Em seu artigo sobre Moro, Kennedy Alencar indica documentário do GGN

O jornalista critica, esmiuça e narra a trajetória de Sergio Moro e Deltan Dallagnol. E, para ilustrar o que diz, indica o documentário feito pelo Jornal GGN. Veja aqui.

Jornal GGN – Em artigo no Portal Uol, o jornalista Kennedy Alencar critica a atuação da mídia com Sergio Moro e Deltan Dallagnol, passando pano da mesma forma que fez com Jair Bolsonaro em 2018. Aponta que a mídia trata os dois personagens como uma versão moderada do conservadorismo brasileiro.

Para ele, os dois representam o lado perigoso da democracia do bolsonarismo sem Bolsonaro. E lembra que Rosangela Moro já dizia que o ‘conge’ e o ‘genocida’ ‘são uma coisa só’. E vem atrás o Dallagnol como minúsculo apêndice.

Tece críticas e aponta fatos relativos à atuação de Moro e Dallagnol em todo o período da Lava Jato e depois, traçando linha a linha a contribuição dos personagens para o Brasil que temos hoje. Desastre.

Em certo momento, Kennedy oferece ao leitor a possibilidade de conhecer mais dos crimes cometidos para combater o crime do herói da República de Curitiba, Moro, assistindo ao documentário produzido pelo Jornal GGN: “Sergio Moro: A construção de um juiz acima da lei”, de autoria de Luis Nassif, Marcelo Auler, Cintia Alves e Nacho Lemus. Sendo que a Lava Jato foi um repetir em grande escala o caso Banestado, até mesmo para manipulação de competências.

Para ler o artigo na íntegra, clique aqui.

Veja a seguir o documentário do Jornal GGN.

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Vladimir

- 2021-11-07 08:16:03

A questão central não é o atual ocupante do Palácio do Planalto e muito menos o camisa preta do Paraná. A questão é nossa mídia golpista,sempre defensora dos privilégios da elite endinheirada que,travestida de defensora da democracia e da moralidade pública,utiliza-se de um espaço público da rádio difusão para incitar o povo contra seus próprios direitos e a favor dos que o oprimem. Essa gente precisa ser retirada de circulação o quanto antes. dirão que isto atenta contra a democracia. O que atenta contra a democracia é o monolitismo da imprensa golpista e suas manobras contra o povo. Ser democrata não é defender privilégios de 1% da população. Ser democrata é defender os interesses dos 100% da população e,isso,essa gente não entende e não aceita. Que caiam fora ou que sejam retirados à força.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador