Carmen Lucia deseja “2018 mais justo para todo Brasil”


Foto: Beto Barata/PR
 
Jornal GGN – A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) desejou “um 2018 mais justo para todo o Brasil”, durante um rápido balanço do ano judiciário na Suprema Corte, no último julgamento que encerrou as atividades forenses de 2017.
 
A última sessão do STF remeteu à primeira instância a denúncia de organização criminosa contra os políticos peemedebistas, entre eles os ex-deputados Eduardo Cunha e Rodrigo Rocha Loures, os ex-ministros Geddel Vieira Lima e Henrique Eduardo Alves e outros 14 investigados.
 
A sessão foi marcada pela tentativa de discussão entre os ministros Luis Roberto Barroso e Gilmar Mendes, este último contra a denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR), a qual caracterizou como “serviço mal feito, apressado” e “corta e cola” e Barroso a favor da PGR.
 
 
Diante da quase interrupção de seu posicionamento a favor do relator Edson Fachin, Cármen Lúcia tentava finalizar o julgamento que encerrava as atividades judiciárias. Proclamou o resultado de enviar os peemedebistas para a Justiça do Distrito Federal.
 
Em seguida, começou a destacar o avanço da atuação do STF, diante da grande demanda do tribunal. “O trabalho é quase impossível de ser vencido com esse volume”, disse. Mas decidiu encurtar as palavras de feliz ano novo, partindo para os agradecimentos gerais e um último voto: de “um 2018 mais justo para todo o Brasil”.
 
 
 
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora