Os acontecimentos do dia sobre o coronavírus no mundo

Segundo pesquisadores da Universidade Johns Hopkins, cerca de 1,5 milhão de pessoas foram confirmadas como infectadas

Imagem: Guardian Design/EPA/GETTY

Do The Guardian

Coronavírus: 9 de abril de relance

Um resumo dos maiores acontecimentos no surto global de coronavírus. Os principais fatos sobre o coronavírus hoje incluem:

Itália pode começar a suspender medidas atuais de bloqueio

O primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, disse à BBC que algumas restrições poderão ser flexibilizadas até o final de abril, se a propagação da doença continuar diminuindo. Na quarta-feira, houve 542 mortes relacionadas ao coronavírus no país, em comparação com 604 no dia anterior.

Pelo menos 88.950 mortes em todo o mundo

Segundo pesquisadores da Universidade Johns Hopkins, cerca de 1,5 milhão de pessoas foram confirmadas como infectadas. Houve mais de 432.000 casos nos EUA e 14.800 mortes no país. No Reino Unido, houve mais de 61.400 casos confirmados e quase 7.100 mortes.

Número de mortos em Covid-19 no Irã ultrapassa 4.000

O número oficial de mortos pelo surto de coronavírus no Irã ultrapassou os 4.000, informou o Ministério da Saúde do país na quinta-feira, depois do anúncio de que mais 117 pessoas morreram pela doença nas últimas 24 horas.

6.000 passageiros em navios de cruzeiro no mar

Pelo menos 6.000 passageiros permanecem no mar em navios de cruzeiro em todo o mundo, apesar da pandemia de coronavírus, segundo a análise do The Guardian. Dezenas de mortes foram ligadas a navios de cruzeiros, com passageiros e tripulantes morrendo no mar e após o desembarque. De acordo com estudo usando o site de rastreamento de navios CruiseMapper, pelo menos oito navios permanecem no mar com passageiros – incluindo um navio no qual 128 pessoas testaram positivo para o coronavírus.

EUA esperam não atingir o número de mortos projetado

Leia também:  Para Roberto Romano, instituições nunca estiveram tão frágeis

Esforços de mitigação estão funcionando, disseram autoridades da Casa Branca, levando a um otimismo cauteloso de que a pandemia não custará entre 100.000 e 240.000 vidas norte-americanas. Um estudo da Faculdade de Medicina da Universidade de Washington prevê que o vírus matará 60.000 pessoas nos EUA nos próximos quatro meses. A Coordenadora de Resposta ao Coronavírus, Dra. Deborah Birx, disse: “O que tem sido notável para nós, que estamos no campo da ciência há tanto tempo, é a importância da mudança comportamental e a incrível capacidade de adaptação dos americanos”.

Preocupação na China com casos assintomáticos de Covid-19

De acordo com o People’s Daily, um órgão do conselho de Estado ordenou o diagnóstico e o monitoramento daqueles que não apresentam sintomas, apesar de o vírus não ter se intensificado na China.

Espanha esperançosa de que os dados mais recentes sejam “encorajadores”

O primeiro ministro espanhol Pedro Sánchez disse ao Parlamento que os últimos números são “encorajadores” e que “o fogo começa a ficar sob controle” na quinta-feira. O país tem o segundo maior número de casos globais.

Combates seguem na Caxemira, apesar do surto

Tropas indianas e paquistanesas continuam lutando pela Caxemira, apesar dos crescentes surtos de coronavírus. Dados do exército indiano mostram que houve 411 violações de cessar-fogo pelos militares do Paquistão em março, em comparação com 467 no mesmo mês do ano passado.

Espera-se que o bloqueio seja estendido no Reino Unido e na Irlanda

Espera-se que o Reino Unido e a Irlanda estendam as medidas atuais de bloqueio no fim de semana da Páscoa. A medida ocorre enquanto as mortes nos países continuam a crescer, e o primeiro-ministro britânico permanece no hospital internado pelo coronavírus.

Leia também:  Coronavírus: Governo deve reduzir auxílio emergencial para R$ 200 ou R$ 300

Preocupações de segurança sobre o Zoom

O Senado dos EUA pediu a seus membros para não usar o aplicativo de videoconferência. A plataforma sofreu um aumento no uso depois que medidas de bloqueio foram implementadas em todo o mundo, mas foram levantadas preocupações sobre a falta de criptografia de ponta a ponta e convidados não convidados, interrompendo as reuniões.

Coronavírus pode dobrar número de pessoas que passam fome

O suprimento de alimentos em todo o mundo será “massivamente interrompido” pelo coronavírus, e, a menos que os governos ajam, o número de pessoas que sofrem de fome crônica pode dobrar, alertaram algumas das maiores empresas de alimentos do mundo.

 

ACOMPANHE NO GGN O AVANÇO DO CORONAVÍRUS NO MUNDO.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome