Coronavírus: Alemanha teme colapso do sistema de saúde se taxa de casos não diminuir

Se houver, como visto na semana passada, aproximadamente 20.000 novas infecções registradas por dia, com cerca de 2% desses casos precisando ir para a terapia intensiva, o que equivale a 400 pessoas por dia.

Foto R7

Jornal GGN – O ministro da saúde alemão, Jens Spahn, alertou novamente sobre o perigo de que o sistema de saúde do país não seja capaz de lidar com a situação se a taxa de infecção por coronavírus continuar a aumentar.

Se houver, como visto na semana passada, aproximadamente 20.000 novas infecções registradas por dia, com cerca de 2% desses casos precisando ir para a terapia intensiva, o que equivale a 400 pessoas por dia. E com a média de permanência na UTI de 15 dias, rapidamente ocorrerá que os 6.000 leitos de UTI sejam preenchidos.

O sistema de saúde pode lidar com esses números, mas, além disso, terá dificuldades, disse ele em entrevista ao canal de vídeo do tabloide Bild.

A Alemanha apertou as medidas contra o coronavírus há uma semana e ainda é muito cedo para dizer se eles já tiveram o efeito de retardar a propagação do vírus.

Spahn também destacou que até 40% dos alemães são considerados em uma categoria de risco, tendo em vista que depois do Japão, a Alemanha tem a população mais velha do mundo, com 23 milhões de pessoas com mais de 60 anos, com um índice elevado das doenças típicas do primeiro mundo, como diabetes, obesidade e hipertensão.

Spahn disse ao tabloide que não esperava que uma vacina estivesse disponível antes do início do próximo ano, e que levaria meses para que o programa atingisse toda a população.

Na Alemanha, também há preocupação com o aumento contínuo do número de manifestações contra as restrições ao coronavírus. No fim de semana, a polícia da cidade de Leipzig parecia incapaz de controlar um protesto que mais tarde se tornou violento, no qual cerca de 20.000 pessoas saíram às ruas do centro da cidade, muitas delas sem máscaras.

Leia também:  Devastação e pandemia: Fabiana Prado no Cai na Roda deste sábado

As autoridades tentaram fazer com que a manifestação fosse transferida para a periferia da cidade, em meio a temores de que sua forte concentração no centro pudesse espalhar ainda mais o vírus, mas uma decisão judicial de última hora determinou que deveria prosseguir no centro conforme planejado.

Com informações do The Guardian.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome