A morte do poeta Piva

RIO – Um maiores nomes da poesia marginal brasileira, o poeta Roberto Piva morreu em São Paulo, no sábado, aos 72 anos. O escritor sofria de Mal de Parkinson e estava internado desde maio no Instituto do Coração por conta de uma insuficiência renal, que evoluiu para uma falência múltipla de órgãos. De acordo com o Globonews, Piva foi cremado na manhã deste domingo no Crematório de Vila Alpina.

Nascido em São Paulo no dia 25 de setembro de 1937, Roberto Piva foi um poeta ligado aos marginais dos anos 60, tendo sido influenciado pelos autores da geração beat americana. Ele foi revelado na coletâneas “Antologia dos Novíssimos”, de Massao Ohno, publicado em 1961, e “26 poetas hoje”, de Heloisa Buarque de Holanda.

Piva foi professor na rede de ensino público, produtor de shows de rock e é um dos três únicos poetas brasileiros a ser citado no Dicionário Geral do Surrealismo publicado na França.

Recentemente, toda sua obra foi republicada pela editora Globo em três volumes – “Um estrangeiro na legião”, “Mala na mão e asas pretas” e “Estranhos sinais de saturno”. Seu primeiro livro, “Paranóia”, publicado originalmente 1963, foi reeditado em 2009 pelo Instituto Moreira Salles.

http://br.noticias.yahoo.com/s/04072010/83/morre-aos-72-anos-poeta-roberto.html 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  São Paulo – acelerando rumo a quê?, por Regina Pekelmann Markus

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome