Saldo do grampo de Jucá: o haraquiri da PGR e do STF, por Romulus

Por Romulus

Muitas pessoas tem me pedido para escrever algo em inglês sobre a situação do Brasil atual para que possam compartilhar com seus amigos e conhecidos estrangeiros.

Já há fartura de informação de qualidade na imprensa internacional – muito maior do que na imprensa familiar brasileira. Em língua inglesa cito LA Times, NY Times, The Intercept e The Guardian, por exemplo. Seus correspondentes no Brasil têm feito uma belíssima cobertura, que ficará para História.

Certamente a brutal diferença editorial entre a imprensa familiar brasileira e a mídia estrangeira será anotada por historiadores como uma das peculiaridades do golpe de 2016. Da mesma forma, acredito que o tema será profundamente estudado em trabalhos acadêmicos no campo das Ciências Sociais, mas principalmente nos cursos de jornalismo.

O movimento engajado da imprensa familiar pode ser um arranhão fatal no longo prazo, diante do contexto de seu esmagamento pelas novas mídias e pelas redes sociais. O único capital de que se gabavam, contra esses concorrente, era sua alegada maior credibilidade e apuro com relação ao conteúdo.

Panfleto por panfleto, até os conservadores constatam que é mais econômico frequentar blogs de direita da internet.

Não deixa de ser irônico.

A imprensa familiar engajou-se no golpe de corpo e alma de olho no butim: verbas da SECOM, empréstimos do BNDES e a carteira de publicidade das estatais (BB, CEF, BNDES, Petrobras, Eletrobras, etc.), além de “melhor diálogo” com a Receita Federal. Fez isso por estar atravessando grande crise estrutural, em virtude da mudança tecnológica, e esperava poder contar com um financiamento-ponte que lhe desse oxigênio para tentar chegar até a outra margem. Poderia então, finalmente, se reinventar para o século XXI.

A ironia está justamente no fato de que esse imprudente abraço incondicional à sua suposta tábua de salvação – o golpe – pode ter sido o tiro de misericórdia na sua nuca. Os veículos da imprensa familiar estão desacreditados até entre os leitores conservadores. Tirando a alegada credibilidade, o que lhes resta?

Análise?

Bem, nessa seara os blogs nadam de braçada sem as amarras editorias do oligopólio familiar. Está aí o blog do Luis Nassif para comprovar.

Sua série “Xadrez…” merece ser futuramente consolidada em livro. A partir de apurações junto a fontes bem situadas e o emprego competente de análises de estratégia – antevendo um verdadeiro jogo de xadrez jogado em várias rodadas – chegou pioneiramente a diversas revelações. Isso semanas – quando não meses – antes de seus pares na imprensa familiar.

Penso que o exemplo mais claro e mais brilhante da competência de Nassif foi identificar há meses (ainda em 2015) o engajamento do PGR Rodrigo Janot na conspiração do golpe. Fez isso primeiramente como hipótese, considerando também outras. A partir dos sucessivos sinais e pistas deixadas por Janot nas diversas rodadas, Nassif pode afirmar, acima de suspeita, haver o engajamento de Janot como co-conspirador ainda no final de março. Ou seria o maior conspirador?

As tentativas de Janot casar seus atos com o tempo da política, em favor da destituição do governo Dilma, terminou por expor o Procurador Geral. Ali, a partida ainda era em certa medida problemática e Janot julgou ser necessário rasgar a fantasia de republicano para garantir o resultado que almejava.

Pontos altos das ações de Janot em favor do golpe (ou seriam “pontos baixos”?):

(i) Apontou despudoradamente a sua metralhadora sobre políticos do PP em semana chave em que o ex-Presidente Lula fechava o apoio do partido contra o impeachment. Tal adesão enterraria o processo ainda na Câmara. Os dirigentes e políticos pepistas entenderam o recado e, pensado em seus pescoços, preferiram fechar com a conspiração de Cunha, Temer e Jucá.

Parabéns aos envolvidos!

Tudo correu conforme o acordado, não é mesmo?

Alguém ouviu falar de desdobramentos posteriores nos processos envolvendo políticos do PP?

Evidente que não.

(ii) Mudou – de forma esdrúxula e extemporânea – seu entendimento sobre a aptidão de Lula para ser nomeado Ministro por Dilma.

E isso em menos de uma semana!

Janot conseguiu a proeza de produzir dois pareceres – com conclusões diametralmente opostas – nesse prazo exíguo, sem que houvesse qualquer mudança fática ou legal.

Uma proeza digna de camaleão. Mas não tão elegante quanto o animal, contudo, porque grosseira e visível demais. O ápice foi chegar ao bizarro entendimento salomônico de propor status ministerial café-com-leite para Lula, com a esdrúxula fórmula “Ministro sim, foro por prerrogativa de função não”.

Naquela oportunidade, ainda em 4/4/16, cobrava do procurador o fim de sua ação dissimulada, dúbia. Bradei “Basta de jogo dúbio, Janot!” e escrevi:

>> Outra condição (para o relançamento do governo Dilma) compete exclusivamente ao PGR, Rodrigo Janot:

– Basta. Chega de jogo dúbio, rapaz!

Ainda custo a acreditar que todos os passos da força tarefa ocorram de acordo com seus desígnios. Parece-me mais que, como um realista político, tenta ficar no meio do caminho para não se queimar em definitivo com nenhum dos lados em contenda nem com a(s) opinião(ões) pública(s). Pensava ter sido a carta aos procuradores o sinal para o fim da dubiedade. Que nada! Pois na semana passada não nos sai Janot com a originalíssima sugestão “ministro sim, foro não”? Ou com o cronometradíssimo ataque ao PP? <<

Naquela altura, diferentemente do Nassif, mesmo com dificuldade ainda dava o benefício da dúvida a Janot.

Leia também:  MP dividido por diálogos de Deltan e Moro, diz jornal

Quão ingênuo eu fui!

Não foi o erro exposto em menos de uma semana?

Sim, foi.

Apenas quatro dias depois tive de dar a mão à palmatória diante do posicionamento de Janot no sentido de que a nomeação de Lula implicava tentativa de obstrução à justiça. Ora, se Lula o fazia, a coautora desse crime seria não outra que a Presidente Dilma Rousseff!

Tive então de me retratar com os leitores:

>>A fraqueza de sempre dar o benefício da dúvida às pessoas me acometeu. Não tenham vocês também dúvidas (malditas dúvidas!): vou cumprir penitências até deixar de ser tão naïve. Melhor fazer isso rápido antes que o Santo Ofício chegue também aos Alpes. Aqui me refugiei como Calvino o fizera em outra oportunidade. Será ainda seguro?

(…)

Em minha defesa, peço a vocês que considerem que meu pedido surtiu efeito, ora pois! Não é que Janot saiu definitivamente da dubiedade?

* * *

Pois chegamos então ao presente nessa narrativa. Ontem o vazamento do grampo do Sen./Min. Romero Jucá revelou o que sempre defendi – que o impeachment era sim golpe – e que se tratava de uma conspiração de políticos corruptos desesperados para escapar do cadafalso, cada vez mais próximo.

Reproduzo mais um trecho daquele post de abril, “Basta de jogo dúbio, Janot!”. É bastante ilustrativo e preciso quanto às expectativas dos golpistas, agora confirmadas:

>> O relançamento do governo Dilma não depende apenas de a presidente aceitar suas limitações e abrir-se para quem possa ajudá-la (no governo e na sociedade). Passa também:

1) pela supressão da esperança por parte dos parlamentares implicados nas investigações de que possam escapar mediante conspiratas e acordões por cima. O desespero é péssimo conselheiro. Melhor a resignação frente ao inevitável; e

2) por de alguma forma a “Força Tarefa” (da Lavajato) deixar de antagonizar as ações administrativas (ou meras tentativas!) do governo federal.

Penso que condição inicial para esses dois fatores é político-jurídica: os dois grupos tem de estar certos de que Dilma não cai. Isso saberemos já em alguns dias ou semanas. As várias partes terão de se entender e agir neste cenário – com Dilma titular da presidência. Indultos presidenciais e “abracadabras” institucionais (trocar PGR, aumentar número de ministros no STF, intervenção pesada na PF…) somem como miragens no deserto conforme murcha a viabilidade do projeto Temer. <<

Ora, usei “projeto Temer” mas bem poderia ter sido “opção Temer”, como preferiu Jucá no áudio.

O que choca agora é a extensão das tais “conspiratas e acordões por cima”. Pela boca de Jucá ficamos sabendo que deles fariam parte Ministros (no plural!) do STF e comandantes militares, que os “garantiriam”.

Opa!

E o PGR com isso?

Jucá não menciona Janot diretamente mas grita seu nome no subtexto, ao amarrar o “fim da sangria” da Lavajato à queda de Dilma.

Ah, é?

E quem mesmo que promove a tal “sangria”?

Quem provoca o STF para que julgue políticos com prerrogativa de função?

Ele mesmo:

J A N O T !

Pois bem. Essas declarações comprometendo STF, PGR e militares na conspiração já são gravíssimas.

Mas tem coisa ainda pior:

As circunstâncias em que esse áudio do grampo de Jucá – explosivo – chegou à PGR e depois ao STF, na figura do relator da Lavajato, o Min. Teori Zavascki.

Por quê?

Porque as duas instituições tiveram acesso a esse áudio no início de março. E nada fizeram. Tivesse vindo a público, certamente teria mudado o curso do processo de impeachment no Congresso – e mesmo os julgamentos conexos no STF.

De que forma?

Ora, ao confirmar cabalmente a conspiração e a finalidade verdadeira do golpe, fornecia prova incontrastável de que as alegações da Presidente Dilma quanto ao desvio de finalidade do impeachment eram corretas.

Isso é gravíssimo:

O STF julgou precisamente tal alegação do Min. Cardozo, da AGU, e afirmou que carecia de provas – além das matérias na imprensa reunidas pela defesa.

Como ficam o PGR e o(s) Ministro(s) que conheciam o áudio de Jucá hoje?

Ficam completamente nus.

Estão com as partes pudentas completamente expostas. Não as físicas, ainda cobertas pela toga negra, mas pior: as morais.

No dia seguinte à votação na Câmara escrevi post intitulado “Votação acaba. Placar: Três Instituições de 1988 fazem haraquiri”, em que, motivado pelo desgosto quanto ao espetáculo, escrevi as seguintes palavras fortes:

Leia também:  Ministério da Saúde suspende fabricação de 19 remédios de distribuição gratuita

>> (…) volto então ao deputado Givaldo Carimbão, do PHS de Alagoas.

Após ter seu nome chamado por ninguém menos do que Eduardo Cunha, e de passar pelo cerco intimidador da turba de deputados a favor do impeachment, o deputado finalmente toma o microfone. E surpreende bradando:

– O rei está nu!

Bem, não exatamente com as palavras da inocente criança do conto “A roupa nova do imperador”, de Andersen. Mas com a mesma contundência e falta de reverência.

Para que compreendam o golpe desferido (golpe? Melhor daqui para frente trabalhar mais a escolha de palavras…), parafraseio o deputado de memória. Dessa forma, desculpo-me por possíveis imprecisões. Disse ele algo nas seguintes linhas:

– Seria muito fácil vir aqui e votar pelo “sim”.

– O resultado já está definido com folga de votos…

– Seria fácil até mesmo não vir votar.

– Ou vir votar e me abster.

E aí para mim o ponto fulcral:

– Ora, o próprio STF, tribunal que reúne nossos maiores juristas (sic), alguns dias atrás não ficou dividido à metade, em 5×5? (não fazendo de fato nada?)

– Pois saibam que EU não lavo as minhas mãos não!

– Eu decido. Eu voto. E voto não!

(E seguem-se as vaias e ofensas da turba opressora que o cercava)

Por que esse para mim – de todos – foi o voto mais pesado?

Porque foi o único que apontou o dedo na cara da Casa da Justiça, ali do outro lado da Praça dos Três Poderes. Como que a dizer, com autoridade:

– Vocês faltaram com o seu dever em momento difícil sim, mas ainda assim muito menos difícil do que este que agora enfrento. Escolheram lavar as mãos e deixar a marcha da infâmia não apenas continuar, mas seguir solta, tocada apenas pelos grão-mestres Temer e Cunha.

(…)

E qual o resultado da infâmia? Qual o placar final da votação conduzida por Eduardo Cunha neste histórico 17 de abril?

Três Instituições renascidas em 1988, (re)paridas pela Constituição “cidadã”, cometeram haraquiri em apenas três dias.

A saber:

– a Procuradoria Geral da República;

– o Supremo Tribunal Federal; e

– a Câmara dos Deputados.

* * *

Mais uma vez tenho que fazer uma reparação. Devo pedir desculpas aos japoneses. Depois da revelação de ontem quanto ao grau da omissão da PGR e do STF, infinitamente maior do que se supunha, vemos que não se tratou de haraquiris. Não houve nada de nobre que remotamente lembrasse um código de honra ou ditames morais – ou nem mesmo legais!

Foi um suicídio sim, mas sem nenhuma elegância. Está mais próximo daquele bêbado semiconsciente que, jogado no chão, morre asfixiado pelo próprio vômito.

* * *

E o que agora? O que esperar desse STF e dessa PGR diante da exposição de suas partes pudentas – essas, não as físicas, realmente dignas de vergonha?

Em qualquer país medianamente civilizado hoje esse seria o grande tema e não o conteúdo do grampo de Jucá e sua exoneração “a pedido”. Muito mais grave do que ter um golpista temeroso do xadrez comandando o orçamento da União é constatar que não nos resta nenhuma trincheira nas instituições para lutar contra ele e os seus.

Compreendem o quão grave isso é?

A Constituição já fora relativizada com o golpe.

Pois agora “relativizamos” (palavra amena demais) numa só tacada o seu fiscal e os seus guardiões supremos.

Com a presidente legítima afastada, hoje a defesa da legalidade e da democracia encontra apoio apenas fora das instituições. Ou seja, apenas os movimentos de protesto espontâneos ou organizados – juntamente com o opróbio internacional do golpe e dos golpistas – cumprem o papel de protetor da ordem constitucional de 1988.

E sabem o que é o pior de tudo?

A maior ironia?

Esses que protestam pela Constituição de 1988 merecem coisa muito melhor que a ordem por ela estabelecida e as instituições por ela (re)criadas. Isso porque os seus ocupantes as destruíram.

* * *

Falar ainda agora em “opróbio internacional do golpe e dos golpistas” me dá o gancho para voltar ao tema dos pedidos que me foram feitos. Como disse, muitos têm me pedido para escrever algo em inglês para que possam compartilhar com seus conhecidos estrangeiros.

Novamente, recomendo a divulgação dos veículos que mencionei no início do post. Mas, como eu mesmo já produzo ocasionalmente relatos para os meus muito interessados colegas e amigos em Genebra, lotados nas burocracias de Organizações Internacionais, nas representações de Estados, escritórios de advocacia e ONGs, disponibilizo os mesmos agora para quem queira compartilhá-los.

Já o fazia no Facebook (procurem pelo perfil de minha cachorra, a Maya Vermelha).

Agora também o farei no blog.

Deixo aqui o relato que fiz ontem sobre o episódio Jucá.

Leia também:  Dodge pede aos procuradores da Lava Jato avaliação do impacto dos vazamentos

* * *

Thank you for your concern, _____.

Your words always comfort and encourage me. In good but especially during hard times.

Yesterday we witnessed yet another twist in the plot.

One of the key members of the conspiracy, a Senator under corruption charges got into trouble and had to resign the same day. Bear in mind that he had been appointed as new Minister of Planning – the key Ministry in charge of the national budget!

I am quite sure that you must have read about this in foreign media outlets.

Here is what happened:

A conversation of his dating months back was tapped following instructions issued by the Attorney General. In this tapped conversation, the Senator/Minister confirms everything we had been suspecting. He reveals that the so-called impeachment is actually a conspiracy to save corrupt politicians from investigation procedures.

He goes as far as saying that as long as Dilma remains president, the investigations would be allowed to go on. He adds that ousting the legitimate President was the only way to stop the corrupt politicians’ “bleeding”.

Can you imagine this?

In addition, he named several parties purportedly involved in the conspiracy, but also “new” ones (not that new in my eyes):

– Justices in the Supreme Court (yes… he used the plural form);

– The attorney general (indirectly); and

– Military commanders.

I believe you can imagine the political earthquake that hit the country following those revelations.

What followed was pathetic:

At first the Senator tried to come up with a bizarre interpretation for his words, which led to completely different meanings. But all of them absurd and clearly inaccurate.

As a response to this attempt, the newspaper that had gotten the scoop released the audio. It was crystal clear – beyond any possible interpretative twisting.

As there was no doubt that he had meant what he had said, he was forced to resign. Forced by his supporters in the coup conspiracy and in the domestic media oligopoly, that is. They all saw him now as a liability that had to be dumped as soon as possible.

Yet, this was another small victory for the resistance movement in society that fights for bringing back democracy and the rule of law.

In just a week the usurper was forced to step back in several fronts due to public and internal pressure.

For instance, as soon as he stepped into office, he extinguished the Ministry of Culture. An uproar in society followed and he was forced to cancel his measure and re-establish the Ministry.

No one of relevance in the cultural sector would accept to be his aide for Culture after that. Several big names (five!) publicly refused invitations, to the usurper’s embarrassment. He ended up appointing an obscure young diplomat with a virtually no existing background in the cultural sector. He is so junior – he is in his early 30s – that it is now quite embarrassing to have appointed him at all!

Since the usurper had to restore the Ministry of Culture, he ended up having this rather young lad as no other than a State Minister of his!

How ridiculous is that?

But that is not the end of his torments.

Yesterday he had to rush out of Congress when, during a visit, he was faced with a crowd of deputies and commoners shouting “coup conspirator” at him – in front of many cameras and journalist.

All of this got taped and went viral on the internet.

Prior to that, on Sunday he had to rush back to Brasilia from Sao Paulo because thirty thousand (!) people marched towards his fancy residence there to protest against the coup.

Some even set camp at his doorstep!

The camp, however, was later faced with policy brutality and dismantled with violence.

Take note of this: the situation in Brazil is very unstable.

Ironically, corrupt politicians thought they would silence street protests starting the fraudulent impeachment proceeding.

As they see now they were wrong: pressure only got stronger.

We all hope that this turbulence eventually leads back to democracy and to the rule of law.

Sooner rather than later.

I’ll keep fighting for it with all my heart.

I’ll keep you posted.

Cheers.

Romulus

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

74 comentários

  1. Algo de novo sob o sol ?

    Acredito que o ocorrido desde que a aventura do golpe começou não tornou o STF, o PGR ou a PF mesquinhos; ao contrário, apenas revelou o real tamanho que eles sempre tiveram. Neste ponto, discordo inteiramente do Nassif, pois aí vai a pergunta: quando realmente estas corporações públicas se agigantaram, questionaram o verdadeiro poder político ou econômico e colocaram freios reais em desmandos ? Ignorância minha ou isso nunca aconteceu ? Emque momento da história a mofada justiça brasileira de fato atuou a favor das instituições e não a favor do esprit de corps de seus integrantes ? A resposta poderia ser nunca, pois o judiciário e as advocacias públicas sempre foram insuladas da sociedade; o primeiro mais envolvido em julgar questões comerciais ou decidir a favor de desmandos do executivo e o segundo defendendo o mesmo executivo em lides eternas e nunca decididas. 

    Quanto ao suicídio destas instituições, este já se processa, parte devido a atuações pessoais, parte devido à própria história. No primeiro caso, é óbvio que um diálogo pífio entre o judiciário e a sociedade já completamente se encerrou. A atuação de Gilmar e dos outros ministros está fundamentada e baseada em algum castelo de Neverland, seja quanto a métodos imorais, seja quanto a metodologia do direito em si; que é conservador, elitista e oportunista (mas isso eu já disse antes.) A isto some-se a indiferença baseada em acovardamento do judiciário e correlatas corporações em escutar a sociedade. Esta quer mudar, quer democracia transparente, quer igualdade de voz e de oportunidades, mas o judiciário não entende e sente repulsa a isto, pois, qualquer decisão tomada fora de gabinetes é entendida como populismo. Por outro lado, se nos referimos à história, não foi entendido pelo judiciário ou pelos juristas que modos de associação, negociação e meios de solução de conflitos são cotidianamente transformados, pois a sociedade move-se em velocidade crescente, tendo como base justiça e flexibilidade, algo ainda não compreendido por nossos códigos e regimentos. Explicando melhor: o novo paradigma que se apresenta exige maior porosidade entre instituições e sociedade em uma dinâmica menos baseada na autoridade e muito mais no entendimento e na transparência. Ao que parece, as reações do PGR e do STF (e seus minions, ou seja instâncias inferiores) são decorrentes da recusa (e do medo) de enfrentar esta realidade, ou seja, de uma tentativa inútil de parar o processo decisório que, doravante, terá que ser legitimado pelo consenso e baseado em resultados e em regras claras. 

    O que existe de desesperador nesta equação é que, nem o Judiciário nem o PGR aceitam as novas transformações pelas quais passam os estados. Azar ! Pagarão por isso! A maior ilusão é a de acreditar que são protegidos pela membrana fina dos concursos, ou da nomeação presidencial (baseada ou não em listas tríplices.) Além disso, esta disposição fantasiosa e esquizofrênica, não conseguirá nem resolver nem colaborar na resolução dos conflitos que enfrentamos ou nos que virão por aí: impossível acreditar que, em um mundo de escassos recursos e concentração crescente de renda, poderão o judiciário ou PGR ficarem em situações insulares ou de autoridade. Conversa. Iludem-se os dois em achar que, gerentes da massa falida que se tornaram o Executivo e o Legislativo, poderão se livrar ou se esconder do problema como se não fossem atingidos. Reações políticas ou simplesmente de força bruta que atingirão estes dois poderes também atingirão os remanescentes, sob o risco de soluções inteiramente desvantajosas a estes: inamovibilidade, vitaliciedade e outros mecanismos de segurança e independência poderão ser abolidos, sem citar questões salariais e de aposentadoria. 

    Em suma: ao agirem políticamente e não instucionalmente, o Judiciário e o PGR se igualaram aos outros poderes, não quanto a virtudes, mas quanto a contradições e defeitos !

     

     

    • Epílogo p/ o seu comentário

      >> Em suma: ao agirem políticamente e não instucionalmente, o Judiciário e o PGR se igualaram aos outros poderes, não quanto a virtudes, mas quanto a contradições e defeitos !

      E nisso sempre serão piores, menos legítimos, posto que não eleitos.

      Ofereço um “epílogo” para o seu excelente comentários, que bem reflete a seguinte passagem do seu comentário:

      >> Quanto ao suicídio destas instituições, este já se processa, parte devido a atuações pessoais, parte devido à própria história. No primeiro caso, é óbvio que um diálogo pífio entre o judiciário e a sociedade já completamente se encerrou. A atuação de Gilmar e dos outros ministros está fundamentada e baseada em algum castelo de Neverland, seja quanto a métodos imorais, seja quanto a metodologia do direito em si; que é conservador, elitista e oportunista (mas isso eu já disse antes.)

      Senão, veja:

      24/05/2016 17p0 – Atualizado em 24/05/2016 17p2

      Gilmar Mendes comandará turma do STF que avalia recursos da Lava Jato

      Ministro assume Segunda Turma no dia 31 e fica um ano na função.
      Por regra de rodízio, posto caberia a Celso de Mello, mas ele recusou.

      Renan RamalhoDo G1, em Brasília

      O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), foi designado nesta terça-feira (24) para assumir, a partir do próximo dia 31, a presidência da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), responsável pela análise da maioria dos recursos de políticos investigados na Operação Lava Jato.

       

      A cada ano, o comando passa por um rodízio, seguindo regra interna, passando sempre para o mais antigo integrante da turma.

      Pela regra, o próximo presidente seria o ministro Celso de Mello. Durante a sessão desta terça porém, Dias Toffoli informou que enviou ofício abrindo mão do posto. Com isso, o comando ficará com Gilmar Mendes, o próximo da fila.

      Gilmar Mendes — que recentemente, assumiu também a presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) — ficará na presidência da Segunda Turma por um ano.

      Caberá a ele marcar datas de julgamentos, em acordo com os demais integrantes do colegiado: Cármen Lúcia, Celso de Mello, Dias Toffoli e Teori Zavascki.

      A turma analisa eventuais recursos protocolados por políticos investigados que questionam decisões individuais de Zavascki, relator da Lava Jato. O colegiado tambéma analisa recursos de outros investigados no caso processados em instâncias inferiores.

      Vão para o plenário da Corte, integrado pelos 11 ministros, somente recursos de presidentes da Câmara e do Senado, e do presidente da República.

       

       

  2. Nassif, está horrível acessar

    Nassif, está horrível acessar o blog. 

    Está lento, cai a página quando enviamos os comentários.

    Pede para o pessoal da técnica dá uma olhada.

    Vi outras pessoas também reclamando.

  3. expurgo


    às vezes, receita-se um laxante para limpeza das entranhas, para expurga-las dos vermes que as infestam.

    A procuradoria da república; as promotorias; a magistratura; as polícias estão infestadas de vermes.

    por isso, a necessidade de expurgo total nessas instituições a bem da sociedade. 

  4. “as duas instituições tiveram

    “as duas instituições tiveram acesso a esse áudio no início de março. E nada fizeram. Tivesse vindo a público, certamente teria mudado o curso do processo de impeachment no Congresso – e mesmo os julgamentos conexos no STF.”

    A quem recorrer agora? Ao Papa não adianta porque ele não gosta de “esquerdinhas”… Tem que rir pra não chorar…

  5. Epílogo

    >> Em suma: ao agirem políticamente e não instucionalmente, o Judiciário e o PGR se igualaram aos outros poderes, não quanto a virtudes, mas quanto a contradições e defeitos !

    E nisso sempre serão piores, menos legítimos, posto que não eleitos.

    Ofereço um “epílogo” para o seu excelente comentários, que bem reflete a seguinte passagem do seu comentário:

    >> Quanto ao suicídio destas instituições, este já se processa, parte devido a atuações pessoais, parte devido à própria história. No primeiro caso, é óbvio que um diálogo pífio entre o judiciário e a sociedade já completamente se encerrou. A atuação de Gilmar e dos outros ministros está fundamentada e baseada em algum castelo de Neverland, seja quanto a métodos imorais, seja quanto a metodologia do direito em si; que é conservador, elitista e oportunista (mas isso eu já disse antes.)

    Senão, veja:

    24/05/2016 17p0 – Atualizado em 24/05/2016 17p2

    Gilmar Mendes comandará turma do STF que avalia recursos da Lava Jato

    Ministro assume Segunda Turma no dia 31 e fica um ano na função.
    Por regra de rodízio, posto caberia a Celso de Mello, mas ele recusou.

    Renan RamalhoDo G1, em Brasília

    O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), foi designado nesta terça-feira (24) para assumir, a partir do próximo dia 31, a presidência da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), responsável pela análise da maioria dos recursos de políticos investigados na Operação Lava Jato.

     

    A cada ano, o comando passa por um rodízio, seguindo regra interna, passando sempre para o mais antigo integrante da turma.

    Pela regra, o próximo presidente seria o ministro Celso de Mello. Durante a sessão desta terça porém, Dias Toffoli informou que enviou ofício abrindo mão do posto. Com isso, o comando ficará com Gilmar Mendes, o próximo da fila.

    Gilmar Mendes — que recentemente, assumiu também a presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) — ficará na presidência da Segunda Turma por um ano.

    Caberá a ele marcar datas de julgamentos, em acordo com os demais integrantes do colegiado: Cármen Lúcia, Celso de Mello, Dias Toffoli e Teori Zavascki.

    A turma analisa eventuais recursos protocolados por políticos investigados que questionam decisões individuais de Zavascki, relator da Lava Jato. O colegiado tambéma analisa recursos de outros investigados no caso processados em instâncias inferiores.

    Vão para o plenário da Corte, integrado pelos 11 ministros, somente recursos de presidentes da Câmara e do Senado, e do presidente da República.

     

  6. E la nave va

    Os atores agiram rápido, concentraram todo o problema em cima de Jucá, o boi de piranha. No dia seguinte o assunto morreu, agora só se fala na medidas para tirar a economia do “buraco”. O Brasil voltou a ficar bonito como no início da semana anterior, E la nave va! Esqueceram de combinar com o resto do mundo.

  7. Quebra cabeça

    Faltam poucas pedras para fechar completamente o quebra-cabeça., mas já está mais do que claro que, no Poder Público, setores do Legislativo, MPF, PF e Judicário trabalharam e  estão no golpe.

    Pra cima deles!…Às ruas!…

  8. Saldo do grampo de Jucá: o haraquiri da PGR e do STF

    Nada menos que belíssimo.

    A quem recorrrer ?

    Ao sempre lembrado: ao bispo.

    Creio que a única saída é um processo único e completo que de maneira REALMENTE TRANSPARENTE leve todos e tudo à claridade.  Apure-se a participação dos mencionados, com ou sem foro ou pouso. Desde as excelências do STF depufede menos votado. O presidente do STF deveria presidir e cortar a carne podre esteja onde estiver, inclusive junto a seus pares e ímpares.

    Que se vayan todos !

    Nós, os mantenedores dessa corja de ladrões, temos o direito e o dever de exigir a apuração completa e pública de tudo.

    Nada de segredos de justiça ou enredos semelhantes.

    Ou aguardar o caos.

    Mas será mesmo querer demais ?

    Pois é ….

     

    • O “novo normal juridico” entao escrachou de vez

      Não vai acontecer, pq a era não é mais para isso e nem o povo brasileiro é dado a tanto.

      Mas o nível de comprometimento das instituições é tal que quase que só se pode pensar em algo diferente começando do 0. Praticamente uma revolução, em que o povo chame uma Constituinte para pensar a organização do Estado do zero, sem nenhuma reverencia a direitos adquiridos dos atuais ocupantes das instituiçoes (algo que apenas uma Constituinte pode fazer) e sem respeito à tradiçao.

      Todas as “reformas” e “puxadinhos” que fizemos nessa favela precariamente construída são com o tempo contaminados pelos problemas estruturais da mesma.

      Nenhuma reforminha institucional adianta. As modestas inovações acabam sempre cooptadas e tragadas pelo velho.

      O tipo de transição negociada e gradualíssima, de que o Brasil é mestre histórico, acaba por não transicionar para nada. Fica-se no mesmo lugar.

      Como mais explicar que ainda no ano 2000 houvesse 3 (!) Ministros do STF indicados pelo Gen. Figueiredo?

      Durante toda a redemocratização, anos 90 e 2000 um quorum bastante relevante do STF era composto por Ministros do arbítrio, encaminhando o vetor resultante das decisoes do STF para um lado incompativel com o proprio espirito da ordem de 1988.

      Tivessem essas pessoas dignidade, teriam se aposentado ainda nos anos 80.

      Mas nao…

      Acho que podemos dizer que o “antigo normal jurídico”, para citar a terminologia usada pelo Nassif em seu post de ontem, ja nao era la essas coisas. O “novo normal juridico” entao escrachou de vez.

       

  9. ++++Queiramos ou não

    tudo acaba nas pessoas.

    STF, PGR, PF…escambau são siglas sem alma …. os ditos cujos, são. Joaquins, gilmares, rosas, janots, dallagnois, igors, mellos 2x, teoris, toffolis, carmens, fachins, ricardos, fuxs, barrosos.

    Esses senhores nos devem explicações. 

    A frase, parabéns Romulus, que você não escreveu mas eu a escrevo é:

    QUE PORRA É ESSA?

    QUEM É O DONO DESSE BACANAL?

  10. Fatos e verdades

    Antigamente os livros didáticos(década 1960 até meados da década de l980) de História do Brasil tinham uma única versão dos fatos.Nestes tempos conturbados como os historiadores do futuro irão registrar  os fatos políticos  que ora vivemos, “golpe” ou impeachment ? As gráficas vão ganhar muito dinheiro se houver alternância de poder. 

  11. Epílogo (2) ou sera Epitafio?

    Celso de Mello transfere a Gilmar a presidência da Turma que julgará Lava Jato

      TER, 24/05/2016 – 17:57ATUALIZADO EM 24/05/2016 – 19:36

    O Ministro Celso de Mello gosta de gestos rompantes. Em várias oportunidades saiu a púbico rompendo com as regras de discrição que deveriam nortear o comportamento de Ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) para declarações retóricas visando as manchetes dos jornais.

    Em vários julgamentos políticos rumorosos, tomou a palavra para longuíssimas perorações onde abusava das imagens e das ênfases para se apresentar como o Ministro valente, impávido, imune às pressões políticas.

    Ontem, escalado para presidir a Segunda Turma do STF, incumbida de analisar a Lava Jato, Celso de Mello recuou. Por rodízio, o cargo seria seu. A história colocou em suas mãos um momento único, bem à altura dos saudosos grandes juristas que ele vive citando. E Celso de Mello piscou.

    Abriu mão da presidência e a repassou para as mãos de Gilmar Mendes.

    Caberá a Gilmar, com toda sua isenção, marcar as datas de julgamento e presidir uma turma incumbida de analisar recursos dos réus tanto junto ao STF como às instâncias inferiores.

    A turma é composta por Gilmar, Dias Toffoli, Carmen Lúcia, Celso de Mello e Teori Zavascki.

    Ontem disse aqui que o Supremo ficou menor que Gilmar.

    A postura de Celso de Mello me permite relembrar as equações de ginásio: c.q.d., como queria demonstrar. 

    LEIA MAIS »

  12. Tem uma mùsica do Renato

    Tem uma mùsica do Renato Russo (muito triste por sinal) que cai perfitamente para nós os idealista nesse momento sem igual da nossa história. Diz mais ou menos assim:  

    Quando tudo está perdido, sempre existe um caminho

    Quando tudo está perdido, sempre existe uma luz

    Mas não me diga isso

    Hoje a tristeza não é passageira…

    E quando a noite chegar, cada estrela parecerá uma lágrima.

    Sempre foi todos contra o PT, (in)justiça, midia, legislativo…

    Por um momento estamos tristes, mas eu creio que quem defende os oprimidos nunca será abandonado por Aquele pode mais.

     

  13. Como eu gostaria de

    Como eu gostaria de contestá-lo, prezado Romulus!  Como seria prazeroso se pudesse lhe dizer que está errado, que nossas Instituições são sólidas, funcionam, e que seus membros são dignos, acima das suspeitas ora comprovadas. E mais do que tudo isso, se daqui a quatro dias você me desse a mão à palmatória, como eu iria me sentir feliz!  Deixemos o sonho de lado, sua análise, precisa, tristemente serena, solenemente triste, nos traz para a realidade do hoje. Parece-me que o Nassif, na sua, dele, genial definição de Presidencialismo Condominial, situa como condôminos apenas os políticos que o elegeram como síndico. Peço a ele licença para incluir os togados também como condôminos. E os definiria como condôminos não só por serem os eleitores do Síndico, mas por viverem enclausurados no Condomínio, longe de qualquer contato com a realidade “de fora”. Pelo menos até que os portões sejam arrebentados, o que se passa cá fora não é com eles. Parabéns pelo seu escrito, está antológico.

    • Obrigado pelo seu comentario

      Obrigado pelo seu comentario gentil.

      So tenho uma discordancia: os ministro do STF nao elegeram o sindico mas sao o “compliance da agencia imobiliaria” que administra esse condominio.

      Se eles quisessem destituiam o sindico com o material que tem.

      Como vc disse, eles tb moram no condominio – gozando desse poder de destituiçao do sindico.

      Eles sabem e o sindico sabe tb.

      Aí…

  14. Justiça Soturna

    Em seu notável livro Bleak House (A Casa Soturna) o escritor inglês Charles Dickens em meados do século 19 desmascarava a Justiça da Inglaterra sempre a favor dos poderosos e lenta e rígida com os comuns dos mortais. Pois é levamos mais de um século para ver desmascarada a Justiça brasileira, hoje no seu nível mais baixo de atuação em favor dos poderosos. Em 1964 alguns ministros pelo menos tiveram a coragem de deixar o cargo. Hoje eles só enxergam os benefícios diretos e indiretos de sua atuação sem pudores morais. Sobre o momento atual a História nos ensina que classes sociais, impérios e que tais em seus estertores de morte ficam especialmente cruéis com a humanidade gerando inúmeras guerras. Estamos vivendo no país e no mundo o desenho de um desses momentos.

  15. Justiça Soturna

    Em seu notável livro Bleak House (A Casa Soturna) o escritor inglês Charles Dickens em meados do século 19 desmascarava a Justiça da Inglaterra sempre a favor dos poderosos e lenta e rígida com os comuns dos mortais. Pois é levamos mais de um século para ver desmascarada a Justiça brasileira, hoje no seu nível mais baixo de atuação em favor dos poderosos. Em 1964 alguns ministros pelo menos tiveram a coragem de deixar o cargo. Hoje eles só enxergam os benefícios diretos e indiretos de sua atuação sem pudores morais. Sobre o momento atual a História nos ensina que classes sociais, impérios e que tais em seus estertores de morte ficam especialmente cruéis com a humanidade gerando inúmeras guerras. Estamos vivendo no país e no mundo o desenho de um desses momentos.

  16. vale-tudo

    romulus,

    Muito bom.

    Congresso Nacional , STF e PGR deram um show e tanto. A partir de ontem – momento em que todos os interessados na ordem democrática e nas ditas principais instituições do país puderam se dar conta, com clareza ímpar, do completo desprezo dos três em relação às suas respectivas finalidades, conforme elas estabelecidas sob o espírito inicial da C.F. de 1988.  

    A quem recorrer daqui prá frente ? Como eu já venho dizendo há tempos em minhas mensagens via e-mail, coitado do cidadão normal que venha a precisar acionar juridicamente o Estado, bye bye pois será causa perdida, nem que seja preciso invocar a Teoria do Domínio do Fato à la JBarbosa.

    Tudo isto não consegue ser capaz de mostrar um lado positivo que seja, e os investidores internacionais ( imaginando que eles ainda existam), terão coragem para colocar $$$ num país em que o vale-tudo legal é a tônica, a corrupção encontra-se entranhada por todos os cantos da Brasília oficial ? Deixaram a serpente chocar os seus ovos, taí o resultado.

    • US Marine Seals!

      O problema é que os interesses americanos estao com o golpe.

      Senao era caso de chamar a unica força possivel: as tropas da OTAN, com um destacamento de US Marine Seals atacando a Praça dos Tres Poderes.

      É pessimo ser invadido e ocupado.

      Mas hj em dia a gente ja ta invadido e ocupado.

      So que de dentro.

  17. Apenas luta política

    É disso que se trata a pregação quase que diária do autor.

    Nenhuma preocupação com ética, justiça, direitos, republicanismo ou coisa do tipo.

    Apenas pregação política. Panfletagem regada a um bom texto pretensamente bem intencionado.

    Ora, os políticos do PP, praticamente toda a bancada estava na Lista de Janot de março de 2015, então, que raios de cronometradíssimo ataque ao PP é esse ?

    Aliás, ontem prenderam o homem que distribuia o dinheiro roubado da Petrobras entre os pepistas. Então, se o PGR é o comandante do “golpe”, esqueceu de combinar com alguém.

    Mas o ápice do texto é a gloriosa citação ao nobre deputado Givaldo Carimbão.

    O homem que defendeu arduamente na tribuna da Câmara o tratamento compulsório a usuários de drogas.

    Dizem que o próximo passo dele seria o tratamento compulsório de gays.

    O grande defensor do Estatuto da Família, homem e mulher, papai e mamãe e nada mais.

    O homem que acha que sexo não pode ser discutido na escola.

    A que ponto se pode chegar, o quanto se pode abrir mão de sua consciência em defesa de um governo.

     

    Apenas a título de informação, seguem os financiadores de Givaldo Carimbão, o deputado mais caro das Alagoas :

    COSAN LUBRIFICANTES E ESPECIALIDADES S.A. R$300,000

    CONSTRUTORA NORBERTO ODEBRECHT S A R$289,987

    AMIL ASSISTENCIA MEDICA INTERNACIONAL S.A. R$195,000

    CONSTRUCOES E COMERCIO CAMARGO CORREA S/A R$189,987

    JBS S/A R$150,000 BRASKEM S/A R$93,000

    CONSTRUTORA QUEIROZ GALVAO S A R$55,000

    ACQUA AGUA DE COCO DA AMAZONIA INDUSTRIA E COMERCIO LTDA. R$12,174

     

    • Olha só quem fala da

      Olha só quem fala da manipulação alheia. O tesoureiro do PP já foi preso e condenado à paerpétua? E o do PMDB? E o senador que já foi condenado à prisão em todas as intâncias, inclusive o STF, mas estava no senado para votar pelo golpe? E quanto ao tratamento diferenciado dado à Jucá, que não foi preso como Delcídio? Será que ele tem um foro mais do que provilegiado? O próprio STF abriu a porteira para que se desconfie dele, pois prendeu Delcídio porque ele citou ministros e depois Delcídio tirou essa parte na delaçao seletiva premiada. Sim, o STF se omitiu com Cunha e também com Jucá, só que nessa situação omissão tem lado. A Presidenta não poderia recorrer a outro poder senæo o judiciårio e este falhou. Falharam as instuições na defesa do país, da democracia e da Constituição. Pela sua bandeira, você deve ser um dos teleguiados que foi às ruas para ajudar a colocar os golpistas no poder. Pois bem, espero que você aproveite a besteira que fez, que sofra bastante  com sua opção e que seja bastante prejudicado pelas políticas implantadas pelo comando golpista.

  18. “as duas instituições tiveram

    “as duas instituições tiveram acesso a esse áudio no início de março. E nada fizeram. Tivesse vindo a público, certamente teria mudado o curso do processo de impeachment no Congresso – e mesmo os julgamentos conexos no STF.”

    E agora!? Como é que fica essa história? Este fato, o de terem posto os ouvidos no áudio em março, demonstra, por um lado, o poder do STF e do PGR. E, por outro, o quanto são sujos. Nem uma mangueira de bombeiro consegue limpar os integrantes dessas duas instituições do barro incrustado em suas personalidades. Isso é vergonhoso e uma afronta terrível à CF.

    205 milhões de brasileiros foram feitos de otários. 54 milhões de eleitores pisoteados.

    • Parlamentarismo

      E a desfaçatez é ainda maior. Planejam pisotear os 205 milhoes de vez com o golpe do Parlamentarismo.

      Se isso vingar, o Estado de separa de vez do unico controle – ja fraco: as eleiçoes diretas de 4 em 4 anos.

      Nesse caso, vale tudo.

      Ate insurreiçao.

  19. Conspiração e traição

    Se o Brasil conseguir superar esta gravíssima violência que está sendo cometida com este Golpe de Estado que cancelou o Estado Democrático de Direito e, em última análise, atingiu em cheio nossa jovem Democracia, é preciso que o Congresso Nacional proponha e aprove uma lei que criminalize com o rigor necessário qualquer conspiração contra o Estado brasileiro, sua Constituição e a ordem democrática; de preferência numa PEC que se torne cláusula pétrea na Carta Magna, incluindo a qualificação desses conspiradores como traição à pátria principalmente quando são evidenciadas conexões com outros países precedendo o golpe. Senão será um eterno vai e vem da Democracia em nosso país e sua venda pelos entreguistas de sempre.

     

    PS – A preocupação principal do autor do excelente texto (embora com a prolixidade de sempre), é a mesma minha mas parece que poucos percebem, que é para onde o cidadão de bem vai correr, se for atingido por alguma injustiça, com o estado de putrefação que estão as instituições que deveriam estar defendendo o mais básicos direitos como a presunção da inocência? Esta justiça falida é que vai nos defender? Num sistema judiciário onde o STF, que deveria ser o maior guardião da Carta Magna, a desrespeita diuturnamente? Volto a perguntar, a quem recorrer?

    • Lei de Segurança Nacional

      Nao esta na constituiçao, mas ja é tipificado na Lei de Segurança Nacional – ainda da ditadura.

      Alguem vai usar?

      Nem o PT ousou levantar o argumento.

      O Congresso nao aprovaria nada nessa linha pq é o maior conspirador.

      O Judiciario e o MPF, responsaveis pela puniçao, tb sao conspiradores ou omissos.

      Alias, o proprio STF é quem teria que dizer o q da Lei de Segurança Nacional ainda vale e o que nao vale mais à luz da Constituiçao de 88.

      Alguma duvida?

      * * *

      Texto longo vs. prolixidade

      Criticas nao me incomodam. O post é longo sim.

      Tenho perfeita noçao de que na internet e num blog nao é o usual.

      Mas quando o tema e a analise pedem, escrevo bastante sim.

      Como, por exemplo, no post de dias atras sobre o golpe do Parlamentarismo.

      Foi o maior q ja escrevi. 10pp no word.

      Mas nao tinha como tirar nada.

      O que tirar aqui?

      A mensagem para os gringos é um bonus.

      É apenas para quem pediu.

      Fora isso, o que vc retiraria?

       

       

    • Teori

      Prezada, você está enganada. O Teori é tão golpista quanto os outros. Já esqueceu da “sentada estratégica” que ele deu no pedido de afastamento do Cunha. Estava tudo combinado, o Janot entrava com o pedido para posar de “pau que bate em Chico também bate em Francisco” e o Teori segurava “a coisa”, embromava, ensebava, até que o Cunha conduzisse como queriam (STF, PGR e milicos) o afastamento da Presidenta. Depois, como já estava programado, eles descartaram o “bocó” do Cunha “sem dó nem piedade”. Tinha que cassar o supremo inteiro e mandar pro xilindró a maioria dos juizecos safados que estão lá, pôr na cadeia a maioria dos bandidos do ministério público (e é bem fácil localizar a cambada de vagabundos), prender a maior parte da PF e mandar para Corte Marcial grande parte das forças armadas. Escrevo o nome dessas instituições com minúscula de propósito, pois se tornaram minúsculas perante a Sociedade. Para isso, só uma Constituinte, uma verdadeira Constituinte, para limpar o Congresso e não o simulacro que houve em 86, quando então, por causa desse nosso sistema eleitoral viciadíssimo foram colocados mais de 300 picaretas lá dentro. Tenho esperança de que com uma constituinte para valer essa imundície que é a turma bíblia-bala-boi não teria tantos representantes eleitos. É só uma esperança e, sabe como é, a esperança é tudo que se tem.

    • Adjetivos

      Sem querer me contrapor a sua opinião sobre o Ministro Teori, Cristiana,  o “sono” de meses do ministro sobre a denúncia da PGR contra Cunha, deixou-o livre para dirigir todo o serviço sujo do golpe parlamentar. Agora mesmo, ficamos sabendo que que a “vagareza” também possibilitou a atuação golpista do tal Jucá. O que nós, cidadãos menos crédulos, podemos pensar?  

  20. MENSAGEM AOS BRASILEIROS DE

    MENSAGEM AOS BRASILEIROS DE BOA FÉ

    Trata-se de uma questão geopolítica. Estamos vivenciando um novo processo de eliminação das democracias populares na América do Sul, tal ocorrido nos anos 60/70, quando em 76 já não havia mais uma única democracia no Cone Sul. Agora, como já não há mais Guerra Fria, os yankies querem fomentar guerras civis, para justificarem uma ocupação por “forças de paz” e expropriarem nossas riquezas. Os EUA querem dizimar as articulações regionais(UNASUL, MERCOSUL,etc) e prejudicar a consolidação do fundo de emergencia e a criação da moeda comum dos BRICS. O Brasil é a vertente dos BRICS na América Latina. ALVOS DOS ESTADOS UNIDOS NA AMÉRICA DO SUL: Riquezas naturais e Petrobrás no Brasil, riquezas minerais na Bolívia e o petróleo da Venezuela.

  21. Ótimo texto, mas péssimo titulo

    Haraquiri é uma morte reservada aos guerreiros samurais, é um gesto de coragem extrema para salvar a honra com um povo que leva isso muito a sério – o japonês. Dar um golpe de estado pra fugir do “teje preso” é um pouco diferente disso, mas eu prefiro não sugerir como o “gesto” de nossas facções/instituições  deve ser chamado, meu vocabulário de palavrões anda do nivel do Cunha. 

    • Ébrios sufocados pelo proprio vomito

      Concordo.

      Por isso pedi desculpas ainda no post aos japoneses.

      Vc viu a metafora que sugeri ser mais adequada?

      Infelizmente é grande demais pra um titulo

  22. É bem pior do que imaginávamos

    Mas o ex-ministro Ayres Britto já havia declarado que estamos numa “pausa democrática”.

    Ninguém, nem mesmo o STF e muito menos a PGR ou qualquer outra instituição está preocupada em demonstrar alguma legalidade.

    Está tudo escancarado.

    A declaração de Gilmar Mendes inocentando Jucá do “grampo” é demonstração inequívoca da deliberada “pausa democrática”.

    O STF se nivelou por baixo e os “conceitos” e posturas de Gilmar Mendes estão a dar o tom. O pedido de explicação de Rosa Weber a Dilma pelo do uso da palavra Golpe afasta qualquer dúvida de que de fato estamos diante de uma quadra nebulosa. Até Marco Aurélio silenciou. 

    Muitos como eu acreditavam que no decorrer desse processo as instituições poderiam dar respostas aos desmandos. Enganamo-nos todos. Estamos num vale tudo sem precedentes.

    Pior, quando a “pausa democrática” é aceita pacificamente tudo o que vem depois tende a piorar. 

    Não é por outra razão que a seletividade tanto das investigações quanto dos investigados não causa nenhum estranhamento nos tribunais nem dos senhores juízes.

    Quem esperava alguma resposta do STF quanto ao mérito do impeachment no que se refere à tipificação do crime de responsabilidade pode tirar o cavalinho da chuva.

    Eu diria que estamos diante de um arrastão antidemocrático e sem volta.

     

    • A última trincheira seria o

      A última trincheira seria o povo nas ruas, não pacificamente porque não adianta de nada.

      Tem que quebrar o porrete e a primeira vítima seria a rede globo.

      Um cerco ao STF e ao PGR também seriam úteis.

      Vão ameaçar com repressão. preparemo-nos para reagir do mesmo modo ou o Brasil será assaltado.

      Fora manifestações não pacíficas contra os políticos engajados no golpe.

      Senão, penso que será o fim do brasil como nação.

       

  23. Então…………..

    REalmente o que foi dito, merece ser repercutido diuturnamente, até para os coxinhas que andam de cabeça baixa!!!

    Mas…, ao ler este artigo do Nassif, não posso conter minha ânsia de vomitos, por infelizmente ter nascido e estar presenciando estes acontecimentos tão trágicos, juntamente com estes porcos nazi/facistas!

    Daria tudo para não ter nascido nesta época, pois me envergonho a cada dia de ter de commpartilhar o mesmo ar que estes facínoras, que denigrem e vilipendiam nossa Pátria!!!

    Bando de bandidos que ao tomar ilegitimamente o governo eleito, está agindo pior que bandidos no assalto aos direitos dos cidadãos e com a cumplicidade das instituições midia/juridica nos fazem passar por isto!!!

    Bando de bandidos, torno a dizer !!!!!!!!!!!!

  24. Sobra para nós a questão,

    Sobra para nós a questão, Romulus:

    Que Educação os brasileiros têm? Aqui, pensemos no geral, e de uma forma especial nas famílias de classe-média e médio-alta tradicionais, que é a da maioria dos ingressantes no Judiciário e Legislativo brasileiros.

    Em casa, na escola particular, nos cursos pré-magistratura e na vida cotidiana o que move os brasileiros?

    Quais os cursos que faltam nas grades curriculares? 

    Quais os valores educacionais que devem estar no topo do currículo e dos objetivos educacionais de um Brasil outro e civilizado?

    Temos uma Educação voltada para a formação de cidadãos? Para a valorização de certos comportamentos: como o olhar para o coletivo, o olhar nacionalista, o olhar social, o olhar para dentro e não somente para as coisas materiais?

    Imaginemos, nós todos, nas escolas e sendo ensinados a escolher a carreira de sucesso, aquela que nos fará vencedor (vencedor é TER), que nos dará dinheiro, que nos poderá gerar status social e ser este crescimento (individualista) a recompensa do estudar. 

    Há uma troca de valores, infelizmente. 

    Vencer individualmente é um Lema escolar. 

    Eu quando era jovem fazia colegial de humanidades. Chegou no terceiro colegial, na última semana de aula, uma pesquisa para saber: o que você vai fazer de faculdade?

    Todos iam fazer ou Direito ou Administração ou Publicidade. Alguma menina Psicologia. E eu Geografia. 

    Imaginemos, todos procurando a profissão que pudesse unir o útil ((dinheiro) ao agradável (profissão) e um entre 40 falando que vai fazer Geografia, queria mudar o mundo (risos). Foram contar para a Professora é claro. Estava fora da realidade de um aluno de escola particular e sua Educação voltada para o vestibular, a profissão rentável (financeiramente), a carreira, o sucesso, as coisas materiais que adviriam da escolha, a respeitabilidade no seio social, o orgulho dos pais, essas coisas todas e tolas.

    A competição e a valorização do Ter sobre o Ser. 

    Não se teria que pensar em uma reforma curricular nas escolas, em uma refundação de valores básicos a serem adquiridos por nossos alunos e filhos?

    Em que ponto a TV, o rádio, a Internet, também, não ajudam a não-formação de cidadãos plenos, para além de meros trabalhadores, competidores e futuros consumidores em larga escala? 

    Qual a qualidade que buscamos para nossos brasileirinhos se acostumarem com a Vida em sociedade e para além do individualismo e competição?

    Faustão, Luciano Hulk, Xuxa, BBB?

    Ética, Direitos Humanos, Educação Sexual, noções de Cidadania, Sociologia são ensinadas nas escolas brasileiras? 

    Não temos uma grade curricular igual desde sempre com as 8 matérias básicas: Inglês, Português, Matemática, Física, Química, Biologia, História e Geografia? 

    Ensinar a ambição, o querer sempre mais para você mesmo; ensinar que estudar pode gerar uma Vida cheia de bens materiais não é um passo para ver no outro um competidor, uma pedra no seu caminho para alcançar o objetivo de ser promovido a alto cargo, essas coisas. E, não a ver no outro um ser humano?

    Ambição desmedida não leva à corrupção, à corrupção pelo Poder?

    Educação formadora de consumidores e não de cidadãos temos no Brasil?

    Este vale-tudo contra a Presidenta Dilma não é uma deficiência educacional de nossas casas e de nossas escolas? 

    Os políticos e magistrados alinhados com o Golpe não são resultados do Modelo Educacional Brasileiro? E, eles não são espelhos de nossa sociedade? Ou exceções à regra?

    Veio estes questionamentos à cabeça. 

    Não vamos mudar este quadro Jurídico, Político e Midiático se não começarmos a rever o que ensinamos para nossos filhos em casa e na escola. Precisamos ensinar valores básicos para os brasileirinhos. De lá começará a mudança. E, poderemos frear em boa quantidade o Poder do dinheiro nas relações de Poder no Brasil. 

    • Comecei a te responder e virou post:

      Selfie com Bolsonaro: prova documental da falências dos valores                                      

       ROMULUS               QUA, 25/05/2016 – 09:08ATUALIZADO EM 25/05/2016 – 09:19

      Selfie com Bolsonaro: prova documental da falências dos valores

      A crise nos prende às preocupações do dia, do curto prazo. Vemos apenas qual é o leão a ser abatido nas horas seguintes. Não nos permitimos pensar no longo prazo, que dirá no longuíssimo.

      Contudo, a temática do individualismo exacerbado, da violência retórica e física, da despolitização, da alienação e da falta de cultura geral me aflige demais demais demais…

      O comentário de um leitor, geógrafo, ao post “Saldo do grampo de Jucá: o haraquiri da PGR e do STF”, permitiu a mim fugir um pouco da preocupação com a nova “bomba do dia”: o fraquíssimo áudio vazado hoje do grampo em Renan Calheiros. Que Senador malandro, ladino, vivíssimo… fala tudo sem falar nada! Palmas para ele! LEIA MAIS »

  25. Esse golpe do STF e MPF PGR
    Esse golpe do STF e MPF PGR Janó é a continuidade daquele outro golpe o do julgamento da farsa do Mensalão do PT, ali se comprovou que o golpe vem do STF,MPF e que dali não se poderia esperar outra coisa, se já se sujaram na Farsa do Mensalão é evidente que estariam por trás desse golpe, junto da Mídia e Partidos corruptos da direita PSDB. PMDB e etc.

    • Esse ponto é que eu penso que

      Esse ponto é que eu penso que o romulus poderia destrinchar melhor pros amigos de fora do Brasil. Tb os métodos de Moro, acobertado pelo CNJ e STF, de manter pessoas presas até que entreguem a peça que falta pra completar seu quebra-cabeças. Ele monta a estorinha e vai torturando presos até que um diga o que ele quer pra estorinha fechar. Muito disso, ocorreu no Mensalão tb. O golpe começa ali. o STF flexibiliza a legislação para que caiba na cascata do PGR, direitos e garantias, assim como na lava jato foram deixados de lado para o telespectador não perder o fio da novela.

  26. A imprensa americana tambem 

    A imprensa americana tambem  é familiar, LA Times (Otis), NY Times (Ochs Sulzberger), 300 jornais no pais (Hearst), outras cadeias familiares Cox, Ganett, Fox. A cobertura do Brasil tem altos e baixos, atualmente mais baixos que altos, variadas distorções, enfases exageradas em aspectos menores, viés sobre alguns aspectos folcloricos, ouvem gente completamente desconhecida dos brasileiros, depois se perde muita coisa em más traduções.

    Há tambem o viés ideologico, o Guardian (antigo The Manchester Guardian) excessivamente de esquerda tradicional, NY Times ultra liberal (na cromatica americana), porta voz semi oficial do Partido Democrata, acho a melhor cobertura do Financial Times pela excelenta Samantha Pearson (que casou com um advogado brasileiro), o meu amigo Mac Margolis é tb um excelente correspondente era da Newsweek, hoje trabalha para varios veiculos mas é muito dificil mesmo para correspondentes veteranos aqui conhecer todas as nuances da politica brasileira.

    • Boas dicas.
      O que é mais

      Boas dicas.

      O que é mais dificil de traduzir para os gringos é a desfaçatez dos politicos no Brasil. Acho que nao ha paralelo no Ocidente, mesmo sendo a politica territorio onde se espera certo grau de desfaçatez.

      Nenhum estrangeiro consegue entender como Eduardo Cunha ficou Presidente da Camara 6 meses depois de revelada parte de seus crime e como, nesse interin, promoveu a manipulou à vontade o processo de destituiçao da Chefe do Estado, contra quem nao pesava nenhuma acusaçao.

      É muito dificil para eles entender esse apego iberico à manter as aparencias e ao formalismo na vida institucional enquanto a putaria (perdoe a palavra) é sabida por todos – na politica e na sociedade – e segue rolando debaixo da mesa.

  27. Definitivamente a

    Definitivamente a Constituição de 88 acabou, a luz dessa vários desses personagens já estariam execredos da vida pública. Na verdade ela começou a desmoronar a partir do mensalão do PT, onde teorias esdrúxulas foram utilizadas para condenar réus sem provas. Atualmente o que temos WikiCF do Brasil, a cada momento ela é rescrita de acordo com as conveniência da plutocracia brasileira. Sem sombra de dúvido o que mais contribuiu com ignóbeis verbetes foi gilmar mendes, mas também contou com grandes contribuições do nosso malabarista pgr, barbosa, moro, rosa weber (de onde surgiu?) dentre outros. Tudo com o beneplácito do nossos notáveis do stf.

      • Quer me ajudar a montar WikiCF

        Quer me ajuda a montar WikiCF do Brasil ( ou Brazil)? 
         

        o Art. 1 seria

        “Não tenho prova cabal contra Dirceu – mas vou condená-lo porque a literatura jurídica me permite”Rosa Weber “Não se torna necessário que existam crimes concretos cometidos”, Gilmar Mendes Apud Minority Report

         

  28. Forra

    O Janot tem cara daquele  garotinho de colégio que era muito sacaneado e agora com o poder nas mãos está em busca de vingança e talvez veja no Lula algumdaquele que o sacaneavam, é a única explicação para atitudes tão escancaradas de antirepublicanismo(?). O que mais me impressiona é que ele, o Moro, o SFT(de frango) estam juntos em tudo isso, e mesmo percebendo que há um movimento legítimo contra o que eles articularam (que não está defendendo a Dilma mas a democracia, os votos) um ESTADO DE EXCEÇÃO . Só não ve que não quer.

  29. ” Com a presidente legítima

    ” Com a presidente legítima afastada, hoje a defesa da legalidade e da democracia encontra apoio apenas fora das instituições. Ou seja, apenas os movimentos de protesto espontâneos ou organizados – juntamente com o opróbio internacional do golpe e dos golpistas – cumprem o papel de protetor da ordem constitucional de 1988.”

     

    Perfeito, romulus e, é isso que eu não consigo perdoar nesses 11. Jogaram a sociedade num “se vira” que tem tudo para ser muito violento. Não sei se por falta de caráter ou ideologia, o fato é que olharam para seus umbigos e  arrastaram os brasileiros sabe-se lá pra onde. Está claro que, as ruas não vão aceitar o golpe e, claro tb, está que quem  faz um serviço imundo desses, faz qq coisa. As instituições que  tramaram esse golpe tb são as que irão abafar, justificar ou legitimar toda a violência que os golpistas perpetrarem contra os que lutam por democracia. Não dá mais nem pra acompanhar julgamentos pq hoje, vejo o STF como ele sempre foi e, não como eu penso que deveria ser. Não dá pra não ver que estão ali, homens e mulheres que seguraram um grampo, até sentirem-se seguros da desgraça do país. O mesmo fizeram com Cunha, protegeram um bandido até que tivesse concluído o serviço sujo.  Do mesmo modo, fazem vista grossa aos desmandos na 13ª VF de Curitiba. Aceitam prisões absurdas, sem fundamento e sem prazo,a Acobertam torturas que objetivam dedurações que pessoas com um caráter razoável, desconsiderariam, sumariamente. Durante o julgamento da AP470, eu morria de vergonha da Corte mas tinha esperança que alguns ministros pudessem colocar o país a frente de seus interesses. Hoje, enxergo 11 Brilhante Ustras com capa de Batman. Aqui no Rio, a gente costuma brincar com um apelo feito pelo pessoal que vende balas nos ônibus e diz: ” eu podia estar matando, eu podia estar roubando mas tô aqui vendendo umas balinhas pra ajudar minha mãe…” O que é a vida. Nossos Ministros podiam estar trabalhando, distribuindo justiça, procurando equilibrar pratos de balanças desde sempre desreguladas, nem que fosse como um forma de agradecer a sorte;  sim pq é sorte pura, mérito NENHUM, de terem nascido em lares abonados, terem tido acesso a melhor educação, saúde, viagens, enfim, a oportunidade de chegar onde estão… Podiam estar, trabalhando, sendo justos, honestos, ajudando o país para que um número maior de brasileiros pudesse , pelo menos, ter alguma chance melhor que a venda de balas no transporte público. Nossos ministros poderiam, estar trabalhando, ensinando, distribuindo justiça Mas estão aí, traindo, conspirando, acobertando torturadores, traficantes, golpistas, corruptos, estupradores… Enfim, toda a sorte de canalhas que devem ter povoado suas infância e adolescência e, por isso, hoje, adultos, os reconhecem como iguais e o tratamento é na base da camaradagem eletrônica que despacha os amigos “prozamigos” ( deve ser a tal de inteligência artificial ). Já pra turma que se criou na bandidagem baixa renda, os rigores da lei. Ao contrário da maioria dos brasileiros, nossos ministros Não escolheram vender balas no transporte público.

    • O PIOR AGORA É BARROSO

      Perfeito.

      Creio que a desilusao é a mesma para todos nos.

      Eu em especial estou muito desiludido com meu Prof. Barroso.

      Como que, no contexto atual, depois daquela tentativa de fraude eleitoral no 2o turno de 2014, ele vai assim… casualmente… a uma Palestra DA VEJA e COM O SERGIO MORO?

      So falou platitudes.

      A bomba do golpe do parlamentarismo ele ja tinha defendido em outra palestra, na semana anterior.

      Nao precisava fazer de novo tao cedo, né?

      Mas fica muito pior.

      ONTEM ele fez questao de sentar NA PRIMEIRA FILA na cerimonia posse dos novos secretarios no PALACIO DO PLANALTO USURPADO E OCUPADO ilegitimamente, para PRESTIGIAR O SEU EX-ALUNO, MARCELO CALERO – o interventor da cultura que, por sorte dele e azar o nosso, acabou virando MINISTRO DE ESTADO sem ser da area e sendo garoto de 30 e poucos anos.

      Como disse uma amigo, queria MOSTRAR PRESTIGIO – “imaginem voces que fui professor do novo ministro…ho ho ho…” – mas tambem DAR PRESTIGIO À CERIMONIA oficiada pelo grao-mestre golpista.

      Fim da picada.

      Parece que me enganei muuuuuuuuuuito.

      E isso NO DIA SEGUINTE À BOMBA DO JUCÁ QUE JOGOU A LAMA NO STF DELE.

      Ele foi la, todo garboso, como se nao tivesse nada com isso.

      • Decepção pq, a fim e ao cabo

        Decepção pq, a fim e ao cabo o resto nem era tão diferente de GM, mesmo. O grampo de Machado com Renan, acaba de destruir a Corte. Inacreditável.

        Estranho  é que esses grampos detonam muito mais mais o STF que  do qq parlamentar e aí. Tem alguém querendo mandar recado pros ministros, parece.

  30. os golpistas
    criaram novas

    os golpistas

    criaram novas normas…

    estado de exceção…

    mas não mudaram as regras da gramatica…

    encliticamente,nos foderam….

    mas mesocliticamente,

    quem sabe,

    foder-se-ão????

    (perdoe  baixar o nível, excelente romulus,  

    após me deleitar com o  alto nível do seu extraordinário artigo!!!!)

  31. Que Nassif é um dos mais

    Que Nassif é um dos mais brilhantes jornalistas deste país dispensa comentários. Mas como todo bom analista comete erros. Cometeu dois cruciais. Saudou as manifestações de Junho de 2013 como se fora uma novidade que traria benefícios para democracia, quando na verdade alí foi a origem do golpe. Apostou que Janot encarnaria o espírito republicano que daria novos rumos ao ministério público. Somente quando ficou escancarado que Janot era o estrategista do golpe foi que pulou do barco.

    • Caro,
      Tenho a mesma opiniao

      Caro,

      Tenho a mesma opiniao que voce. E desde a epoca das manifestaçoes em 2013. Se for ao meu facebook encontrarei os posts em que fazia o alerta aos amigos de esquerda mais PSOListas que embarcaram.

      MAS…

      Era palpite. Seu e meu. Tanto quanto era palpite a opiniao do Nassif.

      Nesse caso, nos estavamos certos e ele errado.

      Mas nao havia elementos para avaliar com mais segurança naquela epoca.

      Era mais palpite e intuiçao.

      Asseverar que “era claro” HOJE é fazer exercicio de prever o passado.

      É o vies cognitivo conhecido como “hindsight bias”.

      Ate ja falei dele em um post aqui no GGN.

      Mas, estou de acordo com vc que para completar o “Xadrez…” as manifestaçoes de 2013 tem que ser mencionadas como background para as movimentaçoes subsequentes.

  32. Caro Nassif
    O grampo comprova

    Caro Nassif

    O grampo comprova o golpe e a honestidade da Dilma, só um golpe para impedir o avanço dessa honestidade.

    E no avanço da honestidade, não sobra pedra sobre pedra.

    Os golpistas estão isolados do povo, e o povo está isolado do Congresso, 367 deputados, mais de 55 senadores.

    Esperar justiça para o povo via esse STF, é divagar, ele está montado para os Aécios, Marinhos, Jucás, Moros, entre outros dessa laia.

    O golpista Temer, também mudou, antes do grampo do Jucá, sabendo da derrota   da Dilma, nadava em águas tranquilas.

    Havia que saquear o Brasil, mas haviam um pouco de lerdeza.

    Agora, pós grampo, abriu um espaço para duvidas, portanto, o saque tem que ser mais veloz. Vá que a Dilma volte?!

    A grande mídia já abafou o grampo, e focou o Lava Jato, ou caça ao PT.

    Saudações

  33. as tramóias infames da

    as tramóias infames da série

    house of catds

    parecem contos da carochinha

    diante das tramas diabólicas orquestradas por esse cruel conluio que levou a esse golpe….

    tanto da série inglesa quanto da americana….

  34. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome