Ministro da Educação explica que Ideb monitora estados e municípios, e não União

 
Jornal GGN – O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) avalia o desempenho de Estados e Municípios na educação. Essa informação foi dada pelo ministro da Educação, Henrique Paim, em coletiva nesta quinta-feira (05).
 
A pertinência do tema ocorre em meio a suspeitas de que o governo federal estaria demorando para divulgar os números do Ideb por conta do período eleitoral. Além de desmistificar o boato, Paim afirmou que a pasta não teria nenhum problema em divulgar os dados e que por colocar em xeque a gestão de estados e municípios que o ministério tem “todo o cuidado em divulgar”. “Vocês serão avisados”, acrescentou, dirigindo-se à imprensa.
 
Sugerido por Sergio SS
 
Nassif,
 
Creio que esta notícia do portal Estadão é bastante relevante em períodos de eleição, especialmente porque muitos candidatos e mesmo a mídia fazem muita confusão na cabeça do eleitor sobre as responsabilidades federativas na área da educação no Brasil.
 
Abs.
 
Do Estado de S. Paulo
 
 
Por Rafael Moraes Moura
 
A Casa Civil comunicou, em nota, que é ‘improcedente’ a informação divulgada de que já teria recebido o resultado do índice
 
BRASÍLIA – Em meio a suspeitas de que o governo federal está retardando a divulgação dos números do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) por conta do período eleitoral, o ministro da Educação, Henrique Paim, reconheceu, na tarde desta quinta-feira, 4,  em coletiva de imprensa no Palácio do Planalto, que o indicador “coloca em xeque” a gestão de Estados e municípios na área
 
“Esse governo é um governo que tem um DNA voltado para a questão da avaliação e para a divulgação de dados. Temos muita tranquilidade em relação a isso. O resultado do Ideb coloca em xeque gestão dos Estados e municípios, por isso temos todo o cuidado em  divulgar, vocês serão avisados”, afirmou o ministro, que participou de café da manhã no Palácio da Alvorada com a presidente Dilma Rousseff e o matemático Artur Ávila, ganhador da Medalha Fields.
 
Procurada pela reportagem, a assessoria do Ministério da Educação não soube informar quando o Ideb será divulgado à imprensa.
 
Em nota, a Casa Civil comunicou que é “totalmente improcedente” a informação divulgada de que já teria recebido o resultado do Ideb. “A Casa Civil não recebe, analisa ou divulga os dados do Ideb, sendo esta uma atribuição exclusiva do Ministério da  Educação e do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep)”, informou, em nota.
 
Questionado sobre a possibilidade de ser chamado pela Comissão de Educação do Senado para explicar o atraso na divulgação do Ideb, Paim afirmou que iria ao Congresso prestar esclarecimentos “com a maior satisfação”.
 
Café da manhã. A presidente Dilma Rousseff e os ministros Guido Mantega (Fazenda), Henrique Paim (Educação) e Clélio Campolina (Ciência e Tecnologia) receberam na manhã desta quinta-feira o matemático Artur Ávila, vencedor da Medalha Fields, para um café da manhã no Palácio da Alvorada.
 
“Conversamos sobre temas ligados à educação, ciência brasileira, especialmente em parte o valor simbólico do prêmio”, comentou Artur, em entrevista a jornalistas no Palácio do Planalto.
 
“A conversa foi principalmente dedicada a tentar identificar uma maneira de como usar o modelo da matemática, especialmente para que sua implementação no Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa) se estenda a outros campos de conhecimento.”
 
De acordo com o presidente da Academia Brasileira de Ciências, Jacob Palis, que também acompanhou o café da manhã, comentou-se no encontro a importância de aumentar os investimentos em ciência e tecnologia. Palis defende que se chegue a um patamar de destinação de 2% do PIB para a área – atualmente, o investimento seria de 1,2%, afirmou.
 
“A presidente não se comprometeu (a elevar para 2%), mas acho que foi simpática à ideia. Isso consta do programa dos outros dois candidatos”, disse Palis, em referência aos candidatos do PSB, Marina Silva, e do PSDB, Aécio Neves.

8 comentários

  1. As flash-manchetes ridículas e o ridículo em assimilá-las

    Sou dos tempos em que manchetes eram notícias que, além disso, eram também as mais relevantes ou bombásticas no momento da publicação..

    Hoje esta míRdia rídicula (sim, poderosa, mas ridícula) coloca manchetes que são tão pouco manchetes qu,e após produzirem seu efeito desejado (mexer com a emoção do leitor), desaparecem até da primeira página (Internet).

    Hoje por ex., em “perfeito sincronismo”, Globo, Uol, Ig , Terra e MSN (este com 8 manchetes móveis) manchetearam a “inflação acima da meta” (+0,01%), coisa que esqueceram de fazer com um fenômeno muito mais relevante e raro, que foi o índice negativo em meses anteriores.

    Depois foi esse aí do Ideb (0,2 a menos, depois de anos superando as metas), também em magistral sincronia! Ignorando, por ignorância ou má fé, que educação, assim como segurança, saúde, saneamento e outros são de responsabilidade principal de outras instâncias (estados, municípios, poderes, etc.).

    Ora, primeiro que a meta é para dezembro e durante o ano ela pode oscilar sazonalmente. Ou eles não sabem disso (não seria surpresa) ou forçam a barra, mancheteando um índice dos “últmos doze meses”. Ou o pior “do mês de agosto”.Ou o mais alto em um dia de inverno de céu azul com nuvens ao norte…

    A menos do seu efeito eleitoral panfletário,as notícias flash-mancheteadas até desaparecem. Quis saber por ex. de quanto era o mancheteado “estouro da meta” e só consegui pesquisando com certo esforço no Google, pois não estava mais em parte alguma nos portais.

    Como pode uma notícia manchete desaparecer assim que é substituída por outra (de efeito similar)?

    Com isso, num dia os jornais, rádios, TV´s, revistas e portais fazem um horário eleitoral 24h, exclusivo, intenso e permanente, a favor de (ou contra) quem quiserem, explorando milhares de temas à vontade e farsescamente.

    Antes, durante e depois do período legal de campanha.

    Ou seja: horário eleitoral é para amadores…

  2. Como em todos os outros

    Como em todos os outros indicadores, quando o estado vai bem, mérito dos governadores, quando vai mal, culpa do governo federal, mais especificamente da presidente Dilma. E haja paciência.

  3. se houvesse um Indice

    se houvesse um Indice Persecutório Contra Os Governos Trabalhistas no brasil através da grande mídia esse índice já teria ultrapassado os cem por cento há muito tempo, desde o suicídio de getúlio ao golpe cívico-militar contra o governo jango em 64 até o presente, desde lula em 2003 até agora.

    a grande  mídia dita golpísta vem pra confundir, não  para informar, como diria o chacrinha.

    mesmo que relatem os fatos, deixam sempre uma duvidazinha no leitor.

    o governo federal não  tem culpa nenhuma, mas popderia ter….

    e se não tem, querem que o governo diga que é o outro que tem…

    mas esse outro pode ser um aliado do governo.

    então o que eles querem? bombardear essa aliança,

    exigindo que o governo diga alguma besteira contra algum aliado!

    pra eles dizerem exatamente o que estrava previsto na pauta pela direitona raivosa

    – aliados brigam. viva nós!

  4. Investir mais  em pesquisa e

    Investir mais  em pesquisa e em cirurgia para troca de neurônios

     

     

    ======

     

    SEM HABILIDADE COM NÚMEROS, Junia Oliveira, O Estado de Minas, 08/06/2010

     

    Fonte: http://wwo.uai.com.br/EM/html/sessao_18/2010/06/08/interna_noticia,id_sessao=18&id_noticia=141062/interna_noticia.shtml

     

    Consta em relatos disto em:                    

    http://www.exkola.com.br/scripts/noticia.php?id=34579041

    http://blog.opovo.com.br/educacao/sem-habilidade-com-numeros/

     

    http://isaude.net/z9h8, europsicologia e genética decrifram causas e

    consequências da discalculia,  Saúde Pública

    http://vghaase.blogspot.com/, acesso,  ag/10

    http://discalculialnd.blogspot.com/,   acesso,  ag/10

    – Decifrando uma incógnita,

    http://www.ufmg.br/boletim/bol1698/4.shtml,  acesso,  ag/10

     

    – Pesquisa dos Laboratórios de Neuropsicologia e de Genética da UFMG pode ajudar a desvendar causas e consequências da discalculia, 7 de junho de 2010

    http://www.ufmg.br/online/arquivos/015678.shtml

    – Neuropsicologia e genética decrifram causas e consequências da discalculia,

    ISaúde.Net, Saúde Pública, http://isaude.net/z9h8, acesso ag/10

     

     Doença que dificulta aprendizado de matemática é alvo de especialistas

     

    http://saude.ig.com.br/minhasaude/doenca+que+dificulta+aprendizado+de+matematica+e+alvo+de+especialistas/n1597074737032.html

  5. Todas as nações que tem

    Todas as nações que tem educação de qualidade foi pelo fato dos equilaventes Estados e Municípios terem se juntados de definidos fazer. Enquanto isso não acontecer no Brasil, nada terá solução. O MEC só pode mandar recursos e cada qual faz o quer e como quiser.

  6. O fato é que no que o governo

    O fato é que no que o governo federal podeira ajudar, formação docente, além da forma desgraçada se se fazer isso vem desde dos tempos cabralinos, Lula recebeu as públicas tendo  cerca 15 % de todas as matrículas em nível superior, portanto,  cerca de 85% em espeluncas privadas e ao governo Lula só restou até aumentar tais bandalheiras para não ser apeado do poder.

  7. Esse é um fato muito

    Esse é um fato muito interessante.

    Quem assistiu qualquer reportagem da Globo sobre os dados do Ideb ficou com a nítida impressão que era falha do governo Dilma não ter atingido a meta do ensino médio

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome