-se tomar muito cuidado quando “oficiais da reserva” referem-se ao General Villas Bôas, pois em certos circulos e entidades, amplas e unidas, representativas no espectro politico tendente a direita e extrema direita, o atual comandante do exército não é nada bem quisto, classificado entre estes grupos, desde ” Chinês ” ( ele foi o 1o Adido Militar brasileiro junto a China ), passando por ” Vidas Boas”, até o absurdo de ser considerado um “comunista”.  ( alguns mais idosos o chamam de “melancia” , o Alzheimer explica o termo ). MAS……

        Mesmo sendo realmente um “legalista” – aliás como a maioria dos atuais oficiais superiores das FFAA – e aparentemente sem perfil aventureiro, uma pessoa analitica, bastante fria, assim como seu “chefe” imediato o Alm. Ademir Sobrinho, é certeza que ele(s), frente a uma situação extrema, entrariam no jogo politico.

         Muito das entrevistas de Villas Bôas, inclusive esta, tambem são uma forma dele se comunicar com seu “publico interno” diretamente, até coloquialmente, o que não seria possivel através dos canais comuns das FFAA, como “ordens do dia” por exemplo, ao mesmo tempo que tb. posiciona-se junto ao restante da população, mostrando a ela que as FFAA não encontram-se alienadas sobre o que esta ocorrendo no País.

          Outro ponto importante a se considerar é relativo a algumas propostas “salvacionistas”, que estão se formando em certos circulos, inclusive entre estes grupos de oficiais da reserva articulados a setores da direita, e é função, tanto do Villas como do EMCFA, em suas entrevistas e pronunciamentos publicos, procurar esvaziar estes grupos de pressão, e a melhor forma é posicionando-se claramente.

           P.S.: Que em 2018 uma “candidatura” ou mesmo uma plataforma politica originada do estamento militar (reserva), ou próximo a ela, existirá – não é Bolsonaro ou outro conhecido – nacionalista de direita com perfil salvacionista, são favas contadas, já está sendo articulada para “botar o bloco na rua” no 2o semestre deste ano, e terá apoio, primeiramente velado de uma ampla base dos atuais “congressistas” ( os “BBBs” ).

    • “…uma pessoa analitica,

      “…uma pessoa analitica, bastante fria, assim como seu “chefe” imediato o Alm. Ademir Sobrinho, é certeza que ele(s), frente a uma situação extrema, entrariam no jogo politico.”

       

      Uma indagação.

      Um “país à deriva” ainda não é uma “situação extrema”?

      • Não, pois as instituições estão funcionando

        Imagina se não estivessem…

        É piada. Esse Comandante só diz isso porque as Forças Armadas se tornaram um peso morto para o capital. Não fosse isso, o discurso desse generalzinho seria diametralmente oposto. Mas, como disse certa vez um frequentador do saudoso Centro de Mídia Independente:

        “Em nenhuma parte do mundo, a instituição militar não possui, unilateralmete, condições de tomar o poder sem o devido apoio financeiro de grupos das classes dominantes nacionais e internacionais, sustentando a logística e a estrutura de mobilidade.
        Portanto a época favorável a interesses com essa finalidade encerrou-se em 1985, por determinação e participação desse ciclo histórico dos EUA. Agora não adianta chorar, os brasileiros estão apanhando e aprendendo, somos a 1° geração de fato, a viver a plena democracia com corrupção e tudo, são heranças culturais que sofrerão transformações ao longo dos anos.
        Primeiro aguardemos o satanás levar essa turma de velhacos ainda vivos em alguns segmentos do país, depois as novas gerações continuarão descontaminando, limpando e mudando a cultura negativa desse país, vamos chegar lá. A minha geração não teve o privilégio de receber um país menos ruim, coube a nós começarmos o processo lento e gradual contra essa cultura infeliz, principalmete vigiar canalhas como torturadores que jamais voltarão a ser financiado pelo dinheiro reacionário de interesses alheios aos brasileiros.”
        http://www.brasil.indymedia.org/pt/blue/2006/03/348048.shtml

    • Junior, 
       
      Como veem os

      Junior, 

       

      Como veem os eventuais candidatos possíveis? Lula, Ciro, Aécio, Geraldinho, Boçalnaro…

      E a questão de conteúdo nacional e projetos de estado indo ralo abaixo…

  39. Peça nova?

    Boa noite, caros concidadãos…

    Tentando deixar a desesperança/imobilidade de lado, ainda ouso comentar: penso que esse general pode ser mesmo peça nova nesse xadrez. Face à grande crise/inquietude por que passamos – desapontamento por parte dos coxinhas e resistência (?) por parte dos democratas, um nome dos quartéis (e sem um golpe clássico!) poderia parecer simpático a gregos e troianos, na medida em que sugere força em meio à balbúrdia e (falso) patriotismo em tempos entreguistas… tudo isso misturado com muito boa vontade da mídia…  É preocupante.  

  40. LJ é lawfare

    Peça 1 : Lula dá ” independência ” ao Ministério Público, achando que Procuradores são ” infalíveis ” . Como se o Ministério Público fosse um outro país e tivesse ” direitos ” de agir autônomamente, independentemente. Em breve seria perceptível que a ” independência ” do Ministério Público custaria a nossa independência como país.

    Peça 2 A mídia consegue capturar e influenciar o Ministério Público, seja por meio de promessas de holofotes seja com ameaças de manchetes contra ele. Aqui no Brasil, ter manchetes contra algum órgão é ter a opinião pública inteira so país em peso contra. A mídia não dá a mínima para o patriotismo.

    Peça 3 Começa uma quebradeira de empresas selvagem, pelo MP, como nunca se viu neste país. A quebradeira derruba o PIB. Os coxinhas achando que a culpa da queda do PIB era de Dilma, pedem impeachment. Impeachment feito, a LJ continua quebrando empresas e o PIB continua caindo. Os coxinhas ficam frustrados

    Peça 4 : A queda brutal e contínua do PIb é usada como desculpa para corte de direitos trabalhistas, reforma na previdência, entrega de pre sal, liberação de venda de terras a estrangeiros e tudo o mais. Enquanto todas estas reformas reaças não terminarem, a operação policial LJ não pararará.

    Peça 5: Temer termina suas reformas reaças, talvez próximo de 2018. Por uma manobra, conseguem impedir as esquerdas de concorrer e o vencedor da eleição presidêncial de 2018 são os tucanos. Estes, como tem afinidade com a mídia, param a Farsa a Jato. Agora a quebradeira do país continua, mas na forma de privatizações selvagens. A perseguição judicial às empresas nacionais parou, mas também existem poucas empresas sobrando, que ainda pudessem ser quebradas. O PIB para de cair, e passa a ter um crescimento de menos de 1% ao ano. O desemprego prossegue gigantesco.

    Peça 6 : Como muitas das terras brasileirs foram vendidas a estrangeiros, agora são utilizadas para a exportação, e falta comida aqui no país dentro dos mercados. Naturalmente o preço do tomate sobe e a mídia pede aumento dos juros para trazer a nflação para o ” centro da meta “. O PIB volta a cair, para próximo de zero e o desemprego aumenta enormemente. Mas devido a reformas políticas só partidos reaças podem concorrer À presidência. O nome de Lula é apagado dos livros de história e dos arquivos. A mídia noticia que o país está vivendo ” a melhor época de todas ” de sua história. O povo acredita.

     

     

  41. Que tal a lavajato CANONIZAR

    Que tal a lavajato CANONIZAR Lula como o grande perseguido,injustiçado e difamado do Brasil ?

    Não à toa está a frente nas pesquisas,não tem jeito mesmo,tudo é culpa do Lula,Carf,Odebrecht,mensalão,é só

     surgir escândalos dos tucanos e “panelinha” e já desviam o foco envolvendo PT e Lula ,é assim q funciona !

    Obs:Empresários burros,só Lula sabe fazer eles e o povo ganharem dinheiro,enquanto isso bancos e Globo

    enchem o rabo de dinheiro e o país definha !!!!

  42. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome