MPF pede à Justiça que Temer seja preso novamente

Se a Justiça não concordar com a nova prisão, os procuradores pedem que o ex-presidente seja mantido em prisão domiciliar e proibido de manter contato com os outros acusados

Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil

Jornal GGN – O Ministério Público Federal (MPF) pediu à Justiça nesta segunda-feira (1º) que o ex-presidente Michel Temer, o ex-ministro Moreira Franco e mais seis acusados na Operação Descontaminação – braço da Lava Jato do Rio de Janeiro – sejam novamente presos.

O grupo foi detido no dia 21 de março por decisão do juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, responsável pela Lava Jato no RJ.

No dia 25 o desembargador Antonio Ivan Athié, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) concedeu liminar (decisão de caráter provisório) de soltura de Temer e dos demais acusados.

Ainda na semana passada, o MP apresentou duas novas denúncias contra o grupo, também relacionadas às investigações sobre desvios envolvendo a obra da usina nuclear de Angra 3 e a Eletronuclear.

Os envolvidos respondem por corrupção, lavagem de dinheiro e peculato e a Lava Jato. No despacho que determinou as primeiras prisões, Bretas argumentou que Temer é “líder da organização criminosa” que atua há 40 anos.

Se a Justiça não concordar com a nova prisão, os procuradores pedem que o ex-presidente seja mantido em prisão domiciliar e proibido de manter contato com os outros acusados.

No dia 10, a Primeira Turma Especializada do TRF-2 irá julgar o habeas corpus de Temer e os outros sete podendo derrubar a decisão monocrática do desembargador Athié.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome