Delegado da PF diz que Odebrecht pagava propina para qualquer governo

Jornal GGN – Filipe Hille Pace, delegado da Polícia Federal que classificou Lula como “Amigo” de Emílio Odebrecht no relatório em que indicia o ex-ministro Antonio Palocci por corrupção, também disse que a Odebrecht paga propina para “qualquer governo”, de qualquer partido e em qualquer esfera do poder.

“A Odebrecht pagava propina para consecução de contratos e para garantir seus interesses junto a qualquer governo de qualquer esfera da administração pública, demonstrando-se, assim, novamente, que a corrupção era e é multipartidária e sistêmica”, anotou, segundo publicação do Estadão.

Em 26 de setembro, quando foi deflagrada a Operação Omertà, a PF abriu novo inquérito para “apurar as suspeitas de irregularidades envolvendo a Odebrecht em 38 obras pelo País. A investigação corre sob segredo de Justiça”, lembrou o jornal.

Pace disse à imprensa, então, que a PF já tinha conjunto de provas e que o depoimento de Marcelo Odebrecht, preso desde 19 de junho de 2015, não era “imprescindível” para a operação.

À época, a mídia também reportou dificuldade de Marcelo Odebrecht em fechar o acordo de delação. Isso ocorreu, após oito meses de negociações, apenas há duas semanas. Segundo relatos da Folha, há 130 deputados, senadores e ministros envolvidos, além de 20 governadores. O leque de partidos afetados é bem “democrático”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Lewandowski reafirma direito de Lula aos documentos retidos pela Lava Jato

9 comentários

  1. Precisamos de especialistas

    Precisamos de especialistas para nos dar a real dimensão dessa nova fase de indiciamentos e prisões pela Lava Jato. Porque o que está dito no post nunca, jamais, foi novidade para mim e tantos mortais. O que se quer saber é onde está a novidade, e qual o motivo de somente nesses últimos dias vermos Cunha recebendo seu quinhão, ou Henrique Alves, etc.

    Ainda penso que essas coisas estão tomando o noticiário brasileiro para justificar aquela outra, tão conhecida de todos.

  2. Subito fim ao festival de vazamentos…

    “Em 26 de setembro, quando foi deflagrada a Operação Omertà, a PF abriu novo inquérito para “apurar as suspeitas de irregularidades envolvendo a Odebrecht em 38 obras pelo País. A investigação corre sob segredo de Justiça””:

    Tucanos envolvidos, e nao sao poucos.

  3. Bien venido

    “a corrupção era e é multipartidária e sistêmica”

    Bem vindo ao planeta Terra, delegado. 

    Desde a época dos dinossauros não houve uma obra pública sequer que não tivesse “pagado pau”. Ontem, hoje e sempre. 

    • Eu ia tecer comentário na

      Eu ia tecer comentário na mesma linha. Bem vindo ao mundo real Sr Delegado da PF. No mundo todo, em especial no capitalista, a coisa funciona assim. Creio que o tal Delegado nunca deve ter trabalhado na iniciativa privada, portanto não sabe como o mundo roda.

      Se a propria Statoil, estatal da Noruega de petroleo, subsidiou com muita grana o Instituto Millenium, a fim de recuperar este “investimento” agora, na compra da petrobrás, o que dirá aqui em terra brasilis??

      Estão querendo “criminalizar” o proprio capitalismo identificando apenas o amigo de Emilio Odebrecht, como se ele só tivesse um amigo…

  4. Chega de macartismo

    Quanta propina ja não passou sob o céu da Terra Brasilis desde Pedro Alvares Cabral. E além de ser apartidaria, ela é também internacional. Acontece em todos os Paises, em maior ou menor grau. No Brasil precisamos mais de reformas em todos os niveis para diminuir a corrupção do que uma caça às bruxas.

  5. A corrupção é sistêmica
    Logo, Lula não é o “cabeça” de nenhum esquema criminoso e as convicções de uns desabam como um castelo de cartas inconsistente. Como também FHC não seria. Mas a pergunta que fica: por que o MPF deixou supostamente que prescrevessem os crimes durante o governo FHC? Por que essa diferença toda de tratamento? Aliás, se a pena em concreto pode ser bem alta, como Barbosa fez contra José Dirceu, porque se pode dizer que estão prescritos os crimes anteriores a 2002? Eu não entendo mais nada.

  6. Redundância nunca é demais

    Está claro na mui vezes repetida planilha deles: “contribuições de campanha” para figuras de TODOS os partidos. Obras de grande porte, quer públicas, quer privadas, passam pela propin. Isso faz parte, pura e simplesmente, da realidade de negócios no capitalismo. O que se faz e não cansamos de repetir isso, é que se usa disso para perseguição política seletiva. O PT no poder errou ao entrar no mesmo esquema de sempre? Sim. Mas tirar o PT do poder e quebrar a empresa por vingança enquanto partidos como o PSDB, DEM, PMDB, PP, PPS, PTB e toda a leva fica à sombra vendo o PT se queimar e não achar isso revoltante, sinceramente, é fazer parte da máfia corrupta qu sepre governou e agora governa impunemete o Brasil. 

    • o delegado…

      A afirmação do delegado é a inversão da inversão. O certo seria: a  Odebrecht era extorquida por qualquer um. O Estado é a extorsão. O Estado é o Crime Organizado. Quem querem enganar? O Estado detem o Poder, o capital para investimento, as obras, a Policia e o Judiciário. Como no caso do Mensalão (cadê as prisões no Mensalão Mineiro?) onde as autoridades públicas receberam as menores penas, como se vitimas fossem. Aqui estão tentando fazer a mesma coisa. O Estado coordena o crime, e não o contrário. Alguém tem alguma dúvida que a Odebrecht ou qualquer outra empresa para trabalhar para municipios, estados ou União ou qualquer empresa estatal não é extorquida? Até onde mais desceremos? 

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome