Supremo ameaça limitar prisões preventivas da Lava Jato

 
Jornal GGN – O Supremo Tribunal Federal ameaça acabar com as prisões preventivas desenfreadas que a Lava Jato utiliza com autorização do juiz federal Sergio Moro. Segundo informações da jornalista Mônica Bergamo, o ministro Gilmar Mendes já liberou seu voto sobre uma ação movida pela OAB dizendo que a medida viola direitos dos investigados. Isso deixa o processo “pronto para entrar em pauta” no STF, disse.
 
Na ação, a OAB afirma que, “quando realizada na fase investigatória, a medida viola os princípios da imparcialidade e o direito que o investigado tem ao silêncio e também a não produzir provas contra si mesmo. O fato de a maior parte delas ter sido realizada sem que os conduzidos tivessem sido intimados anteriormente só agravaria a ilegalidade”, anotou Bergamo, nesta sexta (24).
 
A jornalista lembrou que a mais “espetacular” condução coercitiva foi a do ex-presidente Lula, já que ele não havia sido intimado previamente. E tudo ocorreu com uma desculpa capenga: a de “proteger” Lula de eventuais protestos.
 
“E a condução coercitiva do blogueiro Eduardo Guimarães, determinada pelo juiz federal Sergio Moro nesta semana, deixou ministros do STF incomodados. Um dos mais antigos da corte se disse chocado com o argumento do magistrado de que Guimarães não é jornalista. Quem seria o juiz, diz o ministro, para dizer se alguém é ou não jornalista?”, apontou.
 
O STF já decidiu que diploma não é requisito para a atividade jornalística e que o direito ao sigilo da fonte é da sociedade, não apenas de profissionais da mídia.
 
Em despacho concedendo habeas corpus ao ministro Guido Mantega, o ministro Dias Toffoli disse que o instituto da prisão preventiva não era algo usado vulgarmente nem pelas autoridades envolvidas no Mensalão.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora