Caindo de podre, governo não tem legitimidade para impor reformas, diz Kátia Abreu

katia_abreu_marcos_oliveira_-_agencia_senado.jpg
 
Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado
 
Jornal GGN – Nesta quarta-feira (28), durante sessão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) que analisa a reforma trabalhista, a senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) afirmou que o governo de Michel Temer está “caindo de podre” e não tem legitimidade para implementar as reformas que propõe.
 
Kátia Abreu afirmou que não é contrária à mudanças na legislação trabalhista, mas pontuou que é necessária preservar a dignidade do trabalhador. A parlamentar se posicionou contra pontos da reforma proposta pelo governo, como a autorização para gestantes e lactantes trabalharem em local insalubre.
 
“Nesse momento, usar o mercado, usar o poder que tem hoje, para fazer essas reformas inadmissíveis, que não foram discutidas à altura, num governo que está caindo de podre, é uma vergonha para todos nós”, disse a senadora na CCJ. 

 
A parlamentar atacou o governo de Temer dizendo que existe uma “quadrilha organizada” no alto escalão do governo federal. 
 
“Pela primeira vez no país o presidente que está sendo julgado, condenado, inspecionado de todas as formas e nós vamos votar uma reforma dessa gravidade?”, questionou.  
 
“É para segurar ele por quantos dias? Nós precisamos de um pouco de insônia, para que tenhamos vergonha do que nós estamos fazendo. Nós estamos nos distanciando cada vez mais do povo”, acrescentou Kátia Abreu. 
 
Veja a participação da senadora abaixo: 
 
 
Assine

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora