PT não defende o afastamento de Eduardo Cunha, diz líder da bancada na Câmara

Jornal GGN – O líder do PT na Câmara Federal Sibá Machado disse, segundo reportagem publicada pelo O Globo na manhã desta terça-feira (6), que o partido não apoia o afastamento de Eduardo Cunha (PMDB) da presidência da Casa porque entende que não há “comprovação dos fatos” em relação às denúncias de que o peemedebista é investigado por lavagem de dinheiro e teve contas secretas bloqueadas por autoridades da Suíça. 

O caso foi divulgado pela imprensa na semana passada. O Ministério Público da Suíça entregou a documentação que levantou sobre a participação de Cunha em esquema ligado à Operação Lava Jato à Procuradoria Geral da República. Um acordo de cooperação internacional estabelece que o deputado, que possui foro privilegiado, agora será investigado somente por autoridades brasileiras.

Quando da divulgação do caso, alguns deputados pediram explicações a Cunha sobre as contas na Suíça, uma vez que o próprio presidente da Câmara havia dito, em audiência da CPI da Petrobras, que não possui dinheiro no exterior ou offshores em seu nome.

Na segunda (5), o líder do PSDB na Câmara informou que, para a bancada tucana, Cunha tem o “benefício da dúvida” e o direito de se defender das acusações. A decisão de não confrontar o presidente está relacionada ao entendimento de que Cunha é o único que teria condições de viabilizar o impeachment de Dilma.

Ao jornal O Globo, Sibá Machado revelou que a bancada do PT também decidiu não confrontar o peemedebista. Questionado sobre o peso das informações divulgadas acerca das contas atribuídas a Cunha, o petista disse que apenas que “não chegou nada de contundente” na Câmara e que é “preciso aguardar a documentação”. Para ele, Cunha fica no cargo enquanto “se sentir à vontade”, pois essa decisão é uma “questão de foro íntimo”.

Sibá alertou ainda que “não tem fundamentação nenhuma” para que Cunha enfrente um processo de afastamento do cargo. “O debate será eminentemente político”, observou. “As bancadas partidárias tomarão as providências que acharem melhor. Não tomaremos posição extemporânea.”

Questionado se o PT apoia a permanência de Cunha na presidência da Câmara, Sibá respondeu que não porque “tivemos o embate com ele na eleição”, mas que o “PT não defende o afastamento porque entende que é preciso haver comprovação dos fatos.” “[As notas do MP da Suíça e do MP brasileiro] não chegaram para nós. Se abrirem procedimento contra ele na Câmara, a documentação virá. Tem que ter formalidade.”

68 comentários

  1. Tá certo, tem que ter provas concretas, mas peraí …

    Por que os deputados não solicitam da PGR essas provas? Por que não dialogam com o MP da Suiça? Por que não vão atrás dos documentos comprobatórios necessarios? Estão esperando o que? É ridiculo a inercia e apatia da bancada do PT. Por outro lado há muita desinformação sobre isso. Sigo alguns deputados petistas no facebook, e alguns deles postaram que assinaram representação contra Cunha. Não sei exatamente o que. É muito mistério, muito deixa disso … muita cautela. Lembro que o processo de afastamento e cassação de Severino Cavalcanti não levou nem 15 dias. Por muito, muito menos que as acusações que pesam sobre o Cunha.

    • Onde está o Princípio da Presunção da Inocência?

      Este País, o Brasil, nasceu em 1988, com a Constituição Federal em vgor. Se, alguns de nós, consideramos que as prisões do Juiz Moro, para obter a confissão do acusado, são absolutamente inquisitoriais. Teremos que que admitir que as provas enviadas pelo MP da Suiça ou mesmo provas colhidas pelo PGR do Brasil somente serão verdadeiras após o trânsito em julgado de uma sentança penal condenatória.

      Eduardo Cunha está sendo acusado de um ilícito penal e não de um crime político ou mesmo de falta de decoro parlamentar, pois para que haja falta de decoro, novamente é preciso dizer, as provas teriam que ser confirmadas por sentença penal condenatória transitada em julgado.

      O mesmo vale para o Dirceu, para o Empreiteiro preso preventivamente pelo Inquisidor do Paraná por se recusar a confessar ou delatar, e tantos outros. A regra, em tempos de paz, no Estado Democratico de Direito é a liberdadae, a prisão é a excessão.

      Entretanto, nestes tempos de golpe, todos parecem esquecer disto. Agora, aqueles que desejavam o Cunha Presidente do Brasil querem-no preso. Jornais e sítios de Internet, juntos , querem derrubar o Presidente da Câmara dos Deputados, terceiro homem na linha de sucessão presidencial sem que haja a mínima prova, sustentada por uma sentença judicial. O povo, de memoria curta, parece desconhecer que nesses casos seria legitimo à força política violentada usar da mesma violência para responder.

      A imprensa brasileira, em sua visão golpista, paraee ansiosa por precipitar uma crise com precedentes históricos ,cuja única saída racaíria novamente por fazer entrar em jogo uma força não partidarizada ( porque políticos somos todos nós, até mesmo quando nos dizemos “apolíticos”): neste caso, as forças armadas, que por atribuição constitucional, na falência dos poderes, devem resguardar a unidade nacional a lei e a ordem.

      Se continuarmos nessa marcha batida sem dúvida alguma poderemos abrir espaço para que qualquer força política deste País faça opção mais que legitima por resistência, armada, pois resistencia só existe na medida em que uma força se oponha a outra. Ao Juiz inquisitor resistirá,  não aquele que desobedecê-lo , mas aquele que o prender. E, se assim continuarmos, este será o caminho mais viável. 

      Em síntese, ou nos conportamos conforme a Constituiçao Federal, respeitando o resultados das eleições, sejam presidenciais ou para a mesa das casas legislativas, ou é melhor precipitarmos os fatos e pagar para ver os resultados: certamente, um  General Presidente, pois não haverá outra alternativa.

  2. PT não defende o afastamento de Eduardo Cunha

    Engraçado… Todo mundo colaborou para a eleição dele à Presidência da Câmara, não foi? O PSOL apresentando seu candidato sabendo que não tinha chance de ganhar, os demais partidos o apoiando, isolaram o PT e agora cobram o PT? Quem pariu Mateu que o embale! Simples assim! Não concordo com essa postura do líder do PT, que certamente não é a postura da militância, nem de todas as tendências dentro do PT. Mas, cobrar agora um posicionamento do PT como se o partido fosse obrigado a consertar a meleca que os outros fizeram também é demais.

    • PT não defende o afastamento de Eduardo Cunha

      SENDO O  SR. EDUARDO CUNHA MEMBRO DO P.M.D.B. , PARTIDO DE APOIO DO GOVERNO DA PRES. DILMA E

      CONFORME COMBINADO QUE A PRÓXIMA PRESIDENCIA DA CÂMARA SERIA DESTE PARTIDO. ACHO QUE O PT. NÃO DEVERIA IR CONTRA A CANDIDATURA DELE. O PMDB COMO PARTIDO DE APOIO ´´ENTRE ASPAS´´ É QUE DEVERIA INDICAR UM CANDIDATO QUE PODESSE DAR APOIO AO PROGRAMA GOVERNAMENTAL.

+ comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome