Temer não perde tempo para apagar influência do PT

Jornal GGN – Uma reportagem publicada no The Guardian afirma que apenas na primeira semana, o governo interino de Michel Temer já começou a retroceder nas políticas sociais colocadas em prática pelos presidentes petistas. Para o jornal, o presidente em exercício busca reduzir dessa maneira a influência do Partido dos Trabalhadores.

A publicação trata as políticas defendidas pelo novo governo como “um movimento em direção a uma política neoliberal da velha elite que depôs a presidente Dilma Rousseff”.

Do Opera Mundi

Governo Temer não perde tempo para apagar influência do PT, diz jornal The Guardian

Segundo publicação britânica, em uma semana de governo, Temer já começou a retroceder em políticas sociais, podendo afetar população mais pobre

Reportagem publicada no jornal britânico The Guardian nesta sexta-feira (20/05) afirma que, em sua primeira semana, o governo interino de Michel Temer já começou a retroceder em muitas das políticas sociais colocadas em prática pelos governos do Partido dos Trabalhadores, em uma tentativa de “apagar” a influência da legenda.

De acordo com a reportagem, estão em movimento alterações para “suavizar” a definição de trabalho escravo, reverter demarcação de terras indígenas, cortar investimentos do Programa Minha Casa Minha Vida e privatizar aeroportos, Correios e outros serviços.

As medidas de austeridade, justificadas como necessárias pelo novo governo para recuperar a economia, são vistas por seus críticos como “um movimento em direção a uma política neoliberal da velha elite que depôs a presidente Dilma Rousseff”.

De acordo com o professor Renato Boschi, da Universidade Estadual do Rio de Janeiro, “nem mesmo [Mauricio] Macri [presidente da Argentina] é tão de direita quanto o governo Temer”.

Leia também:  Cinco partidos anunciam voto contrário a relatório da reforma da Previdência

A matéria diz que as mudanças têm levado a manifestações contra o governo no país e até no Festival de Cannes, na França, onde a equipe do filme “Aquarius” realizou um protesto na terça-feira (17/05).

De acordo com a publicação, apesar de Temer afirmar não ter interesse nas eleições de 2018, “ele está impedido de concorrer devido a violações em processos eleitorais anteriores – e ele é tão não apreciado que ele não teria uma chance de vencer nem que quisesse”.

A matéria argumenta também que, embora sejam necessárias mudanças para combater a recessão, os ajustes deverão piorar as condições dos trabalhadores mais vulneráveis, principalmente no ramo da agricultura e processamento de alimentos.

A reportagem diz que o novo ministro da Agricultura (Blairo Maggi), “um magnata da soja que é um dos homens mais ricos do Brasil”, já propôs uma legislação que exclui as condições degradantes de trabalho e jornada exaustiva como elementos definidores de trabalho análogo à escravidão. Além disso, ele faz parte do lobby de ruralistas que atua para mudar a política de demarcação de terras.

O jornal ainda lembra que, antes de ser afastada, Dilma assinou decreto destinando 56 mil de hectares para reforma agrária e territórios quilombolas, mas que assessores de Temer sinalizaram que os decretos podem ser revogados. Segundo a reportagem, muitos ambientalistas estavam insatisfeitos com o governo de Dilma, mas temem que a situação pode piorar com o novo governo.

Sobre o novo Ministério das Relações Exteriores, o Guardian diz que as alianças com governos de esquerda como Venezuela, Bolívia e Equador deverão ser “coisa do passado” — o novo chanceler, José Serra, afirmou em seu discurso de posse, que a diplomacia agora deverá refletir os interesses da economia e não mais “preferências ideológicas de um partido político e seus aliados estrangeiros”.

Leia também:  O BNDES e o risco de extinção, por Paulo Kliass 

Mais “controversas”, segundo o jornal britânico, deverão ser as reduções de gastos sociais, ao citar a declaração do novo ministro da Saúde, Ricardo Barros, de que o governo não tem condições de arcar com o Sistema Único de Saúde.

“Em seu discurso inaugural, Temer prometeu manter os programas de bem-estar social e tem dito que os cortes não afetarão os pobres, mas seus ministros sugerem que esse pode não ser o caso”, diz a publicação.

De acordo com o jornal, “liberais econômicos estão em sua maioria contentes nessa primeira semana”, enquanto entre os setores de esquerda há “consternação”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

17 comentários

  1. Sério que alguém acredita em eleição em 2018?

    Os ladrões tomaram de assalto o estado brasileiro e o povo brasileiro, prinipalmente os pobres não estão na rua, porque então eles vão largar o “butim”

  2. Ingratidão e ignorância

    Todos esses que espernearam, muitas vezes pronunciando injustiças hediondas contra nossa presidente, agora batam panelas e boicotem novamente esse desgoverno de traíras. Bando de cínicos, ingratos fdp. Se esse blá-blá-blá não virar ação CONTUNDENTE, com todo mundo indo às ruas…bem, já podem começar a chorar suas lágrimas de sangue.

  3. “É bom” ele começar a tirar

    “É bom” ele começar a tirar fotos com Gandhi, Madre Teresa, Jesus Cristo, etc., porque a imagem dele lá fora tá mais suja do que pau de galinheiro.

    É nada mais nada menos que o chefe da gangue que quer tirar do poder uma presidente que tem mãos limpas.

    Em outras palavras, uma presidente que NÃO compactuou com a corrupção e por isso está pagando um preço amargo.

  4. Incrível Quando foi o PT que
    Incrível

    Quando foi o PT que trocou, chamaram de aparelhamento.

    Agora, “apagar a influência do PT”.

    Esse PT, hein?

    Será que vão querer apagar a população também?

  5. Acgo que os caras vão massacrar o PT até ele acabar

    e a esquerda toda vai a reboque.

    E os jornalistas que não se alinharem ao Governo , podendo até fazer críticas , mas com liberdade controlada(estranho , mas acho que vai ser assim mesmo) acaba junto também.

    E aí nós vamos vicer num país de faz de contas.

    E pensar que todos achavam que o PT tinha poder e abusava dele hein!

    Essa república de bananas sempre teve dono , agora temos certeza disso.

     

  6. pobre precisa de mais tempo…

    precisa abrir a geladeira e ver apenas ovos e água

    tempo para concluir que era mais feliz, não tão pobre, antes do golpe

    e quando acontecer, é mais seguro sair da frente do que tentar controlar

    e vai acontecer tudo muito rápido

      • sei disso, Ulisses…

        também sei que reconhecem, agradecem e jamais deixarão de votar nele pelo que fez

        e também que principal objetivo do golpe é impedir que tudo aconteça no seu devido tempo

        impossível melhorar para todos de uma só vez

        vinha muito bem, dando certo, e assim que perceberam deram o golpe

  7. Interessante que esse

    Interessante que esse argumento do “não há povo na rua” foi usado na eleição e comemorado pela turma do aécim e turma para comemorar antecipadamente a vitória em 2014 e vimos no que deu….como disse outro comentarista o povo é silencioso em sua maioria mas que mostra o seu rosto na hora certa.

  8. O POVO

    O POVO ESTÁ NA RUA QUEM NÃO MOSTRA É A GLOBO E A BAND QUE SÃO IRMÃS GÊMEAS. A GLOBO NÃO MOSTRA PORQUE ELA O TEMPO TODO É ESCULACHADA CHAMADO – A DE GOLPISTA , A BAND NINGUÉM FALA DELA PORQUE A EMISSORA É GOLPISTA DE  QUINTA CATEGORIA, MAS DUAS FALAM MAL DO PT E AS DUAS FAZEM PROPAGANDA COM O NOME DO LULA. SE NÃO HOUVESSE PT, LULA E DILMA NINGUÉM ASSISTIRIA PORQUE O POVO TÁ FAZENDO UM MONTE DE M… PELO TEMER E SEU GOVERNO. QUANDO O TEMER SAIR A RUA SEJA COMO PRESIDENTE INTERINO OU COMO VICE- PRESIDENTE NINGUÉM VAI POUPÁ-LO. QUERO VER SE ELE VAI SER HOMEM DE IR NA ABERTURA DAS OLIMPÍADAS OU QUALQUER OUTRO QUE FOR REPRESENTÁ-LO.

  9. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome