Renan questiona volta de suspeita de propina

Relator da CPI da Pandemia, senador estranha indiciamento no momento em que crimes cometidos pelo governo Bolsonaro ficam evidentes

Relator da CPI da Pandemia, senador Renan Calheiros (MDB-AL). Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Jornal GGN – O relator da CPI da Pandemia, senador Renan Calheiros (MDB-AL), foi indiciado pela Polícia Federal por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, por conta de suposto recebimento de R$ 1 milhão em propina da Odebrecht.

Segundo o jornal Correio Braziliense, Renan afirma que tal inquérito só andou por conta do avanço das apurações da comissão parlamentar em torno dos crimes cometidos pelo governo Bolsonaro durante a pandemia.

Diante disso, o senador usou suas redes sociais para lembrar que a Polícia Federal não tem competência para indiciar o senador – apenas o Supremo Tribunal Federal (STF). “Bolsonaro pensa que a Constituição e a PF são dele,que delegado é jagunço. Quis tumultuar a CPI:plantou áudio,mandou investigar o dono da Precisa para ele obter HC e calar-se. Mas,a cada dia chegamos mais perto dos seus crimes”, afirmou Calheiros.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome