Investidores estrangeiros hesitam em participar de concessões do governo Temer

Jornal GGN – Investidores estrangeiros estão hesitando em participar da próxima rodada de leilões de concessão de serviços públicos. Segundo a Folha de S. Paulo, representantes de bancos e fundos de investimentos estão com dificuldades de atrair investimentos para o Brasil. Uma das instituições teria desistido de captar recursos para um fundo específico para os leilões no país.

Uma das razões é a crise política. Banqueiros e gestores de fundo dizem que interessados em investir no Brasil estão se sentindo mais seguros colocando seus recursos em nações como Colômbia e Peru, por achar o clima político e as regras mais estáveis.

Outro ponto de interrogação é a Operação Lava Jato, e investidores querem garantias de que estarão imunes de ações judiciais caso adquiram a participação de construtoras nas concessões. Um exemplo foi a desistência da Brookfield de comprar a parcela da OAS na Invepar, administradora de várias concessões.

As instituições financeiras, que pretendiam atrair em torno de R$ 60 bilhões, não conseguiram garantir R$ 10 bilhões em investimentos até agora.  A mesma dificuldade é apresentada por escritórios de advocacia que assessoram investidores.

Batizado de Crescer pelo governo federal, o plano de concessões de Michel Temer foi apresentado há um mês, mas não lançou nenhum edital de concorrência.

Fundos de pensão de funcionários de empresas estatais, que já financiaram grandes projetos, alteraram suas políticas após investigações da Polícia Federal e deixaram a área de infraestrutura.

O BNDES também mudou suas regras, dificultando a liberação de recursos somente para projetos com estrutura de financiamento bem definida e apoio de bancos privados.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Contestação de Aras coloca Lava-Jato em ponto crítico

22 comentários

  1. Qualquer pessoa mentalmente sã que assistiu nossa casta

    estancadora de sangrias anular 54 milhões de votos iria ficar receosa de fazer negócios com a turma… Só as mulas responsáveis pela “pausa democrática”, as mesmas que sofrem de uma completa falta de senso do ridículo, é que não perceberam o quanto arruinaram a imagem do país.

  2. Os investidores estrangeiros

    Os investidores estrangeiros nao estao com medo nenhum do Moro, eles sabem muito bem que o camarada e a farsa a jato pegam so as construtoras nacionais. As americanas e europeias sao honestas, diferentemente das brasileiras, de acordo com o ze ruela do Dallagnol. O medo real deles eh que o golpe seja revertido e que todas essas maracutaias sejam revertidas….

    • Reviravolta

      Perfeito Vítor.

      Como em outras privatarias, sabemos que muita gente aqui se deu bem. O pavor é que vão ter que pagar por fora e por dentro. Não estão preocupados com o Moro, pois com certeza sabem quem é o chefe dele. O problema é uma reviravolta, a queda dos golpistas e a justiça designar algum juíz honesto.

  3. E ninguem esta enxergando

    E ninguem esta enxergando pelo menos 6 erros na construcao da estrada da foto!

    O Brasil eh atrazado assim em engenharia??????

    Entao a foto eh perfeita pra “investidores” estrangeiros!

  4. LEGIÃO DE PATETAS

    Depois da baderna geral promovida pelo Judiciário, e, em especial, pelo Supremo, com empresários sendo presos por tempo indeterminado com base somente em acusações e sem terem exercido amplamente o direito de defesa, como reza a aviltada Constituição; com multas estratosféricas impostas a empresas inviablizando-as (só na cabeça de patetas, empresas têm atributos morais, não são, apenas, instrumento de seus donos – assim como o é uma faca, por exemplo, que não pode ser punida se usada para esfaquear alguém); e com a baderna jurídica em que vivemos, o que vai muito além de mera insegurança jurídica, só mesmo sendo maluco para investir seriamente no Brasil.

    Nosso judiciário regiamente pago por nós está a exportar empregos e negócios para nossos vizinhos.

    Temos um judiciário composto por muito mais do que três PATETAS.

  5. Então os investidores

    Então os investidores preferem Colômbia e Peru, que possuem economias muito mais liberais que o Brasil? Não estou surpreso.

  6. De como as coisas se ligam, ou a construção de planos B

    Vamos observar como essa notícia se liga à esta aqui: Agora Lava Jato atua com Temer para não quebrar empresas.

    Já sabemos que o capital “produtivo” foge de onde há instabilidade institucional; não se importam em negociar com ditaduras, regimes pouco democráticos etc etc etc (mestre André Araújo nos lembra disso ao falar dos negócios da Exxon em Angola), mas foge de onde não há segurança nas regras, mesmo que sejam regras ruins – afinal, regra ruim é melhor que regra instável.

    O Brasil, hoje em dia, é um país assolado não apenas por uma crise política, às portas de uma democracia mitigada temperada com um Estado de Exceção permanente contra seu próprio povo, mas também por um Judiciário infestado de juízes de primeira instância que, lembrando aquela velha piada da diferença entre o juiz e o advogado, “tem certeza que são superiores a Deus”.

    Além disso, é sempre melhor ter um parceiro local, que possa ajudar a desembaraçar situações com governos locais etc e tal. Os parceiros locais preferenciais, que eram os fundos de pensão, foram inviabilizados pela Polícia Federal. Os “segundos lugares”, as empreiteiras (que, gostemos ou não, eram os únicos bastiões que sobraram do capitalismo não-financista no Brasil), estavam sendo demolidas pela Lava Jato. Os “terceiros lugares”, os bancos e os fundos de investimento locais capitaneados por gente que conheça do ramo da infra-estrutura, não vão se mexer, porque ninguém é maluco de sair de 14,5% ao ano sem tirar a bunda da cadeira pro risco que é qualquer negócio.

    E aí vem o ponto delicado para a junta golpista: o programa de concessões, que neste momento não existe fora do éter, é a única ação deste governo, de viés fortemente financista, a favor do desenvolvimento. Então não pode dar errado; fracassar é a prova de que a junta é incapaz de qualquer coisa que não seja repressão e ninar rentista. Pior: mesmo que o tal Crescer supere as generosas concessões dos tempos de FHC, sem que se resolva a instabilidade política e jurídica não vai adiantar nada, ninguém vai investir em infra-estrutura, vai todo mundo comprar título federal a 14,5% que está garantido pela PEC 241 que vai receber.

    Então, agora que a Lava Jato foi realinhada para prender (e se morrer na prisão, melhor) Lula, é necessário que as empresas sejam recuperadas; sejam para serem os parceiros locais dos investidores internacionais, ou até com o plano B de elas mesmas voltarem a investir nas concessões (e, provavelmente, com ainda mais generosidade nas concessões.

    Imagino que, a Lava Jato e o TCU enquadrados, num prazo curto o STF vá tratar da parte da instabilidade jurídica, enquadrando ou ajudando a enquadrar juízes de primeira instância que possam querer atrapalhar.

    De novo: se esse plano fracassar, é a prova de que a junta é incapaz de qualquer coisa que não seja repressão e ninar rentista. E isso é péssimo para uma junta que tenta ser reconhecida.

    • Eu vou te contar um pequeno

      Eu vou te contar um pequeno segredo. É de entendimento geral fora do seu país que o Brasil não têm justiça de verdade, quem ainda tinha dúvidas deixou de ter ao ver os acontecimentos recentes. E se os seus “juízes” não respeitam nenhuma lei então porquê eles fariam contratos serem respeitados? Como eu escrevi em outro exemplo, o que impediria um Gilmar Mendes de favorecer o meu concorrente de forma criminosa porque este concorrente é apadrinhado de Mendes?

      Nesse momento, somente dois tipos de investidores investem em um país como o Brasil, sem lei e prestes a entrar em guerra civil: Os especuladores financeiros (que podem tirar o dinheiro deles do país em segundos) e os estúpidos.

      • Somebody,
        E se os seus

        Somebody,

        E se os seus “juízes” não respeitam nenhuma lei então porquê eles fariam contratos serem respeitados? Como eu escrevi em outro exemplo, o que impediria um Gilmar Mendes de favorecer o meu concorrente de forma criminosa porque este concorrente é apadrinhado de Mendes?

        Exatamente isso, e ainda mais.

        Sabemos que o controle sobre os juízes é frouxíssimo; a tentativa via Conselho Nacional de Justiça foi neutralizada rapidamente. Então o Judiciário não responde a ninguém, faz o que quer, deita e rola, a primeira instância então é uma festa.

        O STF não parece muito disposto a entrar nessa seara, inclusive porque tem diversos vespeiros nas primeira e segunda instâncias que, se mexer, as vespas voltam para picar os ministros. Precisaria, então, de reformas constitucionais para “enquadrar” as instâncias… coisa que não vai sair porque o Judiciário, na sua forma atual, funciona para o que querem que ele faça (encarcerar PPP e perseguir adversários políticos dos poderes locais).

  7. Brazuca

    As privatizações no brasil são pura farsa.

    É o maior negocio, e não da china não, é brazuca mesmo, com z!

    Quem ganha? 

    Qual o nome das pessoas que vão lucrar?

    Onde elas residem?

    Vamos la pedir nossa parte. Este patrimônio todo é nosso, não é de um governinho golpista, é da nação.

     

  8. ?

    kkkk , é trágico para a legião de desempregados , mas uma situação irônica para o governo golpista .

    O investidor estrangeiro não quer vir nem mesmo com a demonstração pelo golpista TEMER de que está disposto a fazer seu próprio povo a comer merda com a aprovação da PEC 241 , se preciso for , direcionando todo o aparato do estado para satisfazer o grande capital .

    É como diz a sabedoria antiga : Quanto mais se abaixa , mas aparece el culo !  

  9. Republica de banans

    Quem assinará contratos com um país que rompeu o maior dos contratos, de 54 milhões de votos. E com um governo ilegítimo, instável, impopular e sem rumo. Um país sem lei. Lá fora a globo não mente todo o tempo.

    Um ponto a menos para o judiciário. Aliás o que o judiciário esta sendo acusado por especialistas, todo dia, falando mal abertamente do stf é de dar dó. Até nos jornais do pig. Que vergonha!

    Como não entenderam que depois do golpe seria o caos?

  10. Programa Crescer

       Não é nada, na apresentação tratou-se somente de um arrazoado de ” intenções”, que em teoria, ou desejo, puro e simples, traria marcos juridicos renovados, alterações nas regras infinitas de licenciamento ambiental, o prazo de 100 dias, no minimo, é vago, assim como são vagas as formas de financiamento, taxas de juros, obrigatoriedade de parcerias locais, não é um PLANO , foi um conjunto de intenções, nenhum edital sequer foi delineado.

        Então, mesmo minimizando a importancia da ” Lava Jato “, do protagonismo juridico no qual um juiz de 1a instancia ou mesmo um Procurador de qualquer lugar do Brasil, tenha o poder de barrar a obra, desde o edital até a entrega, e vamos combinar , ser francos : esta barafunda juridica é cara para quem quer investir, mas……

         Como captar capital externo sem apresentar regras claras, afinal Temer et caterva falaram, tanto aqui como no exterior, que as regras seriam modificadas, e cadê ????, prometeu, jurou, tem que cumprir e ninguem irá ficar esperando, o capital vai para outro lugar.

          Sem as reformas: trabalhista, licenciamentos, financiamento & seguros, regras de compliance, que novamente escrevo: foram prometidas, fica muito complicado captar recursos.

  11. Deixa essa turma “governar”

    Deixa essa turma “governar” porque o desastre vai ser tão grande (prevejo 20 milhões de desempregados para 2017) que talvez muitos midiotas vão comecem a se perguntar o que houve de errado. Digo o que houve de errado: é ser burro, desconhecer a história do Brasil, desconhecer a economia mais elementar e acreditar na Globo.

    Os investidores costumam ser estúpidos, mas não a ponto de jogar dinheiro num país cuja economia vai começar a sofrer uma nítida e brutal contração (resultado da contração do investimento público) visto que todos os recursos irão para o sistema financeiro, que estará drenando toda a renda produzida, encolhendo seu mercado consumidor. 

    A agonia dos mais pobres e da classe média vai ser longa, cruel e desesperadora. É a Idade das Trevas chegando. Mas será um castigo mais do que merecido por acreditar na Globo. Ou como diria Simon Bolívar: “um povo ignorante é o instrumento cego de sua própria destruição”. Não merecem nada mais do que um sonoro “bem-feito”.

     

     

    • É isso aí!

      Além da insegurança jurídica, um comentarista em baixo disse que as estrangeiras não precisam se preocupar, mas eu acho que eles se preocupam, mesmo não sofrendo o ataque que as construtoras nacionais receberam, algumas estrangeiras também foram incrimidas pela lava jato, não sofreram com prisões, mas tiveram prejuízos.

      Também tem a questão do foco das concessões.

      As concessões precisam de um mercado interno puljante, não só o mercado externo (que sabemos que não está grandes coisas). Aí aparece o problema, alguém acredita num projeto de desenvolvimento nacional comandado pelo pmdb, psdb e o dem. A lava jato criminalizou o desenvolvimento nacional. 

    • deixa….

      Bela foto de estrada privatizada. Pinta-se faixa continua em toda extensão, transforma acostamento em pista e acaba com acostamento.Nunca fui fã de pt, mas hoje se vai pelo asfalto ao Piaui ou Rondônia. Em estradas, que até FHC, só colocavam a placa de obras e o dinheiro “desaparecia”. Ficava na terra, buracos e poeira. É fácil privatizar bem público construído com nosso dinheiro. O que os caras querem é mais mamata, mamata, mamata. Financiamentos a perder de vista via BNDES. Segurança juridica, respeito aos contratos para garantir o lucro e o capital de especuladores. E as obras quando a concessionária quiser. Ou seja NUNCA. Vejam o caso da Rod. Raposo Tavares entre São Paulo e Sorocaba SP270, Mario Covas privatizou há quase 20 anos, para modernizar o traçado e duplicar as pistas. Foi instalado pedágios extorsivos a cada 30 Km, no primeiro ato e as obras nunca vieram.  Segurança no trânsito, diminuição em acidentes e mortes? Só balela. Pedágios, curvas, falta de iluminação e acostamento, lombadas, lombadas, lombadas. Crianças, idosos, a população em geral andando a 2 metros de carretae e caminhões, mortes e atropelamentos todos os dias. Devidamnente escondidos das estatisticas. E respeito aos contratos de privataria. Que garantiam os lucros em pedágios de imediato e nunca impuseram a realização das obras. A Agência Reguladora do Estado de SP, que leva 5% desta bolada, agradece. É a cara do Brasil. 

  12. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome