Interesse eleitoral de Sarney faz Temer mudar ministro do Trabalho

Foto: Agência Brasil

 

Jornal GGN – O PTB de Roberto Jefferson, pivô do mensalão, vai ter de indicar outro nome, que não de sua base no Maranhão, para comandar o Ministério do Trabalho. O motivo? Os planos eleitorais de José Sarney, amigo de Michel Temer e cacique do PMDB no Estado governado por Flávio Dino (PCdoB).
 
Nesta terça (2), Jefferson admitiu que recebeu o pedido de Temer para escolher outro deputado para comandar o Ministério do Trabalho, pois Sarney vetou a indicação de Pedro Fernandes, que será empossado na quinta (4).
 
Jefferson, presidente nacional do PTB, disse ao Estadão: “O Palácio me avisou hoje que tinha subido no telhado a nomeação do Pedro Fernandes, me ligou pedindo que pensássemos um novo nome por causa do problema de relação do Fernandes com o Sarney. (…) O presidente Sarney não concorda com o nome. Ele queria conversar, mas o Fernandes não quis conversar com o presidente Sarney sobre o Maranhão, Então deu problema.”
 
“Sarney controla o PMDB no Maranhão e pediu para Temer não nomear Fernandes para não fortalecer politicamente um adversário histórico, o govenador Flávio Dino (PCdoB). O PTB é base do governo Dino. Em 2014, o comunista desbancou o clã Sarney do Palácio dos Leões, após meio século de aliados do ex-presidente no poder. Dino disputará a reeleição tendo como potencial adversária a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), filha do ex-presidente”, explicou o jornal.
 
Fernandes é pai de Pedro Lucas Fernandes, secretário estadual no governo Dino. Ele foi efeito vereador em São Luís (MA), mas assumiu a Agência Executiva Metropolitana, órgão do Estado, com o ingresso do PTB na base de Dino.
 
O PTB ainda não indicou outro nome a Temer. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

7 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

ze sergio

- 2018-01-03 12:54:45

sarna....

Ações e Consequências. Vamos começar a ter consciência que o que fazemos tem reflexos na nossa vida. Fatalismo acabou. Sarney era figura menor com alguma projeção no final do Período Militar. Foi elevado à condição de figura de influência nacional no GOLPE produzido pela Esquerdopatia que o elevou à condição de Presidente da República. A traição às Eleições livres, soberanas, facultativas, criaram o Monstro. E revelaram a absoluta falta de interesse das nossa Elites por Eleções Livres e o total desprezo pelo controle e da opinião da sociedade civil sobre todas estruturas de poder. O caixão do 'Dom Sebastião' do Momento, catapultou o Coronel da UDN, da Ditadura, da ARENA, do PDS, do PFL. E a partir deste salto foi personagem estratégico e companheiro de 1.a linha, de todos aqueles que tinham um discurso para seus 'Fanáticos e Fundamentalistas' e outro para suas ações e políticas. Goi 'General' nos dois governos Esquerdopatas/Progressistas Tucanos de FHC. Nos dois subsequentes do companheiro Lula e na continuidade dos outros dois da 'Guerrilheira Marxista' Dilma. Vai ter 'Transito Livre' com o pessoal de Marx e Trotsky, asim em outro país !!!!!!! E o IDH do Maranhão por todas estas décadas? Abaixo de Somália e Etiópia. Mudança que só ocorreu com a aposentadoria do Coronel, sem a presença de seus companheiros de longa data PSDB e PT. Mas por luta do PCdoB. Vai ter respeito e companheirsmo assim em outro lugar !! E o nível social do Povo Maranhense? Explica muito a desta farsa tupiniquim.    

joel lima

- 2018-01-03 09:25:21

André, pelo que entendi,

André, pelo que entendi, Sarney não fez esse veto pelos nobres motivos que você expos. Ele o fez porque o indicado é aliado de Flávio Dino, atual inimigo político do clã Sarney. 

Numa coisa eu assino embaixo = a política brasileira está num nível tão baixo que figuras como Renan e Sarney, hoje, comparados com outras figuras nefastas, tornam-se estadistas do porte dum Roosevelt, De Gaulle. 

jose carlos lima...

- 2018-01-03 02:28:23

Na dėcada de 60 Sarneira já
Na dėcada de 60 Sarneira já era múmia na poltica maranhense.. na dėcada de 50 já cagava no MA... PSD (1954-1958) UDN (1958-1965) ARENA (1965-1980) PDS (1980-1984) PMDB (1984-presente)

Raul Capablanca

- 2018-01-02 23:03:20

sarna

essa é a politica que rola no palacio dos golpistas.

a mais rasteira possivel.

Serjao

- 2018-01-02 22:42:32

Jurássicos
Essa gente não morre. Morram. Morram!!!

AMORAIZA

- 2018-01-02 22:29:36

FOTO

A gente olha para a foto desses dois senhores macróbios e pensa que eles poderiam estar cachimbando num canto da casa ou distribuindo sabedoria para os netinhos mas não, ainda têm vigor suficiente para prejudicar milhões de pessoas e nomear sucessores.

O diabo nem descansa e nem envelhece. Quando alguma bondade acontece no mundo é porque ele se distraiu.

  

Andre Araujo

- 2018-01-02 22:11:45

Com todos os defeitos de sua

Com todos os defeitos de sua carga historica, o ex-Presidente Sarney vetou uma nulidade como Ministro do Trabalho, o PTB não tem o direito de indicar este tipo de personagem para um Ministerio crucial em um ciclo de mega desemprego. Os partidos

precisam ter maior responsabilidade na indicação de nomes, até o BAIXO CLERO tem niveis. Para Ministro do Trabalho é preciso um nome nacional, com cacicfe politico conhecio, depois a classe politica se queixa de perseguição.

Quando o PTB em 1952 indicou Danton Coelho como Ministro doTtrabalho  a grande imprensa ( GLOBO, ESTADAO, CORREIO DA MANHÃ, DIARIO CARIOCA), caiu de pau, Danton era proprietario de cavalos de corrida e dava expediente no

bar do Joquey Club mas perto dos de hoje Danton era um De Gaulle, personagem de estatura politica comprovada, um gentleman dos salões cariocas, charmoso, cheio de verve, gaucho dos bons, homem do mundo, nunca uma nulidade.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador