Trump e a política fracassada de dois Estados na Palestina, por J. Carlos de Assis

Movimento Brasil Agora

Trump e a política fracassada de dois Estados na Palestina

por J. Carlos de Assis

Barak Obama deu um belo presente de Natal a Donald Trump: estimulou a condenação de Israel pelo Conselho de Segurança da ONU pela  política de assentamos ilegais nos  territórios palestinos ocupados. Naturalmente, Obama sabia que Netanyahu, o premiê israelense, ficaria enfurecido. E talvez tenha achado que, com isso, daria uma chave de braço em Trump, que já declarou várias vezes que é contra a política de dois Estados, isto é, um palestino e outro israelense, na terra palestina original.

Vejam agora que coisa interessante: se é contra a política de dois Estados, Trump indiretamente está a favor da plena integração dos dois povos num único Estado. O premiê israelense talvez preferisse uma solução final para os palestinos mas nos tempos atuais isso não seria tolerado, sobretudo pelos russos, que são aliados indiretos dos palestinos através da Síria. Em razão disso, a única coisa lógica a se adotar é a política de um Estado para dois povos, algo que parece ser o secreto objetivo de Trump. Isso levaria paz ao Oriente Médio.

O fato é que a política de dois Estados, arquitetada por Rabin e Arafat décadas atrás, nunca funcionou. Os governos israelenses jamais resistiram à pressão de seus fundamentalistas no processo de provocar os palestinos com assentamentos ilegais em terras deles. Na verdade é pouco provável que venha a funcionar algum dia. Os israelenses são arrogantes e expansionistas, e estão ancorados num poderio militar invejável, que sabem usar com suas forças armadas muito bem treinadas, ou as mais bem treinadas do mundo.

No período de sua constituição Estados são expansionistas pela própria natureza. Israel e Palestina são dois grupos territoriais que querem tirar pedaços uns dos outros, em último caso pela força, no seu processo de afirmação estatal. Aliás, pela força, Israel tomou vários pedados dos palestinos. Estudei no doutorado  modelos simples de sistemas complexos nos quais Estados eram representados por quadradinhos em interação. A força que movia os quadradinhos era a busca de expansão. Naturalmente, o sistema era instável.

Contaram-me que quando Carlos Lacerda, como repórter, foi enviado à Palestina para cobrir a declaração de independência de Israel, patrocinada pela ONU em 1948, escreveu vários artigos concluindo que jamais haveria paz naquela região. A história mostrou que tinha razão, pelo menos enquanto durar a política de dois Estados. Ao contrário do que israelenses hipócritas e observadores superficiais acreditam, para descongelar a situação no Oriente Médio só alguém com aparente brutalidade de Trump, propondo um só Estado.

Curioso é que, mesmo sem saber exatamente o que Trump tem na cabeça, ele não tem muita margem de escolha, dada a preliminar de que não quer dois Estados. A reação de Netanyahu à resolução da ONU, determinando a construção de mais um assentamento do lado palestino, é a maior e mais imediata evidência de que a solução dos dois Estados não funciona. Se não funciona, deve-se buscar outra. Qual delas seria senão a integração dos dois povos numa só nação, mesmo porque todos são de remota origem abraâmica?

Israel certamente teria que resolver o problema democrático, ou seja, a questão da democracia relacionada com a demografia. O país é jovem, mas tem uma democracia consolidada. Os palestinos, com menor tradição democrática, terão, se for revertida sua diáspora, uma população maior que a israelense. Não é um problema insolúvel nos termos de uma Constituição pactada, na qual a representação israelense teria preeminência por um determinado período de tempo no futuro, até se equilibrarem demograficamente os povos.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

4 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

jose antonio santosj

- 2016-12-30 19:12:11

Estado unico?

Estado unico? Não tem a minima condição de dar certo.

Qual seria o papel dos palestinos nesse estado?

Uma população sem propriedade, sem acesso a cidadania, sem futuro, mao de obra barata para os judeus.

O nome para isso é Apartheid.

Trump não tem o minimo conhecimento sobre a questão palestina. Nem que ter. Tem raiva de quem conhece o assunto.

Passou a vida ganhando dinheiro e não estudando.

Quanto mais ele se manter longe será melhor, se não, mais sangue vai correr entre os palestinos!

 

Eulalia Rosa

- 2016-12-30 11:48:10

É SÓ PALESTINA COM PALESTINOS E SEM JUDEUS SIONISTAS EUROPEUS!

NASSIF ME RESPONDE UMA COISA PORQUE VC ACEITA ESTAS MERDAS DE PESSOAS QUE FICAM PUXANDO O SACO DOS JUDEUS SIONISTAS????

CARA VC É ÁRABE, COMO QUE VC ACEITA OS JUDEUS SIONISTAS EUROPEUS COMO DONOS DA PALESTINA????

JOSÉ CARLOS ASSIS PARE DE DEFENDER OS JUDEUS SIONISTAS QUE SÃO OS MESMOS QUE ESTÃO FAZENDO A MERDA DO GOLPE NO BRASIL!!!!

VC NÃO ENTENDE DE NADA DA HISTÓRIA DA PALESTINA, A PALESTINA EXISTE DESDE O TEMPO DE PTOLOMEU https://pt.wikipedia.org/wiki/Hist%C3%B3ria_da_Palestina, OU SEJA OS VERDADEIROS DONOS MILENARES SÃO OS PALESTINOS E QUEM TEM O DIREITO DE VIVER NAQUELA TERRA SÃO OS PALESTINOS!!!!

JUDEU É RELIGIÃO JUDAICA, NÃO É NACIONALIDADE!!!!!! PALESTINOS SÃO AS PESSOAS NASCIDAS NA PALESTINA SEJAM DA RELIGIÃO ISLÂMICA E CRISTÃ !!!!

Como já disse várias vezes, a PALESTINA FOI INVADIDA E DIVIDIDA SEM A ANUÊNCIA DE SEUS HABITANTES DESDE 1947 E OS PALESTINOS SÃO MORTOS ASSASSINADOS PELOS JUDEUS SIONISTAS TODOS OS DIAS POR MAIS DE 68 ANOS E NINGUÉM CONSEGUE FAZER JUSTIÇA PARA ELES!!!!!

OS JUDEUS SIONISTAS EUROPEUS ROUBAM TUDO DOS PALESTINOS ÁRABES, DOS LIBANESES ÁRABES, DOS SÍRIOS ÁRABES TENHA A DÓ SEJA ÁRABE PELO MENOS UMA VEZ NA VIDA NASSIF, HONRE O SEU NOME!!!!

ISSO QUER DIZER QUE PARA FAZER A REAL JUSTIÇA TEMOS QUE DEVOLVER TODO O TERRITÓRIO PALESTINO PARA O POVO PALESTINO CRIAR O ESTADO PALESTINO!!!

PORQUE PELO QUE EU SAIBA  JUDEU É QUEM PROFESSA A RELIGIÃO JUDAÍCA E NÃO É NACIONALIDADE!!!!!!

PELO AMOR DE DEUS NASSIF SE NÃO ENTENDE DA HISTÓRIA PERGUNTA PARA QUEM ENTENDE, MAS NÃO PUBLICA ESTAS MERDAS DE HISTÓRIAS ERRÔNEAS SOBRE A PALESTINA, A SÍRIA, O IRÃ, O LÍBANO, O IRAQUE, O YEMEN, DESTAS HISTÓRIA ENTENDE SEUS POVOS QUE SÃO CONSTANTEMENTE MORTOS POR ARMAS JUDIAS SIONISTAS, AMERICANAS, INGLESAS, FRANCESAS, ALEMÃS, CANADENSES, EUROPÉIAS E AUSTRALIANAS E QUE NÃO É DADO O DIREITO DE SE DEFENDER!!!

EULALIA

Carlos FM

- 2016-12-30 11:24:52

E o voto?

Nesse admirável estado único valerá o principio sagrado de "uma pessoa,  um voto"? Sem isso, ele jamais será democrático.

dirval

- 2016-12-29 17:40:06

A solução de um único estado

A solução de um único estado para dois povos é absolutamente impossível. Jamis haverá paz entre eles. É apenas mais uma aposta da cabeça ôca do Trump.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador