Amanhã, o discurso de Luiz Fux será um bólido contra Bolsonaro, por Luis Nassif

Mais importante que o gesto em si, são as circunstâncias que o inspiraram. Como Fux não é dotado de uma coragem cívica maior, o gesto foi precedido de análises consistentes sobre o momento político atual.

Acabo de receber a informação de fonte estreitamente ligada ao presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux. Diz ele que, no discurso de reabertura dos trabalhos do Supremo, Fux deixará de lado o temor reverencial e baterá duro em Bolsonaro. 

A decisão foi acelerada por dois episódios. O mais recente, os ataques da deputada Bia Kicis ao Ministro Luís Roberto Barroso. O segundo, a constatação de que Bolsonaro já não dispõe do mesmo poder de dissuasão de antes. Ou seja, estaria tomado da coragem dos que enxergam os inimigos caídos no campo de batalha.

A fonte é privilegiada. Não obteve a informação diretamente de Fux, mas de pessoas próximas a ele.

Estando corretas as informações, pela primeira vez, desde que assumiu a presidência do STF, Fux sentará na cadeira de presidente.

Mais importante que o gesto em si, são as circunstâncias que o inspiraram. Como Fux não é dotado de uma coragem cívica maior, o gesto foi precedido de análises consistentes sobre o momento político atual.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

11 comentários

  1. A indicação de Fux

    Tenho memória. Herdei da minha mãe, que se lembrava de episódios remotos para assombro da família.
    Lembro do dia, portanto, em que assistia ao Bom dia Brasil, em reprise na Globo News, após uma noite de orgia etílica pelos bares de Campinas.
    E entra o Alexandre Garcia, em longa peroração, coisa de 4 minutos do telejornal, um assombro, rasgando elogios pela feliz escolha do Luiz Fux. E segue rasgando elogios.
    Na hora, pensei: deu merda.
    E deu.
    Os governos do PT podem ser traduzidos por um governo de crianças de 5 anos. No máximo.

  2. “Medo, venalidade, paixão partidária, respeito pessoal, subserviência, espírito conservador, interpretação restritiva, razão de estado, interesse supremo, como quer te chames, prevaricação judiciária, não escaparás ao ferrete de Pilatos! O bom ladrão salvou-se. Mas não há salvação para o juiz covarde.” Ruy Barbosa

  3. entendi. é aquele vernáculo “moleque” captado pela folha de sã (?) pablo? pergunta de um trabalhador q leu Cruz e Sousa…

    o jornalismo de fontes de autoridades declinantes. pensei q a fonte servia de garantia à verdade não à suposta autoridade

  4. “Proteu da mentira, não tem opinião nenhuma, e com todas se mascara. Cortesão das vitórias ganhas, bravo no desarmamento dos desarmados, fujão das situações arriscadas, inimigo das causas vencidas e lacaio dos triunfantes”. Rui Barbosa, Campanha Presidencial, 1919

  5. “Medo, venalidade, paixão partidária, respeito pessoal, subserviência, espírito conservador, interpretação restritiva, razão de estado, interesse supremo, como quer te chames, prevaricação judiciária, não escaparás ao ferrete de Pilatos! O bom ladrão salvou-se. Mas não há salvação para o juiz covarde.” Rui Barbosa

  6. Essa informação é de grande valor, se for verdade pode ser uma freada de arrumação (como nos ônibus), organizando a bagunça. A grande preocupação está na figura de quem se habilita para tal tarefa, com histórico duvidoso, desde “eu mato no peito”. Será que vai ter coragem?

  7. E como bem disse o Leandro Fortes, num recente Café da Manhã do DCM, o cara usa peruca! É difícil inspirar confiança. Dizem que é indicação do José Dirceu. Será?! Logo do Grande Estrategista!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome